quarta-feira, 22 de outubro de 2014

II Crônicas 33:1-25 - MANASSÉS E AMON - COISA RUIM E COISA PIOR NO GOVERNO DE JUDÁ.


Nós nos encontramos na última parte (Judá e Israel reunificados) de quatro no total pela qual dividimos I e II Crônicas.
I. As genealogias do povo de Deus – 1:1 a 9:34 – já vista.
II. O reino unido – 9:35 a II Cr 9:31 – já vista.
III. O reino dividido – 10:1 a 28:27 – já vista.
IV. O reino unificado – 29:1 a 36:23 – estamos em estudo.
Como já dissemos, sobre o reino reunificado, doravante, tudo agora seria em conjunto e não mais provenientes de duas regiões com dois poderes. As experiências de bênçãos e provações, exílio e livramento, seriam agora experiências conjuntas de um povo reunificado, em torno de um só templo.
Esta última parte IV de  I e de II de Crônicas será, didaticamente, dividida em seis partes.
A. O reinado de Ezequias – 29:1 a 32:33 – já vimos.
B. O reinado de Manassés – 33:1-20 – veremos agora.
C. O reinado de Amon – 33:21-25 – veremos agora.
D. O reinado de Josias – 34:1 a 35:27.
E. Os últimos anos – 36:1-14.
F. Dificuldades, exílio e esperança – 36:15-23.
B. O reinado de Manassés (686-642 a.C.) – 33:1 a 20; II Re 20:1 – 18.
Teria seu pai, Ezequias, modelo e exemplo de homem que confia em Deus, falhado na educação de seu filho Manassés? É o que parece porque esse homem é totalmente oposto ao que foi o seu pai. Como também tinha sido ele em relação ao seu pai, Acaz.
Ele reinou no lugar de seu pai, provavelmente tenha sido corregente com ele também, quando tinha a idade de doze anos. Era muito jovem e pode ter sido influenciado por alguém que tinha afinidades com o Reino do Norte ou sentia saudades das práticas nojentas deles.
Ele ficou no reinado de Judá longos 55 anos, o período maior que se tem notícias de todos os reis de Judá e de Israel. Tanto foi longo que registros assírios apontam ele como vassalo de Esar-Hardom (681-669 a.C.) e também de Assurbanipal (669-627 a.C.). A sua mãe se chamava Hefzibá.
Ele, como já dissemos, ao contrário de seu pai, que foi fiel, fez o que era mau aos olhos do Senhor, sendo o modelo negativo de comparação os gentios que eles expulsaram dali. Manassés acabou indo além deles em questões de maldades.
Além de restaurar tudo o que seu pai tinha destruído e restabelecer o que ele tinha condenado e abolido em Judá limpando a Casa do Senhor, ofereceu em sacrifícios a seu próprio filho queimando-o diante de seus deuses.
A Casa do Senhor que antes estava limpinha dos deuses e praticas pagãs, agora estava todo manchado e com postes-ídolos e objetos de cultos estranhos.
A palavra de Deus diz que assim fazia perante o Senhor para provocá-lo à ira – vs 6 e II Re 21:6.
Pela sua graça e misericórdia, enviou Deus e falou por intermédio dos profetas, seus servos dizendo que como tinha feito Manassés trazendo desgraças para Judá, assim ele também estaria fazendo trazendo um fim para Jerusalém por causa de sua maldade.
Chegou Deus a falar de abandonar a sua herança entregando eles nas mãos dos seus inimigos e servindo de presa e despojo de todos eles por causa de tanta maldade. Maldade essa que ia se acumulando desde quando saíram do Egito até aqueles dias.
Além de todas essas coisas, ainda Manassés derramou muito sangue inocente até encher Jerusalém de um extremo ao outro, aumentando ainda mais a taça de suas abominações diante do Senhor.
Em Crônicas, diferentemente de Reis, há um relato do cativeiro de Manassés, a sua oração, seu arrependimento e sua conversão.
Primeiramente, tinha o Senhor advertido ele e o povo, mas não tinham dado ouvidos a ele, pelo que o Senhor trouxe sobre ele os príncipes do exército do rei da Assíria que o levaram preso à Babilônia com ganchos e o amarraram com cadeias.
No cativeiro, reconheceu Manassés que o Senhor era Deus e arrependeu-se e passou a se humilhar diante de Deus e a buscá-lo de todo coração.
A oração e a restauração de Manassés estão de acordo com a oração feita por Salomão na dedicação do templo  - 6:36-39 – e com a resposta de Deus a essa súplica.
Deus se tornou favorável a Manassés, ouviu suas orações e o trouxe de volta para Jerusalém. Agora Manassés era outro homem e procurou reverter todo mal que tinha feito e tirar todos os ídolos e apostasias que tinha levantado.
As restaurações abrangentes que que ele realizou – vs 14 – 17 – restaurando o reino, se constituíram num modelo para os leitores do cronista na medida em que eles se encontravam na situação de terem de restaurar o reino.
Embora haja uma ênfase nos resultados da reforma de Manassés, veremos, em Reis, adiante, que Josias, duramente, terá de destruir ainda os deuses estrangeiros que Manassés tinha feito – II Re 23:12. Isso parece indicar que essas reformas não tiveram continuidade ao longo de sua vida.
Assim, o relato de Reis do início e do final do reinado de Manassés são idênticos ao de Crônicas, mas o seu meio, onde constam o cativeiro de Manassés, apresenta esse acréscimo.
Ao fim de seu reinado longo, o mais longo de todos, faleceu e seu filho Amom reinou em seu lugar.
C. O reinado de Amom (642-640 a.C.) – 33:11 a 25; II Re 20:19 – 26.
Sai uma coisa ruim, entra outra coisa pior. Assim foi com Amom que substitui seu pai Manassés. Este, no entanto teve uma vantagem acrescentada em Crônicas que foi o seu arrependimento, mas e quanto ao seu filho Amom?
Parecia que com Ezequias tudo iria se arranjar doravante e que Judá teria aprendido sua lição com o exílio de seus irmãos, até que veio Manassés e agora seu filho Amom.
Tinha Amom a idade de 22 anos quando começou a reinar, portanto já era um jovem adulto que sabia o que estava fazendo. Seu reinado ao contrário de seu pai, foi bem curto, de apenas dois anos.
Sua mãe era Mesulemete, filha de Haruz, de Jotbá, uma cidade próxima da região da baixa Galiléia.
Igualmente a seu pai fez o que era mau aos olhos do Senhor. Andou nos caminhos de Manassés, serviu os ídolos a que ele servira e os adorou. A sua escolha pelo seu pai o afastou do Senhor, pelo que o abandonou, nem quis saber de seus caminhos.
Houve uma conspiração contra ele por causa de suas escolhas, pois o povo queria que o seu governante fosse fiel à casa de Davi, como tinha sido Ezequias. Era o desejo de uma reforma completa e não apenas a destruição de Amom que fez o povo se manifestar e colocar no lugar a seu filho Josias.
Amom foi enterrado na sepultura de Uzá, como seu pai Manassés, e seu filho Josias começou a reinar em Judá.
II Cr 33:1 Tinha Manassés doze anos de idade,
                quando começou a reinar, e cinqüenta
                               e cinco anos reinou em Jerusalém.
                II Cr 33:2 E fez o que era mau aos olhos do SENHOR,
                               conforme às abominações dos gentios que o SENHOR
                                               lançara fora de diante dos filhos de Israel.
                II Cr 33:3 Porque tornou a edificar os altos que Ezequias,
                               seu pai, tinha derrubado; e levantou altares aos Baalins,
                                               e fez bosques, e prostrou-se diante de todo
                                                               o exército dos céus, e o serviu.
                II Cr 33:4 E edificou altares na casa do SENHOR,
                               da qual o SENHOR tinha falado:
                                               Em Jerusalém estará o meu nome eternamente.
                II Cr 33:5 Edificou altares a todo o exército dos céus,
                               em ambos os átrios da casa do SENHOR.
                II Cr 33:6 Fez ele também passar seus filhos pelo fogo
                               no vale do filho de Hinom, e usou de adivinhações
                               e de agouros, e de feitiçarias, e consultou adivinhos
                               e encantadores, e fez muitíssimo mal aos olhos do SENHOR,
                                               para o provocar à ira.
                II Cr 33:7 Também pôs uma imagem de escultura do ídolo
                               que tinha feito, na casa de Deus, da qual Deus
                                               tinha falado a Davi e a Salomão seu filho:
                               Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi de todas
                                               as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre.
                               II Cr 33:8 E nunca mais removerei o pé de Israel da terra
                                               que destinei a vossos pais; contanto que tenham
                                               cuidado de fazer tudo o que eu lhes ordenei,
                                               conforme a toda a lei, e estatutos, e juízos,
                                                               dados pela mão de Moisés.
                II Cr 33:9 E Manassés tanto fez errar a Judá
                               e aos moradores de Jerusalém, que fizeram pior do que
                                               as nações que o SENHOR tinha destruído de diante
                                                               dos filhos de Israel.
                II Cr 33:10 E falou o SENHOR a Manassés e ao seu povo,
                               porém não deram ouvidos.
                II Cr 33:11 Assim o SENHOR trouxe sobre eles os capitães
                               do exército do rei da Assíria, os quais prenderam a Manassés
                                               com ganchos e, amarrando-o com cadeias,
                                                               o levaram para Babilônia.
                II Cr 33:12 E ele, angustiado, orou deveras ao SENHOR seu Deus,
                               e humilhou-se muito perante o Deus de seus pais;
                II Cr 33:13 E fez-lhe oração, e Deus se aplacou para com ele,
                               e ouviu a sua súplica, e tornou a trazê-lo a Jerusalém,
                                               ao seu reino.
                               Então conheceu Manassés que o SENHOR era Deus.
                II Cr 33:14 E depois disto edificou o muro de fora da cidade de Davi,
                               ao ocidente de Giom, no vale, e à entrada da porta do peixe,
                                               e ao redor de Ofel, e o levantou muito alto;
                                               também pôs capitães de guerra em todas as cidades
                                                               fortificadas de Judá.
                               II Cr 33:15 E tirou da casa do SENHOR os deuses estranhos
                                               e o ídolo, como também todos os altares que tinha
                                               edificado no monte da casa do SENHOR,
                                                               e em Jerusalém, e os lançou fora da cidade.
                               II Cr 33:16 E reparou o altar do SENHOR e ofereceu sobre
                                               ele sacrifícios de ofertas pacíficas e de louvor;
                                               e ordenou a Judá que servisse
                                                               ao SENHOR Deus de Israel.
                II Cr 33:17 Contudo o povo ainda sacrificava nos altos,
                               mas somente ao SENHOR seu Deus.
                II Cr 33:18 O restante dos atos de Manassés, e a sua oração
                               ao seu Deus, e as palavras dos videntes que lhe falaram
                                               no nome do SENHOR Deus de Israel,
                                               eis que estão nas crônicas dos reis de Israel.
                II Cr 33:19 E a sua oração, e como Deus se aplacou para com ele,
                               e todo o seu pecado, e a sua transgressão, e os lugares onde
                                               edificou altos, e pôs bosques e imagens de escultura,
                                                               antes que se humilhasse, eis que estão
                                                                              escritos nos livros dos videntes.
                II Cr 33:20 E dormiu Manassés com seus pais,
                               e o sepultaram em sua casa. Amom, seu filho,
                                               reinou em seu lugar.
II Cr 33:21 Tinha Amom vinte e dois anos de idade quando começou a reinar,
                e dois anos reinou em Jerusalém.
                II Cr 33:22 E fez o que era mau aos olhos do SENHOR,
                               como havia feito Manassés, seu pai; porque Amom
                                               sacrificou a todas as imagens de escultura
                                               que Manassés, seu pai tinha feito, e as serviu.
                II Cr 33:23 Mas não se humilhou perante o SENHOR,
                               como Manassés, seu pai, se humilhara;
                                               antes multiplicou Amom os seus delitos.
                II Cr 33:24 E conspiraram contra ele os seus servos,
                               e o mataram em sua casa.
                II Cr 33:25 Porém o povo da terra feriu a todos quantos
                               conspiraram contra o rei Amom;
                               e o povo da terra fez reinar em seu lugar a Josias, seu filho.
Entraremos a partir do próximo capítulo na história daquele rei de Judá que ficou conhecido como modelo de rei que realizou uma grande reforma necessária em Judá por causa dos reinos malignos de Manassés e de Amom que duraram 57 anos.
Depois do exílio de Israel, tivemos o rei modelo de confiança no Senhor, Ezequias; depois o modelo negativo de um rei como foi Mansassés e seu filho Amom e agora um modelo no que concerne a reforma necessária, urgente e inadiável na vida dos filhos de Israel.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 286 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

1 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.