quinta-feira, 23 de julho de 2015

Zacarias 6 1-15 - A OITAVA E ÚLTIMA VISÃO DAQUELA NOITE.

Estamos estudando, com a ajuda preciosa da BEG, o livro de Zacarias cujo pano de fundo histórico é o mesmo de Ageu, sendo que a ênfase de Zacarias não era somente a reconstrução do templo, como vimos em Ageu, mas ele também encorajava o povo quanto a Jerusalém ser o local, num futuro de médio prazo, para o reino de Deus. Estamos na primeira parte e no sexto capítulo.
I. AS PROFECIAS COM APLICAÇÃO IMEDIATA (1.1 -8.23) – continuação.
Como já dissemos, desde o primeiro versículo até o capítulo oito, estamos vendo as profecias que foram entregues aos primeiros a retomarem do exílio, enquanto lutavam com o desafio de reconstruir o templo.
Assim, foi dividida essa parte em cinco seções: A. Título (1.1) – já vimos; B. Mensagem Inicial (1.2-6) – já vimos; C. Ai oito visões noturnas (1.7-6.8) – estamos vendo; D. A coroação de Josué (6.9-15) – veremos agora; e, E. A transformação de Jerusalém (7.1-8.23).
C. Ai oito visões noturnas (1.7-6.8) – continuação.
Como já falamos, essas são as oito visões noturnas que Zacarias recebeu a respeito do que Deus faria com relação às dificuldades que os que retornaram enfrentariam.
Destarte, dividimos a seção “C” em 8 também: 1. O homem entre as murteiras (1.7-17) – já vimos; 2. Os quatro chifres e os quatro ferreiros (1.18-21) – já vimos; 3. Um homem com um cordel de medir (2.1-13) – já vimos; 4. As vestes limpas para o sumo sacerdote (3.1-10) – já vimos; 5. O candelabro de ouro e as duas oliveiras (4.1-14) – já vimos; 6. O rolo voante (5.1-4) – já vimos; 7. A mulher dentro do efa (5.5-11) – já vimos; 8. Os quatro carros e o sumo sacerdote (6.1-8) – veremos agora.
8. Os quatro carros e o sumo sacerdote (6.1-8).
Essa é a sua oitava e última visão daquela noite, a visão dos quatro carros e do sumo sacerdote.
Essa visão dos quatro carros corresponde aos quatro cavalos da primeira visão (1.7-17). Os quatro carros simbolizam 'os quatro ventos do céu' (vs. 5). Conforme a BEG, é improvável que a ordem e a cor dos cavalos tenham algum significado especial. O autor de Apocalipse lançou mão da figura dessas visões para retratar os quatro cavaleiros (Ap 6.1-6).
Essa seção descreve os bem-sucedidos movimentos dos carros de guerra celestiais numa posição que mantinha em segurança os que retornaram do exílio dos ataques dos inimigos do norte.
Zacarias olhou e viu diante dele quatro carruagens que vinham saindo de duas montanhas de bronze. A figura usada pelo profeta assemelha-se às imagens das montanhas do antigo Oriente Próximo que formam os pilares dos portões para o céu.
Na primeira visão, os cavaleiros deixaram a presença de Deus (1.10). Aqui, os carros são emissários do julgamento de Deus que emergem de montanhas de bronze. É plausível que as montanhas de bronze correspondam aos pilares de bronze do templo (1 Rs 7.13-22).
A ordem e as cores dos cavalos todos vigorosos são as seguintes:
·         À primeira estavam atrelados cavalos vermelhos.
·         À segunda, cavalos pretos.
·         À terceira, cavalos brancos.
·         À quarta, cavalos malhados.
Zacarias, curioso, pergunta ao anjo que estava falando com ele o que representariam esses cavalos todos atrelados e vigorosos e o anjo lhe respondeu que se tratavam dos quatro os quatro ventos, ou espíritos (NVI) do céu que acabavam de sair da presença do Soberano da terra.
Como a palavra 'vento" também pode significar 'espirito’, Zacarias pode ter usado intencionalmente essa ambiguidade para declarar que como os ventos cobrem a terra, assim os anjos divinos cobrem a terra com a presença de Deus.
Cada um deles puxando as suas respectivas carruagens ia para uma direção dos pontos cardinais para percorrerem a terra – vs. 7. Os cavalos impetuosos retratam a proximidade do julgamento divino. Deus ordenou que voltassem e percorressem a terra.
O destaque ficou para os cavalos pretos que iam em direção à terra do norte. O norte, aqui, representa a maior ameaça da época contra Israel: o Império Persa. A geografia de Canaã fazia com que qualquer ataque vindo do leste tivesse de ser feito pelo norte. Assim, um ataque do Império Persa viria do norte.
O anjo lhe disse que aqueles que foram para a terra do norte deram repouso ao seu Espírito. Essa expressão também pode ser traduzida como 'meu espírito", fazendo referência a um ser angelical. A ideia é que os carros chegaram e garantiram a segurança de Israel no norte da sua fronteira.
D. A coroação de Josué (6.9-15).
Essa seção fala dos resultados da segurança que Deus garantiu à comunidade restaurada: a coroação simbólica de Josué, o sumo sacerdote.
A partir do verso 9, o Senhor ordena ao seu profeta para tomar prata e ouro dos exilados Heldai, Tobias e Jedaías que chegaram da Babilônia e no mesmo dia ir à casa de Josias, filho de Sofonias que faria uma coroa para ser colocada na cabeça do sumo sacerdote de Josué, filho de Jeozadaque.
Seria para entregar a palavra de Deus para ele dizendo que ele seria o Renovo e que ele sairia de seu lugar para construir o templo do Senhor - vs. 12. Como acontece com muitas das profecias de Zacarias, o contexto imediato deixa claro que o termo se refere a Josué.
Por outro lado, Zacarias já havia declarado que Josué e seus companheiros eram símbolos das coisas que haviam de vir (3.8); ou seja, suas ações, na melhor das hipóteses, marcavam o início das bênçãos e dos julgamentos que aconteceriam com a vinda do grande filho de Davi.
Assim, não é de admirar que o termo também se refira ao Messias (veja 3.8). Isaías usou o termo (Is 4.2) e, também, Jeremias (Jr 23.5-6; 33.15-16), como um título para o descendente davídico que se assentaria no trono de Davi para governar. Os primeiros intérpretes judeus também viram a “Renovo” como um título messiânico. O trabalho de Josué (como também o de Zorobabel) prefigurou a obra de Cristo, nosso Sumo Sacerdote (Hb 4.14; 7.24; 9.11) e Rei (Mt 22.41-46: Hb 1.8).
Seria ele mesmo que sairia de seu lugar e construiria o templo – vs. 12. Ele mesmo afixará o templo do Senhor, será revestido de majestade e se assentará em seu trono para governar – vs. 13.
Josué trabalhou ao lado de Zorobabel para reconstruir o templo. Esse fato prefigurou a obra do messias. Na qualidade de Rei do povo de Deus, o Messias também construiria o templo. Zacarias encorajou os judeus de sua época ao mostrar que as ações tomadas naqueles dias anteciparam e se moveram em direção da plena restauração que aconteceria com o Messias.
O Novo Testamento mostra, conforme a BEG, que Jesus:
·         Começou a reconstrução do templo por meio da ressurreição do seu corpo (Mt 12.6; Jo 2.18-21).
·         Continua a cumpri-la com o Espírito Santo pela igreja (1 Co 3.16-17; 2Co 6.16; Ef 2.19-22).
·         Cumprirá plenamente com a purificação dos novos céus e da nova terra como o local da habitação de Deus (Is 65.17; 66.22; II Pe 3.13; Ap 21.1-3, 22).
»ZACARIAS [6]
Zc 6:1 De novo levantei os meus olhos,
e olhei,
e eis quatro carros que saíam dentre dois montes,
e estes montes eram montes de bronze.
Zc 6:2 No primeiro carro eram cavalos vermelhos,
no segundo carro cavalos pretos,
Zc 6:3 no terceiro carro cavalos brancos,
e no quarto carro cavalos baios com malhas.
Zc 6:4 Então, dirigindo-me ao anjo que falava comigo, perguntei:
Que são estes, meu senhor?
Zc 6:5 Respondeu-me o anjo:
Estes estão saindo aos quatro ventos do céu,
depois de se apresentarem perante o Senhor de toda a terra.
Zc 6:6 O carro em que estão os cavalos pretos
sai para a terra do norte,
os brancos
são para o oeste,
e os malhados
para a terra do sul;
Zc 6:7 e os cavalos baios
saíam, e procuravam ir por diante,
para percorrerem a terra.
E ele disse:
de, percorrei a terra.
E eles a percorriam.
Zc 6:8 Então clamou para mim, dizendo:
Eis que aqueles que saíram para a terra do norte
fazem repousar na terra do norte o meu Espírito.
Zc 6:9 Ainda me veio a palavra do Senhor, dizendo:
Zc 6:10 Recebe dos que foram levados cativos,
a saber, de Heldai, de Tobias, e de Jedaías,
e vem tu no mesmo dia,
e entra na casa de Josias, filho de Sofonias,
para a qual vieram de Babilônia;
Zc 6:11 recebe, digo, prata e ouro,
e faze coroas, e põe-nas na cabeça do sumo sacerdote Josué,
filho de Jeozadaque;
Zc 6:12 e fala-lhe, dizendo:
Assim diz o Senhor dos exércitos:
Eis aqui o homem cujo nome é Renovo;
ele brotará do seu lugar,
e edificará o templo do Senhor.
Zc 6:13 Ele mesmo edificará o templo do Senhor;
receberá a honra real,
assentar-se-á no seu trono,
e dominará.
E Josué, o sacerdote, ficará à sua direita;
e haverá entre os dois o conselho de paz.
Zc 6:14 Essas coroas servirão a Helem,
e a Tobias, e a Jedaías, e a Hem, filho de Sofonias,
de memorial no templo do Senhor.
Zc 6:15 E aqueles que estão longe virão,
e ajudarão a edificar o templo do Senhor;
e vós sabereis que o Senhor dos exércitos
me tem enviado a vós;
e isso sucederá,
se diligentemente obedecerdes
a voz do Senhor vosso Deus.
Além de construir o templo, ele seria revestido de majestade e se assentaria em seu trono para governar e haveria harmonia entre os dois – vs. 13. A coroa, então, seria para Heldai, Tobias, Jedaías e Hem, filo de Sofonias como um memorial no templo do Senhor.
Assim, de longe viriam ajuda para a construção do templo do Senhor. O profetas já haviam estabelecido que os gentios haveriam de se unir a Israel para servir ao Senhor (p. ex. Is 2.2ss; 19.25). Ageu também indicou que a riqueza dos gentios encheria o templo (Ag 2.7; cf. 1Rs 5).
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 13 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

rt=tf_ssw&ServiceVersion=20070822&MarketPlace=US&ID=V20070822%2FUS%2Fjamdes-20%2F8003%2F7523f742-8d49-4e96-8b81-9ce1b0cf3400&Operation=GetScriptTemplate" type="text/javascript">

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.