domingo, 20 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 334/365

TEMA: O Perigo da Rejeição do Conhecimento de Deus 7 – Rm 1:18-32


Segundo o psiquiatra Augusto Cury há uma técnica, criada por ele, chamada de D.C.D. (Duvide, Critique e Determine) para reeditar a memória e resgatar a liderança de nossos próprios sentimentos.

 

Ainda, confesso, não estudei o assunto com a devida diligência, portanto, estarei nas próximas linhas apenas conjecturando, raciocinando alto, pensando, buscando uma saída para isso. Todo insistentente pensamento que nos assedia deve ser motivo de nossa profunda investigação. O primeiro passo é identificá-lo. Eu chamei a isso de PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE MAUS PENSAMENTOS. Você já o identificou? Então, caminhemos para o próximo passo. O segundo passo é a dúvida!

 

Já alguém por ai disse que os nossos pensamentos são como os pássarinhos que voam nos céus onde há aves de todas as espécies e não podemos escolher que irá ficar voando sobre as nossas cabeças, mas poderemos sim impedir que qualquer um deles resolva fazer seus ninhos em nossas cabeças. A dúvida neste caso é sadia! DUVIDE DE SEUS MAUS PENSAMENTOS!

 

Sataná usou a dúvida para gerar no coração de Eva pensamentos relacionados a Deus que não estava acostumada e foi muito bem sucedido em seu propósito malígno. Ele também tentou atacar Jesus, o filho de Deus, o filho do homem, mas este se defendeu usando as Escrituras e não abriu brecha para abrigar pensamentos de dúvidas. Ele sofreu, mas foi firme e determinado em seguir seu Pai celestial.

 

Eu diria que a dúvida é o câncer ou a AIDS da fé. Se você não tratá-la extirpando-a de si, ela crescerá e devorará tudo ao seu redor levando-o ao óbito espiritual. É pela porta da dúvida que vem a incredulidade e a dureza do coração. Quando você abriga a dúvida em seu coração contra as coisas de Deus e do seu reino, você estará acumulando sobre si a morte em pessoa.

 

No entanto, quando você investiga e reconhece que está sendo assediado por maus pensamentos insistentes e pertubadores, a dúvida será sua maior amiga. Duvide sim de seus maus pensamentos, mas jamais de Deus. Confie, sim, em Deus e jamais em seus maus pensamentos.

 

Continuando dentro dessa linha de raciocínio podemos até tirar outras conclusões. Uma vez que encontrei utilidade para a dúvida poderíamos igualmente encontrarmos problemas para a fé quando está se direciona para o mal. Então fico sem saber o que é pior: crer em nossos maus pensamentos ou duvidar da Palavra de Deus.

 

Ns verdade uma é conseqüência da outra. Ao abrigarmos nossos maus pensamentos, estamos igualmente duvidando do amor de Deus.

 

Nós já identificamos os nossos maus pensamentos, duvidamos deles e agora iremos criticá-los. O terceiro passo seria: CRITIQUE OS SEUS MAUS PENSAMENTOS. Ora, o que é criticá-los se não expô-los à sua razão que obviamente deve estar iluminada pelo Espírito Santo? Você deve ser capaz de uma vez identificado e duvidado, seu papel agora é o de crítica, de análise pontual da questão.

 

Estamos agora diante do monstro e começamos a examiná-lo e iremos entender que ele não deveria estar fazendo os seus ninhos em nossas cabeças. Qual a contribuição positiva e boa para você e para o Reino de Deus e a sua Justiça dar-lhe crédito, abrigá-lo e conviver com eles? Por onde é que ele está achando brechas e encontrando facilmente o seu caminho até a sua cabeça? Qual foi o seu start? O que o disparou ou o motivou e o que o alimenta?

 

Amanhã, irei dar prosseguimento.

 

A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.