sábado, 20 de julho de 2019

DISCUSSÃO ANTROPOLÓGICA - TRICOTOMIA (Pr. ÉDER MACHADO)

Escritor e Professor Pr. Éder Machado

Uma Antropologia Tricotômica ou uma unidade psicossomática Antropológica? 
(Antropologia 2ª parte). 
O Apóstolo Paulo na sua primeira carta aos Tessalonicenses 5.23, expressa uma oração pelos irmãos daquela cidade dizendo que: “o mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”1. Esse é o texto básico e único usado pelos tricotomistas* para tentar embasar sua teoria de que o ser humano é composto de três partes, espírito, alma e corpo. Entretanto, partindo desse pressuposto, convém perguntar: há realmente base para tal teoria? Paulo estava ensinando realmente que os seres humanos são compostos de três elementos? O que o apóstolo tinha em mente ao falar isso? A partir destes questionamentos será analisado esse texto, em primeiro lugar observando as explicações do escritor tricotomista Watchman Nee2 que assim se expressa: 
Este versículo mostra claramente que o homem está dividido em três partes. O apóstolo Paulo se refere aqui à santificação total dos crentes: «vos santifique completamente». Segundo o apóstolo, como se santifica uma pessoa por completo? Guardando seu espírito, alma e corpo. Com isso, é fácil compreender que o conjunto da pessoa compreende estas três partes. Este versículo também faz uma distinção entre espírito e alma, pois de outro modo Paulo teria dito simplesmente «sua alma». Posto que Deus distinguiu o espírito humano da alma humana, concluímos que o homem está composto, não de dois, mas sim de três partes: espírito, alma e corpo. 
No seu outro livro intitulado “A salvação da alma” Nee3 afirma o seguinte:
Quando abordamos a questão da salvação, há uma coisa que é de extrema importância que devemos conhecer, que é, a tremenda diferença entre o espírito e a alma. De acordo com I Tessalonicenses 5:23 as Escrituras retratam o homem como possuindo três elementos importantes: “... espírito, e alma e corpo.... Falando resumidamente, o espírito é a faculdade através da qual o homem está apto a comungar com Deus e a qual nenhum dos animais inferiores possui. Por esta razão, os animais inferiores não podem louvar a Deus. A alma, por outro lado, é o órgão do pensamento, vontade e emoção no homem - Algo que os animais inferiores também possuem; pois a alma diz respeito a vida animal (ou animada). Por último, o corpo que é a parte do homem que se comunica com o mundo material. Visto que somos seres humanos compostos de espírito, alma e corpo, nossa salvação deve, por conseguinte se estender a todas estas partes.   
Fazendo uma análise desse texto, em primeiro lugar se observara que não há base para tal teoria, mas sim, há um grande equívoco de Nee, justamente pelo fato de ser o único versículo das escrituras que menciona espírito, alma e corpo juntos. Em segundo lugar o Apóstolo estava enfatizando acerca da santificação na vida daqueles que estavam esperando a vinda do Senhor Jesus, e, não apresentando um tratado de antropologia,* baseando-se em uma teoria filosófica a qual ensinava que os seres humanos são compostos de três elementos. Em terceiro lugar, como um bom conhecedor da antropologia apresentada na escritura Hebraica, Paulo estava enfatizando a unidade* da personalidade do ser (completamente).   
Comentando esse texto Berkhof 4 declara que de acordo com a exegese5 as afirmações obscuras devem ser interpretadas a luz do contexto Bíblico. E nessa passagem de 1 Ts 5.23 segundo ele6 o apóstolo está simplesmente fortalecendo a declaração: “o mesmo Deus da paz vos santifique em tudo”. Usando a figura de linguage Epizeuxis7 com a qual ele apresenta a dimensão da personalidade humana, utilizando termos sinônimos “espírito, alma e corpo”. Aqui Paulo inicia o versículo falando de Deus como a fonte da paz, mostrando que esse mesmo Deus é aquele que santifica o pecador que se arrependeu e passou a fazer a vontade dele, pois o desejo do apóstolo nesta oração é que essa santificação seja total na vida daqueles que aguardam a vinda do Senhor Jesus, e isso, está explícito* no verbo grego a`gia,sai (hagiasai, santifique) o qual tem o sentido de se separar das coisas  profanas para se dedicar esclusivamente a Deus. Na sequência ele comenta que essa santificação é em tudo, por completo, ou seja, completamente, que o “espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros”, e algumas coisas são dígnas de observação aqui: A primeira é que o adjetivo o`lo,klhron (holóklêron, integro), é um termo composto por holos “todo” e kleros “lote” o qual segundo Arnold E. Airhart8  tem o sentido de ser completo, ou seja, algo sem deficiência alguma no seu estado de conservação. Em segundo lugar convém ressaltar que as expressões gregas9 thrhqei,h (têrêtheíê, seja conservado) o`lo,klhron (holóklêron, íntegro) e avme,mptwj (amémptôs, irrepreensívelmente) nesse texto estão todas no singular10, pois, o objetivo de Paulo aqui não é ressaltar uma natureza tripartida do homem, até pelo fato de que o seu conceito antropológico Judaico-Cristão  era de uma unidade de ser (completamente). Na verdade, o que ocorre aqui é um erro na tradução das palavras que estão no singular, quando o tradutor procura ajustar a frase para o português colocando-as no plural, sem dar importância a construção, e não levando em conta o conceito doutrinário que o escritor professava, pois, o objetivo central do apóstolo aqui, é mostrar que os cristãos precisavam de santificação no seu ser, por inteiro, sendo assim, em uma tradução fiel às palavras originais11  do apóstolo se terá:
Ele mesmo o Deus da paz santifique a vos por completo; vosso espírito, alma e corpo seja conservado íntegro e irrepreensívelmente na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, semelhantemente o Doutor Dumoulin12  traduziu o versículo da seguinte maneira: “Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Nesse texto ele comenta que a Bíblia afirma categoricamente “a unidade do ser humano” enfatizando que alma e corpo “são dois aspectos da mesma realidade, o eu”.
Keener13 ao comentar esse versículo, fala que assim “como a maioria dos autores Judeus e o Antigo Testamento, Paulo via o indivíduo como um todo, sendo o corpo separado da alma na morte”. Já Hodge14, explica que “cada alma é cada homem” (de forma genérica), pois segundo ele o texto original da Bíblia usa as palavras espírito e alma tanto em relação aos seres humanos como também aos animais irracionais, no entanto, Hodge15, enfatiza que “esse príncipio na criação bruta é irracional e mortal; no homem ele é racional e imortal” (Ec 3.21). Para Dumoulin16, “os termos corpo, alma, espírito designam, portanto, somente diversos aspectos, ou melhor, níveis de uma única realidade: o homem”. De forma semelhante, na encíclica* Deus Caritas est (Deus é Amor), o Papa Bento XVI17, fala da unidade da alma e do corpo, com condição do amor afirmando que “... a fé cristã sempre considerou o homem como um ser unidual, em que espírito e matéria se compenetram* mutuamente...”.
A partir destes conceitos, fica claro que a Sagrada Escritura apresenta o ser humano não como uma tricotomia, mas como uma unidade* de ser, a qual é física e espiritual, unidade essa que só pode ser desassociada* com a morte e que em tempos futuro, voltará a se unir na ressurreição no fim dos tempos (1 Co 15.44; Gn 2.7).          
Referências Bibliográficas
1  Consulte A Bíblia Sagrada ARA. Almeida Revista e Atualizada em 1 Ts 5.23 e compare com a versão da Bíblia Sagrada Ave-Maria a qual traduz:O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!” 1 Ts 5.23. 
2  Veja mais detalhes em NEE, Watchman. O homem espiritual. Belo Horizonte, Editora Betãnia, 15-31 p.  
3  Consulte NEE, Watchman. A salvação da alma. 2. ed. Curitiba, Editora Restauração, 2004, 6,7 p.
4  BERKHOF, Luis. Teologia sistemática. 4. ed. São Paulo: Cultura Cristã. 2012, 180 p. 5 A palavra exegese vem do grego exêgêse e significa explicar, interpretar.
6     BERKHOF, Luis. Teologia sistemática. 4. ed. São Paulo: Cultura Cristã. 2012, 180 p.
7     Epizeuxis é uma figura de retórica pela qual há repetição de palavras ou de seus sinonimos, para dar enfase a um assunto; consulte BERKHOF, Luis. Teologia sistemática. 4. ed. São Paulo: Cultura Cristã. 2012, 180 p; e SOARES, Esequias. Cristologia: A doutrina de Jesus Cristo. São Paulo. Hagnos, 2008, 136 p. 
8     Consulte EARLE, Ralph. et. al. Comentário Bíblico Beacon. Vol 9 Galatas a Filemom. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, 401, 402 p.   
9     Consulte SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. Novo Testamento interlinear grego – português. 2. ed, São Paulo: SBB, 2004, em 1 Tessaloncenses 5.23, 761 p.
10  Sobre as palavras no singular, veja o comentário em BRUCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo: Vida Nova, na 1 carta aos Tessaloncenses 5.23, 1396 p.
11  Consulte SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. Novo Testamento interlinear grego – português. 2. ed. São Paulo: SBB, 2004,  em 1 Tessaloncenses 5.23, 761 p. 
12  DUMOULIN, Pierre. O que é a alma? São Paulo: Editora Ave-Maria, 2009, 09 p; consulte a versão da Bíblia Sagrada Ave-Maria a qual traduz:O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!” 1 Ts 5.23. 
13  KEENER, Craig S. Comentário Bíblico Atos: Novo Testamento. Belo Horizonte: Editora Atos, 2004, 616 p.
14  HODGE, Charles. Teologia sistemática. São Paulo: Hagnos, 2010, 520 p.  
15  Para mais detalhes sobre a teoria tricotomista, consulte HODGE, Charles. Teologia sistemática. São Paulo: Hagnos, 2010, 518-520 p.
16  DUMOULIN, Pierre. O que é a alma? São Paulo: Editora Ave-Maria, 2009, 35 p.  17 Idem, 33,34 p.
Glossário
*Antropologia: tem como significado “ciência do Homem” ou ciência que estuda e analisa os seres humanos, desde seu aparecimento na terra.
*Compenetram: se persuadem; se arraigam. 
*Desassociada: desligada.
*Encíclica: carta circular pontifícia.
*Explícito: claro, explicado. 
*Tricotomistas: são pessoas que ensinam que o homem é um ser tripartido; com espírito, alma e corpo.
*Unidade: é uma expressão que está relacionada com a palavra psicossomática, a qual é um termo composto dos vocábulos grego psiche (vida, alma) e soma (corpo) os quais na teologia referem-se ao ser humano como uma unidade fisica/espiritual, e não uma dicotomia de alma e corpo. Convém ressaltar que esse artigo e o outro intitulado: Corpo, Alma e Espírito: O que vem a ser? Faz parte do livro ainda não publicado do mesmo autor, MACHADO, Éder. A Origem da Alma. Uma visão traducianista, em um debate teológico, Filosófico e biológico. Brasília: 2013, 78 p.
Realização MEP: Ministério Ensinando a Palavra.

domingo, 14 de julho de 2019

CUIDADO COM DISCURSOS BONITOS E PROFUNDOS

Palavras certas na boca de pessoas ímpias não deixam de continuarem certas, mas dão a falsa impressão de que quem fala é certo, quando na verdade não é. 

Satanás, muito astuto, poderia anunciar o evangelho da forma correta, mas nunca com a intenção de dar glórias a Deus, antes com a pura intenção de anunciar a todos que quem fala a verdade é maior do que a verdade que ele fala.

Por isso que devemos tomar cuidado com certos discursos e com certas falas inteligentes de pessoas cujos princípios vão de encontro à graça de Deus.

Veja o que diz Isaías 59:4 - Ninguém há que clame pela justiça, ninguém que compareça em juízo pela verdade; confiam no que é nulo e andam falando mentiras; concebem o mal e dão à luz a iniquidade.

Também Judas, em seu livro diz: Judas 1:14 a 16 - E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse.

Paulo, o apóstolo, por duas vezes fala do ventre deles que Elifaz citou: 
  • Romanos 16:18 - porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos.
  • Filipenses 3:19 - O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. Eles concebem malícia, dão a luz iniquidade e o seu ventre prepara enganos! 
Ele, Elifaz fala dos ímpios, e não é que está falando de si mesmo? Por isso que a palavra certa pode estar sendo pronunciada de forma até certa, mas com a boca errada, não com o objetivo de dar glórias a Deus, mas de chamar a atenção do ouvinte para o autor da fala, contra Deus.

No presente caso, Jó está certo e Elifaz errado. É por isso que a justiça é do Senhor e não do palrador.

p/ Pr. Daniel Deusdete - Igreja Os Semeadores.
QNA 30, LOTE 7 - Av. Comercial Norte
Taguatinga Norte - Brasília/DF

sábado, 13 de julho de 2019

A Glória de Deus e a Cura Divina


Hoje, recebi de um amigo meu (Ivan), um pedido de oração por um de seus amigos:
- Ele pede para que intercedamos pelo irmão dele que está na UTI, mas está conversando e reconhecendo as pessoas e, logo, iria fazer uma cirurgia. No entanto, o Médico ficou surpreso com as melhoras dele. É Deus operando! Ele então pede pelo Antônio José...
Eu também aproveito a oportunidade e peço oração pelo meu irmão João C. B... que anda com crises de ansiedade e problemas graves com TOC.
Também peço, ainda, oração pela minha cunhada Fabíola que está acometida de DH e toda sua família está sendo abalada. Uma vez que a DH é muito cruel, sem cura humana e sem remédios paliativos.
Ivan, meus queridos, me fez refletir e parafraseando-o, ouso estender sua reflexão para todos os casos citados neste... Disse-me ele:
- A questão não é o que Deus pode fazer ou não por eles, mas como Deus espera ser glorificado no propósito que tem para com todos (Antônio, João, Fabíola)...
A mesma coisa podemos aguardar em todos os casos, em especial, em relação à Doença de Hantington – DH da Fabíola. Huntington descobriu a falha genética, mas Deus nos desenhou por completo e é o dono e o titular do manual do fabricante ...
A questão é tão profunda que um leigo poderia afirmar de modo simplista que se Lázaro recebeu uma  benção superior à cura - pois estava morto e estes não "podem" ser curados e sim reinventados ou ressuscitados. Realmente, Lázaro não foi curado, mas reinventado/ressuscitado. Havia nele um propósito de glorificação Dele, do Senhor. Do mesmo modo, na sua família, por meio da Fabíola (ou do Antônio ou do João), como um todo Deus precisa ser glorificado... Sendo assim, irá romper a sentença que traz essa síndrome não a curando, mas a reinventado, redesenhando seu DNA.
De fato pela ótica da esperança humana  essa regeneração  é uma coisa espantosa que requer a quebra de paradigmas de fé, basta dizer que já ouvimos de várias pessoas ressuscitadas, mas - não que me lembre - de um único caso de uma pessoa, por exemplo, com uma falha genética de Down que tenha sido totalmente regenerada... 
Então, a questão não é se o criador pode recompor um gene, mas se Ele quer ser glorificado nessa mesma situação ou noutra... Mistério!
Vamos orar mais? Vamos buscar o Deus que se deixa achar? Leia e medite no Salmo 139 e veja como é que o Senhor nos entreteceu no seio de nossas mães e de que forma maravilhosa nos formou...
A todos um bom dia, na paz do Senhor.
Ivan, muito obrigado por sua reflexão tão profunda, vinda do Espírito de Deus! Oremos e louvemos, queridos.


sexta-feira, 5 de julho de 2019

LIÇÕES IMPORTANTES DO DESERTO QUE PREPARAM PARA A TERRA PROMETIDA


“Durante os quarenta anos os israelitas tiveram maná para comer, até que chegaram a uma terra habitada, isto é, até que chegaram à fronteira de Canaã.” (Êxodo 16:35)
É muito interessante ver como o nosso maravilhoso Senhor supre as necessidades do povo israelita no deserto. Cerca de três milhões de pessoas foram supridas de maneira milagrosa por meio do maná.
Quando eles se cansaram do maná e reclamaram contra o líder, o Senhor ouviu a queixa e ainda supriu com milhões de codornizes toda aquela multidão.
Uma lição é a dependência de Deus. O pão diário foi suprido durante 40 anos, mas isso aconteceu somente enquanto estavam no deserto.
Quando os israelitas se acercaram da fronteira da terra prometida o milagre do maná cessou.
O maná era diário, se quisessem guardar estragaria, exceto no caso da sexta-feira que poderiam colher em dobro, pois o Senhor queria que eles tivessem descanso no sétimo dia. 
Enquanto estavam no deserto, conviveram com a experiência da proteção divina por meio da grande nuvem, que durante o dia protegia o povo do calor causticante que podia superar os 50ºC e, durante a noite, a coluna de fogo os aquecia durante o tremendo frio de 0ºC.
Outra lição importantíssima era que o maná era suprido debaixo da nuvem que se movia, algumas vezes diariamente, outras vezes a cada dois dias, um mês e até mesmo um ou dois anos.
Se eles avançassem ou parassem e ficassem fora da proteção não teriam o maná e poderiam morrer queimados ou congelados. 
A obediência ao comando do Senhor era importante.
Quando o Senhor dava a ordem para levantar acampamento, todos tinham que se mover em quaisquer circunstâncias, mesmo as grávidas e as que tinham tido bebês.
Quando entraram na terra que mana leite e mel tiveram que trabalhar a terra e cinco das 12 tribos se estabeleceram na terra conquistada e reservada para eles.
As outras sete tribos que deveriam conquistar a outra parte da terra prometida viram o grande desafio dos gigantes em suas terras, tiveram medo e, como resultado, ficaram dependentes das cinco tribos que haviam se estabelecido na parte mais fácil e segura.
Como deve ter sido difícil para aquele povo, ao chegar em Canaã, parar de receber o maná diário! Parece que muitos deles se tornaram acostumados àquela facilidade.
Na verdade, a história mostra que os israelitas se tornaram acomodados em muitos sentidos, nem mesmo quiseram terminar o trabalho de conquista da terra.
Essa acomodação ocorreu até que cinco mulheres valentes, filhas de Zelofeade (Macla, Noa, Hogla, Milca e Tirza), inconformadas com a sujeição, foram ao governador, príncipes e ao sacerdote reivindicar a terra mais difícil e perigosa. Elas creram na excepcional ordem divina e disseram que o Senhor havia prometido ao pai delas a terra, e isto providencialmente, pois ele não teve filhos.
Naquele tempo não era dada herança para as mulheres. A atitude daquelas mulheres corajosas e trabalhadoras levou o dócil e manso líder Josué a se revoltar com a indolência e passividade das sete tribos e chamar seus líderes de negligentes em conquistar a outra parte da terra prometida.
Essas mulheres mexeram com o brio de Josué que empurrou os dependentes até que eles saíram da inércia para a conquista do restante da terra a eles destinada.
Aprendemos essas lições maravilhosas e entendemos que a nuvem nos moveu para o continente asiático, região que tem a maior população menos evangelizada da terra, onde estão os grandes desafios e gigantes.
Ali também estão os nove entre os 10 países menos evangelizados, 85% dos menos evangelizados e 40% das línguas sem nada traduzido da bíblia.
No início dos anos 70, tivemos três sonhos seguidos com algumas pessoas asiáticas e na época não tínhamos conhecimento para discernir a diferença entre chineses, japoneses e coreanos e como éramos influenciados pelos livros de Osvald Smith - pastor da Igreja Dos Povos em Toronto - Canadá e que chegou a sustentar cerca de 800 missionários - e nos livros mostrava o desafio da China e nós entendemos que a nossa vocação era para tal nação.
Na época, em obediência deixamos a coordenação técnica da engenharia de uma empresa automobilística no estado de São Paulo e fomos ao seminário nos preparar. Ao concluirmos o Seminário, no final da década, a China estava totalmente fechada.
Fomos para um trabalho pioneiro em Monte Verde, estado de Minas Gerais e ficamos ali quatro anos. Após um treinamento transcultural em São Paulo, fomos para a Bolívia, primeiro na selva entre os indígenas "aioreos" e depois numa cidade fronteiriça, Puerto Suárez onde foi estabelecido várias igrejas, um colégio, um posto de saúde e um Centro de de Refeição para as crianças.
Vários amigos disseram que a Bolívia era a nossa China, país que aprendemos a amar de todo coração.
Em 1991, voltamos ao Brasil para iniciar a HORIZONTES e em 1992 fomos para um treinamento de união, mobilização e estratégias no País de Gales.
Em 1993, retornamos ao Brasil para alavancar a obra de conscientização missionária, recrutamento, treinamento e envio de OBREIROS aos Povos Não Alcançados da JANELA 10-40.
Produzimos o primeiro artigo sobre a JANELA 10-40, todo o material do Movimento AD2000 e Além, mais de 100 títulos de livros, livretos, revistas de missões. Isto culminou com 96 jovens enviados de uma vez para a JANELA 10-40 em Setembro de 2001, por intermédio do Projeto Radical.
O Projeto foi escolhido como Modelo Multicultural de Treinamento pelo Congresso de Lausanne realizado em Setembro de 2004 em Pattaya - Tailândia.
Desenvolvemos vários projetos, tais como: Espanha, Sahel, Seminário Transcultural, Revolution Teen, UNIASIA, Região e Curso a Distância.
O curso a distância chegou a ter mais de 3.400 alunos. Além disso, treinou um terço da força missionária atuando na JANELA 10-40.
Em Novembro 2017, fomos ministrar em Honolulu - Havaí, com um casal amigo, Ismael  e Vera Montanha, sobre o Movimento de Oração do Brasil para a REGIÃO.
Ao retornar fomos a MASSACHUSSETS compartilhar sobre o PROJETO REGIÃO.
Eles voltaram mais cedo e uma semana depois ao entrarmos no avião para retornar o Senhor trouxe claramente a memória os sonhos dos anos 70, como em slides, e bem claro disse: Coreia. No meu entendimento estava envolvido com o Projeto e então compreendi que era confirmação e isso depois de quatro décadas.  Nunca imaginamos que o Senhor estava confirmando nossa ida, neste estágio da vida, a Península, nossa TERRA PROMETIDA.
Estas duas viagens deste ano para a Coreia confirmaram em nossos corações a chamada para a Península, apesar disso muitos amigos brasileiros e estrangeiros não compreenderem este chamado. Por isso estamos tentando compartilhar o nosso chamado.
Nestas viagens, ver algumas faces em Seul me fez retornar às imagens das pessoas vistas nos sonhos do início dos anos 70  e a cada dia que as via me fazia chorar e a amar muito mais este povo querido.
Ao compartilhar com minha filha que está estudando em Seoul, disse que seria como Moisés, que nesta idade avançada veria a Terra Prometida somente de longe. Mas sua resposta foi que já entrei várias vezes na minha minha TERRA PROMETIDA.
Uma observação importante dela foi que a vasta experiência adquirida é valorizada na Península e que como jovens sem experiência no passado não seria aceita para uma tarefa gigantesca como essa do Projeto da REGIÃO.
Também estamos conscientes que não temos muito mais tempo de vida, mas que estamos dispostos a ser enterrados ali, mas antes queremos dar o melhor de nossas vidas para a Península.
Não queremos desobedecer ao comando e estar na classificação de negligentes, pois ainda há muita terra a ser conquistada. Claro que não queremos sair de debaixo da Nuvem, que é a Proteção do Senhor.
Vemos o Senhor nos escancarando tremendas portas na ÁSIA, mas temos perfeita consciência de que não será fácil tal conquista, pois a tarefa mais difícil ficou para o fim.
Convidamos você para se associar a nós nesta ferrenha batalha de conquistar a árdua região a ser alcançada e que tem um preço alto a ser pago pela posse!
MOTIVOS DE ORAÇÃO:
ü  Pela venda do estoque dos livros da Editora, junto com os direitos autorais, e pelos kits das 300 bibliotecas missionárias de R$ 2.500,00 por R$ 1.000,00 e em até dez VEZES NO CARTÃO de crédito.
ü  Pela renegociação da dívida bancária da BASE em Monte Verde MG para nos liberar para o processo de transição.
ü  Pelo arrendamento da Base em Monte Verde MG, por um período de 10 anos. Que o arrendatário tenha condições para conclusão e adaptação dos edifícios.
ü  Pelo sustento das quatro famílias para irem junto conosco para a Coreia para estabelecer uma BASE de APOIO e treinamento para a Região. Também por um meio de auto-sustentabilidade, como tivemos no Brasil, a fim de avançar na obra.
ü  Por apoio internacional no PROJETO editorial de tradução e produção dos livros que conseguimos os direitos autorais.
ü  Por apoio internacional para complementar o sustento para 100 candidatos para serem treinados para a REGIÃO.
ü  Por recursos da Igreja no Brasil e no mundo para levantar um COMPLEXO na REGIÃO para receber equipes e viabilizar vistos de permanência.
Contamos com suas preciosas orações, apoio pelas nossas vidas e ministério.
Seus companheiros de batalha e representantes juntos aos povos, tribos, línguas e nações menos alcançados da terra,

Cleonice e David Botelho
Horizontes América Latina
Bradesco - Agência 1020 - Conta 3474-6 e CNPJ 59.958.983-0001-16