quarta-feira, 12 de março de 2014

Juízes 7:1-25 – GIDEÃO E OS 300.

A partir da história de Gideão as lideranças passaram a oscilar em lideranças positivas e fortes e lideranças negativas e fracas. No final do livro ficará claro e evidente que os juízes não tinham condições de liderar nem libertar Israel.
As necessidades e os fracassos dos juízes apontavam para outro tipo de liderança a qual seria a monarquia, um rei para o povo e fiel à aliança que pudesse conduzi-los e guiá-los diante de todos os desafios como se fossem uma nação unida e forte.
Ainda estamos, no presente capítulo, vendo a história de Gideão que ocupará nossas reflexões até o capítulo 9. No capítulo anterior (cap. 6), vimos: - a pecaminosidade em Israel quando Gideão foi chamado – vs. 1-10; - o seu chamado para ser um libertador – vs. 11-32; - e estamos vendo, agora, sua dificuldade em crer na promessa de Deus – que começou em 6:33-40 e que irá até ao capítulo 7:18. No capítulo 7, também veremos Gideão livrando Israel de Midiã que se prolongará até o capitulo 8:21 e depois a conclusão com a perversidade em Israel quando Gideão faleceu – 8:22-32. Por fim, Abimeleque: 8:33 – 9:57.
Gideão, como diz a BEG, foi um líder excepcional em vários sentidos:
·       A sua história é a mais extensa e percebe-se que o Senhor está mais ativo que nas outras histórias.
·       O Anjo do Senhor não apareceu a nenhum juiz, exceto para Gideão – 6:11-24.
·       Muito tempo depois, Isaias lembrou essa conquista como uma importante conquista – Is 9:4; 10:26.
·       Foi Gideão quem foi apresentado como primeiro libertador na lista de Samuel – I Sm 12:11.
·       Foi ainda comparado a Moisés – 6:11-24.
·       O povo tentou fazer dele rei e, na verdade, foi mesmo um rei vivendo como tal – 8:26-27, 30, 32.
·       E, por um curto período, um de seus filhos se tornou o primeiro rei – capítulo 9.
Embora tenha tudo isso que se levar em conta a favor de Gideão, o mesmo fracassou.
·       Pesa sobre ele o fato de ele ter sido também o primeiro juiz a se vingar exageradamente de seus compatriotas e voltar a sua espada contra outros israelitas – 8:16-17.
·       Fez para si uma estola sacerdotal e com ela prostituiu-se – 8:27.
·       Se recusou a governar como rei, mas usufruiu dos direitos de um rei, por exemplo, os despojos de guerra – 8:23-29 e um harém – 8:30,31.
·       Recebeu a visita celestial, mas portou-se com muito medo, muitas dúvidas e fez muitos testes para saber se de fato o Senhor era com ele.
Neste capítulo 7, Gideão e os trezentos derrotam o inimigo.
Primeiro, antes de tudo, Deus diz a Gideão que o povo que ele reuniu para derrotar os midianitas era muito grande e desnecessário. Gideão tinha reunido para isso 32000 homens. O exército que eles iriam enfrentar era composto de 135000 homens.
Se fizesse uma pequena conta de matemática dividindo 135000 por 32000 teríamos mais de 4 midianitas contra 1 israelita.
Começa-se a então filtrar o povo e o primeiro filtro foi contra os medrosos e tímidos e de um total de 32000 homens, 22000 se declararam tímidos e medrosos e voltaram da guerra. Ou seja, 69% de todo o exército estava nesta condição reprovável. Estes voltaram para sua casa.
Ainda Deus achava muita gente para derrotar o inimigo com seus 135000 homens valentes de guerra. A proporção aqui, agora, seria de 13,5 midianitas para 1 israelita.
Outro filtro é lançado e os dez mil vão beber água e os que bebem a água como bebem os cães são 9700 e os outros 300 a bebem de joelhos. Deus fala para Gideão liberar os 9700 e disse a ele que bastaria aqueles 300 para derrotar o inimigo terrível com seu exército de 135000 homens.
A proporção final ficou, fazendo-se as contas, de 450 midianitas para 1 israelita. Essa foi a proporção escolhida por Deus para a guerra.
Realmente a vitória não é do mais forte, nem do mais bem preparado, nem do campeão, nem do mais dedicado, mas daquele a quem o Senhor se agradar.
Esses 300 enfrentam os 135000 e Deus age dando vitórias a eles. Deus usa de suas estratégias e de seu modo de agir para trazer ao seu povo a vitória.
Deus estava dizendo para Gideão que ele era Deus de Israel. Deus estava dizendo para Israel que ele era o Deus deles e que deveriam confiar nele, que ele os livraria de todo o poder do inimigo. Mesmo assim, o povo insistia em desprezar o Senhor e correr atrás do que não deveria, nem poderia.
Jz 7:1 Então Jerubaal (que é Gideão) se levantou de madrugada,
               e todo o povo que com ele havia, e se acamparam junto
                              à fonte de Harode, de maneira que tinha
                                            o arraial dos midianitas para o norte, no vale,
                                                           perto do outeiro de Moré.
Jz 7:2 E disse o SENHOR a Gideão:
               Muito é o povo que está contigo, para eu dar aos midianitas
               em sua mão; a fim de que Israel não se glorie contra mim, dizendo:
                              A minha mão me livrou.
               Jz 7:3 Agora, pois, apregoa aos ouvidos do povo, dizendo:
                              Quem for medroso e tímido, volte, e retire-se apressadamente
                                            das montanhas de Gileade.
                              Então voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram.
               Jz 7:4 E disse o SENHOR a Gideão:
                              Ainda há muito povo; faze-os descer às águas,
                              e ali os provarei; e será que, daquele de que eu te disser:
                                            Este irá contigo, esse contigo irá;
                              porém de todo aquele, de que eu te disser:
                                            Este não irá contigo, esse não irá.
               Jz 7:5 E fez descer o povo às águas. Então o SENHOR disse a Gideão:
                              Qualquer que lamber as águas com a sua língua,
                                            como as lambe o cão, esse porás à parte;
                                            como também a todo aquele que se abaixar
                                                           de joelhos a beber.
               Jz 7:6 E foi o número dos que lamberam, levando a mão à boca,
                              trezentos homens; e todo o restante do povo se abaixou
                                            de joelhos a beber as águas.
               Jz 7:7 E disse o SENHOR a Gideão:
                              Com estes trezentos homens que lamberam as águas
                                            vos livrarei, e darei os midianitas na tua mão;
                              portanto, todos os demais se retirem, cada um ao seu lugar.
               Jz 7:8 E o povo tomou na sua mão a provisão e as suas buzinas,
                              e enviou a todos os outros homens de Israel cada um à sua
                                            tenda, porém os trezentos homens reteve;
                              e estava o arraial dos midianitas embaixo, no vale.
               Jz 7:9 E sucedeu que, naquela mesma noite, o SENHOR lhe disse:
                              Levanta-te, e desce ao arraial,
                                            porque o tenho dado na tua mão.
                              Jz 7:10 E, se ainda temes descer, desce tu e teu moço Purá,
                                            ao arraial; Jz 7:11 E ouvirás o que dizem, e então,
                                            fortalecidas as tuas mãos descerás ao arraial.
               Então desceu ele com o seu moço Purá até ao extremo das sentinelas
                              que estavam no arraial.
               Jz 7:12 E os midianitas, os amalequitas, e todos os filhos do oriente
                              jaziam no vale como gafanhotos em multidão;
                                            e eram inumeráveis os seus camelos, como a areia
                                                           que há na praia do mar.
               Jz 7:13 Chegando, pois, Gideão, eis que estava contando um homem
                              ao seu companheiro um sonho, e dizia:
                              Eis que tive um sonho, eis que um pão de cevada torrado
                                            rodava pelo arraial dos midianitas, e chegava até à
                              tenda, e a feriu, e caiu, e a transtornou de cima para baixo;
                                            e ficou caída.
               Jz 7:14 E respondeu o seu companheiro, e disse:
                              Não é isto outra coisa, senão a espada de Gideão,
                                            filho de Joás, varão israelita.
                              Deus tem dado na sua mão aos midianitas,
                                            e todo este arraial.
               Jz 7:15 E sucedeu que, ouvindo Gideão a narração deste sonho,
                              e a sua explicação, adorou; e voltou ao arraial de Israel,
                                            e disse:
               Levantai-vos, porque o SENHOR tem dado o arraial dos midianitas
                              nas nossas mãos. Jz 7:16 Então dividiu os trezentos homens
                                            em três companhias; e deu-lhes a cada um,
                                                           nas suas mãos, buzinas, e cântaros vazios,
                                                                          com tochas neles acesas.
               Jz 7:17 E disse-lhes:
                              Olhai para mim, e fazei como eu fizer; e eis que, chegando eu
                                            à extremidade do arraial, será que, como eu fizer,
                                                           assim fareis vós.
                              Jz 7:18 Tocando eu a buzina, eu e todos os que comigo
                                            estiverem, então também vós tocareis a buzina ao
                                                           redor de todo o arraial, e direis:
                              Espada do SENHOR, e de Gideão.
               Jz 7:19 Chegou, pois, Gideão, e os cem homens que com ele iam,
                              ao extremo do arraial, ao princípio da vigília da meia noite,
                                            havendo sido de pouco trocadas as guardas;
                              então tocaram as buzinas, e quebraram os cântaros,
                                            que tinham nas mãos.
               Jz 7:20 Assim tocaram as três companhias as buzinas, e quebraram os
                              cântaros; e tinham nas suas mãos esquerdas
                                            as tochas acesas, e nas suas mãos direitas
                                                           as buzinas, para tocarem, e clamaram:
                              Espada do SENHOR, e de Gideão.
               Jz 7:21 E conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial;
                              então todo o exército pôs-se a correr e, gritando, fugiu.
               Jz 7:22 Tocando, pois, os trezentos as buzinas, o SENHOR
               tornou a espada de um contra o outro, e isto em todo o arraial,
                              que fugiu para Zererá, até Bete-Sita, até aos limites
                                            de Abel-Meolá, acima de Tabate.
               Jz 7:23 Então os homens de Israel, de Naftali, de Aser e de todo o
                              Manassés foram convocados, e perseguiram aos midianitas.
               Jz 7:24 Também Gideão enviou mensageiros a todas as montanhas
                              de Efraim, dizendo:
               Descei ao encontro dos midianitas, e tomai-lhes as águas
                              até Bete-Bara, e também o Jordão. Convocados, pois, todos
                              os homens de Efraim, tomaram-lhes as águas até Bete-Bara
                                            e o Jordão.
               Jz 7:25 E prenderam a dois príncipes dos midianitas,
                              a Orebe e a Zeebe; e mataram a Orebe na penha de Orebe,
                              e a Zeebe mataram no lagar de Zeebe,
                                            e perseguiram aos midianitas;
                              e trouxeram as cabeças de Orebe e de Zeebe a Gideão,
                                            além do Jordão.
A palavra chave de Gideão para seu exército de valentes era: “olhai para mim e fazei como eu fizer” – vs. 17. Abimeleque, filho de Gideão, no capítulo 9:48,49, em Siquém,  também falará esta frase que deve ter ficado célebre na ocasião e referência naquele Israel.
Paulo usou uma frase parecida com essa ao falar aos crentes da sua época para serem imitadores deles, como ele e os apóstolos, eram de Cristo Jesus – I Co 4:16; 11:1; Ef 5:1; Fp 3:17; I Ts 1:6, 2:14; Hb 6:12.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.