sexta-feira, 18 de março de 2016

PENSANDO NUM FUTURO PRÓXIMO - BRASIL (IGREJA), A H(ORA) É DE ORAR!

Possíveis cenários da crise política e institucional no Brasil.
Estamos diante de uma tremenda confusão onde de um lado se juntaram Lula, Dilma, PT e simpatizantes defendendo a unhas e dentes o poder pelo qual foram eleitos para governabilidade, presumindo-se atos que observassem os princípios da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da publicidade e da eficiência. Ou seja, a expectativa seria de que exerceriam sua administração com justiça, verdades, seriedade, competência, eficiência e eficácia.
De outro lado, estão aqueles que entendem que o governo extrapolou seu poder e o usou de forma criminosa para acúmulo de riquezas ilícitas, favorecimentos, falcatruas, obtenção de vantagens e danos irreparáveis ao patrimônio brasileiro. Esses querem justiça e estão dispostos a se sacrificarem por ela.
Para o grupo de Lula, a verdade dos fatos pouco importa. É de uma desfaçatez sem medidas a capacidade e a cara de pau, principalmente da Dilma, em fazer algo de um jeito e explicá-lo de outro, completamente contrário e isso com habilidade e maestria “convincentes” (quero dizer com forte convicção).
Esse pessoal do Lula e do PT, ou melhor, o político em geral, nos passa uma ideia de que são grandes atores e nós um bando de palhaços. Eu falo isso por causa dos fatos, dos vídeos, das gravações dos áudios em comparação com os seus discursos.
É de se admirar essa inteligência e capacidade de discursarem bem, independentemente de suas consciências, dos fatos, da verdade, da justiça, da própria luz. Fico estupefato com isso de como conseguem sustentar e apoiar tamanha urdidura. Chegam até a perder o bom-senso e a lógica em tantas tramas. O mais incrível é que conseguem adeptos. Isso jamais compreenderei.
Para eles não existem ilícitos e tudo se justifica. Roubar, mentir, corromper, ser corrompido dependerá do ponto de vista quem esteja olhando. Quando se trata de um inimigo, sim, esse é mesmo ladrão e merece justiça; quando eles são o alvo, não, isso jamais é ilícito. Um cidadão como Lula, íntegro e honesto, está acima de qualquer suspeita. Chega mesmo a ser um absurdo qualquer hipótese ou conjectura a respeito.
Eu tenho vontade de vomitar! Não consigo suportar isso... Eu cheguei em meu limite!
Não me admiro, nenhum um pouco, de que jamais deixarão o poder. Eles estão dispostos mesmo a morrerem pela causa – que causa mesmo? Sei lá! Em seus gritos nos chamam de brancos, de elite de fascistas. Qual seria, então, o direito que tanto defendem?
Existe mesmo um perigo real de que nos tornemos apaixonados por uma causa e percamos o senso das coisas. Isso não pode acontecer. Não podemos usar a mesma estratégia e costume. Como cidadãos do bem, vamos nos unir na paz, no amor e na certeza de que também nós iremos prestar contas a Deus de todas as coisas. (Rm 14.12; I Pe 4.5). Vamos exercer nosso direito e cidadania com muito temor e reverência a Deus.
Eu não sou especialista, nem analista, mas um cidadão comum que assim, considerando apenas os fatos, entende que poderemos ter os seguintes desdobramentos:
1.   Lula se entregar mesmo.
Isso mesmo, se arrepender, chorar, ser preso e entregar a Dilma, o PT e todo mundo que ele odeia e que se constituiu em seu inimigo ao longo dos tempos.
Ele seria preso, mas como é líder e inteligente, suportaria com paciência essa derrota. A população vendo ele assim e considerando seu histórico, logo iriam se condoer dele, principalmente quando ele fizesse aquela carinha de triste.
Em pouco tempo o povo esqueceria das coisas e ele voltaria com o discurso de que já pagou com seus pecados e agora estaria livre para recomeçar. Seria ele o Fênix. Como políticos famosos que uma vez caíram, mas que agora até ocupam cargos importantes no Senado e na Câmara e outras esferas políticas. Em pouco tempo ele seria eleito novamente podendo ter uma subida apoteótica e aí começar tudo de novo.
Poderia ser também que outro, desses líderes influentes, resolvesse também abrir o bico e complicar ainda mais a terrível situação do PT.
2.   O triunfo da justiça (essa é a esperança e a oração de todos).
Quer resistindo ou não, quer fazendo manobras e parcerias até com o diabo, a justiça ouvindo a voz do povo e do direito, triunfaria sobre eles e os levaria à prisão, sendo assim exemplos de que o crime não compensa e que no fim o bem sempre triunfa sobre o mal.
Quanto ao governo, haveria um momento de transição e logo outro político assumiria, esperamos para o bem da nação.
3.   A resistência do atual governo até a morte e o derramamento de muito sangue.
Considerando os discursos e a vontade de tais líderes, poderia ser que usariam de todos os meios lícitos ou não, armados ou não, com uso de força mesmo para resistirem à justiça.
Em breve então teríamos assassinatos, explosões, crimes, censuras à imprensa, perseguições, guerrilhas e muito caos, com muito derramamento de sangue, traições e perseguições terríveis.
4.   Intervenção militar.
Percebendo o cenário 3, as forças militares agiriam e assumiriam o poder do governo, destituindo os três poderes e implantando um regime militar até encontrarem uma saída. Aqui também haveria censura à imprensa e muito derramamento de sangue, talvez em menor quantidade que no cenário anterior.
E depois dessas coisas? Bem, a vida continuará e como disse C. S Lewis “Deus acabará invadindo a história, mas quando isso acontecer será o fim do mundo, pois quando o autor caminha para o palco a peça acabou”.

Que Deus no ajude e nos abençoe. Que Deus nos guarde e nos proteja. Que a paz, o bom senso e a justiça reine nos corações. Maranata!
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.