quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Mateus 15 1-39 - UMA MULHER, CANANEIA, NOS ENSINA O QUE É FÉ.

Estamos vendo o Evangelho de Mateus escrito com o propósito de inspirar os cristãos ao serviço grato e fiel de promover o reino de Deus ao apresentar Jesus como o tão esperado rei e apresentar o reino que ele trouxe como o cumprimento do plano da redenção de Deus. Entramos hoje na parte V, no capítulo 15.
V. A AUTORIDADE DO REINO (14.1-18.35) - continuação.
Como já dissemos, os milagres de Jesus demonstraram a sua autoridade como Messias. Muitos testemunharam a sua supremacia quando o viram fazendo grandes obras. Jesus insistiu que a vida sob o seu reinado é diferente da vida sob outros reinados.
A maior preocupação dos caps. 14-18 é a autoridade no reino. Eles foram divididos em duas seções: A. Narrativa: o caráter e a autoridade de Jesus (14.1-17.27) – Estamos vendo e B. Sermão: o caráter e a autoridade da igreja (18.1-35).
A. Narrativa: o caráter e a autoridade de Jesus (14. 1-17.27) - continuação.
Na narrativa que vai até o capítulo 17, estamos vendo o caráter e a autoridade de Jesus como Rei ao relembrar os milagres que ele realizou, bem como as reações daqueles que tinham contato com ele.
O que de fato contamina o homem se não o que sai de sua boca?
Primeiramente, os fariseus e escribas, invejosos e de corações empedernidos, ficaram aborrecidos porque os discípulos de Jesus não eram como eles, nem seguiam suas tradições.
A tradição dos anciãos do vs. 2 se refere à lei oral, que era considerada entre os fariseus como tendo o mesmo peso que a lei escrita. No século 2 ela foi codificada e escrita. Ela é chamada "Mishnah", agora parte do Talmude.
Há todo um tratado que fala sobre os detalhes da limpeza das mãos, tal como a quantidade de água a ser usada, quantas vezes é necessário enxaguá-las, etc. (A BEG recomenda ver seu quadro "Partidos religiosos e políticos no Novo Testamento", em Mt 23).

Foram então ter com Jesus para provocá-lo e ter o que acusar, mas não podiam com ele.
Jesus ainda lhes lança em rosto que suas tradições são tradições de homens e que por elas ainda desprezam os verdadeiros ensinos da lei como no caso do mandamento claro de honrar pai e mãe.
A resposta de Jesus está em seguida, nos vs. 3 a 6 onde Jesus fez uma clara distinção entre as tradições humanas e os mandamentos divinos das Escrituras. Os fariseus permitiram que suas tradições se tornassem para eles como a palavra de Deus, ou talvez mais importante.
Jamais devemos permitir que os nossos mais tradicionais e queridos entendimentos suplantem ou obscureçam a própria Bíblia, ou elevem os nossos costumes até o nível da lei.
A interpretação que Jesus fazia deles era que o coração daquele povo não estava em Deus, na justiça e na verdade, antes na vaidade e no engano das coisas do homem – vs. 7 a 9.
Isaías falou não somente sobre a exterioridade hipócrita de seus próprios dias, mas condenou todos os tipos de devoção da boca para fora.
Realmente, nos conhecemos ou somos conhecidos por aquilo que produzimos ou pelo que sai da nossa boca e mente. Novamente vemos a importância das palavras na vida moral de uma pessoa. O que uma pessoa diz é um reflexo ou produto do que ela tem no seu interior. Vamos cuidadosamente investigar no que estamos pensando e falando e ai veremos o quão sujo está ou não sendo o nosso coração.
Depois disso, saiu ele daquele lugar e retirou-se para a região de Tiro e de Sidom onde curou uma mulher a qual ele elogiou a sua fé: MULHER, GRANDE É A TUA FÉ, FAÇA-SE CONTIGO CONFORME QUERES.
Aquela mulher tinha sido humilhada e rejeitada pelo Senhor, mas ao invés de ficar ali sofrendo e curtindo a sua dor, foi à luta e insistiu com o seu Senhor.
Jesus, em sua primeira resposta, tinha dito a ela que tinha sido enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel. Antes da ressurreição, "a parede da separação" (Ef 2.14) entre judeus e gentios ainda permanecia, e nesse momento a missão de Jesus era para "Israel", como definida pelas ordenanças do Antigo Testamento.
Jesus havia anteriormente respondido aos gentios que estavam no território judeu, mas responder aos gentios em território gentio poderia ter resultado num grande desvio do seu propósito principal.
Jesus respondeu ao pedido da mulher somente após clara evidência de que ela não tinha nenhuma intenção de reivindicar as misericórdias da aliança; em vez disso, ela esperava se beneficiar da superabundância de bênçãos prometidas a Israel.
Ele fez, então, um grande contraste entre a fé da mulher cananeia e a resposta dos fariseus.
Novamente, Jesus retirou-se de onde se encontrava e se dirigiu para a beira do mar da Galileia. Depois subiu a um monte e se assentou.
Ainda curou vários outros enfermos que foram colocados aos seus pés e, finalmente, multiplica, pela segunda vez, pães para uma grande multidão, que somente de homens registrava-se uns 4000.
Mc 7.31 indica que esse trecho de 29 a 39 aconteceu no "território de Decápolis", de modo que a multidão era provavelmente composta por gentios ou pelo menos uma mistura de gentios e judeus. Como isso aconteceu logo depois da história da fé da mulher cananeia, pode representar uma consequência dos cestos que transbordavam de pedaços de pão.
Na alimentação dos cinco mil judeus, haviam doze cestos cheios de pedaços de pão, representando abundância para as doze tribos. Aqui são apresentados sete cestos cheios, talvez representando abundância para a totalidade do povo de Deus, incluindo os gentios.
Mt 15:1 Então,
vieram de Jerusalém a Jesus alguns fariseus e escribas
e perguntaram:
Mt 15:2 Por que transgridem os teus discípulos
a tradição dos anciãos?
Pois não lavam as mãos, quando comem.
Mt 15:3 Ele, porém, lhes respondeu:
Por que transgredis vós também o mandamento de Deus,
por causa da vossa tradição?
Mt 15:4 Porque Deus ordenou:
Honra a teu pai e a tua mãe;
e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe
seja punido de morte.
Mt 15:5 Mas vós dizeis:
Se alguém disser a seu pai ou a sua mãe:
É oferta ao Senhor aquilo que poderias
aproveitar de mim;
Mt 15:6 esse jamais honrará a seu pai ou a sua mãe.
E, assim, invalidastes a palavra de Deus,
por causa da vossa tradição.
Mt 15:7 Hipócritas!
Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo:
Mt 15:8 Este povo honra-me com os lábios,
mas o seu coração está longe de mim.
Mt 15:9 E em vão me adoram,
ensinando doutrinas que são preceitos de homens.
Mt 15:10 E, tendo convocado a multidão, lhes disse:
Ouvi e entendei:
Mt 15:11 não é o que entra pela boca
o que contamina o homem,
mas o que sai da boca,
isto, sim, contamina o homem.
Mt 15:12 Então, aproximando-se dele os discípulos, disseram:
Sabes que os fariseus,
ouvindo a tua palavra,
se escandalizaram?
Mt 15:13 Ele, porém, respondeu:
Toda planta que meu Pai celestial
não plantou será arrancada.
Mt 15:14 Deixai-os;
são cegos,
guias de cegos.
Ora, se um cego guiar outro cego,
cairão ambos no barranco.
Mt 15:15 Então, lhe disse Pedro:
Explica-nos a parábola.
Mt 15:16 Jesus, porém, disse:
Também vós não entendeis ainda?
Mt 15:17 Não compreendeis que tudo o que entra pela boca
desce para o ventre e, depois,
é lançado em lugar escuso?
Mt 15:18 Mas o que sai da boca vem do coração,
e é isso que contamina o homem.
Mt 15:19 Porque do coração procedem
maus desígnios,
homicídios,
adultérios,
prostituição,
furtos,
falsos testemunhos,
blasfêmias.
Mt 15:20 São estas as coisas que contaminam o homem;
mas o comer sem lavar as mãos não o contamina.
Mt 15:21 Partindo Jesus dali,
retirou-se para os lados de Tiro e Sidom.
Mt 15:22 E eis que uma mulher cananéia,
que viera daquelas regiões, clamava:
Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim!
Minha filha está horrivelmente endemoninhada.
Mt 15:23 Ele, porém, não lhe respondeu palavra.
E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe:
Despede-a,
pois vem clamando atrás de nós.
Mt 15:24 Mas Jesus respondeu:
Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Mt 15:25 Ela, porém, veio e o adorou, dizendo:
Senhor, socorre-me!
Mt 15:26 Então, ele, respondendo, disse:
Não é bom tomar o pão dos filhos
e lançá-lo aos cachorrinhos.
Mt 15:27 Ela, contudo, replicou:
Sim, Senhor,
porém os cachorrinhos comem das migalhas
que caem da mesa dos seus donos.
Mt 15:28 Então, lhe disse Jesus:
Ó mulher,
grande é a tua fé!
Faça-se contigo como queres.
E, desde aquele momento,
sua filha ficou sã.
Mt 15:29 Partindo Jesus dali,
foi para junto do mar da Galiléia;
e, subindo ao monte,
assentou-se ali.
Mt 15:30 E vieram a ele muitas multidões
trazendo consigo coxos, aleijados, cegos, mudos e outros muitos
e os largaram junto aos pés de Jesus;
e ele os curou.
Mt 15:31 De modo que o povo se maravilhou
ao ver que os mudos falavam,
os aleijados recobravam saúde,
os coxos andavam
e os cegos viam.
Então, glorificavam ao Deus de Israel.
Mt 15:32 E, chamando Jesus os seus discípulos, disse:
Tenho compaixão desta gente,
porque há três dias que permanece comigo
e não tem o que comer;
e não quero despedi-la em jejum,
para que não desfaleça pelo caminho.
Mt 15:33 Mas os discípulos lhe disseram:
Onde haverá neste deserto
tantos pães para fartar tão grande multidão?
Mt 15:34 Perguntou-lhes Jesus:
Quantos pães tendes?
Responderam: Sete e alguns peixinhos.
Mt 15:35 Então, tendo mandado o povo assentar-se no chão,
Mt 15:36 tomou os sete pães e os peixes,
e, dando graças,
partiu, e deu aos discípulos,
e estes, ao povo.
Mt 15:37 Todos comeram
e se fartaram;
e, do que sobejou,
recolheram sete cestos cheios.
Mt 15:38 Ora, os que comeram eram quatro mil homens,
além de mulheres e crianças.
Mt 15:39 E, tendo despedido as multidões,
entrou Jesus no barco
e foi para o território de Magadã.
Fico pensando naquela fila de doentes e enfermos colocados aos pés de Jesus por aquela gente que vivia ali nas margens da Galiléia. Será que Jesus deu um comando geral e todos ficaram curados ou foi ministrando a cada um?
Jesus ali não ficou investigando os motivos porque cada um tinha sua enfermidade, nem se nasceram ou não, com enfermidades, mas somente fazia uma coisa: ia curando todos. Será que havia alguns que ali não foram e que estavam doentes igualmente? E eles foram curados?
E quanto àquela mulher cananeia e seu grande exemplo de fé, elogiado pelo Senhor da fé? Temos que aprender a ser crente como ela!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 245 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.