terça-feira, 30 de março de 2010

365 dias de propósito! Dia 252/365

TEMA: O Caminho dos Justos e o Caminho dos Impíos 4 – Sl 1
 
Ontem, nós vimos o que denominei de regressividade do mal (andar – deter-se – assentar-se). O termo regressividade, no entanto, não me parece bem aplicável, mas sim progressividade, isto é, vai aumentando de intensidade e força ou que evolui gradativamente ou por etapas. O melhor mesmo a se fazer é não dar a mínima brecha à situação de pecado e já logo cortar qualquer mal pela raiz antes que o mesmo progrida.
 
O versículo 2 fala do homem que é verdadeiramente feliz e que não é como aquele que anda, se detem e se assenta à roda dos escarnecedores, antes tem prazer, alegria, gozo na lei do Senhor e nela medita de dia e de noite, isto é, de forma contínua. Duas coisas são destacadas pela palavra do Senhor com relação à sua lei ou à sua palavra: 1. prazer. 2. meditar.
 
Você ama a palavra de Deus a ponto de sentir prazer nela? Se não, comece a orar e pedir a Deus que o ajude a ter prazer na sua lei para que você possa meditar nela. Realmente, somente meditaremos nela, se por ela sentirmos prazer. Se fizermos algo forçado, não será bom para nosso aprendizado. Porque eu sentiria prazer pela sua palavra? Ora por que ela foi comunicada por Deus para nós.
 
A palavra de Deus não foi produzida pela vontade humana nem a mente humana conseguiu um grau de desenvolvimento e iluminação a ponto de produzir o conteúdo da sua palavra. “16 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; 17 Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” (II Tm 3:16). “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (II Pe 1:21).
 
Eu devo sentir prazer em sua lei por que ela é a sua lei. Eu tenho de entender que foi Deus, o Criador bendito, que nos deu a sua palavra para por meio dela termos vida e conhecermos a sua vontade. Deus nos deu a sua palavra e em relação a isso eu não posso ficar imparcial. Ou eu reajo a este conhecimento glorificando o Senhor ou eu duvido dele de que me deixou tal palavra. Nós da teologia reformada cremos na Bíblia com palavra de Deus, única, suficiente, inerrante.
 
É por isso que o Espírito Santo comunica que o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. O ímpio não tem este prazer nem nela medita nunca. Talvez até a respeite, mas jamais irá ter prazer e nela meditar.
 
Agora sim, poderemos ir para o verso 3 e meditarmos na progressividade do bem, mas isso somente será possível amanhã.
 
A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias
 
  • Estou no capítulo 45 do livro de Jeremias - Bíblia Shedd (Shedd Bible), ARA – 2ª ed. – Ed. Vida Nova, Russell P. Shedd.
  • Estou na pág. 504/660, do livro Criação e Consumação (From Creation To Consummation), Vol. 1 – O Reino, a Aliança e o Mediador – ed. Cultura Cristã. Gerard Van Groningen.
  • Terminei 9h15m40s de áudio de CALVINISMO – o canal em que se moveu a Reforma do século 16, enriquecendo a vida cultural e espiritual dos povos que o adotaram. O sistema que hoje a igreja cristã deve reconhecer como bíblico – de Abraham Kuyper (1837 – 1920).
  • Iniciei parte 1/2 de 09h00m35s de áudio de VERDADE ABSOLUTA - Libertando o Cristianismo de seu Cativeiro Cultural, Nancy Pearcey, 1ª edição/2006, ed. CPAD.
 
Observações:

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.