sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Faltam 812 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: As Tempestades da Vida 5 – Lc 8:22-26.
Dormir numa tempestade de vento num barco que está sendo agitado pelas ondas é o máximo da tranqüilidade e da confiança em Deus. Quem está com o coração agitado não pode dormir, pois seu cérebro não para de produzir pensamentos de ansiedade e de medo.
 
Se nossa mente está desgovernada, nossos pensamentos serão desgovernados e descontrolados. A agitação do lado de fora do barco era muito assustadora, mas a agitação do lado de dentro era maior nos discípulos que ao invés de curtirem o Senhor no barco, despendiam energias contemplando a tempestade.
 
Tem gente que fica olhando e admirando a tempestade e gostam do cenário de escuridão, de raios e o som ensurdecedor de trovões. Gostam de ver o mar agitado, as ondas, mas não querem sofrer o dano. São expectadores, pensam estar diante de uma tela de cinema e pensam que poderão até andar sobre as águas.
 
Aquela tempestade era real! Raios caem na cabeça de muita gente por ai e elas morrem. Ondas continuam a submergir barcos. Os maiores desastres deste ano no Rio de Janeiro, principalmente, foram decorrentes de fortes chuvas. Na tela do cinema, serve de diversão; mas na realidade, a tempestade tem poder de matar, de destruir, de causar muitos danos.
 
Não se deixe atrair pelo mal nem pelas aparências do mal, seja antes o teu viver longe disso tudo. Não brinque com as tempestades e estando a passar por elas, tenha prudência e cautela. Ter fé não é ser negligente, imprudente e sem perícia, antes devemos ser cautelosos, cuidadosos.
 
Se a tempestade não tivesse força de destruição, não teríamos de temê-la, mas elas destroem e consomem vidas. Há tempestades que são provocadas em nossas vidas por atitudes que tomamos e que se tornam conseqüências as quais teremos de passar por elas. Se você agiu mal, teme a autoridade, diz a palavra de Deus; mas se não, tua consciência é teu árbitro diante de Deus e dos homens.
 
Aquela tempestade que eles enfrentaram era perigosa, mas Jesus dormia tranqüilo naquele barco. Os discípulos estavam com muito medo e não tinham força nem eram capazes de lidarem com elas, bem, pelo menos, assim pensavam. Iremos ver mais adiante que tal visão não coincidia com a realidade. Aqueles discípulos poderiam ter feito algo contra aquela tempestade.
 
O que isso nos ensina hoje? Mais...(?) Fica para amanha....
 
22. E aconteceu que, num daqueles dias, entrou num barco com seus discípulos, e disse-lhes: Passemos para o outro lado do lago. E partiram.
23. E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e enchiam-se de água, estando em perigo.
24. E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, perecemos. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança.
25. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?
26. E navegaram para a terra dos gadarenos, que está defronte da Galiléia.” (Lc 8:22-26).
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.