quinta-feira, 5 de maio de 2011

Faltam 722 dias para 26/04/13

TEMA: ... não andeis ansiosos de coisa alguma... 2 - (Fp 4:6-8)
Uma pequenina pausa: do que nos vale o conhecimento teológico se a nossa teologia redundar somente em reflexões que servem apenas para nos encher e não servem para saciar a fome e a sede de física e espiritual de nosso irmão? Eu creio no Deus que transforma vidas – que retira vidas do fundo do poço, por causa dos seus pecados, o limpa, o lava e o faz assentar entre príncipes. Se minha teologia não servir para isso, ela não presta para nada. Em breve, estarei refletindo sobre isso – acompanhem!
Continuação de nossa reflexão de ontem:
  1. Uma exortação para que em tudo apresentemos a Deus nossas petições
Primeiro vimos que não devemos andar ansiosos. Segundo, que devemos em tudo (não somente nas que geram ansiedade, mas nas demais coisas) expor a Deus, fazer conhecidas diante dele, as nossas petições.
Eu não creio que isso seja para lembrar a Deus, mas para tratar com nossos corações, pois Deus já nos conhece e conhece o inteiro teor das orações e súplicas que lhe dirigiremos antes mesmo de a pronunciarmos. E como iremos fazer isso conhecidas a Deus as nossas petições? Mediante nossas orações e nossas súplicas.
Então se eu não orar e não suplicar, Deus não conhecerá? É o que parece. Mas ele já não conhece tudo bem antes de tudo? Sim, ele conhece, mas ele estabeleceu que se fará a ele conhecida mediante orações e súplicas, mas não é somente isso. Não basta tão somente orar e suplicar, mas orar e suplicar com ações de graça.
Aqui está implícita a idéia de que Deus está cuidando de nós e não nos abandonou. O seu mandamento é que – em tudo – fazemos conhecidas diante dele nossas petições mediante nossa orações e súplicas com ações de graça.
Quais petições? Aquelas que estão nos roubando do Senhor! Que estão nos causando ansiedade e inquietação. Que nos fazem murmuradores.
Agindo dessa maneira, temos a garantia de sua palavra relativa a paz de Deus! O que mais deseja um ansioso ou um inquieto senão a paz de Deus? Que efeito tem a paz de Deus que excede a todo o entendimento sobre nós?
  1. Ela guarda o nosso coração em Cristo Jesus -  o nosso coração é o centro de nossa emoções e um coração ansioso é um coração turbado e perturbado incapaz de sentir o amor e a paz de Deus que excede a todo o entendimento. Diz Jesus que é dos corações que procedem os maus pensamentos
  1. Ela guarda a nossa mente em Cristo Jesus – a nossa mente é o lugar de onde os pensamentos originados do nosso coração conquistam espaço e efetuam toda sorte de tortura mental criando cenários e preocupações que não existem para gerar o terror e o pavor e nos desviar de Deus e de sua paz.
A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.