domingo, 2 de outubro de 2011

TEMA: O Espirito que vivifica! 3 – Rm 8:11 - Faltam 573 dias para 26/04/13 e 984 dias para a Copa

Se Deus fechou as portas, as portas estarão fechadas; mas quando ele as abrir, elas ficarão abertas. Glórias a Deus!
Eu creio exageradamente que Deus está no controle de tudo, mas tem horas que é difícil admitir ou aceitar, principalmente quando nos aflige, com ou sem razão. Quem é que é a vítima da violência, do ódio, da traição, do acidente, da bala perdida? Não é por acaso, ou é por acaso? Quantos são os que são vítimas e nada tem a ver com o episódio? Parece até que a vítima estava no local errado, na hora errada.
Eu não creio que Deus criou o mundo e o deixou a sua própria sorte de forma que a bala perdida acha a sua vítima por acaso. Para mim é simples assim: ou Deus livrou ou Deus não livrou e a bala perdida fez a sua vítima. Deus é ao autor da vida e é ele quem a dá e quem a tira sem ser necessário dar a ninguém explicação alguma.
Isso assusta em parte e por outra nos tranquiliza. Se eu fui vítima, Deus sabe de todas as coisas; se eu fui poupado, Deus sabe de todas as coisas. Até o mau humor de minha esposa, ou a indisposição de meu filho para conversar, ou a teimosia de meu parente em querer se drogar, ou de meu irmão em insistir com manias perniciosas, ou de um amigo que resiste à minha pregação, tudo, TUDO mesmo, eu creio é Deus que fecha ou abre portas. Tal conhecimento nos ajuda a orar corretamente.
Embora a ajuda na oração seja notória, o perigo dessa visão é nos irarmos contra Deus ou ficar revoltado com ele e querer ser Deus em seu lugar. Não adianta ficar com raiva de Deus ou culpá-lo ou querer obrigá-lo a abreviar o tempo e diminuir o efeito de uma ou outra coisa. No entanto, devemos orar e orar persistentemente, mas com sabedoria, paciência e fé, muita fé!
E o livre-arbítrio, perguntarão alguns? Podem ficar tranquilos que eu creio na responsabilidade humana. Eu creio que o homem é 100% responsável por seus atos, pensamentos, palavras e que, no final, deverá prestar contas a Deus de tudo o que fez ou que deixou de fazer com seu corpo e dons que Deus lhe brindou.
Por exemplo, vejamos o caso de meu parente G que está viciado em crack e que perturba a minha vida todos os dias e que já vendeu tudo o que eu tinha e não posso dar um cochilo e lá vai ele pegar o que é meu e vender para comprar drogas. Eu mesmo já me atritei inúmeras vezes com ele e cada encontro parece o último, pois nem sabemos se não vamos nos agredir até a morte. A situação pintada acima é fictícia, mas real na vida de muitos brasileiros.
O que fazer? Como sair dessa situação ou o que esperar ou como orar ou que campanha fazer? Como conseguiremos mudar essa história e ver G num púlpito pregando a libertação de vidas e sendo usado para ministrar a muitos viciados em crack que estão arruinados?
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.