terça-feira, 15 de novembro de 2011

TEMA: Criação, Queda, Redenção e Consumação! - 40 - Faltam 529 dias para 26/04/13 e 940 dias para a Copa

Ao meditarmos nessa passagem de toda a bondade de Deus diante de Moisés vemos que Deus é bom! Se pudéssemos personificar a bondade e trazê-la à existência diante de nós e fôssemos conversar com ela, iríamos estar conversando com Deus. Deus é bom!

O Salmos 118:1 nos diz para rendermos graças ao Senhor porque ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre. Deus é bom e essa foi a experiência que Moisés teve ali naquele momento quando ele lhe pedia que Deus lhe mostrasse a sua glória. Deus então lhe mostra a sua bondade e faz 7+1 declarações onde as 7 primeiras falam todas de características dessa bondade e a última fala de juízo.

Antes do juízo, Deus pacientemente conosco é sete vezes bom. Ai de nós se não fosse a bondade de Deus em nossa vida, em nossa história, em nosso viver. Ao declararmos que Deus é bom, implicitamente estamos declarando que não existe o mal, se não o juízo de Deus que é justo. O mal como um reino que se opõe a Deus para vencê-lo somente existe nos filmes.

Eu creio em apenas um reino, um só Senhor sobre todos, um só Deus, um só trono, um só domínio, uma só majestade, um somente governante e soberano sobre todos. Não há Deus que seja co-Deus e com ele dispute almas humanas ou qualquer coisa. Não há um opositor a Deus que possa ameaçá-lo ou colocar o seu reino em perigo.

Nos filmes é muito clara a idéia de dois reinos. Um reino do bem e um reino do mal. Também é clara a idéia da disputa de forças e o triunfo ao final do bem sobre o mal. Eu não creio no dualismo de forças co-iguais, mas em somente um Deus soberano sobre todos e que está acima de todos e a quem, todos devem a vida, a existência, o fôlego de sua vida.

Como poderíamos dizer "Deus é bom" quando admitimos que existe o mal? Ou será que deveríamos corrigir a nossa teologia e dizermos "Deus é bom, apesar do mal"? Deus é bom apesar do mal? Se de fato existirem dois reinos um do bem e outro do mal, então Deus não pode ser bom porque existe o mal que ele não governa. Se ele não governa, como pode ser Deus soberano e absoluto?

Porventura, poderia acontecer algo na história que pudesse acontecer de per se ou ser provocado por um agente malígno que Deus ficasse totalmente à parte e sobre isso não tivesse qualquer domínio? Impossível! No entanto, Deus é bom, sete vezes bom. Deus tem ou não controle sobre todas as coisas? Eu afirmo peremptoriamente: DEUS ESTÁ NO CONTROLE DE TUDO E DE TODAS AS COISAS!

Como explicar, então, a entrada do pecado no mundo? Como entender a figura de Satanás? E o inferno como um lugar de sofrimento eterno? Eu nasci pecador? Se nasci pecador, como poderia não pecar? Se nasci pecador, eu fui feito pecador ou tornei-me pecador? Poderia eu não pecar, sendo pecador, nascido em pecado?

Em Adão, no primeiro Adão, nasci em pecado e fui feito pecador; mas em Cristo, no segundo Adão, eu que tinha nascido em pecado e tinha sido feito pecador pelo primeiro Adão, morri para o pecado e fui ressuscitado para a justiça, como ele, o Cristo, foi, para agora não mais viver em pecado, pois o pecado já não tem mais domínio sobre mim, mas em novidade de vida. Vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim! Como viveremos agora no pecado se fomos, em Cristo, mortos para ele?

Eu nasci em pecado. Eu vivi em pecado e eu pequei. Eu morri por causa do pecado. O salário do pecado é a morte. A sentença de condenação de um Deus bom e justo não poderia ser outra coisa se não a morte e o inferno. Aparentemente, o triunfo aqui seria do mal, de Satanás. No entanto, surge o Resgatador, o Mediador, o Redentor, e o que parecia o fim de tudo, antes é apenas o começo.

A morte não é o fim! Cristo venceu a morte!

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.