sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Tema: Cri, por isso falei 2 - Sl 116:10 e 2 Co 4:13 - Faltam 616 dias para 26/04/13


Cri, por isso falei. Estive muito aflito.Salmos 116:10. E temos, portanto, o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos. 2 Coríntios 4:13.
Ontem tivemos nossa reunião abençoadíssima no Grupo Familiar Arca da aliança e Deus falou conosco poderosamente sobre o tema em questão no qual estamos meditando. A lógica é bem simples: o que pregamos? Nós pregamos a Palavra de Deus. Isso mesmo, não pregamos a nós mesmos, nem nossa mensagem, mas a mensagem que nos foi ordenada por Deus para pregarmos. A palavra de Deus funciona como uma senha que quando é recepcionada em nosso cérebro é processada e cumpre a sua finalidade trazendo a cura, a libertação, a restauração.
É necessário, no entanto, para que ela cumpra sua finalidade, para a qual Deus a destinou, que nós a recepcionemos com fé. Está escrito que o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a glória de Deus: Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. (2 Co 4:4). De quem Deus cegou o entendimento? Dos incrédulos! A palavra de Deus que é recepcionada com a incredulidade não cumprirá o seu papel, pelo menos naquela vida.
Por que pregamos o que pregamos? Pregamos o que pregamos porque Deus nos mandou pregar! Não pregamos a nós mesmos, nem a nossa mensagem, e pregamos porque Deus nos mandou pregar. Eu cri, por isso falei... nós cremos, por isso também falamos!
Em seguida, navegamos nas águas do conhecimento de 2 Corintios 4 que trata deste tema nos permitindo Deus uma viagem abençoada e edificante. Terminamos nossa simples reunião com vontade de ser usado por Deus para pregarmos a sua palavra. Além de minha esposa e filhos e filha, também estavam conosco o Miltão, o Miltinho e a sua amada esposa que se encontra grávida para a glória de Deus.
TESTEMUNHO DE CURA DIVINA
Quando pensamos que acabou, a esposa do Miltão (Neide, mulher de fé!) nos contou o testemunho do Miltinho e ficamos boquiabertos de ver quão grande sinal e maravilha Deus operou nesse menino. O Miltinho nasceu com os dois pés tortos e iria ficar coxo, ou iria ter de usar aparelho e botinhas para o resto da vida. O procedimento cirúrgico corretivo, programado para ser realizado quando a criança atingisse 1 ano e meio de vida, seria de serrar os dois pés e juntá-los, depois, tirando a curvatura, com parafusos e, passados algum tempo, novo procedimento dessa vez para a retirada dos parafusos.
Conta ela que quando a criança tinha cerca de 6 meses ela estava assistindo um programa na TV do RR Soares e o mesmo, ali na TV, estabeleceu com ela um contato ao se dirigir a ela e dizer-lhe: - mãezinha que está ai na cama deitada junto com seu bebê que se encontra com os dois pés engessados, vá e chame teu marido e impondo as  mãos sobre a criança, orem comigo que Deus irá curar essa criança. Ela se assustou e gritou para seu marido vir ao quarto e este prontamente fez o que RR Soares lhe falou e oraram, com a imposição de mãos.
A cirurgia seria complexa e havia expectativa de que o problema seria amenizado consideravelmente, mas não curado e restaurado totalmente. Os ortopedistas a advertiam que, muito provavelmente, aquela criança iria usar aparelhos ortopédicos para o resto da vida. nas suas muitas idas e vindas ao Hospital Anchieta a tratar com os doutores, em um dado momento, ela desabafou com o médico responsável que Deus iria curar o Miltinho, mas o médico nem fez caso.
Ela vivia no Hospital Anchieta por causa do Miltinho e todos conheciam aquela criança e seu problema com os dois pés. Houve também uma vez quando engessaram a criança que o gesso foi tão mal aplicado que quase trouxe um outro problema obrigando a amputação de ambas as pernas, mas Deus usou a mãe que correndo para o hospital exigiu que retirassem o gesso e isso salvou aquelas pernas e seus pezinhos. Conta ela que ficou muito irada com o médico responsável, mas Deus deu o livramento na hora certa.
Quando a criança tinha perto de um ano, repentinamente – é de repente que acontece! – a criança coxa, se levantou e sem mais nem menos começou a andar normal pela casa. Quando ela viu a cena de seu filho andando (todos sabemos que o processo de andar das crianças envolve quedas, mas aquela criança estava ali recebendo a cura divina e ainda aprendendo a andar sem qualquer instrutor!) ela pulou, gritou, deu glórias a Deus, chamou vizinhos, amigos, parentela e seu marido e foi uma festa e motivo de muita alegria. O pai quis levar a criança imediatamente para os médicos a examinarem, mas a mãe disse que não. Ela iria esperar o dia da cirurgia e ai sim apareceriam com a criança normal.
Assim fizeram e no dia da cirurgia a criança apareceu de mãos dadas aos pais, usando meia e tênis que era impossível de usar por causa da severa curvatura de ambos os pés. Aquele dia, naquele hospital, houve um grande reboliço e médicos, atendentes, enfermeiros, plantonistas, seguranças ficaram atônitos sem saber o que dizer diante do milagre que ocorreu para a glória de Deus. Os ortopedistas examinaram, examinaram, compararam com os raios x e ficaram assustados. A mãe aproveitou e disse ao médico responsável: - eu não te disse doutor que meu filho seria curado!
Glórias a Deus! Fiquei muito feliz e depois confraternizamos e comemoramos meu niver de 19.000 dias.
Amados de Cristo, a palavra da pregação que cremos e que falamos não é outra nem está sustentada em novidades, mas a mensagem é simples e acessível a todos: 3. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 4. E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. 5. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. 6. Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. 7. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. 8. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. (I Co 15:3-8). Ainda hoje Deus continua a operar em nosso meio e necessário é que recebamos a sua palavra com fé e não dando crédito ao diabo, com dúvidas. Deus está falando: quem tiver ouvidos que ouça e seja abençoado.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.