sexta-feira, 6 de agosto de 2010

1000 dias de propósito! Faltam 994 dias!

TEMA:  Gênesis!
 
O autor (ou os atores) da Bíblia de Estudos de Genebra comentou: “O pecado é constituído de um ato ilícito de descrença, de uma pretensa autonomia humana, do desejo de adquirir conhecimento à parte de Deus. Devemos viver pela fé na palavra de Deus e não por uma pretensa autosuficiência de conhecimento – Dt 8.3; Ez 28:6; 15:17
 
Ao assim fazer, ele destacou 3 características relacionadas ao pecado: 1. Ato ilícito de descrença – é isso mesmo o que ocorreu. Deliberadamente foi cometido/consentido um ato ilícito baseado na descrença, ou seja, na dúvida. Satanás lançou a semente da dúvida e esta encontrou um terreno propício para nascer e produzir os seus frutos.
 
Isso para mim é uma demonstração inequívoca do livre-arbítrio que possuía Adão/Eva. Este de fato escolheu entre duas ações. Uma que seria pela obediência à Palavra de Deus e a outra de desobediência à Palavra de Deus. Adão tinha o livre-arbítrio, mas ao exercê-lo perdeu-o. Nós, os seus filhos, herdeiros do pecado, nascemos sem livre-arbítrio, pois todas as inclinações de nossos corações são para o mal, para a desobediência.
 
O pecado ao entrar na humanidade, o enganou e o dominou. Tornamo-nos por isso pecadores e irreconciliáveis com Deus. Adão/Eva foram únicos. Jamais houve alguém semelhante a eles nem antes nem depois. Nasceram, mas morreram e com eles morreu o livre-arbítrio. Quando o pecado entrou na vida deles, eles se tornaram os primeiros da nossa espécie: pecadores e sem livre-arbítrio. Somente sabemos fazer o mal.
 
Eu sei que isso é duro de se receber, mas é a verdade. O último Adão não veio para nos devolver ao nosso estado original, mas para nos dar uma nova natureza. Assim como fomos pecadores, seremos não pecadores e, portanto, incapazes de pecar. Não teremos o livre-arbítrio de volta. O que de fato temos é a ilusão de que escolhemos as coisas.
 
A segunda característica que se destaca é a nossa pretensa autonomia. Somos seres inteligentes e capazes de interferir em nosso meio produzindo coisas que afetam o mundo criado e as próprias imagens e semelhanças de Deus. Quando Deus nos fez fecundos e disse para que nos multiplicássemos e enchêssemos a terra, ele estava não dizendo diretamente para termos filhos e mais filhos, mas para que a sua imagem e a sua semelhança enchesse toda a terra.
 
Por causa dessa nossa capacidade de nos multiplicarmos e de modificarmos nosso meio, achamos que somos suficientes, ou melhor, autosuficientes. Não precisamos de Deus! Ou como já dizia meu ex Chefe da Auditoria: “Deus é uma peça descartável dentro do processo”. Primeiro chamou Deus de peça, segundo disse que era lixo. Isso mostra que o homem se acha autosuficiente. É de fato conseqüência do pecado ou engano do pecado.
 
Pobre homem autosuficiente! Não passamos de uma FMA - Fábrica de Merda Ambulante - que produz ao longo de uns setenta anos de existência, cerca de quase 6 toneladas de pura merda. Como pode tal FMA dizer que faz o que quer e que tem livre-arbítrio e que é autosuficiente? Um FMA faz sim algumas coisas, entre elas, muita merda e outra acumular pecado sobre pecado a ponto de vomitar sujidades. Quem faz o que quer não tem livre-arbítrio, mas é escravo do pecado.
 
A terceira característica é o desejo de adquirir conhecimento à parte de Deus. Sabem porque? Para se tornarem melhor do que o próprio Deus. Por isso que Satanás disse que subiria aos céus e seria semelhante ao Altíssimo. “subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. (Isaías 14:14). Não há conhecimento a ser adquirido à parte de Deus, pois Deus é o próprio conhecimento.
 
Que conhecimento poderíamos obter à parte de Deus? Poderíamos surpreendê-lo com nosso conhecimento? De modo nenhum. Se Deus de fato fosse descartável como pretendeu afirmar nesciamente meu ex-chefe, então poderíamos obter algo assim. O pecado também tornou o homem orgulhoso, por isso que é difícil para ele aceitar o dom gratuito de Deus; a salvação. Ele acha que tem de merecê-la, de ser digno dela, de conquistá-la. Deus salva, mas eu tenho de .... isso é puro orgulho! Não temos de fazer nada!
 
Outro assunto que ele aborda é sobre a Criação, a Queda e a Redenção – porque há tanta corrupção? Isso daria um livro só de comentários. Você já notou que o padrão criação-queda-redenção está presente no homem em tudo que faz, pensa e vive? Mas por hoje, ficarei por aqui.
 
Acompanhamento de minhas leituras/áudios:
  • Estou na página 14/1835 da leitura bíblica da Bíblia de Estudo de Genebra – segunda edição revisada e ampliada, The Spirit os the Reformation Study Bible, ed. Cultura Cristã, Sociedade Bíblica do Brasil, 2009 - texto bíblico: Almeida Revista e Atualizada.
  • Estou na pág. 90/302, do livro No Crepúsculo do Pensamento – Estudos sobre a pretensa autonomia do pensamento filosófico (In the twilight os western though: studies in the pretended autonomy of philosophical thought), de Herman Dooyeweerd, ed. Hagnos, 2010.
 
A Deus toda a glória!
 
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.