quarta-feira, 4 de agosto de 2010

1000 dias de propósito! Faltam 996 dias! Aleluias!

TEMA:  Gênesis!
 
Finalmente, ou inicialmente, comecei a leitura mesmo de Gênesis. Eu gosto de ler e de meditar na Palavra de Deus. Estou gostando dos comentários da Bíblia de Genebra e creio que deverei aprender muito. Seria interessante ter mais tempo, mas você já notou que sempre está nos faltando tempo?
 
Observei com a ajuda dos comentários:
 
  • Que, de fato, a Gênesis não entra no mérito de explicar as origens das trevas, do abismo e de Satanás e obviamente do mal, mas em todo tempo se percebe Deus no controle de todas as coisas e eterno, sem princípio de dias, nem fim de existência.
 
Na verdade, em meu modo de ver as coisas, não existem trevas, pois não se mensuram trevas e somente têm existência aquilo que se pode mensurar de alguma forma. As trevas são em última hipótese a ausência de luz, logo o que existe é a luz e não as trevas. A luz, sim, pode ser mensurada, mas as trevas, impossível.
 
Ao afirmar que as trevas eram enormes, eu estou dizendo que a luz é fraca ou muito fraca. Quando a Palavra de Deus diz que haviam trevas sobre a face do abismo antes mesmo da luz ser criada, há necessidade de uma melhor compreensão do texto, da narrativa e dos significados existentes.
 
2. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. 3. Disse Deus: Haja luz; e houve luz.” (Gn 1:2,3).
 
Eu ainda não tenho uma explicação que me satisfaça, mas creio que há. Seria necessário despender tempo em pesquisa e estudo e o tempo, a questão do tempo... é complicada! Para não ficarmos totalmente ao léu, Deus é luz e nele não há trevas alguma! “Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma.” (I Jo 1:5). Logo, se Deus é luz, há sentido de se falar em trevas antes da criação da própria luz (vs 3). O que seriam então tais trevas que se oporiam a Deus luz?
 
  • Que há um padrão na narrativa inicial: uma declaração: “Disse Deus: ...”; uma ordem: “haja ...”; um relato: “Disse Deus: ...”; uma avaliação: “... bom ...”; uma estrutura cronológica: por exemplo, “primeiro dia ...”. Declara-Ordena-Relata-Avalia-Organiza!
 
  • Que fomos criados à imagem de Deus e à sua semelhança! Nós somos portadores da imagem e da semelhança de Deus. Embora soubesse que iríamos pecar e cair, Deus nos fez especiais e por nós animou-se a dar a sua própria vida em sacrifício para nossa redenção. Se nossa queda foi algo terrível, a nossa redenção é algo TREMENDO! Não há como classificar ou comentar.
 
Já no livro de Herman Dooyeweerd, nas paginas 82 a 84 quando ele comenta da “a) A tendência religiosa estrutural do eu” e nos comentários relativos, ele aborda a questão que eu sinto vontade de me aprofundar que foi um dos temas de ontem, ou seja, a de Agostinho que em suas Confissões, livros VII e X, disse que o conhecimento de Deus e o conhecimento de si mesmo estão inextricavelmente ligados, assim, não conhecer a Deus é não conhecer a si mesmo.
 
Eu sempre tive entendimento, mesmo antes de estar lendo e estudando Calvino, Agostinho e  Dooyeweerd que todo homem tem conhecimento de Deus. Eles falam, principalmente Calvino, do sensus divinitatis (Institutas I.iii.1) sendo a idolatria uma evidência dessa "semente da religião" que conduz a humanidade a criar deuses à sua imagem e à sua semelhança. Com base nisso, irei aperfeiçoar a minha pregação sobre a rejeição do conhecimento de Deus já publicada no meu SCRIBD/crerparaver.
 
Meu Deus, há tanto que meditar, que estudar, que escrever, que conversar, que dialogar, que discutir, que pesquisar, que explorar, mas onde está o tempo necessário? A Deus e somente a ele toda a glória! Obrigado Senhor por mais um dia de sua grande e infinita misericórdia e graça que são a causa de não sermos consumidos.
 
Acompanhamento de minhas leituras/áudios:
  • Estou na página 10/1835 da leitura bíblica da Bíblia de Estudo de Genebra – segunda edição revisada e ampliada, The Spirit os the Reformation Study Bible, ed. Cultura Cristã, Sociedade Bíblica do Brasil, 2009 - texto bíblico: Almeida Revista e Atualizada.
  • Estou na pág. 84/302, do livro No Crepúsculo do Pensamento – Estudos sobre a pretensa autonomia do pensamento filosófico (In the twilight os western though: studies in the pretended autonomy of philosophical thought), de Herman Dooyeweerd, ed. Hagnos, 2010.
  • Estou ouvindo dois artigos com 1hora no total de áudio em MP3 em meu N95: Como fazer sexo para a glória de Deus - Justin taylor e Cântico dos Cânticos - notas erótico-exegéticas – Calvani.
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.