quarta-feira, 29 de julho de 2015

Zacarias 12 1-14 - O SEGUNDO GRUPO DE PROFECIAS DE ZACARIAS.

Estamos estudando, com a ajuda preciosa da BEG, o livro de Zacarias cujo pano de fundo histórico é o mesmo de Ageu, sendo que a ênfase de Zacarias não era somente a reconstrução do templo, como vimos em Ageu, mas ele também encorajava o povo quanto à Jerusalém ser o local, num futuro de médio prazo, para o reino de Deus.
Estamos na segunda parte, na seção “B”, com o décimo segundo capítulo.
B. O segundo grupo de profecias (12.1-14.21).
Doravante, até o final do livro, veremos o segundo grupo de profecias. No primeiro grupo de profecias, nós vimos detalhes da vinda de Deus, o Rei, em julgamento, Neste segundo grupo de profecias, na segunda metade do livro, veremos o julgamento de Deus contra as nações.
O ápice desse grupo é a salvação final de Jerusalém e a celebração da Festa dos Tabernáculos. Dividiremos, didaticamente, conforme a BEG, esta segunda seção “B” em seis partes: 1. A vitória sobre as nações (12.1-9) – veremos agora; 2. O pranto sobre o passado (12.10-14) – veremos agora; 3. A purificação da terra de Judá (13.1-6); 4. O pastor ferido (13.7-9); 5. A guerra contra Jerusalém (14.1-15); e, 6. A futura celebração (14.16-21).
1. A vitória sobre as nações (12.1-9).
Até o verso nove, estaremos vendo a vitória sobre as nações. O tema desses versículos é o julgamento de Deus contra as outras nações por meio da vitória de Judá.
A palavra do Senhor é destinada a Israel e ela é introduzida com o Deus criador que lançou os alicerces da terra e que formou o espírito do homem dentro dele, ou seja, Deus criou a terra e os céus para nele colocar o homem, sua obra prima da criação.
Deus estava falando que iria fazer de Jerusalém um copo de atordoamento para todos os povos em redor e também para Judá durante o cerco de Jerusalém. Era esse um símbolo da dor que Jerusalém infligiria a seus inimigos. Outros profetas falaram da ira de Deus como um cálice do qual as nações beberiam (Is 51.17; Jr 25.15-38; Ez 23.32-34).
Jerusalém seria um copo de atordoamento e também uma pedra pesada naquele dia – vs. 3. Essa frase “Naquele dia” ocorre dezesseis vezes nos caps. 12-14.
É uma referência abreviada para "o dia do SENHOR", expressão muito usada pelos profetas para descrever os momentos em que Deus intervém na História para derrotar os seus inimigos e abençoar o seu povo.
Aqui, o profeta tinha em mente o dia da grande batalha entre a comunidade restaurada e todas as nações do mundo.
Por isso que Jerusalém seria uma pedra pesada. Essa frase faz um paralelo com o cálice "de tontear", do vs. 2 (Dn 2.45). Aqui, o profeta trouxe a esperança aos que retornaram do exílio de que as nações que atacassem Jerusalém seriam derrotadas em sua tentativa de destruir a cidade e seus habitantes.
Houve alguma resistência por parte da comunidade restaurada inicial (Ed 4; Ne 2.19; 4.1-23). Também houve a revolta dos Macabeus contra os gregos a qual foi bem-sucedida, mas essa batalha final não aconteceria porque Israel permanecera totalmente insignificante aos olhos do mundo. Conforme a BEG, a expectativa dessa última batalha, portanto, foi lançada para o futuro.
O Novo Testamento ensina que a Jerusalém reconstruída é um tipo da Jerusalém celestial na qual vivemos hoje, pela fé (Hb 12.22-23), e será, no futuro, a Jerusalém final dos novos céus e da nova terra (Ap 21.2).
Ezequiel profetizou que a comunidade restaurada representaria tamanha ameaça às nações que elas fariam alianças e atacariam (Ez 38-39).
Houve alguma resistência nos primeiros dias de retorno do exílio (Ed 4; Ne 2.19; 4.1-23), mas Judá, enfraquecida pelos pecados, ofereceu pouca resistência. Assim, a grande batalha foi adiada. (14.2).
Naqueles dias os chefes de Judá seriam como um braseiro ardente debaixo da lenha e como um facho entre gavelas que devorariam à direita e à esquerda a todos os povos em redor. Essas são mais figuras do poder devorador da Judá liderada pelo fiel filho de Davi (Ag 2.22-23). Jerusalém assim seria habitada novamente, no seu próprio lugar. Em contraste com as outras nações, o povo de Deus estaria seguro na cidade santa (SI 46; 125.1).
O cuidado de Deus para com Jerusalém e Judá seria muito grande a ponto de ele salvar primeiro as tendas de Judá para que a glória da casa de Davi e a glória dos habitantes de Jerusalém não se engrandecessem sobre Judá.
Naqueles dias a defesa do Senhor por eles seria tão enorme que o mais fraco deles seria como o “gigante” Davi e a junção deles, a união deles, desses gigantes, formariam a casa de Davi que seria como Deus, como o anjo do Senhor diante deles.
A vitória do povo de Deus contra as nações seria tão definitiva que até mesmo o mais fraco lutaria como o grande guerreiro Davi. A casa de Davi – eles em unidade! - lutaria como Deus e como o anjo do Senhor.
Seus membros destruiriam todas as nações que atacassem Jerusalém como também enfrentaria e triunfariam sobre qualquer inimigo.
A oferta de que poderia ter início o processo da vitória de âmbito mundial para Jerusalém foi feita pelos profetas logo no início, desde os dias de Zorobabel (Ag 2.22-23). O triste foi que desprezaram o Senhor e isso fez com que esse plano fosse adiado para ser apenas concluído com o Messias e sua igreja.
2. O pranto sobre o passado (12.10-14).
Dos versos 10 ao 14, veremos o pranto sobre o passado. A vitória de Judá sobre as nações que a atacassem após o exílio está colocada junto com a renovação espiritual do povo de Judá. A primeira não poderia ocorrer sem a última.
Enquanto Deus iria destruir todas as nações opositoras, sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém, ele estaria derramando um espírito de graça e súplicas - pedidos pela graça de Deus (At 2.37).
Provavelmente, uma maneira de falar sobre o Espirito Santo, que é graciosamente dado e produz a humildade no povo de Deus. Os profetas do Antigo Testamento enfatizaram que a renovação da aliança com Deus após o exílio (Jr 31.31-33) acarretaria necessariamente uma renovação em seu Espírito (Is 59.21; Ez 36.26-27; 39.29).
Isso faria com que seus olhares estivessem postos no Senhor, por isso que olharão para ele, ou seja, como a fonte da salvação. Muitas passagens do Evangelho de João falam da fé em termos de "olhar” (Veja Jo 3.14-15).
»ZACARIAS [12]
Zc 12:1 A palavra do Senhor acerca de Israel:
Fala o Senhor, o que estendeu o céu,
e que lançou os alicerces da terra
e que formou o espírito do homem dentro dele.
Zc 12:2 Eis que eu farei de Jerusalém um copo de atordoamento
para todos os povos em redor,
e também para Judá,
durante o cerco contra Jerusalém.
Zc 12:3 Naquele dia farei de Jerusalém
uma pedra pesada para todos os povos;
todos os que a erguerem, serão gravemente feridos.
E ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra.
Zc 12:4 Naquele dia, diz o Senhor,
ferirei de espanto a todos os cavalos,
e de loucura os que montam neles.
Mas sobre a casa de Judá
abrirei os meus olhos,
e ferirei de cegueira todos os cavalos dos povos.
Zc 12:5 Então os chefes de Judá dirão no seu coração:
Os habitantes de Jerusalém são a minha força
no Senhor dos exércitos, seu Deus.
Zc 12:6 Naquele dia porei os chefes de Judá
como um braseiro ardente no meio de lenha,
e como um facho entre gavelas;
e eles devorarão à direita e à esquerda
a todos os povos em redor;
e Jerusalém será habitada outra vez
no seu próprio lugar, mesmo em Jerusalém.
Zc 12:7 Também o Senhor salvará primeiro as tendas de Judá,
para que a glória da casa de Davi
e a glória dos habitantes de Jerusalém
não se engrandeçam sobre Judá.
Zc 12:8 Naquele dia o Senhor defenderá os habitantes de Jerusalém,
de sorte que o mais fraco dentre eles naquele dia
será como Davi,
e a casa de Davi
será como Deus,
como o anjo do Senhor diante deles.
Zc 12:9 E naquele dia, tratarei de destruir todas as nações
que vierem contra Jerusalém.
Zc 12:10 Mas sobre a casa de Davi,
e sobre os habitantes de Jerusalém,
derramarei o espírito de graça e de súplicas;
e olharão para aquele a quem traspassaram,
e o prantearão como quem pranteia
por seu filho único;
e chorarão amargamente por ele,
como se chora pelo primogênito.
Zc 12:11 Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém,
como o pranto de Hadade-Rimom no vale de Megidom.
Zc 12:12 E a terra pranteará, cada família à parte:
a família da casa de Davi à parte,
e suas mulheres à parte;
e a família da casa de Natã à parte,
e suas mulheres à parte;
Zc 12:13 a família da casa de Levi à parte,
e suas mulheres à parte;
a família de Simei à parte,
e suas mulheres à parte;
Zc 12:14 todas as mais famílias, cada família à parte,
e suas mulheres à parte.
Aquele a quem eles estaria olhando seria aquele mesmo que eles traspassaram. A referência é a Deus (cf. “derramarei”), a quem os judeus haviam rejeitado no passado.
João viu que essa passagem se cumpriu com a morte de Cristo (Jo 19.37), que também representou a pior rejeição de Israel com relação a Deus.
·         Olharão para mim, aquele a quem traspassaram.
·         E chorarão por ele como quem chora a perda de um filho único.
·         E lamentarão amargamente por ele como quem lamenta a perda do filho mais velho.
·         Naquele dia muitos chorarão em Jerusalém, como os que choraram em Hadade-Rimon no vale de Megido.
·         Todo o país chorará, separadamente cada família com suas mulheres chorará:
ü  a família de Davi com suas mulheres;
ü  a família de Natã com suas mulheres;
ü  a família de Levi com suas mulheres;
ü  a família de Simei com suas mulheres,
ü  e todas as demais famílias com suas mulheres
(Zacarias 12:10-14).
E chorariam e se lamentariam como quem chora a perda de um unigênito ou do primogênito – s. 11. A BEG nos lembra que o profeta indicou que quando o Espírito fosse derramado, o povo de Deus se arrependeria profundamente de suas rebeliões passadas, mas que também podemos ver a rejeição sendo expressa com toda a sua força na pessoa de seu único filho, o primogênito, que deu a sua vida por nós, pecadores.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 8 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

1 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.