sexta-feira, 18 de março de 2016

I Pedro 5 1-14 - O PASTOR DEVE SER O EXEMPLO DO REBANHO.

Como dissemos, a primeira epístola de Pedro foi escrita para encorajar os cristãos perseguidos e confusos a permanecerem unidos e firmes na fé. Estamos vendo o capítulo 5/5.
Breve síntese do capítulo 5.
Ai pastor! Pastores de rebanho do Senhor; pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós não com constrangimento, mas como Deus quer; não por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores daqueles que Deus te confiou, mas como modelos e exemplos do rebanho.
O pastor deve ser o exemplo do rebanho. Para isso foi escolhido, chamado e capacitado. Se ele não puder olhar para suas ovelhas e disser a elas: sigam-me como eu sigo a Cristo, este não serve para pastorear ninguém.
O Supremo Pastor está chegando e com ele o galardão! Assim nos ensina Pedro neste último capítulo:
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
IV. O SOFRIMENTO E O SERVIÇO DO CRISTÃO (3.13-5.11) - continuação.
Vimos que Pedro forneceu perspectivas a respeito das perseguições e sofrimentos de seus leitores; ele explicou as bases, os motivos e os objetivos de sofrer por ser cristão.
Essa parte IV foi dividida em três partes, conforme a BEG: A. O sofrimento por causa da retidão (3.13-22) – já vimos; B. O sofrimento pela glória de Deus (4.1-11) – veremos agora; C. Sofrendo com Cristo (4.12-19) – veremos agora; e, D. Os presbíteros e os jovens sofrendo juntos (5.1-11).
D. Os presbíteros e os jovens sofrendo juntos (5.1-11).
Aparentemente, haviam surgido conflitos na igreja entre os presbíteros e os jovens à medida que os leitores sofriam. Pedro tratou dessas questões diretamente.
Primeiro ele apelou aos presbíteros. Embora Pedro já tivesse mencionado o seu ofício de apóstolo (1.1), aqui ele enfatizou sua solidariedade e compartilhou autoridade com os líderes das igrejas como uma maneira de encorajá-los.
O seu apelo foi para que pastoreassem o rebanho. Essa frase descreve uma das funções de todos os presbíteros. Não é só o pastor-mestre que deve cuidar do rebanho. A imagem do pastor de ovelhas sugere cuidado, proteção, disciplina e orientação.
A palavra foi utilizada no Antigo Testamento como uma metáfora para os líderes de Israel (Ez 34) e por Jesus para o seu próprio cuidado pela igreja (Jo 10.1-18; cf. 1Pe 2.25) e para a iniciativa graciosa de Deus em relação aos pecadores (Lc 15.3-7).
A utilização do termo por Pedro recorda a confirmação de sua própria vocação (Jo 21.15-17). Pedro ao lhes falar para não serem gananciosos, não estava fazendo uma proibição contra a justa remuneração, mas contra o amor pelo lucro e ao abuso ao ocupar um cargo de confiança (1Co 9.14; 1Tm 5.17-18).
Os presbíteros não deveriam ser dominadores, antes tornarem-se modelos do rebanho. Pedro advertiu contra o abuso arrogante do poder e exortou seu público ao serviço humilde (Mc 10.42-45; Jo 13.1-17; Fp 2.5-11; 1Tm 4.12). Aqui, como em 3.1, o exemplo é a melhor maneira de influenciar o comportamento de outras pessoas.
Podemos ser presbíteros e pastores com essas funções e compromissos, mas não devemos nos esquecer de nosso Supremo Pastor – vs. 4 - Cristo (2.25). O título revela a relação entre a obra e o cuidado pastoral de Cristo e os dos líderes da igreja. Eles servem como pastores subordinados que são responsáveis perante o Supremo Pastor.
Em resumo, sua orientação era para:
·         Pastorear o rebanho de Deus que está aos seus cuidados.
·         Olhar por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer.
·         Não fazer isso por ganância, mas com o desejo de servir.
·         Não agir como dominadores dos que lhes foram confiados, mas como exemplos para o rebanho.
·         Estarem atentos e vigilantes, pois quando se manifestar o Supremo Pastor, receberemos a imperecível coroa da glória.
Depois ele exorta aos que são mais jovens – vs. 5 – para que se sujeitem aos mais velhos. Literalmente "presbíteros", a mesma palavra grega usada no vs. 1 no sentido técnico de ocupar um cargo. Aqui, é provável que a palavra tenha uma referência mais ampla (cf. 1Tm 5.1).
E como deveriam fazer isso?
·         Sujeitando-se aos mais velhos.
·         Sendo todos humildes uns para com os outros, porque "Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes".
·         Humilhando-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido.
·         Lançando sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.
·         Sendo sóbrios e vigilantes por causa do diabo, nosso inimigo que anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.
O diabo, vosso adversário. A palavra grega traduzida "inimigo" ou "adversário" era usada para um oponente num processo, e "diabo" (em grego diabolos) foi utilizado na Septuaginta (a tradução grega do AT) para traduzir o hebraico "satanás", que significa "adversário", "caluniador" ou "acusador" (Jó 1.6-12; Zc 3.1-2; cf. Ap 12.9-10).
A frase revela a fonte última por trás de todas as perseguições. A BEG recomenda seu excelente artigo teológico "Demônios", em I Co 10. O leão é também uma imagem, talvez emprestada dos salmos, onde os inimigos do salmista e os ímpios são descritos desse modo (p. ex., SI 7.2; 10.9-10). A metáfora transmite a força e o poder destruidor do diabo e acentua a necessidade da vigilância por parte dos cristãos.
Embora a morte e a ressurreição de Cristo tenham limitado severamente o poder de Satanás, ele ainda não foi domado.
·         Também resistindo ao diabo por permanecermos firmes na fé, sabendo que outros irmãos no mundo estão passando pelos mesmos sofrimentos.
Pedro esperava que seus leitores não pensassem que estavam sozinhos em seus sofrimentos. Antes do retorno de Cristo, os cristãos deveriam esperar sofrer todos os tipos de sofrimento por todo o mundo. O sofrimento é uma certeza para a igreja (Jo 15.20; 2Tm 3.12).
No entanto, não estamos mesmo sozinhos, pois o Deus de toda a graça foi quem nos chamou para a sua glória (oh glória!) eterna em Cristo Jesus (o objetivo do eterno e efetivo plano de Deus para os cristãos é a glorificação deles - Rm 8.28-30; 2Co 4.17; 2Tm 2.10).
Todas as bênçãos da graça de Deus nesta vida e na próxima virão para os cristãos por meio da união com Cristo. A BEG recomenda aqui seu excelente artigo teológico "A união com Cristo", em Gl 6.
Como seus pensamentos voltaram para o retorno de Cristo e para as grandes bênçãos que virão para a igreja naquele tempo, Pedro encerrou essa parte com uma doxologia.
Depois de havermos sofrido durante pouco de tempo, nos restaurará, nos confirmará, nos dará forças e nos porá sobre firmes alicerces. Repare o que acontece depois que passamos por essas pequenas tribulações:
·         Restauração.
·         Confirmação.
·         Forças.
·         Ajustes - nos colocando sobre firmes alicerces.
V. SAUDAÇÕES FINAIS (5.12-14).
Dos vs. 12 ao 14, Paulo encorajou seus leitores com diversas saudações pessoais e uma bênção. Pedro encerrou a epístola mencionando vários dos seus amigos e com uma bênção para seus leitores.
Ele cita Silvano, literalmente "por Silvano", uma provável referência ao Silas de At 15.40, companheiro de Paulo na sua segunda viagem missionária.
As palavras "por Silvano" não identificam precisamente o papel de Silvano. Silvano pode ter sido simplesmente o portador da epístola, ou pode ter agido como um secretário, talvez até ajudado Pedro a rascunhar a carta.
Aquela que está em Babilônia – vs. 13 - provavelmente é uma referência à igreja em Roma. O seu filho na fé Marcos é o João Marcos de Atos (At 12.12,25; 13.5,13; 15.37-39). De acordo com Papias (c. 60-130 d.C.), Marcos trabalhou junto com Pedro e obteve muito das informações para o seu Evangelho do apóstolo Pedro.
Ele finalmente manda que todos se saúdem com o ósculo de amor. O ósculo era, e ainda é, uma forma comum de cumprimento no Oriente Próximo (Lc 15.20), correspondendo ao moderno aperto de mãos do mundo ocidental. Para esses cristãos, essa forma cultural deveria ser um sinal visível do amor e a união deles. Compare com o "ósculo santo" de Paulo (Rm 16.16; 1Ts 5.26).
I Pe 5:1 Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós,
eu, presbítero como eles,
e testemunha dos sofrimentos de Cristo,
e ainda co-participante da glória que há de ser revelada:
I Pe 5:2 pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós,
não por constrangimento, mas espontaneamente,
como Deus quer;
nem por sórdida ganância, mas de boa vontade;
I Pe 5:3 nem como dominadores dos que vos foram confiados,
antes, tornando-vos modelos do rebanho.
I Pe 5:4 Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar,
recebereis a imarcescível coroa da glória.
I Pe 5:5 Rogo igualmente aos jovens:
sede submissos aos que são mais velhos;
outrossim, no trato de uns com os outros,
cingi-vos todos de humildade,
porque Deus resiste aos soberbos,
contudo, aos humildes concede a sua graça.
I Pe 5:6 Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus,
para que ele, em tempo oportuno, vos exalte,
I Pe 5:7 lançando sobre ele toda a vossa ansiedade,
porque ele tem cuidado de vós.
I Pe 5:8 Sede sóbrios e vigilantes.
O diabo, vosso adversário,
anda em derredor, como leão que ruge
procurando alguém para devorar;
I Pe 5:9 resisti-lhe firmes na fé,
certos de que sofrimentos iguais aos vossos
estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada
pelo mundo.
I Pe 5:10 Ora, o Deus de toda a graça,
que em Cristo vos chamou à sua eterna glória,
depois de terdes sofrido por um pouco,
ele mesmo vos há de
aperfeiçoar,
firmar,
fortificar
e fundamentar.
I Pe 5:11 A ele seja o domínio,
pelos séculos dos séculos. Amém!
I Pe 5:12 Por meio de Silvano, que para vós outros é fiel irmão,
como também o considero,
vos escrevo resumidamente,
exortando e testificando, de novo,
que esta é a genuína graça de Deus;
nela estai firmes.
I Pe 5:13 Aquela que se encontra em Babilônia,
também eleita, vos saúda,
como igualmente meu filho Marcos.
I Pe 5:14 Saudai-vos uns aos outros
com ósculo de amor.
Paz a todos vós
que vos achais em Cristo.
Você gostaria de ser aperfeiçoado, firmado, fortificado e solidamente fundamentado em Deus? Ora é o Deus da graça que em Cristo Jesus nos chama para a sua eterna glória, depois de termos sofrido um pouco, que isso fará! Então... relaxa!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 33 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Pr. Daniel Deusdete. 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.