quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 135/365

Minha LBH: Li até o capítulo 36 de 2 Crônicas (terminei 2 Cr; amanhã, começo Esdras) e no livro NÃO ERA PARA SER ASSIM – Um resumo da dinâmica e natureza do pecado, de Cornelius Platinga Jr, ed. Cultura Cristã, avancei para a página 129/204. As Institutas de João Calvino, parte III, que estou ouvindo em meu N95, no UNO, já estou em 3h19m46s/25h56m37s.
 
Para você, meu amado, que é pregador da Palavra de Deus e que também escreve seus sermões: vamos imaginar que um dia desses, você esteja num estádio lotado e seja o preletor principal. Qual deve ser o seu principal papel como preletor? Mesmo que não seja num estádio, mas apenas em uma pequena reunião, qual deve ser o seu papel como pregador?
 
Eu irei falar de mim mesmo como acho que devo pregar e no que devo focar e preocupar-me. Em primeiro lugar eu devo saber que sou vaso, vaso vazio, para que a excelência do poder seja totalmente de Deus. Sendo vaso, vaso vazio, quem irá transmitir o seu recado não será o vaso, mas o dono do vaso. Minha primeira e principal tarefa é orar, orar e orar, sendo possível, jejuar, jejuar e jejuar, pois será de Deus que eu devo obter o meu sermão, por isso a grande ênfase na oração e no jejum.
 
Ao preparar o sermão, eu não devo me preocupar com nada senão ser vaso e vaso vazio. Usá-me, Senhor, conforme tu queres.  Eu não devo querer nem objetivar levar uma palavra de fé, de ânimo, de exortação, de incentivo, de censura, de repreensão, de ajuda, de consolação, de edificação, nem que gere transformação, nem que gere vida, mas sim transmitir a palavra de Deus ao povo de Deus, sendo eu um instrumento de Deus (vaso vazio).
 
Minha oração deverá ser: Senhor, eis-me aqui, vaso vazio, perante o teu povo que o Senhor colocou diante de mim: usa-me para falar a tua palavra ao teu povo com toda ousadia. Enquanto isso, estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus. (At 4:29 e 30).
 
Senhor, cura, sara, renova a fé, restaura relacionamentos, liberta os encarcerados das prisões dos hábitos pecaminosos e das garras do pecado do vício e das manias, opera milagres no santo nome de Jesus Cristo. Dá, Senhor, a este que te ouve (ou que lê) ouvidos para te ouvir, mente para te entender, coração para te obedecer e desejo para te buscar a ti e a teu Reino e a tua Justiça de todo C.A.F.E. Amém!
 
Senhor, mantém em mim sempre viva a imagem do eu-vaso, do eu-vaso-vazio! Para que eu nunca esqueça que a excelência do poder te pertence somente a ti, hoje e sempre, e que tudo seja feito para a honra e a glória de teu nome. Amém!
 
O passo seguinte depois da mensagem pronta é colocá-la no forno da oração e do jejum para que seja servida bem quentinha. Para manter o forno aceso e bem quente é preciso mantê-lo ligado à tomada e isso somente é possível quando os joelhos e a testa estiverem plugados no chão. Não esqueça de regar com freqüência a mensagem com lágrimas pelas almas que a ouvirão.  Depois de tudo isso, sirva-a com toda a ousadia. A Deus toda a glória.
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.