sábado, 4 de julho de 2015

Miquéias 5 1-15 - BELÉM, A TERRA NATALÍCIA DO GRANDE REI.

Miquéias é apresentado como um profeta que falava com autoridade dada pelo Senhor. A Palavra do SENHOR veio a ele nos dias de Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá, no qual ele viu (uma revelação sobrenatural para a visão ou audição interior do profeta) que era sobre Samaria e Jerusalém.
III. O JULGAMENTO DOS LÍDERES E A RESTAURAÇÃO FUTURA (3.1-5.15) - continuação.
Como já dissemos, Deus anunciou castigar tanto Judá como Jerusalém com derrota e exílio, pois os seus líderes eram muito corruptos, mas um dia ambas seriam restauradas. Essa seção é composta por dez oráculos e foram assim divididas, conforme a BEG: A. O julgamento de líderes que se tornaram canibais (3.1-4) – já vista; B. O julgamento dos profetas exploradores (3.5-8) – já vista; C. O julgamento da destruição de Sião (3.9-12) – já vista; D. Sião será exaltada (4.1-5) – já vista; E. A força futura do remanescente (4.6-7) – já vista; F. O futuro domínio de Sião (4.8) – já vista; G. A aflição de Sião e a salvação futura (4.9-13) – já vista; H. O soberano messiânico (5.1-6) – veremos agora; I. O reinado futuro do remanescente (5.7-9) – veremos agora; e, J. A proteção do Senhor ao seu império (5.10-15) – veremos agora.
H. O soberano messiânico (5.1-6).
Dos versos de 1 ao 6, veremos a profecia sobre o soberano messiânico.
Esse oráculo diz respeito a um rei da família de Davi (o Messias) que estabeleceria um reino mundial que traria paz e bênçãos ao povo fiel de Deus. Ele também vai da aflição atual (4.13) para a vitória do Messias (vs. 1-3) e o triunfo da liderança (vs. 4-6).
As tropas deveriam ser reunidas por causa do cerco e o principal líder estava ferido na face. O golpe na face do soberano de Judá representa o insulto máximo - todo poder para resistir havia desaparecido.
Deus escolheu Belém de Judá para ali ser a terra de nascimento do Messias, tão esperado e desejado das nações. Jesus, o tão aguardado filho de Davi, cumpriu as promessas feitas nesse oráculo (Mt 2.6; Lc 2.4,11; Jo 7.42).
Vejamos algumas características dessa cidade[1] escolhida por Deus como local do nascimento do Messias:
·         Hodiernamente é um deserto de cristãos, apenas uma ínfima parcela da população continua sendo cristã.
·         Belém está hoje sob a direção de Autoridade Palestina.
·         Ela é cercada por muros, que a distanciam da mais nobre cidade do Mundo: Jerusalém, que lembra Davi e Jesus Cristo.
·         Belém (em árabe بيتلحم, transl. Bayt Lam, lit. "Casa da Carne"; em hebraico: ביתלחם, transl. Beit Lehem, lit. "Casa do Pão"; em grego : Βηϑλεέμ, transl. Bethlehém; em latim: Bethlehem) é uma cidade Palestina localizada na parte central da Cisjordânia, com uma população de cerca de 30.000 pessoas.
·         É considerada por Israel como parte da “Jerusalém Maior”.
·         É a capital da província de Belém, na Autoridade Nacional Palestina, e um centro de cultura e turismo no país.
·         Localiza-se a cerca de 10 quilómetros ao sul de Jerusalém, a uma altitude de 765 metros acima do nível do mar.
·         Apenas 2% são cristãos na cidade onde nasceu Jesus. O número de cristãos em Belém, cidade considerada o local onde Jesus nasceu, está diminuindo. Há cem anos, cerca de 40% da população da cidade era cristã, agora são 2%. E, de acordo com algumas previsões, os últimos cristãos deverão deixar a cidade antes de 2025.
·         Simon Azazian, integrante da Sociedade Bíblica Palestina, crê que em alguns dos vilarejos o número de cristãos é zero. "Em Birzavit, por exemplo, 100% eram cristãos, depois (a porcentagem) caiu para 60%, agora são 40% e esse número continua baixando.
·         Alguns cristãos (lembrando que a designação: “cristãos”, envolve todas as Igrejas que professam o nome de Jesus Cristo!) dizem que esse êxodo se deve ao fundamentalismo islâmico.
·         A cidade da Promessa, terra de Jessé, o belemita e de seu mais ilustre filho, o Rei Davi, Belém (cujo nome em hebraico é Beit Lechem, a Casa do Pão) foi fundada na região de Efrata, donde seu nome primitivo Efrata, já citado na Bíblia (Gn 15,19; 35, 16.), pertencia à tribo de Judá, e por isso era designada como Belém de Judá (Jz.17,7;Mt.2,5), para distingui-la de Belém de Zebulom (Js 19,15). Gênesis 35:19 narra que Raquel morreu de parto perto de Belém no caminho a Efrata, e que Jacob colocou um monumento sobre sua tumba. (O sítio da Tumba de Raquel, bem perto de Belém, é um Lugar Santo, judaico e até hoje um local de peregrinação e oração.) Contudo, Belém é mais conhecida na tradição judaica por causa do Rei David, e no Cristianismo, como o local do nascimento de Jesus.
·         Pesquisas arqueológicas indicam que durante o período do Primeiro Templo a cidade murada se localizava na área da Basílica da Natividade, e que as cavernas sob a basílica poderiam ter sido usadas como extensões das residências particulares (como depósitos, estábulos, etc.). Este uso de cavernas e cômodos escavados em rochas era comum em toda a região até muito recentemente. Uma destas cavernas foi transformada em santuário no século IV, considerada como sendo o sítio da Natividade. A atual Basílica é a mais antiga igreja consagrada do mundo. Ela foi construída pelo imperador bizantino Justiniano (527-565), no sítio de uma basílica erigida anteriormente pelo imperador Constantino em 325.
·         Em Belém de Judá nasceram: o levita da Casa de Micas, a mulher do levita Efraim, Boaz, Jessé e Davi, que, também ali, recebeu a unção de Samuel.
·         Tendo sido ocupada, por algum tempo, pelos filisteus, foi fortificada por Roboão e repovoada quando da volta do Exílio babilônico.
·         Mas, Belém é célebre, sobretudo, por ser o local de nascimento de Jesus Cristo - Mt 2,16; Lc 2, 4-15; Jo 7, 42), cumprindo-se, então a famosa profecia messiânica: “E tu Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum o menor dentre os principais lugares de Judá. Porque é de ti que há de sair o Chefe, que há de pastorear o meu povo, Israel” (Mq. 5,2).
·         E é em Belém que se comemora o Natal dos peregrinos de todo o Mundo.
·         O turismo em Belém acelerou nos últimos anos, depois de ter perdido força durante a Intifada palestina que eclodiu em 2000.
·         Muitos moradores dizem que o desenvolvimento é prejudicado por medidas de segurança impostas por Israel para manter os radicais longe, incluindo um muro de oito metros entre Belém e Jerusalém. Os visitantes e a população local têm de conviver com esse muro.
No verso 3, é dito que os israelitas ficariam abandonados até o nascimento do Messias. Israel, de fato, ficou sem um rei de 586 a.C. até a vinda de Cristo. Depois, o restante de seus irmãos do governante (o Messias) voltaria para se unir aos israelitas, ou seja, milhares de israelitas que não haviam sido contados com o fiel remanescente foram convertidos após o Pentecostes (At 2.41,47).
Ele se estabeleceria e os pastorearia na força do Senhor, na majestade do nome do Senhor, o seu Deus. E eles viveriam em segurança, pois a grandeza dele alcançaria os confins da terra – vs. 4. Jesus ordenou que os seus discípulos espalhassem o seu reino a todas as nações (Mt 28.18-20; At 1.8). Cristo reinará no céu até que todos os seus inimigos sejam derrotados (SI 110.1); e então ele retornará como o Rei de todas as coisas. Isso deve ocorrer em breve (estamos em julho de 2015).
Ele também seria a paz deles e quando os assírios invadissem não haveria falta de quem pudesse estar à frente liderando o povo. Em contraste com a liderança inadequada que Judá experimentou no passado (3.1-11), haveria um número mais do que suficiente de líderes capazes para expandir o reino de Cristo.
Esses líderes, sete pastores, até oito líderes escolhidos, pastorearia a Assíria com a espada e a terra de Ninrode com a espada empunhada. Essa palavra contra a Assíria, a qual seria punida pela destruição do Reino do Norte e pelos problemas em Judá nos dias de Ezequias, se estende à "terra de Ninrode" (o rei babilônio), o qual finalmente enviou Judá para o exílio (veja Gn 10.8-11).
I. O reinado futuro do remanescente (5.7-9).
Dos versos de 7 ao 9, veremos o reinado futuro do remanescente. Esse oráculo tem duas partes:
·         A profecia de que o remanescente se tornaria o instrumento de vida e morte de Deus (vs. 7-8).
·         Uma súplica para que Deus derrotasse todos os seus inimigos (vs. 9).
Como em todas as profecias de restauração, essas previsões encontram:
·         O seu cumprimento inicial na primeira vinda de Cristo,
·         O cumprimento contínuo agora, no tempo presente, os últimos dias.
·          O cumprimento conclusivo na segunda vinda dele.
Assim como a chuva depende da iniciativa divina, também o remanescente depende de Deus para revigorar a terra por meio deles. Destarte, o remanescente de Jacó (vs. 7-9):
·         Estará no meio de muitos povos como orvalho da parte do Senhor, como aguaceiro sobre a relva.
·         Não porá sua esperança no homem nem dependerá dos seres humanos.
·         Estará entre as nações, no meio de muitos povos, como um leão entre os animais da floresta, como um leão forte entre rebanhos de ovelhas, leão que, quando ataca, destroça e mutila a presa, sem que ninguém a possa livrar.
·         Sua mão se levantará contra os seus adversários, e todos os seus inimigos serão destruídos.
J. A proteção do Senhor ao seu império (5.10-15).
Dos versos de 5 ao 15, veremos a proteção do império do Senhor. Esse oráculo tem duas partes:
(1)   Deus purificaria a sua nação (vs. 10-14) e eliminaria as nações pagãs (vs. 15).
(2)   A salvação de Deus não estaria completa até que ele purificasse completamente a sua nação (todas as quais eram obras das mãos do povo):
ü De todas as seguranças militares vãs e falsas (vs. 10-11).
ü Das feitiçarias (vs. 12) - Literalmente, "feitiçarias das tuas mãos"..
ü Da idolatria (vs. 13-14).
»MIQUÉIAS [5]
Mq 5:1 Agora, ajunta-te em tropas, ó filha de tropas;
pôr-se-á cerco contra nós;
ferirão com a vara no queixo ao juiz de Israel.
Mq 5:2 Mas tu, Belém Efrata,
posto que pequena para estar entre os milhares de Judá,
de ti é que me sairá aquele que há de reinar
em Israel, e cujas saídas são desde
os tempos antigos,
desde os dias da eternidade.
Mq 5:3 Portanto os entregará até o tempo
em que a que está de parto tiver dado à luz;
então o resto de seus irmãos voltará
aos filhos de Israel.
Mq 5:4 E ele permanecerá, e apascentará o povo na força do Senhor,
na excelência do nome do Senhor seu Deus;
e eles permanecerão,
porque agora ele será grande até os fins da terra.
Mq 5:5 E este será a nossa paz.
Quando a Assíria entrar em nossa terra,
e quando pisar em nossos palácios,
então suscitaremos contra ela sete pastores
e oito príncipes dentre os homens.
Mq 5:6 Esses consumirão a terra da Assíria à espada,
e a terra de Ninrode nas suas entradas.
Assim ele nos livrará da Assíria,
quando entrar em nossa terra,
e quando calcar os nossos termos.
Mq 5:7 E o resto de Jacó estará no meio de muitos povos,
como orvalho da parte do Senhor,
como chuvisco sobre a erva,
que não espera pelo homem,
nem aguarda filhos de homens.
Mq 5:8 Também o resto de Jacó estará entre as nações,
no meio de muitos povos, como um leão
entre os animais do bosque,
como um leão novo entre os rebanhos de ovelhas,
o qual, quando passar, as pisará
e despedaçará, sem que haja quem as livre.
Mq 5:9 A tua mão será exaltada sobre os teus adversários
e serão exterminados todos os seus inimigos.
Mq 5:10 Naquele dia, diz o Senhor,
exterminarei do meio de ti os teus cavalos,
e destruirei os teus carros;
Mq 5: 11 destruirei as cidade da tua terra,
e derribarei todas as tuas fortalezas.
Mq 5:12 Tirarei as feitiçarias da tua mão,
e não terás adivinhadores;
Mq 5:13 arrancarei do meio de ti as tuas imagens esculpidas
e as tuas colunas; e não adorarás mais a obra das tuas mãos.
Mq 5:14 Do meio de ti arrancarei os teus aserins,
e destruirei as tuas cidades.
Mq 5:15 E com ira e com furor exercerei vingança
sobre as nações que não obedeceram.
Com ira e indignação justas, santas e verdadeiras, o Senhor se vingaria das nações desobedientes. Por sua vingança – conforme a BEG -, o próprio Senhor salvou o seu povo do exílio. Ele libertou as vítimas de injustiça e puniu os hipócritas entre eles, bem como os opressores culpados.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 32 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.