segunda-feira, 24 de março de 2014

Juízes 19:1-30 – GRANDE VIOLÊNCIA POR PARTE DOS HOMENS DE GIBEÁ.

Entramos, finalmente, finalizando este livro, na última seção, da terceira parte de nossa divisão de Juízes: 3. OS ERROS DOS LEVITAS – 17:1 – 21:25.
Como temos visto, é importante essa repetição, até o presente momento nada tinha dado certo na vida dos filhos de Israel depois da morte de seus grandes líderes que começaram tudo isso: Moisés e seu substituto, Josué. E o livro de Juízes vem demonstrando claramente esse fracasso de Israel como se fosse uma introdução para introduzir a figura do rei em Israel.
Esta terceira e última parte também foi subdividida em duas.  Já vimos a primeira delas: A. Um levita e a idolatria em Israel – 17:1 – 18:31. E, agora a última: B. Um levita e a violência em Israel – 19:1 – 21:25.
B. Um levita e a violência em Israel – 19:1 – 21:25.
A situação tinha se agravado tanto em Israel que eles, os filhos de Israel, já estavam se comportando como os antigos habitantes daquele lugar. A palavra de Deus estava se cumprindo neles por falta de atitude e fé nas promessas de Deus, além do interesse estranho por aquelas culturas estranhas e condenadas por Deus.
O resultado disso foi uma grande guerra civil entre as tribos. O encerramento bruto e repugnante do livro de Juízes deixa claro a intenção do autor de fazer desse relato uma introdução para a figura do rei em Israel como aquele que irá resgatar os valores, conduzir o povo de volta à aliança com Deus e  à união – 17:6; 18:1; 19:1; 21:25.
Por incrível que pareça, nessa narrativa, os homens que vieram a pecar, como os filhos de Sodoma e Gomorra que foram destruídos, foram os da tribo de Benjamim e a cidade, justamente aquela em que nascerá seu grande e primeiro rei Saul. É já o preparativo da tese da rejeição de Benjamim e da escolha de Judá.
A ênfase, conforme a BEG, sobre o ato do levita de cortar sua concubina em doze partes a fim de comunicar Israel (um paralelo claro com o ato de Saul em I Sm 11:6-8) teve uma repercussão negativa tanto para Benjamim quanto para Saul. Por fim, Judá, a tribo de Davi, foi escolhida pelo Senhor para liderar o ataque aos benjamitas – 1:1-2; 20:18 - os quais foram considerados como se fossem cananeus!
Ainda dividiremos essa seção “B” em três partes: 1. A violência dos homens de Gibeá – 19:1-30. 2. A violência contra os homens de Gibeá – 20:1-48. E, finalmente, a violência contra Jabes-Gileade – 21:1-25.
1. A violência dos homens de Gibeá – 19:1-30.
A primeira parte desta última seção do livro dá início a um processo de violência repetida, desencadeada por um acontecimento que envolveu um levita e sua concubina no território de Benjamim.
Reparem no mesmo começo do capítulo 18 e também de 17:6 e 21:25. A ênfase clara é que não havia rei em Israel e a conclusão óbvia é que Israel precisa urgente de um rei, preferencialmente da tribo de Judá e não de Benjamim.
Gibeá era conhecida na época como a cidade natal de Saul! Justamente onde se desenrola essa história triste, desumana e semelhante somente com a história dos homens de Sodoma e Gomorra que foram destruídos pelo Senhor.
Reparemos também que o levita e a sua concubina não quiseram passar a noite de jeito algum em cidades que não fosse dos filhos de Israel. Recusaram passar a noite em Jebus – que é Jerusalém – por temerem o mal e acabaram se dando muito mal onde resolveram ficar.
Na praça ficaram um bom tempo até que apareceu um homem que voltava do trabalho, já tarde da noite, de seu campo onde trabalhava, e conversando com eles, resolveu abrigá-los em sua própria casa, pois ali era muito perigoso.
Na casa do hospedeiro, eles comeram, beberam, conversaram, se alegraram até que os homens maus, filhos de Belial, vão ao encontro dos visitantes à porta da casa do senhor e querem com o homem praticar coisas inconvenientes como assim faziam os habitantes de Sodoma e Gomorra.
Ao invés disso, pela oposição do dono da casa, resolvem se contentar, em seu mau agir, com a concubina do levita que estava resolvendo a sua vida com ela, isto é, eles estavam se reconciliando.
O levita tinha ido de encontro a sua concubina que o havia traído com outro homem e na casa do pai dela passaram alguns dias antes dessa viagem. Parecia que tudo estava já resolvido na vida deles e um novo começo os aguardava.
O fato é que a concubina teve de pagar a conta com os filhos de Belial que abusaram dela a noite toda e a deixaram morta pela manhã, na porta da própria casa onde seu senhor se hospedará e dormira tranquilamente.
Jz 19:1 Aconteceu também naqueles dias,
                em que não havia rei em Israel,
                               que houve um homem levita, que, peregrinando aos lados
                                               da montanha de Efraim, tomou para si
                                                               uma concubina, de Belém de Judá.
                Jz 19:2 Porém a sua concubina adulterou contra ele, e deixando-o,
                               foi para a casa de seu pai, em Belém de Judá,
                                               e esteve ali alguns dias, a saber, quatro meses.
                Jz 19:3 E seu marido se levantou, e foi atrás dela,
                               para lhe falar conforme ao seu coração,
                                               e para tornar a trazê-la;
                               e o seu moço e um par de jumentos iam com ele;
                               e ela o levou à casa de seu pai, e, vendo-o o pai da moça,
                                               alegrou-se ao encontrar-se com ele.
                Jz 19:4 E seu sogro, o pai da moça, o deteve, e ficou com ele três dias;
                               e comeram e beberam, e passaram ali a noite.
                Jz 19:5 E sucedeu que ao quarto dia pela manhã, de madrugada,
                               ele levantou-se para partir; então o pai da moça disse a seu
                                               genro: Fortalece o teu coração com um bocado de
                                                               pão, e depois partireis.
                Jz 19:6 Assentaram-se, pois, e comeram ambos juntos, e beberam;
                               e disse o pai da moça ao homem: Peço-te que ainda esta
                                               noite queiras passá-la aqui,
                                                               e alegre-se o teu coração.
                Jz 19:7 Porém o homem levantou-se para partir;
                               mas seu sogro o constrangeu a tornar a passar ali a noite.
                Jz 19:8 E, madrugando ao quinto dia pela manhã para partir,
                               disse o pai da moça:
                               Ora, conforta o teu coração. E detiveram-se até já declinar
                                               o dia; e ambos juntos comeram.
                Jz 19:9 Então o homem levantou-se para partir,
                               ele, e a sua concubina, e o seu moço; e disse-lhe seu sogro,
                                               o pai da moça: Eis que já o dia declina
                                                               e a tarde já vem chegando;
                               peço-te que aqui passes a noite;
                                               eis que o dia já vai acabando, passa aqui a noite,
                                                               e que o teu coração se alegre;
                                               e amanhã de madrugada levanta-te a caminhar,
                                                               e irás para a tua tenda.
                Jz 19:10 Porém o homem não quis ali passar a noite,
                               mas levantou-se, e partiu, e chegou até defronte
                                               de Jebus (que é Jerusalém), e com ele o par de
                               jumentos albardados, como também a sua concubina.
                Jz 19:11 Estando, pois, já perto de Jebus,
                               e tendo-se já declinado muito o dia,
                                               disse o moço a seu senhor:
                               Vamos agora, e retiremo-nos a esta cidade dos jebuseus,
                                               e passemos ali a noite.
                Jz 19:12 Porém disse-lhe seu senhor:
                               Não nos retiraremos a nenhuma cidade estranha,
                                               que não seja dos filhos de Israel;
                                                               mas iremos até Gibeá.
                Jz 19:13 Disse mais a seu moço:
                               Vamos, e cheguemos a um daqueles lugares,
                                               e passemos a noite em Gibeá ou em Ramá.
                Jz 19:14 Passaram, pois, adiante, e caminharam, e o sol se lhes pôs
                               junto a Gibeá, que é cidade de Benjamim.
                Jz 19:15 E retiraram-se para lá, para passarem a noite em Gibeá;
                               e, entrando ele, assentou-se na praça da cidade,
                                               porque não houve quem os recolhesse em casa
                                                               para ali passarem a noite.
                Jz 19:16 E eis que um velho homem vinha à tarde do seu trabalho                                      do campo; e era este homem da montanha de Efraim,
                                               mas peregrinava em Gibeá; eram porém os homens
                                                               deste lugar filhos de Benjamim.
                               Jz 19:17 Levantando ele, pois, os olhos, viu a este viajante
                                               na praça da cidade, e disse o ancião:
                               Para onde vais, e donde vens?
                Jz 19:18 E ele lhe disse:
                               Viajamos de Belém de Judá até aos lados da montanha
                                               de Efraim, de onde sou; porquanto fui a Belém de
                                               Judá, porém agora vou à casa do SENHOR;
                                                               e ninguém há que me recolha em casa.
                               Jz 19:19 Todavia temos palha e pasto para os nossos
                                               jumentos, e também pão e vinho há para mim,
                                                               e para a tua serva, e para o moço que vem
                                               com os teus servos; de coisa nenhuma há falta.
                Jz 19:20 Então disse o ancião:
                               Paz seja contigo; tudo quanto te faltar fique ao meu cargo;
                                               tão-somente não passes a noite na praça.
                Jz 19:21 E levou-o à sua casa, e deu pasto aos jumentos;
                               e, lavando-se os pés, comeram e beberam.
                Jz 19:22 Estando eles alegrando o seu coração,
                               eis que os homens daquela cidade (homens que eram filhos de
                                               Belial) cercaram a casa, batendo à porta;
                                               e falaram ao ancião, senhor da casa, dizendo:
                               Tira para fora o homem que entrou em tua casa,
                                               para que o conheçamos.
                Jz 19:23 E o homem, dono da casa, saiu a eles e disse-lhes:
                               Não, irmãos meus, ora não façais semelhante mal;
                                               já que este homem entrou em minha casa,
                                                               não façais tal loucura.
                               Jz 19:24 Eis que a minha filha virgem e a concubina dele
                                               vo-las tirarei fora; humilhai-as a elas, e fazei delas
                                                               o que parecer bem aos vossos olhos;
                                               porém a este homem não façais essa loucura.
                Jz 19:25 Porém aqueles homens não o quiseram ouvir;
                               então aquele homem pegou da sua concubina,
                                               e lha tirou para fora; e eles a conheceram
                                               e abusaram dela toda a noite até pela manhã,
                                                               e, subindo a alva, a deixaram.
                               Jz 19:26 E ao romper da manhã veio a mulher,
                                               e caiu à porta da casa daquele homem,
                               onde estava seu senhor, e ficou ali até que se fez claro.
                Jz 19:27 E, levantando-se seu senhor pela manhã,
                               e abrindo as portas da casa, e saindo a seguir o seu caminho,
                                               eis que a mulher, sua concubina, jazia à porta da
                                                               casa, com as mãos sobre o limiar.
                Jz 19:28 E ele lhe disse:
                               Levanta-te, e vamo-nos, porém ela não respondeu;
                               então, levantando-se o homem a pôs sobre o jumento,
                                               e foi para o seu lugar.
                Jz 19:29 Chegando, pois, à sua casa, tomou um cutelo,
                               e pegou na sua concubina, e a despedaçou com os seus ossos
                                               em doze partes; e enviou-as por todos os termos de
                                                               Israel. Jz 19:30 E sucedeu que cada um que
                                                                              via aquilo dizia:
                               Nunca tal se fez, nem se viu desde o dia em que os filhos
                                               de Israel subiram da terra do Egito,
                                                               até ao dia de hoje;
                                               ponderai isto, considerai, e falai.
Acho linda a questão da hospitalidade da época, mas altamente reprovável o pouco caso com algumas pessoas da casa como foi a concordância pacífica com a concubina que foi entregue nas mãos dos filhos de Belial para ser abusada até a morte.
Se o Senhor os livrou das mãos deles, não livraria ela também se eles se opusessem? Certamente que sim. É como diz Datena, na Record: ISSO É UMA VERGONHA!
A história vergonhosa desse ato tem continuidade no próximo capítulo.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.