domingo, 11 de dezembro de 2011

TEMA: Criação, Queda, Redenção e Consumação! - 66 - Faltam 503 dias para 26/04/13 e 914 dias para a Copa

Outro juíz de destaque, sem dúvidas, foi Sansão, que pelo Espírito de Deus tinha uma força descomunal, com a qual derrotava os filisteus.

Israel seguia aquele ciclo de obediência – paz – desobediência (fazer o mal perante o Senhor) – escravidão - invocação ao Senhor – levantamento de um juiz – libertação – obediência – paz.

Naquele momento, Israel estava nas mãos dos filisteus que já os oprimiam há 40 anos. Clamavam os israelitas por Deus para os livrar do jugo filisteu e Deus visita uma família dentre eles cuja esposa era estéril.

Aparece-lhe à sua esposa, diz que nasceria dela um varão que seria do Senhor e que não poderia beber vinho nem sobre a sua cabeça passar navalha por que este seria nazireu, consagrado ao Senhor.

Sansão nasce e, no devido tempo, usando de sua força extraordinária vence os filisteus libertando assim o povo de israel daquele jugo.

Antes dessa vitória, houve alguns problemas e lutas... O problema de Sansão foi ele ter se  envolvido com mulheres. Foi logo depois de ele ter se deitado com uma prostituta em Gaza, que ele se apaixonou por uma mulher estrangeira, do vale de Soreque, a qual se chamava Dalila, que a todo custo tentou Sansão para obter dele o segredo de sua força. Aquela mulher fazia aquilo por conta de vantagens financeiras a mando dos filisteus e Sansão estava cego pela paixão.

Ela insistia de dia e de noite, até que o seduziu e sua força tinha saído dele, momento em que os filisteus o apanham e o expõe em seu templo entre duas colunas principais do templo, como um troféu conquistado. Aqueles filisteus tinham cegado os dois olhos de Sansão e zombavam dele agora que parecia um cão aprisionado e servindo de diversão a todo o povo.

Há um grande perigo em nos envolvermos com o inimigo, principalmente com suas mulheres. Sansão abusou demais e a mulher fora muito sagaz. Ela usou a técnica da importunação que o próprio Senhor nos ensinou, com respeito à oração. Ela importunou tanto, tanto, que chegou ao seu objetivo. A mulher de Potifar também aplicou em José essa técnica, mas com ele não triunfou.

Eu mesmo já ensinei meus filhos que quando quisessem algo, deveriam insistir até a obterem. Arrependi-me depois, pois realmente a importunação é chata e logo queremos ficar livres da importunação. Quando usada para orarmos, ela é boa. Quando usada para conquistas lícitas, também é boa.

Jesus nos deu duas palavras sobre a importunação e o dever de orar sempre, sem jamais esmorecermos. A parábola da viúva pobre e a palavra do amigo importuno.

Depois de Dalila conseguir o segredo de Sansão e este foi capturado,  no momento das comemorações dos filisteus, estando todos no templo, Sansão orou a Deus, pedindo perdão e lhe rogou que renovasse ali as suas forças.

Foi ali, então, que derrubando aquelas duas colunas, derrubou o templo do deus dagon que caindo sobre todos que ali estavam, os matou. Foram mais os mortos por Sansão ali do que os que matou em vida. Foi ali também que Sansão morreu.

Prosseguiremos amanhã...

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.