quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

TEMA: Criação, Queda, Redenção e Consumação! - 84 - Faltam 485 dias para 26/04/13 e 896 dias para a Copa

Saul começa a odiar a Davi e a persegui-lo porque já imagina a sua ruína. Todos nós sabemos que esse ódio é decorrente da ausência do Espírito Santo na vida deste homem porque já fora rejeitado por Deus e agora um espírito malígno o atormenta. Saul está sendo usado e o objetivo é somente um: destruir a semente messiânica.

Davi desenvolve com Jonathans, filho de Saul uma forte amizade e desafiado vai à luta agora pelo dote de Mical e por ele dá a Saul 200 prepúcios de filisteus. É óbvio que o pedido pelos prepúcios tinham por objetivo destruir Davi quer pela sua morte, quer pela humilhação em não ser capaz de pagar o dote.

No entanto, Deus era com Davi e este é glorificado e exaltado e agora da família real. O ódio de Saul aumenta e começa um grande problema para Davi. Quem vê a situação pelo lado de fora, logo imagina porque Davi não o mata e acaba logo com isso? Davi é temente a Deus e honra a Saul como aquele escolhido por Deus.

Nisso eu vejo um grande respeito à soberania de Deus. Davi cria em Deus tão piamente que sua mão não se mancharia com o sangue daquele que era o rei de Israel. Davi também sabia de sua eleição e, com relação às contingências a que estava exposto, por causa da sua situação atual, a administrava com paciência e esperança.

Paciência para suportar tudo o que tinha de passar enquanto sua promessa não se cumpriria. Esperança porque sabia, pela fé, que sua ascensão era tão certa como o nascer e o por do sol. Davi não quis ajudar a Deus, acelerando a morte de Saul. Abraão, ao contrário, não teve paciência e gerou de Hagar um filho, Ismael.

Jesus Cristo, Filho de Davi, aquele que viria no tempo certo é também um exemplo perfeito de confiança absoluta no governo, na providência divina. Jesus jamais tentou ajudar a seu Pai nem a acelerar o cumprimento de suas promessas que eram mui grandes para ele.

Ao contrário, se submeteu ao governo de seu Pai e sofreu afrontas sem jamais revidar ou buscar a vingança. Morreu, foi submisso até a morte e morte de cruz, pelo que Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu um nome que está acima de todo o nome que se nomeia.

Davi entendia que Deus governava o mundo e reagia às circunstâncias com paciência e muita esperança. Entender que Deus governa o mundo e as circunstâncias não é nada fácil. É somente lamentável que ele tenha caído com Bate-Seba, mas até nisso, este homem nos ensina uma lição fantástica que falaremos no tempo devido.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.