domingo, 30 de agosto de 2009

365 dias de propósito! Dia 40/365

Aleluias! Hoje está fazendo exatos 40 dias de meu propósito. Aleluias! Vocês já repararam que o número 40 está associado na Bíblia com provação, teste e preparação? Há diversas ocorrências do número 40 na Bíblia (ver livro de Christian Chen, Moisés, os Números e Nós, ed. Dos Clássicos): Israel peregrinou por 40 anos no deserto. O dilúvio ocorreu durante 40 dias e noites, mesmo tempo do jejum de Moisés (recepção das tábuas dos mandamentos no Monte Sinai), de Elias (para ter um encontro maravilhoso com Deus no Monte Horebe) e Jesus Cristo (no deserto, após receber o Espírito Santo, depois de seu batismo nas águas). Posteriormente, encontraram-se no monte Hermon onde Jesus transfigurou-se e apareceram, além de Jesus transfigurado, Moisés e elias para alguns discípulos Pedro, Tiago e João (Mt 17:1-8).


Dizem que tudo aquilo que resolvemos fazer, metodicamente, sistematicamente, por mais de 40 dias, sem desfalecermos, torná-se, em nós, um hábito. Bem, como hoje estou passando, FIRME, pelo 40º dia de provação, teste e preparação, sem desfalecer, logo, logo estarei completando os meus 365 dias de propósitos. Que bênção, não é? Minha LB de hoje avançou até o final do capítulo 3 de números.


Hoje na EBD da “Primeirona” estávamos estudando o Velho Testamento e chamou-me a atenção dois fatos relacionados a Abrão e Sarai que posteriormente tiveram seus nomes mudados divinamente para Abraão e Sará.


Primeiro: o nascimento de Isaque foi topo prodiencial, sobrenatural. Sara já tinha passado o tempo de gerar filhos (ninguém gera filhos naturalmente depois de sua fase de gerar filhos ter se passado, principalmente, ainda, se já estiverem em idade avançada, como era o caso de Sara que já tinha 90 anos e Abraão que já estava com 99 anos). Vê-se claramente, que Deus, propositadamente, fez com que o tempo passasse muito, tanto que já nem tinham mais disposição para gerar filhos. Isso significa que a gestação e o nascimento de Isaque foi todo devido à providência divina! Era como se Deus estivesse dizendo: o filho, a promessa, a aliança sou eu quem tudo faço e a ti Abraão cumpre apenas crer e esperar.


Segundo: as promessas feitas a Abraão não foram feitas a Abraão somente, independentemente de Sara. Embora o Senhor apenas se dirigia a Abraão na fala, a promessa era válida ao casal. Tanto é que houve a permissão divina para o pecado de Abraão e Sara ao permitirem a gestação de Ismael, por meio da escrava, Hagar. Se a promessa fosse a Abraão, independentemente de Sara, em Ismael teria sido chamado a sua descendência, mas não foi. Deus, posteriormente, advertiu a Abraão e lhe disse “anda na minha presença e sê perfeito” (Gn 17:1). A promessa somente teve seu cumprimento mais tarde pela gestação de Sara e a geração de Isaque. A aliança de Deus não foi com Abraão independentemente de Sara, entenderam? Glórias a Deus!


A respeito da circuncisão, vemos dois sinais interessantes: primeiro: sempre há derramento de sangue ao se proceder a circuncisão, simbolizando a aliança; segundo: toda a vez que houvesse a união sexual e a geração de descendentes, haveria a lembrança da aliança.


Bom por hoje está bom. Até amanhã. A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.