terça-feira, 29 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 343/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 3 – FP 1:27-30
Ontem, encerramos dizendo que não é de qualquer maneira que nós devemos andar e nos portarmos diante de Deus, mas dignamente.
 
Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.” (2 Ts 1:11-12)
 
No trecho acima das Escrituras, vemos que é Deus quem nos faz dignos e, no trecho abaixo, é nós que devemos viver de modo dígno:
 
“27. Vivei, {Vivei; no original, portai-vos como cidadãos} acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica; 28. e que em nada estais intimidados pelos adversários. Pois o que é para eles prova evidente de perdição é, para vós outros, de salvação, e isto da parte de Deus. 29. Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, 30. pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu.” (Fp 1:27-30).
 
Russel Shedd, em sua Bíblia SHEDD, nos diz, em seus comentários, que Deus é o único que pode nos tornar dignos de sua vocação:
 
  1. Ele, Deus, é a fonte de todo propósito nosso de fazer o bem.
  2. Ele, Deus, fornece o poder para o cumprir (conforme: Cl 1:11, 29; Ef 1:19).
  3. Ele, Deus, faz a obra que nossa fé almeja (conforme 1 Ts 1:3).
  4. Sua glória é o objetivo da vida, da nossa vida (vs 12).
 
É dignamente que devemos viver, nos portarmos, nos comportarmos, como cidadãos. Ao querermos e nos esforçarmos por assim vivermos, estaremos cooperando com Deus na realização de todo bem cuja fonte única é somente dele mesmo. Cooperar com Deus não significa dizer que ele precisa de nosso trabalho ou de nossa cooperação, serviço, esforço.
 
Ao entendermos que todo bem procede dele, ficamos livres para glorificá-lo e exalá-lo e mais soltos para podermos cumprir com mais eficácia os seus desígnios. Quando eu acho que eu faço e aconteço e que sou importante dentro do processo e que sem mim nada pode ser feito, eu escorreguei em algum lugar e não poderei prosperar. Quando eu tenho a convicção de que tudo que é feito tem as mãos invisíveis do Deus invisível, eu sou mais livre para produzir ainda mais.
 
Amanhã, tentarei ser mais preciso nesta questão delicada e importante.
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.