sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 143/365

Minha LBH: Comecei o livro de Ester. Terminei o livro NÃO ERA PARA SER ASSIM – Um resumo da dinâmica e natureza do pecado, de Cornelius Platinga Jr, ed. Cultura Cristã. Gostei muito do livro e achei-o profundo. A proposta do autor de dizer que o pecado veio pertubar o shalom foi muito interessante. Terminei o livro com uma sensação desagradável de o quanto eu sou miserável, cego, pobre e nú. Exaltei, ao final, a graça de Deus que é maior do que a teimosia do pecado. Sobre a responsabilidade humana, na qual creio que o homem é 100% responsável, senti que há muito o que fazer, mas Deus nos fortalecerá para a sua glória. Amém!

 

Iniciei o livro O ESCÂNDALO DO COMPORTAMENTO EVANGÉLICO - Por que os evangélicos estão vivendo exatamente como o resto do mundo?, de Ronald J. Sider e estou na pagina 017/134. Quanto às Institutas de João Calvino, parte III, que estou ouvindo em meu N95, no UNO, já estou em 11h24m04/25h56m37s.

 

Ontem, mais uma vez, tivemos a oportunidade de ouvirmos a palavra de Deus sendo ministrada por um jovem, um jovem de Deus (meu amado filho Gabriel – ele pregou no Grupo Familiar Arca da Aliança – http://grupofamiliararcadaalianca.blogspot.com). Iniciou a sua prédica contando um breve testemunho a respeito do momento em que estava preparando a Palavra de Deus para ser ministrada e precisava de concentração, mas a nossa secretária do lar, pedia-lhe ajuda, pois precisava lavar o quintal e não podia fazê-lo sozinha. Ele parou o que fazia e foi-lhe atender, inicialmente chateado.

 

Num momento de desabafo ali com Deus lavando o quintal disse ao Senhor: eu não estou preparado para levar palavra alguma, não sou digno, estou arrependido... foi nesse momento que o Senhor lhe falou em resposta dizendo-lhe: filho se você já estivesse se sentindo preparado, não me serviria, pois como iria usá-lo uma vez que já estivesse escudado em si mesmo? A partir daí, ficou calmo. Lavou o quintal com amor e confiou em Deus que iria usá-lo logo mais.

 

Em sua introdução, apresentou o profeta Jeremias como aquele profeta que falava bonito, em forma de prosa, de poesia, com eloquência e que despertava nos ouvintes um forte desejo de ouvi-lo, pois as falas de Jeremias lhe pareciam aos ouvidos como lindas canções de ninar. Ouviam e dormiam, mas não obedeciam. Esse era o problema. Israel era um povo obistinado, muito teimoso, que apesar de convencido das maldições que viriam pela desobediência, insistiam em desobedecer.

 

Eles criam na palavra de Deus, nas advertências de Jeremias, mas não obedeciam. E quando Deus dizia que se seguissem tal e tal caminho iriam sofrer dano, eles apanhavam a Jeremias, como se fosse um amuleto, mas iam, desobedeciam e sofriam o dano. Jeremias também sofria por causa disso. Essa teimosia do povo de Deus lhes custou a sua liberdade e foram levados cativos pelos babilônios.

 

Deus permitiu a dor por causa da desobediência. No versículo 2, de Lamentações 3, está expresso o quão terrível foi essa dor. Exortou-nos a obedecer a fim de não sermos disciplinados tão severamente e o quão é amargo deixar o Senhor fonte de bênçãos por causa da desobediência.

 

O povo foi então teve de sofrer o amargor e se arrepender. O arrependimento daquele povo que se percebe de sua análise devido os registros deixados teve três principais características que também devemos ter sempre em mente:

 

O Silêncio. Não adiantava falar nada, nem justificar. O povo estava todo errado e tinham de ficar calados, em quietude, pois do que se queixam os homens senão de seus próprios pecados? Às vezes é necessário estarmos e permanecermos no silêncio e na quietude para buscarmos a Deus. Há momentos em que diante de Deus nenhuma palavra nos vem à boca e devemos ficar ali mesmo, em posição, mas firmes sabendo que Deus nos ouve além das palavras.

 

O Jugo. O jugo é um peso. A cruz é um jugo, é renúncia. Nesse sentido, o jugo é a responsabilidade. Devemos levar a nossa cruz, mas o jugo de Cristo é leve e não é pesado, mas não devemos deixar de ter a nossa responsabilidade. Aquele povo em terra estrangeira teve de suportar um  jugo árduo. O nosso com Cristo produz salvação, pois ao testemunharmos outros serão atraídos a Cristo.

 

A Atitude de Arrependimento. A decisão de se arrepender é o primeiro passo, um primeiro e muito importante passo no arrependimento. Aquele povo tomou essa atitude. Tiveram uma longa jornada até a liberdade, mas sem esse passo jamais teriam alcançado. Em nossa vida, devemos ter essa atitude sempre em nossos corações.

 

Além disso, em cada momento, reforçou a sua prédica com testemunos impactantes e marcantes de uma vida que está neste mundo, mas que não é deste mundo. Gabriel é um vaso, um vaso vazio, um vaso que Deus está levantando e usando para a sua glória. Todos os jovens da Arca da aliança estão de parabéns! São exemplos de fé, de busca de Deus e de perseverança para outros jovens e para os senhores e senhoras e mesmo os anciãos.

 

A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.