quarta-feira, 26 de março de 2014

Juízes 21:1-17 - A VIOLÊNCIA CONTRA JABES-GILEADE.

Finalmente, o último capítulo de Juízes! Finalizaremos, agora, a terceira parte de nossa divisão de Juízes: 3. OS ERROS DOS LEVITAS – 17:1 – 21:25, e também a segunda seção: B. Um levita e a violência em Israel – 19:1 – 21:25.
Como tínhamos dividido esta segunda e última seção “B” em três partes: 1. A violência dos homens de Gibeá – 19:1-30 (já vista). 2. A violência contra os homens de Gibeá – 20:1-48 (já vista). Veremos, agora, finalmente, o último capítulo: 3. A violência contra Jabes-Gileade – 21:1-25.
2. A violência contra Jabes-Gileade – 21:1-25.
De toda a tribo de Benjamim, restaram apenas 600 homens que se esconderam e fugiram para o deserto, à penha de Rimom; e ficaram na penha de Rimom quatro meses. Tinham ido à óbito nessa guerra civil cerca de 25.000 homens que quiseram dar cobertura aos filhos de Belial que fizeram a maldade com a concubina do levita.
Os filhos de Belial certamente também morreram no combate feroz e agora somente restavam 600 homens dessa tribo que estavam refugiados no deserto e as outras tribos acordaram para o fato da quase eliminação de uma de suas tribos.
No calor da batalha e quando eles estavam se preparando para enfrentar o inimigo Benjamim, eles fizeram um voto pelo qual ficaram muito arrependidos de terem-no feito. O voto proibia eles de darem suas filhas em casamento aos filhos de Benjamim. E agora? A tribo deles acabaria? Buscaram ao Senhor e se lamentaram e procuraram uma solução para o caso.
Como se já não bastasse toda violência cometida até o presente, atacam a Jabes-Gileade com a intenção explícita de eliminar todos os homens e mulheres de todas as idades e somente conservarem da população mulheres virgens e prontas para o casamento.
Eles atacam Jabes-Gileade com ferocidade cruel e dela conseguem reunir 400 mulheres virgens e logo encaminham-nas para os filhos de Benjamim no deserto que as recepciona para si, mas as mulheres eram poucas para a multidão de homens que ali estavam.
Ao exterminar os gileaditas por não terem atendido à convocação, os israelitas estavam tentando resolver de modo pecaminoso o seu dilema sobre como restaurar uma descendência a Benjamim sem quebrar o voto insano que haviam feito.
O voto não é proibido e até recomendado em muitos casos, mas muitos do que fizeram uso dele, muito mesmo se arrependeram de tê-lo feito. Assim, pense, medite, reflita, esfrie a cabeça e depois vote tranquilamente.
Estabelecida a paz com os filhos de Benjamim, estes voltam para sua cidade com suas 400 mulheres a fim de constituírem uma nova tribo de Benjamim. Para o restante dos homens, resolveram o caso com astúcia.
Não iriam dar eles suas mulheres, mas fariam vistas grossas caso eles a sequestrassem nas festividades anuais das filhas de Siló e assim, aos poucos, foram se recuperando e repovoando sua tribo novamente.
Resolvido o problema, cada tribo voltou para sua tribo de origem e o livro se encerra dizendo que naquele tempo não havia rei em Israel e cada um fazia o quem entendesse ser o certo.
Novamente aqui o gancho para a instituição da figura do rei em Israel que iria unificar todas as tribos e trazê-las de volta à aliança com Deus, assim pensavam os principais líderes. Também pelo desenrolar do livro de juízes, com certeza, a tribo escolhida jamais seria a tribo de Benjamim, antes a tribo de Judá.
No entanto, Saul, de Gibeá, benjamita, será o primeiro rei de Israel que governará os filhos de Israel por 40 longos anos. Um de seus primeiros atos quando rei, foi defender Jabes-Gileade, uma vez que, quase certamente, ele seria descendente de uma daquelas mulheres que se casaram com aqueles 600 sobreviventes de Benjamim.
Será rejeitado ao final por causa de sua desobediência ao Senhor e descaso com as coisas sagradas e com Deus e será substituído por Davi, da tribo de Judá, de onde o cetro jamais sairá, para sempre.
Jz 21:1 Ora, tinham jurado os homens de Israel em Mizpá, dizendo:
               Nenhum de nós dará sua filha por mulher aos benjamitas.
                              Jz 21:2 Veio, pois, o povo a Betel, e ali ficou
                                            até à tarde diante de Deus; e todos levantaram a sua
                                                           voz, e prantearam com grande pranto,
Jz 21:3 E disseram:
               Ah! SENHOR Deus de Israel, por que sucedeu isto, que hoje falte
                              uma tribo em Israel? Jz 21:4 E sucedeu que, no dia seguinte,
                              o povo, pela manhã se levantou, e edificou ali um altar;
                                            e ofereceu holocaustos e ofertas pacíficas.
Jz 21:5 E disseram os filhos de Israel:
               Quem de todas as tribos de Israel não subiu à assembléia
                              do SENHOR? Porque se tinha feito um grande juramento
                                             acerca dos que não fossem ao SENHOR em Mizpá,
                                                           dizendo: Morrerá certamente.
Jz 21:6 E arrependeram-se os filhos de Israel acerca de Benjamim,
               seu irmão, e disseram:
                              Cortada é hoje de Israel uma tribo.
               Jz 21:7 Como havemos de conseguir mulheres para os que restaram
                              deles, pois nós temos jurado pelo SENHOR que nenhuma de
                                            nossas filhas lhes daríamos por mulher?
Jz 21:8 E disseram:
               Há algumas das tribos de Israel que não subiram ao SENHOR
                              a Mizpá? E eis que ninguém de Jabes-Gileade
                                             viera ao arraial, à assembléia.
               Jz 21:9 Porquanto, quando se contou o povo, eis que nenhum dos
                              moradores de Jabes-Gileade se achou ali.
Jz 21:10 Então a assembléia enviou para lá doze mil homens dos mais valentes,
               e lhes ordenou, dizendo:
                              Ide, e ao fio da espada feri aos moradores de Jabes-Gileade,
                                            e às mulheres e aos meninos.
Jz 21:11 Porém isto é o que haveis de fazer:
               A todo o homem e a toda a mulher que se houver deitado com um
                              homem totalmente destruireis.
               Jz 21:12 E acharam entre os moradores de Jabes-Gileade
                              quatrocentas moças virgens, que não tinham conhecido
                                            homem; e as trouxeram ao arraial, a Siló,
                                                           que está na terra de Canaã.
Jz 21:13 Então toda a assembléia enviou, e falou aos filhos de Benjamim,
               que estavam na penha de Rimom, e lhes proclamou a paz.
                              Jz 21:14 E ao mesmo tempo voltaram os benjamitas;
                                            e deram-lhes as mulheres que haviam guardado com
                                                           vida, das mulheres de Jabes-Gileade;
                                                           porém estas ainda não lhes bastaram.
Jz 21:15 Então o povo se arrependeu por causa de Benjamim;
               porquanto o SENHOR tinha feito brecha nas tribos de Israel.
Jz 21:16 E disseram os anciãos da assembléia:
               Que faremos acerca de mulheres para os que restaram,
                              pois foram destruídas as mulheres de Benjamim?
Jz 21:17 Disseram mais:
               Tenha Benjamim uma herança nos que restaram,
                              e não seja destruída nenhuma tribo de Israel.
               Jz 21:18 Porém nós não lhes poderemos dar mulheres de nossas
                              filhas, porque os filhos de Israel juraram, dizendo:
                                            Maldito aquele que der mulher aos benjamitas.
Jz 21:19 Então disseram:
               Eis que de ano em ano há solenidade do SENHOR em Siló,
                              que se celebra para o norte de Betel do lado do nascente do
                                            sol, pelo caminho alto que sobe de Betel a Siquém,
                                                           e para o sul de Lebona.
Jz 21:20 E mandaram aos filhos de Benjamim, dizendo:
               Ide, e emboscai-vos nas vinhas. Jz 21:21 E olhai, e eis aí as filhas de
                              Siló a dançar em rodas, saí vós das vinhas, e arrebatai cada
                                            um sua mulher das filhas de Siló,
                                                           e ide-vos à terra de Benjamim.
Jz 21:22 E será que, quando seus pais ou seus irmãos vierem a litigar conosco,
               nós lhes diremos: Por amor de nós, tende compaixão deles,
                              pois nesta guerra não tomamos mulheres para cada um deles;
                                            por que não lhas destes vós, para que agora ficásseis
                                                           culpados. Jz 21:23 E os filhos de Benjamim
                              o fizeram assim, e levaram mulheres conforme ao número
                                            deles, das que arrebataram das rodas que
                                            dançavam; e foram-se, e voltaram à sua herança, e
                                                           reedificaram as cidades, e habitaram nelas.
               Jz 21:24 Também os filhos de Israel partiram dali, cada um para a
                              sua tribo e para a sua família; e saíram dali, cada um para a
                                            sua herança.
Jz 21:25 Naqueles dias
               não havia rei em Israel;
                              porém cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos.
O triste nessa história triste que encerra o livro de juízes é que tudo começou com um estrupo global daqueles filhos de Belial à concubina do levita – 19:1-30 - e terminou com a violação de outras mulheres quando todas as tribos aprovaram o rapto de suas próprias virgens.
A mensagem de juízes é que somente um rei justo, honesto e temente a Deus poderia conduzir o povo à obediência à lei de Deus na Terra Prometida. E que esse rei, preferencialmente, não seria de Benjamim, mas de Judá, conforme profetizara Jacó – Gn 49:10 “O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de entre seus pés, até que venha Siló; e a ele obedecerão os povos”.

Siló, sim, ele é Jesus Cristo de Nazaré que veio há mais de 2000 anos e que aqui estamos no século XXI aguardando a promessa de seu retorno.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.