segunda-feira, 5 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 349/365 - faltam 16 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer 1 –Mc 14:32-42
Ontem, havíamos feito um pequenino exercício mental de recuar no tempo, um pouquinho, para entrar com Jesus ali no Getsêmani, naquele dia especial em que sua alma experimentou tristeza tão profunda até a morte e isso para gerar vida para você e para mim que estamos lendo/ouvindo esta mensagem.
 
[O LOCAL] E foram a um lugar chamado Getsêmani - do aramaico shemanim Gate “prensa de azeite”. Era um pomar, um jardim, no Monte das Oliveiras. Muito possivelmente era um local onde Jesus habitualmente freqüentava quando visitava Jerusalém.
 
(Lucas 21:37 – “Jesus ensinava todos os dias no templo, mas à noite, saindo, ia pousar no monte chamado das Oliveiras.”, Lucas 22:39 – “E, saindo, foi, como de costume, para o monte das Oliveiras; e os discípulos o acompanharam.”)
 
[O MOMENTO] Jesus tinha celebrado a última páscoa com seus discípulos e no momento da ceia (o antegozo da futura festa messiânica, quando a noiva – a igreja verdadeira – se unirá eternamente com o Noivo, Cristo) tinha revelado que um deles o haveria de traí-lo.
 
Antes de ir ao Jardim do Getsêmani, por conta de uma discussão entre eles sobre quem seria o maior no reino dos céus, Jesus tinha lhes dito que o maior no reino dos céus é o que serve. Você quer ser grande no Reino de Deus? Então, seja você o servo de todos!
 
Depois disso, advertiu Pedro que haveria de negá-lo por 3 vezes, o que de fato ocorreu, posteriormente. Se o gigante Pedro caiu, pecou e achou graça diante de Deus, nós também não devemos nos desesperar.
 
Depois, lhes orientou a comprar duas espadas para que se cumprissem as Escrituras de que ele teria sido contado entre os malfeitores. Naquele momento ele lhes fez uma pergunta muito interessante: quando vos mandei sem bolsas, sem alforge e sem sandálias, porventura lhes faltou alguma coisa? Nada, disseram eles. Será que se Jesus, ou o Espírito Santo, hoje, te fizer a mesma pergunta, você poderá responder como os discípulos? Falta-lhe algo? Não creio!
 
Foi depois dessas coisas que ele, como de costume, junto com os discípulos foi para o monte das Oliveiras para orarem e também para que ali se cumprissem as Escrituras, onde o Cristo haveria de ser preso.
 
Na verdade, conforme Marcos, Jesus mandou-os se assentarem enquanto ele iria orar. O momento requeria oração, não somente do Senhor, mas de todos, inclusive dos discípulos. Em Lc 22:40, a exortação de Jesus foi para orarem para não entrarem em tentação. Diz-nos a palavra de Deus que Jesus orava de joelhos.
 
O local era o monte das Oliveiras, ... amanhã, prosseguiremos.
 
A Deus toda a glória!
 
 

domingo, 4 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 348/365 – faltam 17 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer –Mc 14:32-42


Será que há ou pode haver algum conflito entre o que queremos e o que Deus quer? Certamente que sim. Estamos cheios de conflitos, principalmente por causa de nossa natureza pecadora. Entender e acatar a vontade de Deus tornou-se um grande desafio à nossa vida.


Temos certeza, em nossa mente, que se andarmos no caminho que Deus preparou para nós, sem nos desviarmos nem para direita nem para a esquerda, tudo dará certo e prosperaremos, e daremos frutos, e seremos felizes. Parece tão simples, tão fácil. Então, vamos começar a nossa caminhada sendo o nosso destino a terra que o Pai nos preparou.


No início, tudo dá certo, tudo coopera. O caminho está adiante de nós tão claro que até o cego andaria por ele. Estamos no centro da vontade de Deus, andando na estrada que ele nos preparou. O dia está claro, o sol radiante, mas há árvores que fazem sombra tão bendita e uma brisa suave que vai brincando com os nossos cabelos, menos dos carecas (eu sou um deles...snif...).


Na estrada da vida, a vida dá o show, de exuberância, de fragor, de elegância, vemos a multiforme variedade de coisas animadas e não animadas. Um espetáculo para os nossos olhos, ouvidos, paladar, tato e olfato. As cores, os sons e o cheiro da natureza, da vida, geram vida, geram calor, geram energia. A morte é gelada não há movimento, não há graça, mas a vida é movimento, é vibração.


Não há nenhuma partícula no universo inteiro, conhecido e teoricamente imaginado em que não haja vibração das coisas. Tudo está produzindo trabalho, movimento, energia, inclusive o repouso das coisas é sustentado por forças que atuam na natureza mantendo os átomos e as menores partículas conhecidas agitadas.


Recuando no tempo, um pouquinho, vamos entrar com Jesus ali no Getsêmani, naquele dia especial em que sua alma experimentou tristeza tão profunda até a morte e isso para gerar vida para você e para mim que estamos lendo/ouvindo esta mensagem:


"32 E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro. 33 E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e a angustiar-se. 34 E disse-lhes: A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui, e vigiai. 35 E, tendo ido um pouco mais adiante, prostrou-se em terra; e orou para que, se fosse possível, passasse dele aquela hora. 36 E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres. 37 E, chegando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? não podes vigiar uma hora? 38 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. 39 E foi outra vez e orou, dizendo as mesmas palavras. 40 E, voltando, achou-os outra vez dormindo, porque os seus olhos estavam pesados, e não sabiam o que responder-lhe. 41 E voltou terceira vez, e disse-lhes: Dormi agora, e descansai. Basta; é chegada a hora. Eis que o Filho do homem vai ser entregue nas mãos dos pecadores. 42 Levantai-vos, vamos; eis que está perto o que me trai."


Amanhã, Deus irá nos conduzir... vamos a EBD? Eu já estou a caminho!


A Deus toda a glória!

sábado, 3 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 347/365 – faltam 18 dias!


Reflexões sobre a derrota do Brasil para Holanda.

Eu havia palpitado que no jogo Brasil x Holanda, o placar seria vitória do Brasil por 3x1. Ainda bem que comentei que eu não era bom nisso, logo acertei algo, não o placar do jogo, mas que eu não sou bom nisso, em palpite de jogos.  Ah! Que decepção! Nenhum de nós quer perder, mas no jogo de futebol não são os dois que vencem, apenas um.

O ambiente em meu trabalho estava todo enfeitado, ornamentado e as pessoas animadíssimas. Após o jogo, não ficou em seu lugar uma única ornamentação, tudo foi retirado, os balões estourados e, os que podiam, tiravam sua camiseta verde-amarelo e a substituiam por roupas comuns. Fiquei admirado com a nossa capacidade de transferência de 150 milhões de brasileiros para 11 que nos representavam.

Se tivessem vencido, nós os 150 milhões teríamos vencido, mas como perderam, nós, os 150 milhões perdemos a graça. Que capacidade temos de projetar ou transferir sentimentos e emoções para algum representante por nós escolhidos. Eles ficaram tristes, nós também. Eles para continuarem sua caminhada deverão buscar novas forças e motivos, nós também. Isso deveria nos ensinar, quando voltarmos a ganhar, a sermos mais solidários com os que perdem, pois sabemos o que é isso.

O que eu percebo disso tudo?

Primeiro, que não gostamos de perder, nem de errar o alvo, nem de errar o caminho, nem estar entre os atrasados, por isso estamos sempre nos esforçando, lutando e combatendo para estarmos do lado vencedor, campeão. Eu, por exemplo, faço parte de um time campeão que não perderá a guerra contra o pecado de modo algum. Jesus mesmo disse que os que o seguem receberão a vida eterna e ninguém os poderá arrebatar de suas mãos e das mãos do Pai. "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai." (Jo 10:27-29).

Segundo, que no afã de querer vencer e acertar, eu irei, muitas vezes, perder e errar, mas isso não pode me derrotar. É preciso levantar a cabeça, soergue-la e continuar a luta, o combate. Isso eu entendo como o nosso processo atual de santificação. A cada dia, progressivamente, eu estou lutando e combatendo para me tornar mais dígno de minha vocação, isto é, eu estou em contínuo processo de santificação. "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (Fp 3:13-14).

Terceiro, que eu devo, sim, me importar com os que em sua caminhada estão enfrentando a derrota para o pecado e entristecidos por estarem fora dos propósitos de Deus. Devo me solidarizar e ajudar meu irmão, pois o amargo da derrota poderá fazê-lo buscar consolo naquilo que não satisfaz. "Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te." (Is 41:6). "Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns." (I Co 9:22).

É isso ai gente, 2014 está chegando e ai seremos campeões em casa: esse é meu palpite, dessa vez, certo! Enquanto a copa não chega, entregue sua vida nas mãos de Jeus, pois ele tem uma grande obra a realizar na tua vida.


A Deus toda a glória!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 346/365 - faltam 19 dias!

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 6 – FP 1:27-30
Ontem foi bênção na nossa reunião da Arca da Aliança e a temática de ontem foi experiências com os anjos! Você tem a sua história e testemunho sobre o assunto?
Hoje teremos o jogo do Brasil x Holanda. Meu palpite (não sou bom nisso!) é vitória do Brasil por 3x1.
Voltando a nossa temática, quero citar o livro de Tessalonissenses que nos falará algo interessante:
 
3. Pois a nossa exortação não procede de engano, nem de impureza, nem se baseia em dolo; 4. pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração. (...) 10. Vós e Deus sois testemunhas do modo por que piedosa, justa e irrepreensivelmente procedemos em relação a vós outros, que credes. 11. E sabeis, ainda, de que maneira, como pai a seus filhos, a cada um de vós, 12. exortamos, consolamos e admoestamos, para viverdes por modo digno de Deus, que vos chama para o seu reino e glória.” (I Ts 2:3-4; 10-12).
 
Nessa epístola aos Tessalonissenses, Paulo, no capítulo 2, se defendendo, pois alguns o acusavam e atacavam seu caráter uma vez que viviam numa expectativa da volta de Jesus tão iminente que abandonaram suas vidas, escreveu que a sua exortação:
 
  • Não era procedente nem de engano nem de impureza
  • Não era baseada em dolo
  • Não visava agradar aos homens e sim a Deus que prova os nossos corações.
 
Em sua explicação realça que foi Deus quem nos APROVOU! (que bênção ser aprovado por Deus!), sendo a prova de sua aprovação a confiança a nós da mensagem do evangelho: Deus nos CONFIOU  a mensagem do evangelho de Cristo. Em Pedro, iremos ver que essa missão foi ambicionada por anjos, mas Deus APROVOU e nos CONFIOU essa nobre missão.
 
A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar.” (I Pe 1:12).
 
Em virtude disso, nos EXORTOU, CONSOLOU E ADMOESTOU  a vivermos de modo dígno de Deus que nos chama para o seu reino e glória. Isso é a responsabilidade do ministério que não está somente disponível a pastores, presbíteros, diákonos, missionários, mas a cada um de nós que professa que Jesus Cristo é o Senhor.
Lutar pela fé evangélica exige unidade e esta se conquista individualmente ao decidirmos vivermos dignamente diante do Senhor. Se assim estivermos firmes não iremos temer o adversário.
A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 1 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 345/365 – faltam 20 dias!

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 5 – FP 1:27-30


Vamos começar a contagem regressiva a partir de 20. Meu propósito estará se encerrando no dia 21 de julho, lá de Itacaré, próximo de Ilhéus/BA. Já estou construindo outro propósito e ele estará ligado não mais aos dias, mas a quantidade de capítulos da Bíblia, ou seja, 1189. Ele deverá ser um projeto mais longo que provavelmente durará uns 4 anos e 4 meses. Depois, eu falo mais, pois exporei a metodologia que irei empregar e se alguém quiser seguir junto comigo, uma coisa eu tenho certeza: eu jamais desistirei!

 

Ontem, encerramos falando que Paulo exorta seus amigos na esperança de encontrá-los firmes, em um só espírito, com uma só alma, lutando – JUNTOS – pela fé evangélica. O que se percebe aqui é que Paulo aumejava deles a união, pois afinal de contas um só é o espírito. Não há dois espíritos Santos ou três, mas um único Espírito Santo que é o mesmo de ontem, de hoje e eternamente.

 

Se ele atuava na vida de Paulo e de seus amigos de Filipos, ele também estará, o mesmo Espírito, atuando em nós e nos conduzindo ,como a eles conduzia, a uma só alma/mente, isto é, uma só disposição de pensamentos. Juntos lutando pela fé evangélica.

 

Precisamos de unidade e não de divisões, facções. Há uma guerra sendo travada nos corações e a nós nos foi confiada a palavra da salvação. Quando vivemos de modo dígno do evangelho de Cristo, conquistamos firmeza, convicção, solidez em nossa fé. Quando estamos firmes, fortes e fortalecidos, somos unidos, damos mais ouvidos ao Espírito Santo que nos conduz de triunfo em triunfo. Estando todos nós unidos, numa só alma, não tem como, iremos enfrentar o bom combate da evangelização.

 

As estatísticas de jovens que se perdem para o suicídio, para as drogas, para uma vida promíscua, para o alcoolismo e para escapismos como o tabagismo, a pornografia e hábitos pecaminosos é elevada. Tudo isso vem para destruir o jovem e para arruinar toda a sua vida e destruir toda a sua esperança em Deus. E não somente os jovens, mas muitos adultos também.

 

Em nossas reuniões de cultos e de adoração nós nos fortalecemos e incentivamos a cada um a lutar. Isso é importante, mas se não sairmos mundo afora atrás das pessoas que vão morrendo dia-a-dia por falta de esperança e que vivem desrregradamente, para o que serve essa nossa fé? Por que estamos vivos e ocupamos inutilmente um espaço na terra entre os viventes? Lutar pela fé evangélica exige unidade e esta se conquista individualmente ao decidirmos vivermos dignamente diante do Senhor.

 

Se assim estamos firmes não iremos temer o adversário...amanhã! Não se esqueça de que hoje tem reunião da Arca da Aliança em casa e você é meu convidado!

 

A Deus toda a glória!

quarta-feira, 30 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 344/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 4 – FP 1:27-30
Ontem, estávamos meditando sobre o fato de que seremos mais produtivos quando entendermos que tudo procede de Deus a quem deve ser dada toda a glória do que quando eu resolvo fazer para conquistar ou para me mostrar ou para provar para mim mesmo que posso fazer o bem.
 
Quando eu tenho a convicção de que tudo que é feito tem as mãos invisíveis do Deus invisível, eu sou mais livre para produzir ainda mais. Não são as minhas obras que me recomendam a Deus, mas é por meio das minhas obras que serei conhecido e honrado pelos homens. Quando eu faço o bem, não sou eu quem o faço, mas a graça de Deus que está em mim, pois minha natureza é malígna e somente sei fazer o mal.
 
Quando faço o mal, faço o que eu sei fazer. Eu não tenho o livre-arbítrio de poder escolher o bem estando acostumado a fazer o mal. Eu não consigo ter êxito na escolha de algo que vai contra a minha natureza. Eu sou pecador, logo peco.
 
Ao querer ser justo, eu me torno pecador, mas ao receber a graça de Deus que me justifica, eu me torno instrumento do bem, da justiça de Deus e o seu poder trabalha em mim fazendo com que eu pratique a justiça.
 
Eu não consigo praticar a justiça querendo ser justo, pois isto me tornará escravo do pecado, pois o mal que eu detesto, esse faço, mas o bem que amo, não faço. Ao querer praticar a justiça e ser justo, a lei me pega e eu fico sem saída. Ao se tornar lei para mim a pratica da justiça, eu me torno transgressor da lei.
 
Cristo nos libertou da escravidão da lei, não mais para andarmos em sua servidão. Nossa morte, em Cristo, é a garantia de que estamos mortos para a pratica da justiça. Já não há mais lei, já não há mais pecado, já não há mais transgressão da lei.
 
Como então eu irei praticar a justiça sem que a justiça se torne lei para mim? Ora, todo bem e toda a justiça parte do próprio Deus. A nossa preocupação não deve ser o que fazer, mas o crer. Eu faço! Isso provoca em nós orgulho, superioridade sobre os que não fazem, premiação ou pagamento pelo feito. Eu creio! Isso desperta a nossa fé, nos faz nos aproximarmos mais de Deus, quanto mais próximos de Deus, mais fazemos!
 
Parece complexo e estranho? Você tem desejo forte em seu coração de fazer mais para Deus, pois o que faz é muito pouco? Então, dê mais de si mesmo a Deus e não as obras. Creia que ele  existe e que é teu galardoador. Creia que ele está contigo, te ajudando e te dizendo: “jamais te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hb 13:5). A exortação do apóstolo Paulo é para vivermos de modo dígno do evangelho de Cristo (vs. 27) e a sua oração é que Deus nos faça dignos (vs. 11). Você está entendendo?
 
É deste modo que Paulo exorta na esperança de encontrá-los firmes, em um só espírito, com uma só alma, lutando – JUNTOS – pela fé evangélica. Amanhã, trabalharemos nisso.
 
A Deus toda a glória!
 
 

terça-feira, 29 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 343/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 3 – FP 1:27-30
Ontem, encerramos dizendo que não é de qualquer maneira que nós devemos andar e nos portarmos diante de Deus, mas dignamente.
 
Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.” (2 Ts 1:11-12)
 
No trecho acima das Escrituras, vemos que é Deus quem nos faz dignos e, no trecho abaixo, é nós que devemos viver de modo dígno:
 
“27. Vivei, {Vivei; no original, portai-vos como cidadãos} acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica; 28. e que em nada estais intimidados pelos adversários. Pois o que é para eles prova evidente de perdição é, para vós outros, de salvação, e isto da parte de Deus. 29. Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, 30. pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu.” (Fp 1:27-30).
 
Russel Shedd, em sua Bíblia SHEDD, nos diz, em seus comentários, que Deus é o único que pode nos tornar dignos de sua vocação:
 
  1. Ele, Deus, é a fonte de todo propósito nosso de fazer o bem.
  2. Ele, Deus, fornece o poder para o cumprir (conforme: Cl 1:11, 29; Ef 1:19).
  3. Ele, Deus, faz a obra que nossa fé almeja (conforme 1 Ts 1:3).
  4. Sua glória é o objetivo da vida, da nossa vida (vs 12).
 
É dignamente que devemos viver, nos portarmos, nos comportarmos, como cidadãos. Ao querermos e nos esforçarmos por assim vivermos, estaremos cooperando com Deus na realização de todo bem cuja fonte única é somente dele mesmo. Cooperar com Deus não significa dizer que ele precisa de nosso trabalho ou de nossa cooperação, serviço, esforço.
 
Ao entendermos que todo bem procede dele, ficamos livres para glorificá-lo e exalá-lo e mais soltos para podermos cumprir com mais eficácia os seus desígnios. Quando eu acho que eu faço e aconteço e que sou importante dentro do processo e que sem mim nada pode ser feito, eu escorreguei em algum lugar e não poderei prosperar. Quando eu tenho a convicção de que tudo que é feito tem as mãos invisíveis do Deus invisível, eu sou mais livre para produzir ainda mais.
 
Amanhã, tentarei ser mais preciso nesta questão delicada e importante.
 
A Deus toda a glória!
 

segunda-feira, 28 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 342/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 2 – FP 1:27-30
Filipenses é uma das cartas mais pessoais do apóstolo Paulo que estava escrevendo para um grupo de amigos em Filipos. Filipenses é também considerada a epístola da alegria. Nela há 16 citações referentes a alegria e seus sinônimos.
 
Qualquer dia destes eu irei fazer um estudo sobre a alegria (incluindo as suas variações e palavras sinônimas, contentamento, regozijo, gozo, felicidade, bem aventurança, folga, rejubilo, júbilo, etc) em toda a bíblia. A alegria deveria ser uma atitude mental que tomamos todos os dias. Somente o fato de estarmos vivos é sinal de que Deus noa ama e nos quer alegres.
 
O mais estranho de tudo é que o apóstolo Paulo escreveu esta epístola da alegria para seus amigos de dentro de uma prisão onde estava em cadeias em, provavelmente, Roma. Isto nos mostra, como afirma Russel Shedd em sua Bíblia Shedd que “As circunstâncias imediatas que circundam um crente não são os fatores que deveriam determinar sua atitude para com a vida”.
 
Paulo na prisão não se considerava o prisioneiro de Roma ou do sistema, mas de Cristo: isto que é entender a soberania de Deus. Paulo escreveu outras epístolas enquanto esteve preso. Eu não estou preso por causa do evangelho, mas estou trabalhando e isso ocupa um bocado de meu tempo diariamente. Será que eu sou empregado do Governo e servo, escravo, da empresa que trabalho, ou, antes, sou empregado de Cristo e servo do Senhor?
 
pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração..” (I Ts 2:4).
 
Deus nos aprovou! A prova disso é que nos confiou o evangelho! “...tivemos ousada confiança em nosso Deus, para vos anunciar o evangelho de Deus, em meio a muita luta” (I Ts 2:2). Agora, então, falamos, com ousadia, em meio a muita luta, não para agradar aos homens, mas a Deus. Somos despenseiros de Deus e o que se pede dos despenseiros? Que se achem fiéis em toda a casa de Deus.
 
Quem está na dispensa, tem a chave da dispensa e será responsável administrativamente pelo cuidado, pela gestão eficaz, pela administração dos dons de Deus. Ele nos confiou o evangelho, não para entrarmos a mensagem da cruz, mas para anunciar a todos os homens o tempo aceitável do Senhor.
 
Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.” 1 Coríntios 4:2
Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.” 1 Coríntios 4:1
Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” 1 Pedro 4:10
 
Vivei de modo digno do evangelho de Cristo! Está nos Filipenses, mas também em outro trecho: “Vós e Deus sois testemunhas de quão santa, e justa, e irrepreensivelmente nos houvemos para convosco, os que crestes. Assim como bem sabeis de que modo vos exortávamos e consolávamos, a cada um de vós, como o pai a seus filhos; Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória.” (I Ts 2:2).
 
Não é de qualquer maneira que nós devemos andar e nos portarmos diante de Deus, mas dignamente. Amanhã, prosseguiremos. Bom jogo a todos!
 
A Deus toda a glória!
 

domingo, 27 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 341/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo – FP 1:27-30


Leitura bíblica do texto do tema:

 

"27. Vivei, {Vivei; no original, portai-vos como cidadãos} acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica;

 

28. e que em nada estais intimidados pelos adversários. Pois o que é para eles prova evidente de perdição é, para vós outros, de salvação, e isto da parte de Deus.

 

29. Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele,

 

30. pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu." (Fp 1:27-30).

 

Agora que somos do Senhor, nosso viver já não pode ser de qualquer jeito. Isso é muito sério. Deus nos salvou e nos deixou vivos para não mais vivermos para nós mesmos fazendo nossas próprias vontades e desejos. Agora já não somos mais escravos de nossos apetites. Não são eles que nos dominam, mas nós é que exercemos sobre eles domínio.

 

Antes eu não estava nem ai. Fumava, bebia, e me envolvia com pessoas, com coisas, manias e hábitos sem me importar se isso trazia ou não conseqüências a quem quer que fosse. Eu queria mesmo é a curtição, a farra, o prazer. Se eu fosse prejudicar alguém eu até procurava evitar, mas se não desse, eu não estava nem ai. Isso é o cúmulo do egoísmo.

 

Você que é pai de família e que bebe descontroladamente e que fuma em casa sem se importar com seus filhos e esposa, deixe de ser egoísta! A tua única preocupação é o teu umbigo! Deixe de ser irresponsável e inconsequente que não é capaz de se dominar e de fazer a coisa certa. E agora? O que você vai fazer com aqueles que Deus te deu e cuja responsabilidade de ensino, sustento está nas suas costas?

 

"Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também." (Ef 2:2-3).

 

Já não somos mais filhos da ira, mas ele nos vivificou, estando nós mortos em ofensas e pecados (Ef 2:1). Desculpem-me o desabafo e a forma grosseira de trazer à tona o assunto. Eu repito em alto e bom som: "Agora que somos do Senhor, nosso viver já não pode ser de qualquer jeito.". Um bom domingo a todos! Amanhã terá jogo do Brasil. Meu palpite: vitória do Brasil por 3x1. Eu, palpiteiro, estou mal: contra portugal eu tinha prognosticado 2x1 para o Brasil e ficou no 0x0...rs.

 

A Deus toda a glória!

sábado, 26 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 340/365

TEMA: Jamais Duvide da Bondade de Deus 4 – Mt 19:17


Continuando a ver os propósitos do sofrimento entre os cristãos, nós veremos que além de servir para trazer o crente de volta, ou mantê-lo, no caminho correto e servir para desenvolver em nós uma capacidade de compaixão pelos outros, pois quem sofre é capaz de socorrer os que sofrem, encontraremos mais os seguintes propósitos:


a)     Confirmar o Valor da Fé

 

Pe 1.6-7 – "Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que o valor da vossa fé, uma vez confirmado, muito mais precioso do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo...¨

 

·         

·         Não é agradável

·         Vem quando necessário

·         Não é longo

 
Pedro diz que o Sofrimento é comparado à ação do fogo

·          Pedro diz que a Confirmação da fé vem através de sofrimento

·          Pedro diz que o Confirmação da fé vem por uma gama de sofrimentos

 

"Para que haja o fogo e este cumpra o seu papel é necessário termos o calor, o combustível, o comburente (ex: oxigênio) e a reação em cadeia. Se ele é o elemento purificador, entendemos que poderíamos aplicar a ilustração da seguinte maneira: no lugar do calor, a prova ou a provação; no lugar do combustível, algo que nos faça sofrer, por exemplo, uma enfermidade, no lugar do comburente, o eu que tem o fôlego de vida e no lugar da reação em cadeia, o amor de Deus.

 

O fogo tem a função de ser purificador, mas não pode ser intenso demais, nem prolongado, mas dosado na medida certa, pelo amor de Deus. Quando estão todos juntos (calor, combustível, comburente e reação em cadeia) há fogo e este cumpre seu papel. Semelhantemente, quando estão todos juntos (provação, enfermidade, por exemplo, o eu e o amor de Deus) o fogo,  a purificação ocorre. (qualquer dia desses, criarei um gráfico ilustrativo –aguardem!)." (Jamais Desista de 24/06/2010). Confira o texto de I Pedro 1:6-7, acima.

 

b)     Aperfeiçoar o Caráter do Cristão

 

d.1) Rm 5.3-5 – "E não somente isto, mas também nos gloriemos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado."

 

·         Paulo diz que as aflições produzem a perseverança

·         Paulo diz que a Perseverança produz experiência

·         Paulo diz que a Experiência produz esperança.

 

De maneira muito feliz, Phillips parafraseou os versos de Romanos, da seguinte maneira:

 

Rm 5.3-4 – "Isto não significa naturalmente que temos somente uma esperança de alegrias futuras — podemos ser plenos de alegria aqui e agora mesmo em nossas provações e problemas. Entendidas no espírito correto estas coisas nos darão uma constância paciente; isto, por sua vez, desenvolverá um caráter maduro, e um caráter de tal sorte que produz uma esperança constante, uma esperança que nunca nos desapontará."

 

Graficamente, teríamos algo como um quadrado que ao ser fechado pela esperança (cada lado do quadrado representaria algo: a tribulação, um lado, a perseverança, outro lado, a experiência, outro e finalmente a esperança, fechando e completando o quadrado) estaria fechado e pronto para receber não a confusão, mas o amor de Deus derramado em nossos corações. Eu entendo então que somente quando estes quatro se completam é que eu tenho crescimento no amor de Deus!

 

d.2) 2 Co 12.7 – "E, para que eu não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte"

 

O caráter cristão aperfeiçoado não pode, devido a natureza das revelações que recebe, se exaltar. Deus para nos preservar desse grande erro permite tais espinhos na nossa carne. Eles não são agradáveis, por isso que Paulo orou tanto, mas não conseguir êxito. Deus em seu eterno propósito nos diz "a minha graça te basta, meu filho!".

 

c)     Manifestar a Graça Divina

 

Fp 1.29-30 – Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo, e não somente de crerdes nele, pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e ainda agora ouvis que é o meu."

 

d)    Crescer no Conhecimento de Deus

 

Jó 42.5 – "Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem."

 

Portanto, se Deus dá a você, cristão, sofrimentos, é parte de sua obra providencial, para que você conheça cada vez mais e melhor quem ele é!

 

A Deus toda a glória!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 339/365


TEMA: Jamais Duvide da Bondade de Deus 3 – Mt 19:17
Hoje é dia de jogo de copa do mundo entre o Brasil e Portugal. Será decidido neste jogo o primeiro e o segundo lugar da chave. É bom que o Brasil não fique em segundo para não enfrentar nas semifinais a Argentina. Deixe-mo-lá para a final onde a vitória do Brasil será mais saborosa. Por conta desse jogo, o Brasil inteiro irá parar.

É incrível vermos a mobilização das pessoas e a vontade de querer festejar, comemorar. As ruas, os ambientes de trabalho, as casas, carros, roupas estão todas enfeitadas de verde-amarelo. Acho que na hora do gol do Brasil tanta gente irá vibrar que há o perigo de um terremoto...rs... É só alegria!

Por falar em alegria, você sabia que a epístola escrita por Paulo aos Filipenses é conhecida como a epístola da alegria? Há 16 citações referentes a alegria (ou a seus sinônimos) em seus 4 capítulos e 104 versículos, ou seja, em cada 6 versículos, um fala de alegria! Reparem que ele escreveu esta epístola quando estava preso, em Roma, em cadeias! A carta foi dirigida a amigos em Filipos e também é considerada a carta mais pessoal do apóstolo Paulo.

Isso nos mostra que as circunstâncias imediatas que circundam um crente não são os fatores que devem determinar a nossa atitude para com a vida: Paulo estava na prisão, alegre. Toda prisão é lugar de sofrimento, logo nem todo sofrimento é destrutivo. Deus sempre tem propósitos em tudo o que faz e permite. 

Propósitos do sofrimento entre os cristãos:
  1. Trazer o crente de volta ao Caminho Correto
Pv 3.5-7 - “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio aos teus próprios olhos: teme ao Senhor e aparta-te do mal.” “Porque o Senhor repreende a quem ama, assim como o pai ao filho, a quem quer bem”.
  1. Desenvolver uma capacidade de compaixão pelos outros
2 Co 1.4-5 – “É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo.”
A Deus toda a glória!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 338/365 (

TEMA: Jamais Duvide da Bondade de Deus 2 – Mt 19:17
E por falar em bondade de Deus, vamos meditar um pouco sobre o sofrimento. Em I Pe 1:6-7, o sofrimento é comparado a ação do fogo, sinônimo de sofrimento, elemento purificador do ouro, da prata e das pedras preciosas, mas consumidor do papel, da palha e da madeira.
 
Para que haja o fogo e este cumpra o seu papel é necessário termos o calor, o combustível, o comburente (ex: oxigênio) e a reação em cadeia. Se ele é o elemento purificador, entendemos que poderíamos aplicar a ilustração da seguinte maneira: no lugar do calor, a prova ou a provação; no lugar do combustível, algo que nos faça sofrer, por exemplo, uma enfermidade, no lugar do comburente, o eu que tem o fôlego de vida e no lugar da reação em cadeia, o amor de Deus.
 
O fogo tem a função de ser purificador, mas não pode ser intenso demais, nem prolongado, mas dosado na medida certa, pelo amor de Deus. Quando estão todos juntos (calor, combustível, comburente e reação em cadeia) há fogo e este cumpre seu papel. Semelhantemente, quando estão todos juntos (provação, enfermidade, por exemplo, o eu e o amor de Deus) o fogo,  a purificação ocorre. (qualquer dia desses, criarei um gráfico ilustrativo –aguardem!). Veja o texto de I Pedro:
 
6 Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, 7 Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;” (I Pe 1:6-7).
 
Vemos do texto que é necessário e que é por pouco tempo e Pedro nos pede para termos grande alegria. Nossa fé precisa ser provada para ser aprovada. E o fogo, o sofrimento,  a provação, este elemento purificador tem uma função importantíssima. Não é de modo algum agradável, mas necessário.
 
Podemos ousar e dizer que é o amor de Deus sendo derramado em nossos corações que produzem a nossa valorização. As ações de Deus em tudo o que faz ou permite que se faça estão repletas de bondade, de amor, embora não compreendamos nem aceitemos.
 
Essas coisas em nós produzem compaixão pelos outros, pois naquilo que estamos sofrendo somos fortalecidos e capazes de ajudar os outros que passam pelos mesmos problemas que estamos enfrentando (ver 2 Co 1:4-5).
 
Há propósitos, isto é, ações inteligentes de um Deus bom e sábio em permitir o sofrimento.  Entre tantos, destacamos os seguintes:
 
Propósitos do sofrimento entre os cristãos: ... amanhã!...
 
A Deus toda a glória!
 

quarta-feira, 23 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 337/365

TEMA: Jamais Duvide da Bondade de Deus – Mt 19:17
John Piper, em sua obra DEUS EM QUESTÃO, noz diz: “Todas as experiências de sofrimento no caminho da obediência cristã, venham elas de perseguição, doença ou acidente, tem isto em comum: elas ameaçam nossa fé na bondade de Deus e nos tentam a abandonar o caminho da obediência. Por isso, todo triunfo da fé e toda perseverança na obediência, são testemunhas da bondade de Deus e da preciosidade de Cristo – quer o inimigo seja enfermidade, Satanás, pecado ou sabotagem.”
 
16  E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? 17  E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. 18  Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; 19  Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. 20  Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda? 21  Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. 22  E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.” (Mt 19:16-22)
 
O trecho citado acima de Mateus nos relata a história de um jovem príncipe muito rico dono de muitas propriedades que se aproxima de Jesus, de joelhos, emocionado e impactado,  provavelmente, pelo que Jesus dizia e fazia a todos a sua volta e logo o adjetiva de bom. Bom Mestre! ”Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna?”.
 
Aquele que falava com o jovem rico de fato era bom, o único bom, por isso lhe dirige uma questão precisa e cirúrgica: “Por que me chamas bom?” Em seguida, faz uma afirmativa muito profunda e reveladora: “Não há bom senão um só, que é Deus”. Ora, era como se Jesus o estivesse sondando: você está me chamando de Deus, do Filho de Deus? O jovem nada responde, pois falara por falar impressionado que estava pelo que Jesus fazia e falava.
 
Eu creio que se aquele jovem tivesse insistido e aceitado o desafio de Jesus e tivesse declarado que ele de fato era o Filho bendito de Deus, a segunda pessoa da Trindade, a história teria tido outro fecho.
 
Porque Jesus disse que há somente um que é bom e que este é Deus? Quer dizer que não há nenhum homem bom, nem nunca houve em toda a terra e em todos os tempos e jamais haverá enquanto não se mudarem os tempos e as estações?
 
Em toda e qualquer circunstância, seja ela o que for e tenha ela o impacto que tiver, Deus para mim é soberano, sábio e bom.
 
Soberano porque o que faz ou o que permite é de sua exclusiva competência e a ninguém deve qualquer satisfação. Muitas vezes não entendemos porque ele permite certas coisas, mas ele não deve a ninguém satisfação de seus atos.
 
Sábio porque em tudo o que permite ou faz há sabedoria, propósito, finalidade e inteligência. Eu não entendo muitas de suas ações, mas elas não são feitas por acaso: há ordem, organização e inteligência em suas ações.  
 
Bom porque em tudo o que permite ou faz há bondade, amor, boa intenção e resultado não maligno, ou vingativo. Eu mesmo não entendo muitas das suas ações, mas em todas elas há bondade. Deus é sempre bom!
 
A Deus toda a glória!
 

terça-feira, 22 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 336/365

TEMA: O Perigo da Rejeição do Conhecimento de Deus 9 – Rm 1:18-32
Hoje irei finalizar esse tema e iniciar outro. Eu estava falando da rejeição do conhecimento de Deus e das verdades que descobri escrita em Romanos, basicamente 3 verdades: 1. Todos os homens têm conhecimento de Deus. 2. Todos os homens têm conhecimento da justiça de Deus. 3. Todos os homens são adoradores de algo.
 
Baseados nisso, podemos concluir que vivemos em fuga constante de Deus, sempre estamos nos escondendo dele e procurando uma peneira para nos escondermos dos raios de sol do seu conhecimento. Como sabemos que ele executará a sua justiça vivemos com medo, inseguros e cheios de astúcia. Para aplacar tudo isso, criamos nossos próprios deuses os quais adoraremos e lhe ofereceremos ofertas e sacrifícios para obtermos o seu favor e ajuda contra as mazelas de nossas vidas mediocres.
 
Depois disso, começamos a entrar dentro do assunto da identificação dos maus pensamentos e como fazer para lidarmos com isso. Entramos dentro do assunto dos maus pensamentos porque entendemos isso como decorrência da nossa rejeição do conhecimento de Deus. A lógica é simples: sempre que entra em nossos corações a dúvida relacionada ao amor de Deus, por exemplo: Deus me ama? Deus se importa comigo? É fatl, somos atacados por maus pensamentos.
 
A cura óbvia então seria então a rejeição da rejeição do conhecimento de Deus, mas não é tão simples assim. O coração entregue a si mesmo, principalmente para quem tem o Espírito, é muito dolorido, pois não concordamos com nossos maus pensamentos nem com nossos comportamentos que podem se seguir, principalmente se querendo se justificar, cedemos às tentações.
 
Eu quase estou afirmando que se você não está legal é porque você acaba de se enveredar por caminhos que não são bons e eles incluem, certamente, a rejeição do conhecimento de Deus, de sua justiça e a substituição do objeto de sua adoração. Como isso pode ser verdade? Simples, identifique os teus pensamentos e veja se eles não estão distantes de Deus.
 
Nosso próximo tema será NÃO DUVIDE DA BONDADE DE DEUS. Estou precisando de meditar nesse tema, principalemente para saber lidar com a questão do sofrimento.
 
A Deus toda a glória!
 

segunda-feira, 21 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 335/365

TEMA: O Perigo da Rejeição do Conhecimento de Deus 8 – Rm 1:18-32
Um dia desses (13/06/2010) enquanto preparava uma palavra de Deus para ministrar ao povo de Deus na igreja de Deus, CONGREGAÇÃO PRESBITERIAL FONTE DE LIBERTAÇÃO TAGUATINGA-DF, Pastor: Rev. Ricardo de Santana Oliveira, tema: Deus está no controle de tudo e de todas as coisas – Jo 6: 15-21, eu passei por uma experiência que me edificou e me ajudou naquela ministração à noite.
Eu não estava legal no dia em que ia pregar e me queixava ao Senhor dizendo-lhe como poderia pregar daquela maneira. Eu já havia orado, mas não tinha alcançado vitória. Foi a tarde que me veio a palavra do Senhor claramente. Filho, eu te provo, não para conhecer o teu coração, pois eu sei tudo e já te conheço desde o ventre materno, mas, sim, para que você conheça o seu próprio coração e me apresente os seus pensamentos para que eu te possa curar.
 
Imediatamente caiu-me a ficha e até sorri. Então o Senhor está me espremendo, não é? Cai na gargalhada, chorei e vi que era isso mesmo. Pensei, se Deus me mostrasse de uma vez toda a minha miséria, certamente não suportaria e viria a morre de puro desgosto.
 
Com base nessa experiência, na técnica do psiquiatra Augusto Cury do D.C.D. (Duvide, Critique e Determine) para reeditar a memória e resgatar a liderança de nossos próprios sentimentos e, ainda, com base no que chamei de PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DOS MAUS PENSAMENTOS, e recapitulando os passos até então vistos, eu resolvi propor o seguinte método para lidarmos com nossos maus pensamentos.
 
Primeiro passo: identificá-los. Como identificá-los? Simples, temos de manter vigilância e estarmos alerta para sinais como desânimo, tristeza, vontade de desanimar,  de desistir e, principalmente, de duvidarmos do amor e cuidado de Deus. Quando você está com raiva de Deus, pode ter certeza de que você está sendo atacado.
 
Segundo passo: uma vez identificado aqueles maus pensamentos, agora vem a minha proposta de submeter todos eles a Deus em oração confessando o nosso pecado e rogando a Deus forças para por meio do Espírito Santo vencermos o inimigo. É o que fiz na minha experiência relatada acima. A minha oração nesse momento deve ser sincera e verdadeira. Eu devo abrir o meu coração a Deus e aceitar sua correção. Se eu me endurecer, estarei em sérios apuros.
 
Agora sim, nesse momento, entrar e aplicar a técnica, criada por Augusto Cury chamada de D.C.D. (Duvide, Critique e Determine) para reeditar a memória e resgatar a liderança de nossos próprios sentimentos. A qual veremos a seguir:
 
Terceiro passo: duvide deles, dos seus maus pensamentos. Já vimos isso.
 
Quarto passo: critique eles. Também já vimos essa fase.
 
Quinto passo: determine! Ora, já identificamos, oramos, duvidamos, criticamos, agora é hora de tomada de decisões. O que iremos fazer com eles? Para tomarmos uma decisão sábia sobre o que fazer com eles quando mais conhecermos Deus e termos certeza de seu amor e bondade mais fácil será determinarmos algo. Não se trata de determinarmos algo a Deus para que faça, isso é tolice e revela ignorância do conhecimento da vontade de Deus.
 
Reescrever ou reeditar uma experiência vivida que traz grande amargor a nossa alma requer profundo conhecimento do amor e da bondade de Deus, de sua justiça, sabedoria e soberania. Não pode reeditar eficazmente a sua memória quem não conhece profundamente ao seu Deus ou que duvide dele ou que alimente raiva dele.
 
Não sou psiquiatra, nem psicólogo, mas creio em Deus e com ele me relaciono. Tenho minhas dificuldades e lutas com minha própria fé, com Deus, com meu querido e amado Senhor Jesus Cristo, meu amigo, meu irmão e meu Deus, e com o doce Espírito Santo então? Se ele não me amasse tanto, já há muito teria sido fulminado. Eu sempre que inicio um bom combate com meu Deus eu logo declaro: jamais poderei vencê-lo meu Senhor, mas preciso ser vencido! Amanhã, continuaremos as nossas lutas.
 
A Deus toda a glória!
 

domingo, 20 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 334/365

TEMA: O Perigo da Rejeição do Conhecimento de Deus 7 – Rm 1:18-32


Segundo o psiquiatra Augusto Cury há uma técnica, criada por ele, chamada de D.C.D. (Duvide, Critique e Determine) para reeditar a memória e resgatar a liderança de nossos próprios sentimentos.

 

Ainda, confesso, não estudei o assunto com a devida diligência, portanto, estarei nas próximas linhas apenas conjecturando, raciocinando alto, pensando, buscando uma saída para isso. Todo insistentente pensamento que nos assedia deve ser motivo de nossa profunda investigação. O primeiro passo é identificá-lo. Eu chamei a isso de PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE MAUS PENSAMENTOS. Você já o identificou? Então, caminhemos para o próximo passo. O segundo passo é a dúvida!

 

Já alguém por ai disse que os nossos pensamentos são como os pássarinhos que voam nos céus onde há aves de todas as espécies e não podemos escolher que irá ficar voando sobre as nossas cabeças, mas poderemos sim impedir que qualquer um deles resolva fazer seus ninhos em nossas cabeças. A dúvida neste caso é sadia! DUVIDE DE SEUS MAUS PENSAMENTOS!

 

Sataná usou a dúvida para gerar no coração de Eva pensamentos relacionados a Deus que não estava acostumada e foi muito bem sucedido em seu propósito malígno. Ele também tentou atacar Jesus, o filho de Deus, o filho do homem, mas este se defendeu usando as Escrituras e não abriu brecha para abrigar pensamentos de dúvidas. Ele sofreu, mas foi firme e determinado em seguir seu Pai celestial.

 

Eu diria que a dúvida é o câncer ou a AIDS da fé. Se você não tratá-la extirpando-a de si, ela crescerá e devorará tudo ao seu redor levando-o ao óbito espiritual. É pela porta da dúvida que vem a incredulidade e a dureza do coração. Quando você abriga a dúvida em seu coração contra as coisas de Deus e do seu reino, você estará acumulando sobre si a morte em pessoa.

 

No entanto, quando você investiga e reconhece que está sendo assediado por maus pensamentos insistentes e pertubadores, a dúvida será sua maior amiga. Duvide sim de seus maus pensamentos, mas jamais de Deus. Confie, sim, em Deus e jamais em seus maus pensamentos.

 

Continuando dentro dessa linha de raciocínio podemos até tirar outras conclusões. Uma vez que encontrei utilidade para a dúvida poderíamos igualmente encontrarmos problemas para a fé quando está se direciona para o mal. Então fico sem saber o que é pior: crer em nossos maus pensamentos ou duvidar da Palavra de Deus.

 

Ns verdade uma é conseqüência da outra. Ao abrigarmos nossos maus pensamentos, estamos igualmente duvidando do amor de Deus.

 

Nós já identificamos os nossos maus pensamentos, duvidamos deles e agora iremos criticá-los. O terceiro passo seria: CRITIQUE OS SEUS MAUS PENSAMENTOS. Ora, o que é criticá-los se não expô-los à sua razão que obviamente deve estar iluminada pelo Espírito Santo? Você deve ser capaz de uma vez identificado e duvidado, seu papel agora é o de crítica, de análise pontual da questão.

 

Estamos agora diante do monstro e começamos a examiná-lo e iremos entender que ele não deveria estar fazendo os seus ninhos em nossas cabeças. Qual a contribuição positiva e boa para você e para o Reino de Deus e a sua Justiça dar-lhe crédito, abrigá-lo e conviver com eles? Por onde é que ele está achando brechas e encontrando facilmente o seu caminho até a sua cabeça? Qual foi o seu start? O que o disparou ou o motivou e o que o alimenta?

 

Amanhã, irei dar prosseguimento.

 

A Deus toda a glória!

sábado, 19 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 333/365

TEMA: O Perigo da Rejeição do Conhecimento de Deus 6 – Rm 1:18-32


Estamos no 333º dia desta minha campanha abençoada e, portanto, faltam 32 dias para o fim que se dará em Itacaré/BA, em minhas férias. Hoje é um dia especial e tenho certeza de que a bênção também será especial. Estar e andar na presença do Senhor é o melhor que podemos fazer em nossas vidas.

 

Também hoje está se realizando em minha casa o BAZAR BENEFICENTE para arrecadar fundos para investimentos no tratamento, manutenção e pesquisa realizado pela UPADH - União de Parentes e Amigos dos Doentes de Huntington. Acessem www.upadh.org.br para obterem informações acerca da DH - Doença de Huntington.

 

Eu tinha falado ontem sobre o PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE MAUS PENSAMENTOS e disse ser apenas didático. É o seguinte, nossa mente não para de produzir pensamentos. Pode reparar que não há um instante em que temos paz com eles. Se eles não forem os nossos amigos e não cooperarem com o Reino de Deus e a sua Justiça, estaremos diante de uma grande problema.

 

Quando não estamos legal por algum motivo, nossos pensamentos irão ou nos ajudar ou nos derrotar. Se perdermos o foco do Senhor Jesus Cristo seremos vítimas do medo, do desespero, da dúvida e assim da angústia, da depressão.

 

Nós não somos treinados a lidar com nossas emoções e elas podem nos enganar. Não há educação emocional nas escolas, nem os pais ensinam, nem os mais velhos ensinam os mais jovens. Na verdade, cada um é educado pela própria vida pelas lições que enfrenta ou ve outros enfrentarem. Não é por acaso que de vez enquando vemos notícias terríveis de suicídios, de assassinatos, de violência contra a mulher ou de tantos outros males.

 

As emoções quando não tratadas podem prejudicar ou mesmo destruir uma vida para sempre. Quem está enfrentando seus primeiros relacionamentos sofre muito desejando que o outro tenha um determinado comportamento e quando não correspondidos entram em parafuso e são assaltados por toda sorte de maus pensamentos.

 

Quantos não são as pessoas que se entregam às drogas, ao álcool, ao tabaco, aos vícios, manias e hábitos pecaminosos por não saberem lidar com as suas emoções? O que fazer quando estamos sendo bombardeados por maus pensamentos? Identificá-los, é fácil, pois mudamos significativamente o nosso humor. Isso é importante. Identificá-los é muitíssimo importante.

 

Então nosso primeiro passo para lidarmos com tais coisas é o que chamo de PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE MAUS PENSAMENTOS. Algo não vai bem e eu preciso tomar decisões antes de que o mal tome proporções inimagináveis e eu acabe pensando coisas das quais irei me arrepender, pior ainda, acabe eu falando o que não era para falar e, ainda mais grave, acabe eu tomando atitudes das quais irei lamentar todos os dias de minha vida.

 

Segundo o psiquiatra Augusto Cury há uma técnica, criada por ele, chamada de D.C.D. (Duvide, Critique e Determine) para reeditar a memória e resgatar a liderança de nossos próprios sentimentos. Amanhã, irei dar prosseguimento.

 

A Deus toda a glória!