quinta-feira, 6 de março de 2014

Juízes 1:-1:36 – A HISTÓRIA CONTINUA ... A CONQUISTA INCOMPLETA.

Iniciaremos, hoje, um novo livro da Bíblia dentro de nosso projeto 1189.

Começamos em 21 de abril de 2016 e concluiremos, pela graça de Deus, em 23 de julho de 2019.
Todos os dias um capítulo novo da Bíblia, por 1189 dias, conforme o número de capítulos da Bíblia. Isso corresponde a exatamente 1189 dias que correspondem também a 3a3m3d! Isso é matemática pura!
Já fizemos 211 vídeos e ainda faltam 978, ou seja, já cumprimos de nossa missão, apenas 18%... Faltam ainda 82%.
Hoje gravaremos o vídeo de número 212, que corresponde ao primeiro capítulo do livro de Juízes.
Bem que esse livro de Juízes e o de Rute poderiam se chamar “O CETRO NÃO SE ARREDARÁ DE JUDÁ”. Essa foi uma palavra profética falada por Israel à beira da morte quando abençoava a todos os seus filhos e sobre Judá disse:
Gênesis 49:8 Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de teus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão.
Gênesis 49:9 Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho meu; encurva-se, e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará?
Gênesis 49:10 O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos.
Gênesis 49:11 Ele amarrará o seu jumentinho à vide, e o filho da sua jumenta à cepa mais excelente; ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas.
Gênesis 49:12 Os olhos serão vermelhos de vinho, e os dentes brancos de leite.
Até que venha Siló! – Gn 49.10. Sim, Deus ainda fez uma promessa maior para o homem quando houve a sua queda de que enviaria um Messias (o Siló, anunciado por Jacó, procedente de Judá!) que iria cumprir toda sua palavra. Deus assim vem nos conduzindo pela história e em Cristo Jesus também cumpriu sua promessa.
Estamos também aguardando suas promessas de redenção e vida eterna onde teremos novo corpo e uma nova vida não mais sujeitos ao pecado. Deus fez a promessa! Deus gosta de promessas! Deus nos faz viver esperando suas promessas! Deus cumprirá suas promessas!
Em nosso estudo acabei juntando os dois livros, Juízes e Rute, e entendi que poderia dividi-lo em duas grandes partes maiores, onde na parte primeira, eles são base ou fundamento para a instituição da monarquia em Israel, preferencialmente vinda de Judá, contra Benjamim e, na segunda parte, também servem para dar legitimidade ao reinado de Davi.
Além disso, seguimos a divisão proposta pela Bíblia de Estudo de Genebra para o livro de Juízes que dividiu didaticamente o livro em três partes:
1.    A CONQUISTA INCOMPLETA – 1:1 – 2:5.
2.    OS CICLOS DOS DOZE JUÍZES – 2:6 – 16:31.
3.    OS ERROS DOS LEVITAS – 17:1 – 21:25.
Em Josué, depois de Jericó, tem-se início a uma série de conquistas, sendo que enfrentam alguns obstáculos e fracassos, mas nada muito sério, nem comprometedor.
Em seguida às vitórias, começa-se a distribuição da Terra Prometida e tudo foi feito de forma pacífica, ordeira, seguindo as instruções de Moisés, do Senhor e não houve registro algum de qualquer inconveniente ameaçador à nação de Israel.
Encerrando o livro de Josué, em sua terceira parte, ele chama o povo, os anciãos, juízes e os principais líderes e com eles renova a aliança do Senhor Deus.
Depois de sua morte, começa-se a época dos juízes e a narrativa bíblica aponta para o fato de que a nação se esqueceu de seus líderes e ensinamentos e, pior, se misturaram com os povos em suas práticas e superstições e logo abandonaram ao Senhor para seguirem os deuses cananeus.
Aqui, então, começa-se o ciclo dos 12 juízes ou libertadores de Israel. O ciclo era afastamento de Deus, entrada do pecado na nação, sofrimento por causa do pecado e das perseguições, arrependimento, oração a Deus pedindo livramento, um juiz é levantado, o povo goza de paz enquanto o juiz vive, mas ao morrer, se esquecem de tudo e voltam para o início do ciclo vicioso que levou um total de 350 anos, com 12 juízes levantados pela graça e misericórdia de Deus.
Vejamos esse ciclo mais detalhadamente porque pode também representar nossa vida. É como um tipo que assim tipifica a vida de todo cristão:
·       Afastamento de Deus.
·       Entrada do pecado na nação.
·       Sofrimento por causa do pecado e das perseguições.
·       Arrependimento.
·       Oração a Deus pedindo livramento.
·       Um juiz é levantado.
·       O povo goza de paz enquanto o juiz vive.
·       Morrendo o juíz, eles se esquecem de tudo.
·       Voltam para o início do ciclo vicioso.
Este estudo (Juízes mais Rute), na sua primeira parte, terá uma introdução para o levantamento dos juízes que é a primeira parte, depois entrará mais a fundo na história mais detalhada de cada um dos juízes e por fim, entrará na sua terceira e última parte que são os erros dos levitas.
Na terceira e última parte do livro de juízes, a narrativa já estará apontando para a necessidade urgente do levantamento de um rei para Israel, preferencialmente da tribo de Judá, porque o povo não tinha rei e fazia o que bem entendia.
Na segunda parte deste estudo, abordaremos a história de Rute que, na verdade, é uma busca da legitimação do reinado de Davi apontando ele como o descendente portador da semente messiânica que veio desde Adão e passou por Abraão e chegou em Boaz e Rute, sendo seus pais Naasson e Raabe.
Ao final, faremos uma conclusão do estudo e colocaremos a bibliografia utilizada. Espero que esta obra seja útil, proveitosa para o ensino, aprendizagem e compartilhamentos.
O que você encontrará aqui neste estudo além das reflexões e segmentação e dos comentários? Uma palavra de fé, de encorajamento, de certeza e de convicção de que não estamos aqui por acaso, nem somos frutos das circunstâncias aleatórias do universo.
Tudo na vida tem um propósito, uma função e você já descobriu a sua ou o seu propósito? Leia este livro que Deus falará contigo em seu coração.
Queridos, eu tenho me esmerado em estudar a Bíblia de forma sistemática e mais aprofundada possível e o que mais tenho visto nas histórias da Bíblia é Deus falando, Deus fazendo, Deus mostrando, Deus instruindo, Deus aparecendo, Deus se revelando, Deus fazendo alianças, Deus se aproximando, Deus conduzindo. E o homem? Este sendo convidado a pregar a palavra de Deus e não suas opiniões e filosofias.
Juízes e Rute não é diferente! Não há como não deixar de registrar que a obra dos juízes ou libertadores de Israel é pura graça divina de um Deus misericordioso, bondoso e cumpridor de suas promessas e que zela de sua palavra para a cumprir e servir de exemplo para nós termos a mesma fidelidade.
Você poderá encontrar qualquer capítulo em forma digital e com uma gravura respectiva em meu site/blog: http://www.jamaisdesista.com.br. Esse estudo também virou um livro que você encontrará em nossa loja virtual: www.ossemeadores.com.br
Daniel Deusdete.

PARTE I.

DA INSTITUIÇÃO DA MONARQUIA EM ISRAEL, COM PREFERÊNCIA À TRIBO DE JUDÁ.

1.       A CONQUISTA INCOMPLETA – 1:1 – 2:5.

Juízes 1:-1:36 – A história continua ... a conquista incompleta.

Estamos dando início ao nosso trabalho em mais um livro da Bíblia: Juízes. Seu propósito principal, conforme Bíblia de Estudo de Genebra – BEG, era demonstrar a necessidade que Israel tinha de um rei piedoso da linhagem de Davi.
No entanto, vejo este livro mais como um prosseguimento da história de Israel que se iniciou em Gênesis, desde Adão. Os fatos políticos e históricos são deveras importantes para entendimento das coisas, mas eles apenas são fachada diante da clara perseguição bíblica à semente messiânica que estava ali junto com o povo e que iria passar em breve por Davi até chegar em Cristo Jesus.
Conforme ainda a BEG, suas verdades fundamentais giram em torno do fracasso das tribos de Israel por não conseguirem completar a conquista da terra gerando consequências terríveis; a provisão de juízes somente poderia abençoar o povo temporariamente; a provisão de levitas por Deus também não proporcionou ao povo uma liderança eficaz; e, o povo de Deus deveria ter um rei piedoso de Judá, não de Benjamim, para exercer a liderança das tribos.
Não se sabe quem escreveu, nem quando foi escrito o livro de Juízes, mas iremos ficar com a opinião mais comum e aceita de que o mesmo fora escrito por Samuel. O fato é que os acontecimentos em juízes foram avaliados segundo os temas teológicos em Deuteronômio. Em várias ocasiões, as transgressões da aliança ressaltadas em Deuteronômio são identificadas e os seus respectivos julgamentos são pronunciados – 2:1-5; 6:7-10; 8:27; 9:56; 10:11-13; 21:25.
Quanto ao título do livro, ele se refere aos doze homens que Deus levantou antes de Samuel para libertar Israel de diversos opressores. Eles foram chamados de “juízes” ou de “libertadores”. São eles:
1.    Otniel (Judá) - Jz 1:11-15; Jz 3:7-11: o primeiro juiz, era da geração seguinte à de Josué. Teve vitória sobre Cusã-Risataim.
2.    Eúde (Benjamim) - Jz 3:12-30; Jz 4:1: vitória sobre Eglom de Moabe.
3.    Sangar (desconhecido a origem) - Jz 3:31; Jz 5:6: vitória sobre os filisteus
4.    Débora (Efraim) e Baraque (Naftali) - Jz 4:1;4-6; Jz 5:31: vitória sobre Jabim e Sísera.
5.    Gideão (Manassés) - Jz 6:1-8; Jz 6:32: vitória sobre os midianitas e amalequitas.
6.    Tola (Issacar) - Jz 10:1-2.
7.    Jair (Manassés) - Jz 10:3-5.
8.    Jefté (Manassés) - Jz 10:6-12 a Jz 12:7 - vitória sobre os amonitas.
9.    Ibsã (Judá ou Zebulom) - Jz 12:8-9.
10. Elom (Zebulom) - Jz 12:11-12.
11. Abdon (Efraim) - Jz 12:13-15.
12. Sansão (Dã) - Jz 13-16 ; 15:20: vitória sobre os filisteus.
No hebraico o termo “shaphat” é traduzido por “julgar” – 10:2-3; 12:7-8; 11:13; 15:20; 16:31. Já a função dos juízes era de cunho militar – 2:16-19; 3:7 a 16:31 -, e não judicial – Dt 17:8-13. A única exceção foi Débora a qual desempenhou muito bem seu papel judicial – 4:5.
Durante todo esse tempo veremos uma narrativa que procurava descrever a continuação da conquista da Terra Prometida. Até o início da monarquia, era um tempo de democracia tribal (Jz 17,6; Jz 21,25) e cheio de dificuldades.
Os israelitas não foram obedientes, nem fieis ao que tanto Moisés como Josué procurava demonstrar a eles, além do que foram cavardes, temerosos e não tiveram a garra de Calebe, nem de Josué, nem de Davi que irá surgir em breve.
Ao deixarem de cumprir as ordens de Deus de expulsar – os cananeus eram um dos sete povos que habitavam Canaã e que, segundo a ordem de Deus, deviam ser exterminados pelos israelitas, conforme Dt 7:1-2; 20:16-20 -, o povo da terra que Deus já tinha dado a vitória, se acomodaram e acabaram praticando justamente o que não deveriam e passaram a admirar o povo e imitarem suas práticas idólatras, pagãs trazendo sobre si mesmo as consequências terríveis.
Por isso eram derrotados pelas nações vizinhas ou próximas que passavam a oprimir o povo. Então arrependiam-se e pediam a ajuda de Deus. Surgiam assim líderes, enviados por Ele, para resgatarem o povo de Israel dos inimigos e restabelecerem a obediência à lei mosaica.
Os Juízes eram então suscitados por Deus para libertar o seu povo eleito da opressão dos inimigos, devolver-lhe a paz e a posse de suas terras. Estes líderes agiam buscando a justiça e com profundo senso de fidelidade a Deus.
O período que compreende a narrativa de Juízes abrande um total aproximado de 350 anos e vai desde a morte de Josué até um pouco antes do tempo de Samuel, que ungiu o primeiro rei de Israel.
De modo mais específico, porém, o livro de Juízes, conforme a BEG, demonstrou a importância de uma monarquia davídica temente a Deus e oriunda da tribo de Judá e não de Benjamim. Isso fica claro na narrativa bíblica de Juízes, como teremos a oportunidade de verificar, que demonstrará claramente a predileção por Judá e a rejeição de Benjamim.
Encontraremos Cristo em juízes por apontar para a necessidade de um líder que pudesse unir o povo e levá-los às conquistas e de volta para uma vida com Deus conforme era o propósito desde o início. O livro apontará os fracassos dos juízes e apontará para a necessidade de um rei.
Como dividiremos o livro de Juízes para melhor explanação e navegação em seus capítulos? Irei continuar a seguir a estruturação dada pela BEG. Assim, dividiremos também o livro em três grandes partes:
1.    A CONQUISTA INCOMPLETA – 1:1 – 2:5.
2.    OS CICLOS DOS DOZE JUÍZES – 2:6 – 16:31.
3.    OS ERROS DOS LEVITAS – 17:1 – 21:25.
Vamos então começar nossas reflexões e trabalho orando a Deus para podermos gerar conteúdo de qualidade aos nossos leitores e apaixonados pela temática bíblica.
1. A CONQUISTA INCOMPLETA – 1:1 – 2:5.
Deus escolheu a tribo de Judá para liderar Israel, mas por falta de uma liderança unificada, a conquista não foi completa.
Veremos nessa parte a tribo de Judá como líder, vs 1 e 2; o sucesso de Judá contrastado com o fracasso de Benjamim – vs 3-21; o sucesso de José em Betel – vs 22-26, os fracassos das outras tribos – vs 27-36 e, no próximo capítulo, encerrando esta primeira e rápida parte, o julgamento divino resultante – 2:1-5.
A escolha da tribo de Judá logo no começo é já um prenúncio da escolha de Davi como rei sobre Israel.
O livro de Juízes é uma continuação da história bíblica desde Gênesis que terminou com a morte de José. Agora, quem morreu foi Josué e a história do povo de Israel tem seu prosseguimento.
Foi depois da morte de seu grande líder Josué que os filhos de Israel buscaram ao Senhor para saber quem iria subir primeiro contra os cananeus para pelejar contra eles.
Deus já tinha dado a terra a eles, mas deveriam expulsar os seus habitantes, subir contra eles e exterminá-los, mas jamais fazer alianças ou temê-los e deixarem eles viverem com eles na mesma terra.
Jz 1:1 E sucedeu, depois da morte de Josué,
               que os filhos de Israel perguntaram ao SENHOR, dizendo:
Quem dentre nós primeiro subirá aos cananeus, para pelejar contra eles?
Jz 1:2 E disse o SENHOR:
               Judá subirá; eis que entreguei esta terra na sua mão.
Jz 1:3 Então disse Judá a Simeão, seu irmão:
               Sobe comigo à minha herança. E pelejemos contra os cananeus,
                              e também eu contigo subirei à tua herança.
                                            E Simeão partiu com ele.
               Jz 1:4 E subiu Judá, e o SENHOR lhe entregou na sua mão
                              os cananeus e os perizeus; e feriram deles, em Bezeque,
                                            a dez mil homens.
               Jz 1:5 E acharam Adoni-Bezeque em Bezeque, e pelejaram contra ele;
                              e feriram aos cananeus e aos perizeus.
               Jz 1:6 Porém Adoni-Bezeque fugiu, mas o seguiram, e prenderam-no
                              e cortaram-lhe os dedos polegares das mãos e dos pés.
               Jz 1:7 Então disse Adoni-Bezeque:
                              Setenta reis, com os dedos polegares das mãos e dos pés
                                            cortados, apanhavam as migalhas debaixo da minha
                                            mesa; assim como eu fiz, assim Deus me pagou.
                              E levaram-no a Jerusalém, e morreu ali.
               Jz 1:8 E os filhos de Judá pelejaram contra Jerusalém, e tomando-a,
                              feriram-na ao fio da espada; e puseram fogo na cidade.
               Jz 1:9 E depois os filhos de Judá desceram a pelejar
                              contra os cananeus, que habitavam nas montanhas, e no sul,
                                            e nas planícies.
               Jz 1:10 E partiu Judá contra os cananeus que habitavam em Hebrom
                              (era porém outrora o nome de Hebrom, Quiriate-Arba),
                              e feriram a Sesai, e a Aimã e Talmai.
               Jz 1:11 E dali partiu contra os moradores de Debir;
                              e era outrora o nome de Debir, Quiriate-Sefer.
               Jz 1:12 E disse Calebe:
                              Quem ferir a Quiriate-Sefer, e a tomar, lhe darei
                                            a minha filha Acsa por mulher.
               Jz 1:13 E tomou-a Otniel, filho de Quenaz, o irmão de Calebe,
                              mais novo do que ele; e Calebe lhe deu a sua filha
                                            Acsa por mulher. Jz 1:14 E sucedeu que,
                              indo ela a ele, a persuadiu que pedisse um campo a seu pai;
                                            e ela desceu do jumento, e Calebe lhe disse:
                              Que é que tens? Jz 1:15 E ela lhe disse: Dá-me uma bênção;
                                            pois me deste uma terra seca, dá-me também
                                                           fontes de águas.
                              E Calebe lhe deu
                                            as fontes superiores e as fontes inferiores.
               Jz 1:16 Também os filhos do queneu, sogro de Moisés,
                              subiram da cidade das palmeiras com os filhos de Judá
                                            ao deserto de Judá, que está ao sul de Arade,
                                                           e foram, e habitaram com o povo.
               Jz 1:17 E foi Judá com Simeão, seu irmão, e feriram aos cananeus
                              que habitavam em Zefate; e totalmente a destruíram,
                                            e chamou-se o nome desta cidade Hormá.
               Jz 1:18 Tomou mais Judá a Gaza com o seu termo,
                              e a Ascalom com o seu termo, e a Ecrom com o seu termo.
               Jz 1:19 E estava o SENHOR com Judá, e despovoou as montanhas;
                              porém não expulsou aos moradores do vale,
                                            porquanto tinham carros de ferro.
               Jz 1:20 E deram Hebrom a Calebe, como Moisés o dissera;
                              e dali expulsou os três filhos de Anaque.
Jz 1:21 Porém os filhos de Benjamim não expulsaram
               os jebuseus que habitavam em Jerusalém;
                              antes os jebuseus ficaram habitando
               com os filhos de Benjamim em Jerusalém, até ao dia de hoje,
Jz 1:22 E subiu também a casa de José contra Betel, e foi o SENHOR com eles.
               Jz 1:23 E a casa de José mandou espias a Betel, e foi antes o nome
                              desta cidade Luz. Jz 1:24 E viram os espias a um homem,
                                            que saía da cidade, e lhe disseram:
               Ora, mostra-nos a entrada da cidade, e usaremos contigo
                              de misericórdia. Jz 1:25 E, mostrando-lhes ele a entrada
                                            da cidade, feriram-na ao fio da espada;
                              porém àquele homem e a toda a sua família deixaram ir.
               Jz 1:26 Então aquele homem se foi à terra dos heteus,
                              e edificou uma cidade, e chamou o seu nome Luz;
                                            este é o seu nome até ao dia de hoje.
Jz 1:27 Manassés não expulsou os habitantes de Bete-Seã,
               nem mesmo dos lugares da sua jurisdição; nem a Taanaque,
               com os lugares da sua jurisdição; nem os moradores de Dor,
               com os lugares da sua jurisdição; nem os moradores de Ibleão,
               com os lugares da sua jurisdição; nem os moradores de Megido,
               com os lugares da sua jurisdição;
                              e resolveram os cananeus habitar na mesma terra.
               Jz 1:28 E sucedeu que, quando Israel cobrou mais forças,
                              fez dos cananeus tributários; porém não os expulsou de todo.
Jz 1:29 Tampouco expulsou Efraim os cananeus que habitavam em Gezer;
               antes os cananeus ficaram habitando com ele, em Gezer.
Jz 1:30 Tampouco expulsou Zebulom os moradores de Quitrom,
               nem os moradores de Naalol; porém os cananeus ficaram habitando
                              com ele, e foram tributários.
Jz 1:31 Tampouco Aser expulsou os moradores de Aco,
               nem os moradores de Sidom; como nem de Alabe, nem de Aczibe,
                              nem de Helba, nem de Afeque, nem de Reobe;
               Jz 1:32 Porém os aseritas habitaram no meio dos cananeus
                              que habitavam na terra; porquanto não os expulsaram.
Jz 1:33 Tampouco Naftali expulsou os moradores de Bete-Semes,
               nem os moradores de Bete-Anate; mas habitou no meio dos cananeus
                              que habitavam na terra; porém lhes foram tributários
                                            os moradores de Bete-Semes e Bete-Anate.
Jz 1:34 E os amorreus impeliram os filhos de Dã até às montanhas;
               porque nem os deixavam descer ao vale. Jz 1:35 Também os amorreus
                              quiseram habitar nas montanhas de Heres, em Aijalom
                              e em Saalbim; porém prevaleceu a mão da casa de José,
                                            e ficaram tributários.
Jz 1:36 E foi o termo dos amorreus desde a subida de Acrabim,
               desde a penha, e dali para cima.
Com exceção da tribo de Judá – vs 19 – a presença de Deus é mencionada apenas com referência às tribos de José. Já as outras tribos são mencionadas em fracassos e derrotas.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.