quarta-feira, 28 de abril de 2010

365 dias de propósito! Dia 281/365 (quarta-feira, 28 de abril de 2010)

TEMA: Deus é Senhor e Pai
 
Seria tão bom que nós crentes crêssemos em Deus! Ah se assim fosse, o mundo iria ficar maluquinho da silva. Você sabia que ele é o nosso Senhor e nosso Pai? Você tem um Senhor? Se tem um senhor, o que somos em relação ao título? Servos! E o sevo deve fazer a vontade de quem? Sua própria? Jamais!
 
Também Deus é nosso Pai! E a lógica é que somos filhos! Você é filho de Deus ou se sente filho de Deus? Olhe para o modelo de filho de Deus e aprenda com o Filho de Deus a ser um filho de Deus. Ah se nós crêssemos em Deus!
 
KYRIOS = SENHOR. Significado: É o nome que mais aparece no NT depois de THÉOS e está relacionado àquele que tem poder. Somente Deus é Kyrios da mesma forma que se aplica ao Deus Pai os nomes de Adon e Iavé. Aplicação:
  • Ele tanto pode ser aplicado ao Deus Pai quanto ao Deus Filho. Os discípulos não tinham dúvida ao se referirem a Jesus como Kyrios. O apóstolo Paulo em Efésios declara que Jesus recebeu do Pai um nome sobre todo o nome onde todos debaixo dos céus proclamará que Jesus Cristo é Kyrios para a glória de Deus Pai.
  • O mesmo título também pode ser aplicado ao Espírito Santo, o administrador da redenção. Em 2 Co 3: 17, 18 o título Kyrios é aplicado diretamente ao Espírito Santo e a Jesus de forma indireta.
  • A idéia de Kyrios está ligada intimamente à idéia de redenção, como em Adon e Iavé, no AT.
  • Este nome tem relação com a vitória final sobre o mal, pois o seu senhorio é total onde todos irão glorificar a Deus sujeitando-se a Cristo, tanto homens quanto os seres celestiais.
  • Este título também tem relação com a nossa condição atual de servos e se Deus é Kyrios, logo a implicação é que nos somos seus servos o que caracteriza esse nome como responsabilizador nos levando a necessidade da obediência.
 
PÁTER = Pai. Significado: Trata-se de um título distintivo de Deus no NT. Somente no NT encontraremos este aspecto de Deus que todos nós amamos. É óbvio que no AT também há menção de Deus como Pai, mas não da forma como ensinou Jesus Cristo. Deus é tanto Pai criador como Pai adotivo que nos resgatou para fazermos parte de sua família. Aplicação:
 
  • A conseqüência óbvia é que somos filhos de Deus, filhos por adoção, não nascidos da vontade da carne, nem do sangue nem dos homens, mas de Deus. Por isso é que Jesus o chama de “meu Pai e vosso Pai”.
  • Ela reflete as relações intratrinitárias, especialmente no que concerne à nossa redenção. Quando Jesus chama Deus de Pai, ele o faz de uma forma singular em que ninguém pode ser filho semelhante a ele o que o distingue de todos, pois somente a vida do filho de Deus poderia aplacar e satisfazer a santidade de Deus.
  • Que como somos da família de Deus e irmãos uns dos outros deve reinar em nós intimidades, ternura, docilidade, proximidade.
  • Que o relacionamento de Deus na trindade envolvendo o Pai e o Filho, devem ser exemplo para nós em relação aos nossos relacionamentos de pais e filhos e de filhos diante de nosso Pai celestial, sempre buscando a vontade daquele que nos gerou em Cristo, sendo obedientes.
  • Há uma mudança em nosso status que de escravos agora somos filhos. A penalidade que estava sobre nós foi retirada e agora somos livres.
  • Que por Deus nos chamar de filhos, nosso relacionamento está restabelecido e somos tratados como se nunca tivéssemos pecado. Pertencemos a família dos remidos. Aleluias!
 
A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias
 
  • Estou no capítulo 2 do livro de Jonas - Bíblia Shedd (Shedd Bible), ARA – 2ª ed. – Ed. Vida Nova, Russell P. Shedd.
  • Ainda estou na página 75/192 página de CURA PARA O CORAÇÃO, de Howard Eyrich e William Hines, ed. Cultura Cristã (título original em inglês: Curing the Heart). Meu próximo livro: A ALMA DA CIÊNCIA – Fé Cristão e Filosofia Natural de Nancy R. Pearcey  e Charles B. Thaxton. Ed. Cultura Cristã. 294 páginas. (título original em inglês: The Soul of Science).
  • Estou com 04h04m04s de 07h38m47s de áudio, MP3, do livro de Michaels Horton, O CRISTÃO E A CULTURA – Nem separatismo, nem mundanismo, ed. Mundo Cristão, 206p. (título original em inglês: Where in World is the Church).
  • Já ouvi [em breve, relacionarei tudo que já li e ouvi nesses 365 dias de propósitos]:
  • Já li as 660 páginas, do livro Criação e Consumação (From Creation To Consummation), Vol. 1 – O Reino, a Aliança e o Mediador – ed. Cultura Cristã. Gerard Van Groningen.
  • 08h06m54s de 13h26m47s de áudio do livro UMA HISTÓRIA DO PENSAMENTO CRISTÃO - Dos Primórdios ao Concílio de Calcedônia - Justo L. González
  • 9h15m40s de áudio de CALVINISMO – o canal em que se moveu a Reforma do século 16, enriquecendo a vida cultural e espiritual dos povos que o adotaram. O sistema que hoje a igreja cristã deve reconhecer como bíblico – de Abraham Kuyper (1837 – 1920).
  • 09h35m15s da segunda parte com 10h24m22s depois de terminar a primeira parte de 09h00m35s da parte 1/2 de áudio de VERDADE ABSOLUTA - Libertando o Cristianismo de seu Cativeiro Cultural, Nancy Pearcey, 1ª edição/2006, ed. CPAD.
 
Observações:
Eu tenho ciência da necessidade de me cuidar na alimentação correta e da necessidade de fazer exercícios físicos regulares por causa de minha vida altamente sedentária. Fica aqui o registro da necessidade, veremos quanto tempo levará para eu tomar uma atitude. (registrado em 02/04/2010).
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.