sexta-feira, 7 de março de 2014

Juízes 2:1-23 – COMEÇA O CICLO DOS 12 JUÍZES.

Estamos seguindo a estruturação dada pela BEG, pelo que, dividimos também o livro em três grandes partes:
1.     A CONQUISTA INCOMPLETA – 1:1 – 2:5.
2.     OS CICLOS DOS DOZE JUÍZES – 2:6 – 16:31.
3.     OS ERROS DOS LEVITAS – 17:1 – 21:25.
No presente capítulo, até o verso 5, encerraremos a primeira parte e a partir do vs. 6, começaremos uma parte muito extensa que será o ciclo dos 12 juízes.
O numeral 12 tem um significado interessante em toda a Bíblia e a ocorrência dele nos mostra algo que merece nossa atenção e estudo. Eu, particularmente, vejo o número doze sendo associado a missões especiais envolvendo pessoas que são conduzidas por um grande líder para finalidades especiais relativas ao reino de Deus e à sua justiça.
Vejamos alguns exemplos dele: 12 também foram os patriarcas; 12 foram os príncipes gerados de Ismael; os espias; os que levantaram memoriais de pedra junto ao Jordão, por ordem divina; 12 eram os intendentes de Salomão; os que Esdras separou dos principais; agora os juízes; os apóstolos; os anciãos que se encontravam sentados, no seu trono diante de Deus.
Há ainda muitas outras ocorrências e fatos curiosos e a demonstração a seguir não é exaustiva, mas ajuda em nossa reflexão:
Um ano tem doze meses. A nação de Israel era composta de doze tribos. Montadas na placa peitoral do sumo sacerdote havia doze pedras preciosas (Ex. 28:21). Na mesa de ouro dos pães da proposição eram colocados doze pães (Lv 24:5,6). Elim tinha doze fontes de água (Ex. 15:27). José pôs doze pedras no rio Jordão (Josué 4:9). Elias usou doze pedras para construir um altar (I Reis 18:31,32). O Senhor Jesus foi a Jerusalém aos doze anos de idade (Luc. 2:42). Ele escolheu doze apóstolos e lhes prometeu o direito de se assentarem em doze tronos, para julgarem as doze tribos de Israel (Mat. 19:28). Ele curou a mulher que tinha um fluxo de sangue havia doze anos (Luc. 8:43,44). Ele levantou da morte a filha de Jairo, que tinha doze anos de idade (Luc. 8:42,54,55). Depois de cinco mil pessoas terem se alimentado, as sobras dos cinco pães e dois peixes encheram doze cestos (Mat. 14:20). Se o Senhor quisesse, ele pediria ao Pai, e teria doze legiões de anjos para resgatá-lo (Mat. 26:53). Na leitura do livro de Apocalipse, nos descobrimos que o número 12 é mais frequentemente usado nesse livro do que em qualquer outro. Haverá doze estrelas formando a coroa na cabeça da mulher (Rev. 12:1). A Nova Jerusalém terá doze portões feitos de doze perolas (21:21). Nesses portões haverá doze anjos (vs.12), e os nomes escritos sobre os portões serão os nomes das doze tribos de Israel (vs.12). O muro da cidade terá doze fundações, com os nomes dos doze apóstolos (vs..14). A árvore da vida dará origem a doze diferentes frutos (22:2).[1]
Temos muito o que aprender na Palavra de Deus e quanto mais a investigamos, mais aprendemos.
Voltemos ao presente capítulo onde um anjo do Senhor sobe de Gilgal – lugar onde se encontrava a arca da aliança - a Boquim e lhes dá uma severa palavra de juízo por não terem eles sido fieis e fracassado na conquista da terra.
Percebe-se nesses versículos um resumo da introdução do livro de Juízes para, em breve, ser introduzido o ciclo dos juízes. A BEG diz que a linguagem do texto pactual confere ao episódio um enfoque profético e que as partes da aliança são identificadas e o acordo pactual é recapitulado.
Tendo Israel transgredido os mandamentos e a aliança do Senhor, foi então pronunciado sobre eles o julgamento divino – Nm 33:50-56; Dt 7:1-16; Js 23:1-16.
O povo não suportou a palavra dita pelo anjo e chorou, mas o que adianta este choro? Deus tinha com eles uma aliança e tinha sido fiel na sua parte, mas os israelitas vacilaram e não o temeram nem o respeitaram, antes endureceram a sua cerviz e foram entregues a si mesmos.
A consequência terrível é que Deus não expulsaria eles da terra e seriam os seus moradores como espinhos nos olhos deles e como aguilhões nas suas ilhargas e ainda os perturbariam na terra em que fosse habitar. Eles ainda seriam seus adversários e os seus deuses como laços para eles. Terrível sentença!
Do fracasso agora para o ciclo dos juízes pela misericórdia de Deus.
2.      OS CICLOS DOS DOZE JUÍZES – 2:6 – 16:31
Esta segunda parte relata os ciclos do pecado, julgamento e livramento em Israel durante o período dos juízes. Seguindo nossa divisão proposta, também dividiremos esta longa parte em duas subpartes: A. O padrão dos ciclos – 2:6 a 3:6. B. Os doze ciclos – 3:7 a 16:31.
A. O padrão dos ciclos – 2:6 a 3:6.
Também o dividiremos em quatro seções que tratam do tempo de Josué – vs. 6 a 9; uma apresentação dos ciclos – vs. 10 a 19; o propósito dos julgamentos divinos – vs. 20 a 23 e, finalmente, os instrumentos desses julgamentos, o qual será visto no próximo capítulo até o vs. 6.
Josué é recapitulado aqui conforme Js 24:28-31 e citado como um líder que conduziu o povo de Deus e que ao seu fim foi recolhido e com ele toda aquela geração. Ficou registrado a fidelidade de Deus e a fidelidade de Josué e dos anciãos e de todo o povo em perseverar em seguir ao Senhor, apesar dos pesares.
Levanta-se agora uma outra geração que nada sabia da geração anterior, nem dos feitos do Senhor. O mesmo ocorreu quando José foi para o Egito e ele morreu e com ele toda a geração de seus irmãos e outra geração se levantou sem saber de nada.
Seria o fato de que os pais não tiveram o cuidado de ensinar as gerações seguintes as coisas sobre o Senhor e seus grandes feitos? E nós da presente geração estamos tendo cuidado com nossos herdeiros?
Em Deuteronômio está escrito que uma geração deve deveria declarar as maravilhas de Deus à outra geração – Dt 4:9; 6:1-6 -, mas os israelitas não levaram a sério essa responsabilidade e assim, seus filhos desprezavam ao Senhor.
O fato é que os filhos de Israel foram e fizeram o que era mal diante do Senhor e o rejeitaram e serviram a outros deuses provocando assim a ira do Senhor contra eles.
Em consequência, sofreram muito e não puderam prevalecer em nada e grande angústia começou a tomar conta do povo que passou a clamar por socorro ao Deus que tanto afrontavam.
Deus então lhes envia os juízes para os livrar, por pura graça e misericórdia de sua parte.
Não há muito mistério aqui. Tudo parece bem simples. O Deus pactual, relacional, fez uma aliança com o povo. Prometeu-lhes bênçãos e a conquista da Terra Prometida se obedecessem e maldições se fossem infiéis. O povo rejeitou a Deus e a sua aliança e sofreram as graves consequências de seus atos e de suas escolhas tresloucadas.
Deus então lhes envia juízes e durante o tempo do reinado desses libertadores do povo, havia paz e prosperidade e seguiam ao Senhor, mas morrendo eles, voltavam às velhas práticas e novamente entravam em apuros. Tornou-se um ciclo vicioso e sem jeito de uma solução adequada.
Jz 2:1 E subiu o anjo do SENHOR de Gilgal a Boquim, e disse:
                Do Egito vos fiz subir, e vos trouxe à terra que a vossos pais
                               tinha jurado e disse:
                                               Nunca invalidarei a minha aliança convosco.
                Jz 2:2 E, quanto a vós, não fareis acordo com os moradores
                               desta terra, antes derrubareis os seus altares;
                                               mas vós não obedecestes à minha voz.
                                                               Por que fizestes isso?
                Jz 2:3 Assim também eu disse:
                               Não os expulsarei de diante de vós; antes estarão como
                                               espinhos nas vossas ilhargas, e os seus deuses
                                                               vos serão por laço.
                Jz 2:4 E sucedeu que, falando o anjo do SENHOR estas palavras
                               a todos os filhos de Israel, o povo levantou a sua voz
                                               e chorou.
                Jz 2:5 Por isso chamaram àquele lugar, Boquim;
                               e sacrificaram ali ao SENHOR.
Jz 2:6 E havendo Josué despedido o povo foram-se os filhos de Israel,
                cada um à sua herança, para possuirem a terra. Jz 2:7 E serviu o povo
                               ao SENHOR todos os dias de Josué, e todos os dias dos
                                               anciãos que ainda sobreviveram depois de Josué,
                e viram toda aquela grande obra do SENHOR, que fizera a Israel.
                Jz 2:8 Faleceu, porém, Josué, filho de Num, servo do SENHOR,
                               com a idade de cento e dez anos; Jz 2:9 E sepultaram-no no
                                               termo da sua herança, em Timnate-Heres, no monte
                                                               de Efraim, para o norte do monte de Gaás.
Jz 2:10 E foi também congregada toda aquela geração a seus pais,
                e outra geração após ela se levantou,
                               que não conhecia ao SENHOR,
                               nem tampouco a obra que ele fizera a Israel.
                Jz 2:11 Então fizeram os filhos de Israel o que era mau
                               aos olhos do SENHOR; e serviram aos baalins.
                Jz 2:12 E deixaram ao SENHOR Deus de seus pais, que os tirara da
                               terra do Egito, e foram-se após outros deuses,
                               dentre os deuses dos povos, que havia ao redor deles,
                                               e adoraram a eles; e provocaram o SENHOR à ira.
                Jz 2:13 Porquanto deixaram ao SENHOR,
                               e serviram a Baal e a Astarote.
                Jz 2:14 Por isso a ira do SENHOR se acendeu contra Israel,
                               e os entregou na mão dos espoliadores que os despojaram;
                               e os entregou na mão dos seus inimigos ao redor;
                               e não puderam mais resistir diante dos seus inimigos.
                Jz 2:15 Por onde quer que saíam, a mão do SENHOR era contra eles
                               para mal, como o SENHOR tinha falado, e como o SENHOR
                                               lhes tinha jurado; e estavam em grande aflição.
Jz 2:16 E levantou o SENHOR juízes, que os livraram da mão
                dos que os despojaram. Jz 2:17 Porém tampouco ouviram aos juízes,
                               antes prostituíram-se após outros deuses, e adoraram a eles;
                depressa se desviaram do caminho, por onde andaram seus pais,
                                obedecendo os mandamentos do SENHOR;
                                               mas eles assim não fizeram.
                Jz 2:18 E, quando o SENHOR lhes levantava juízes,
                               o SENHOR era com o juiz, e os livrava da mão
                                               dos seus inimigos, todos os dias daquele juiz;
                               porquanto o SENHOR se compadecia deles pelo seu gemido,
                                               por causa dos que os oprimiam e afligiam.
                Jz 2:19 Porém sucedia que, falecendo o juiz, reincidiam
                               e se corrompiam mais do que seus pais, andando
                                               após outros deuses, servindo-os, e adorando-os;
                                                               nada deixavam das suas obras,
                                                               nem do seu obstinado caminho.
                Jz 2:20 Por isso a ira do SENHOR se acendeu contra Israel, e disse:
                               Porquanto este povo transgrediu a minha aliança,
                                               que tinha ordenado a seus pais, e não deram ouvidos
                                                               à minha voz, Jz 2:21 Tampouco
                               desapossarei mais de diante deles a nenhuma das nações,
                                               que Josué deixou, quando morreu;
                               Jz 2:22 Para por elas provar a Israel, se há de guardar,
                                               ou não, o caminho do SENHOR, como seus pais
                                                               o guardaram, para nele andar.
Jz 2:23 Assim o SENHOR deixou ficar aquelas nações,
                e não as desterrou logo,
                nem as entregou na mão de Josué.
Aqui está explicada a razão principal porque a geração fiel ao Senhor falhou em conquistar toda a Terra Prometida apesar dos pesares. No vs. 23 está escrito que Deus permitiu e deixou povos para serem conquistados para provar o coração do povo se seria ou não fiel à aliança. O Senhor deixou aquelas nações e não as desterrou nem as entregou na mão de Josué para assim provar a geração seguinte. Eles falharam.
Mais uma vez fica claro que a vitória pertence ao Senhor e àquele que ele quiser que seja vitorioso, conforme seus planos e seus propósitos. Quer prosperar de verdade? Procure conhecer a vontade do Senhor e ande e siga todos os seus caminhos. Do contrário, você pode até ser filho do rei que o juízo te alcançará.



[1] Leia mais: http://www.palavrasdoevangelho.com/numeros-na-biblia
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.