domingo, 19 de julho de 2015

Dia 14/40 - PAI E FILHOS JUNTOS INDO ADORAR AO SENHOR!

Nossa reflexão de hoje sobre a unidade, sobre o estar juntos nos levará dentro ainda do livro de Gênesis num interessante episódio entre pai e filho, que caminharam juntos para adorarem ao Senhor.
5 E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o mancebo iremos até lá; depois de adorarmos, voltaremos a vós. 6 Tomou, pois, Abraão a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque, seu filho; tomou também na mão o fogo e o cutelo, e foram caminhando juntos. 7 Então disse Isaque a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?8 Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. E os dois iam caminhando juntos.(Gn 22.5-8).
Deus prova para nos aprovar! (A+prova+R). Deus não nos tenta, mas nos prova, são diferentes as ações. Ninguém ao ser tentado pode dizer que Deus o tentou, mas cada um é tentado pela sua própria cobiça quando esta o atrai e o seduz.
Já dizia John Owen que quem se sente atraído pelo pecado próximo, é porque já entrou em tentação. Agora deve procurar escapar dela e não cair em tentação. Na oração do Pai Nosso, nosso Senhor nos ensinou a orar: - e não nos deixe CAIR em tentação, mas livrai-nos do mal.
Então são também diferentes o entrar em tentação e o cair em tentação. A vigilância, a oração e uma vida cheia do Espírito Santo poderá nos garantir uma vida saudável diante de Deus, em sua presença, cada vez mais.
Logo, logo o tempo de nossa peregrinação cessará e não mais estaremos sob o peso do pecado. É como Paulo falou em suas epístolas e comparou o atual momento, mesmo o mais pesado deles, como uma pena quando posto lado a lado com a glória que há de vir que ele chamou de eterno peso. Pena x eterno peso. Tribulação presente x glória vindoura.
É de se admirar a dedicação, entendimento, fé, e obediência do “pai da fé”, o amigo de Deus! Deus lhe pede o seu filho, o seu único filho, aquele em quem irá se cumprir toda a promessa de Deus que ele esperava e esperou ao longo de 100 anos e agora o Senhor lhe pede em holocausto.
Diz as Escrituras que Abraão agiu com tanta fé que foi capaz de ao entregar o seu filho, ainda crer que Deus cumpriria suas promessas ressuscitando o menino que ele pediu para sacrificar. Que tamanha fé e obediência estiveram presentes em Abraão.
Ele vai e tudo prepara, menos o sacrifício e o menino lhe pergunta sobre o sacrifício e ele responde com uma palavra fantástica e poderosa: - Deus para si cordeiro proverá! Estou encafifado e estupefato diante disso.
Ele então segue para o local determinado e certo de fazer o sacrifício e creio que aquela caminhada (juntos) deve ter sido muito estranha e cheia de acontecimentos no caminho que lhe mostrariam coisas que não podemos falar em palavras, mas que demonstrariam a ele o cuidado e o amor de Deus em tudo.
Eles chegam ao lugar certo e ali Abraão pega o seu cutelo pronto para transpassar seu único filho em holocausto ao Senhor, mas dos céus uma voz brada e diz e chama Abraão por seu nome e ele responde: - eis-me aqui!
Pronto! Abraão passou pela prova e foi vencedor. Deus poupou o sacrifício do menino e já providenciará um substituto. Era isso uma alusão ao que haveria de vir quando a semente nascesse. Por que o Cristo seria este Cordeiro do sacrifício que tomaria o lugar dos pecadores.
Abraão sacrificou então o cordeiro que Deus tinha providenciado, aquele que Abraão, pela fé, tinha dito que Deus haveria de providenciar. Ali estava o pai Abraão ensinando a fé ao filho Isaque. Que lições maravilhosas e boas. O nome daquele lugar passou a ser esse, O SENHOR PROVERÁ!
Deus ali renova a sua aliança com ele e enfatiza a sua promessa falando de sua descendência que seria deveras numerosa. A promessa de Deus ali estava selada tanto pela promessa de Deus quanto pela obediência do pai da fé, Abraão.
Uma vez Adauto Lourenço, cientista e mantenedor do site http://www.universocriacionista.com.br/ falou que maior é o número de estrelas no universo do que os grãos de areia de toda a terra. Incrível! Deus ali falava para Abraão que assim seria a sua descendência de tão numerosa que seria.
Foram dois os momentos de caminhada em que juntos foram adorar ao Senhor: a ida e a volta! Abraão falou que voltaria que apenas iria ali adorar ao Senhor – vs. 5 – ele falou no plural “iremos” e “voltaremos”.
A ida foi um momento especial de aprendizado e ensinamento das coisas de Deus, especialmente a fé; a volta fora outro grande momento, em que Abraão pode fazer a aplicação de seu ensino ao seu filho que com ele caminhara junto para adorar ao Senhor.
Que bênção pai e filho, juntos, adorando ao Senhor!

Depois disso, foi Abraão morar em Berseba que significa “poço do juramento”!
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.