terça-feira, 22 de dezembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 154/365

Minha LBH: Estou no capítulo 27 do livro de Jó. Quanto ao livro CRIAÇÃO E CONSUMAÇÃO - Volume 1 – O Reino, a Aliança e o Mediador, de Gerard Van Groningen (título do original em inglês: FROM CREATION TO CONSUMMATION). Editora Cultura Cristã – estou na página 038/656. Quanto às Institutas de João Calvino, parte III, que estou ouvindo (utilizo o TextAloud 2.303, da www.nextup.com, com voz Loquendo Felipe – Brasilian  Portuguese) em meu Nokia - N95, geralmente em meu UNO: ainda estou em 16h20m07s/25h56m37s.

 

Deus, de fato, se importa conosco? Deus aprecia um relacionamento conosco? Eu creio piamente que sim. No entanto, sua manifestação e comunicação conosco não é da forma como poderíamos sonhar e desejar, isto é, com vozes, trovões e relâmpagos. Por exemplo, Deus ao se manifestar a Elias na caverna e Elias ao reconhecer a Deus que lhe falava, não foi por meio de vendavais que depedaçavam as penhas, nem terremotos, nem fogaréu, mas por meio de uma suave e tranquila brisa.

 

Em seguida começa um diálogo entre Deus e Elias. Este é o Deus que se importa conosco: sua primeira pergunta a Elias foi: "o que fazes aqui, Elias" (I Re 19:13). Somente Deus terá conosco tal cuidado de procurar saber o que estamos fazendo. Elias estava desanimado, frustrado, deprimido. Ele tinha pedido a sua morte e seu espírito se desanimou tanto que perdeu o rumo e a direção de sua vida. E você que não sai desse buraco, dessa caverna em que te meteste. Olha Deus aí, de teu lado, suavemente falando contigo por meio dessa palavra: "O que fazes aqui, ...".

 

Natal, é a semana do natal! A busca por sermão de natal está intensa na internet. Acho que até o google vai se converter desse jeito. Aqui na minha casa terá a tradicional ceia da família, com troca de presentes, muita alegria, descontração, parentes se aproximando, todos desejosos de dar e de receber alguma coisa, especialmente o carinho e respeito devidos, luzes, presépio, cores, árvore de natal e até o Papai Noel.

 

Eu bem que poderia sair condenando tudo isso e demonstrando de todas as formas que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro, que o pinheiro é de origem pagã, que papai Noel é uma forma de usurpação do Senhor, mas não creio que eu deva assim proceder, pois não vejo nisso edificação. Agora, se eu for inteligente eu posso aproveitar cada detalhe desses até os mais complicados e remeter meus parentes a Cristo. Agora, se toda a minha família fosse convertida, ao invés disso tudo, poderíamos fazer um grande e maravilhoso culto familiar ao Senhor.

 

Tempos atrás, éramos somente eu e minha esposa que buscávamos e servíamos ao Senhor e nas festas de natal da família era somente bebida, farra, músicas de exaltação máxima à carne e cada coisa que fazia a gente que tem o Espírito Santo se entristecer muito. Hoje, uns 15 anos depois, todos nós, com exceção de nossos amados e amadas sobrinhas que já cresceram, algumas casaram e agora tem seus filhos, somos todos servos do Senhor. Continuamos a orar por cada um e iremos aproveitar o momento do natal para falarmos com toda ousadia do amor de Jesus.

 

As músicas, bebidas e as farras da carne deram lugar a mais amor, mais carinho, mais alegria, mais respeito. Como a festividade do natal será em casa, a oportunidade de uma palavra a ser ministrada no dia recairá na minha pessoa. O que farei então? Senhor, eis-me aqui, vaso, vaso vazio, usa-me e que as palavras que sairem de minha boca sejam como flechas certeiras em direção ao alvo que são os corações. Que o Senhor me dê sabedoria, inteligência e unção para ministrar com amor e ousadia uma palavra de Deus que despedasse a penha.

 

A Deus toda a glória, sempre!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.