terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Deuteronômio 15: 1-23 – O CUIDADO COM OS POBRES – O ANO DA REMISSÃO

...
Ainda no detalhamento das condições da aliança por mais 11 capítulos, até o capítulo 26, estaremos vendo em cada capítulo algum aspecto que Moisés queria enfatizar àquela segunda geração.
No presente capítulo, 15, veremos os detalhamentos do ano da remissão – Êx 23:10-11 e Lv 25:1-7; leis a favor dos pobres – Lv 25:35-38; leis acerca dos servos – Êx 21:1-11; e, finalmente, leis acerca dos primogênitos do gado – 19-23.
Por conta dessa remissão, a terra não deveria ser cultivada durante o sétimo ano. Neste capítulo até o vs. 11, acrescenta Moisés que nesse ano também as dívidas seriam perdoadas.
Este sétimo ano é chamado pelos israelitas como Shemita – Strong: 8059, hebraico:         šə-miṭ-ṭāh.  שְׁמִטָּֽה׃ -, em vez de sabático, cuja raiz da palavra tanto serve para o ano sabático como para o perdão da dívida no sétimo ano.
Não há registros da observação, de fato, dessa prática em lugar algum da Bíblia. Temos sido rebeldes ao Senhor e às suas leis e mandamentos e confiamos mais em nossas técnicas, conhecimentos e experiências, ou na ciência, do que em Deus. Por isso, jamais saberemos, nem tomaremos conhecimento da verdade devido nossa teimosia. Lamentável!
Com relação aos pobres, o próprio Senhor falou em Mateus 26:11 do fato dos pobres sempre estarem conosco. Obviamente falou em referência ao vs. 11 que diz claramente que nunca deixará de haver pobres na terra.
Moisés em relação aos pobres e necessitados, ordenou-nos para livremente abrirmos nossas mãos, ou seja, acudirmos eles em suas necessidades.
Em Provérbios, o homem mais sábio do mundo, abaixo do próprio Senhor, também homem, disse pelo Espírito Santo, com relação aos pobres:
Provérbios 14:21 O que despreza ao seu vizinho peca, mas o que se compadece dos pobres é feliz.
Provérbios 29:7 Informa-se o justo da causa dos pobres, mas o perverso de nada disso quer saber.
Provérbios 29:14 O rei que julga os pobres com equidade firmará o seu trono para sempre.
Provérbios 31:9 Abre a boca, julga retamente e faze justiça aos pobres e aos necessitados.
Paulo também nos advertiu sobre isso em suas epístolas. Podemos observar suas instruções claras que devemos ter cuidado com nossos pobres que habitam conosco neste mundo, nestes tempos:
Romanos 15:26 Porque aprouve à Macedônia e à Acaia levantar uma coleta em benefício dos pobres dentre os santos que vivem em Jerusalém.
I Coríntios 13:3 E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.
II Coríntios 6:10 entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo.
II Coríntios 9:9 como está escrito: Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre.
Gálatas 2:10 recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer.
Além de nossos dízimos e ofertas, eu e minha esposa fizemos um voto de ajudarmos os pobres com cestas básicas extraídas de nossas rendas até o fim de nossas vidas, enquanto o Senhor nos abençoar. A experiência que temos disso é fantástica e recomendamos todos os irmãos a agirem assim.
Não por causa do fato da recompensa, nem pelo fato disso se tornar moeda de crédito diante da divindade, nem porque isso pode nos tornar mais santos ou justificados, não, nada disso. Contribuímos por causa da graça de Deus que em nossas vidas tem sido abundante e temos obedecido ao Senhor e à sua palavra.
Ainda há outras ofertas que fazemos. Temos tido a experiência da palavra se cumprindo em nossas vidas que nada nos tem faltado. Está escrito: ao que tem se lhe dará para que tenha mais ainda, mas o que não tem, até o que tem, ser-lhe-á tirado – Mt 25:29.
Quanto aos servos, Moisés lembrava o povo que eles foram também servos no Egito e que deveriam usar de misericórdia para com eles e no sétimo ano deveriam ser liberados. Fica agora a dúvida se seriam libertos por um ano ou se realmente se tornariam livres para sempre.
Dt 15:1 Ao fim dos sete anos farás remissão.
Dt 15:2 Este, pois, é o modo da remissão:
                todo o credor remitirá o que emprestou ao seu próximo;
                não o exigirá do seu próximo ou do seu irmão,
                               pois a remissão do SENHOR é apregoada.
                Dt 15:3 Do estrangeiro o exigirás; mas o que tiveres em poder de teu
                               irmão a tua mão o remitirá.
                Dt 15:4 Exceto quando não houver entre ti pobre algum;
                               pois o SENHOR abundantemente te abençoará na terra
                               que o SENHOR teu Deus te dará por herança, para possuí-la. Dt 15:5 Se somente ouvires diligentemente a voz do SENHOR teu Deus
                para cuidares em cumprir todos estes mandamentos
                               que hoje te ordeno; Dt 15:6 Porque o SENHOR teu Deus
                                               te abençoará, como te tem falado;
                assim, emprestarás a muitas nações, mas não tomarás empréstimos;
                e dominarás sobre muitas nações, mas elas não dominarão sobre ti.   Dt 15:7 Quando entre ti houver algum pobre, de teus irmãos,
                               em alguma das tuas portas, na terra que o SENHOR teu Deus
                                               te dá, não endurecerás o teu coração,
                                               nem fecharás a tua mão a teu irmão que for pobre; Dt 15:8 Antes lhe abrirás de todo a tua mão,
                               e livremente lhe emprestarás o que lhe falta,
                                               quanto baste para a sua necessidade.
Dt 15:9 Guarda-te, que não haja palavra perversa no teu coração, dizendo:
                Vai-se aproximando o sétimo ano, o ano da remissão;
                e que o teu olho seja maligno para com teu irmão pobre,
                               e não lhe dês nada; e que ele clame contra ti ao SENHOR,
                                               e que haja em ti pecado.
                Dt 15:10 Livremente lhe darás, e que o teu coração não seja maligno,
                               quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará
                                               o SENHOR teu Deus em toda a tua obra,
                                                               e em tudo o que puseres a tua mão.
                Dt 15:11 Pois nunca deixará de haver pobre na terra;
                               pelo que te ordeno, dizendo:
                Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão,
                               para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra.
                Dt 15:12 Quando teu irmão hebreu ou irmã hebréia se vender a ti,
                               seis anos te servirá, mas no sétimo ano o deixarás ir livre.
                Dt 15:13 E, quando o deixares ir livre, não o despedirás vazio.
                Dt 15:14 Liberalmente o fornecerás do teu rebanho, e da tua eira,
                               e do teu lagar; daquilo com que o SENHOR teu Deus te tiver
                                               abençoado lhe darás.
                Dt 15:15 E lembrar-te-ás de que foste servo na terra do Egito,
                               e de que o SENHOR teu Deus te resgatou;
                                               portanto hoje te ordeno isso.
Dt 15:16 Porém se ele te disser:
                Não sairei de ti; porquanto te amo a ti, e a tua casa,
                               por estar bem contigo; Dt 15:17 Então tomarás uma sovela,
                               e lhe furarás a orelha à porta, e teu servo será para sempre;
                                               e também assim farás à tua serva.
                Dt 15:18 Não seja duro aos teus olhos, quando despedi-lo
                               liberto de ti; pois seis anos te serviu em equivalência
                                               ao dobro do salário do diarista;
                assim o SENHOR teu Deus te abençoará em tudo o que fizeres.
Dt 15:19 Todo o primogênito que nascer das tuas vacas e das tuas ovelhas,
                o macho santificarás ao SENHOR teu Deus;
                               com o primogênito do teu boi não trabalharás,
                                               nem tosquiarás o primogênito das tuas ovelhas.
                Dt 15:20 Perante o SENHOR teu Deus os comerás de ano em ano,
                               no lugar que o SENHOR escolher, tu e a tua casa.
                Dt 15:21 Porém, havendo nele algum defeito, se for coxo, ou cego,
                               ou tiver qualquer defeito, não o sacrificarás
                                               ao SENHOR teu Deus.
                Dt 15:22 Nas tuas portas o comerás; o imundo e o limpo
                               o comerão também, como da corça ou do veado.
                Dt 15:23 Somente o seu sangue não comerás;
                               sobre a terra o derramarás como água.
O primogênito do gado não deveria ser usado para o trabalho e o primogênito das ovelhas não deveriam ser tosquiado, pois a lei determinava que fossem entregues ao Senhor quando ainda filhotes.

Todo primogênito pertencia ao Senhor e os levitas foram escolhidos no lugar dos primogênitos para serem dedicados ao Senhor completamente.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.