quarta-feira, 5 de março de 2014

Josué 24:1-33 - JOSUÉ CHAMA O POVO À RENOVAÇÃO À ALIANÇA.

Chegamos, finalmente, ao fim dessa maravilhosa jornada de Josué toda registrada por ele mesmo, conforme se vê no vs. 26. Neste último capítulo veremos Josué renovando a aliança com o povo de Israel e a sua morte com 110 anos de vida.
Em nossa divisão proposta, estamos finalizando também a terceira e última parte: III. A lealdade à aliança na terra – 22:1 – 24:33. Onde cada capítulo desta parte começou com a declaração de que José “chamou” o povo – 22:1; 23:1 e 24:1. Isso mostra em parte o papel de Josué como líder escolhido conduzindo toda a nação numa renovação exemplar da aliança.
Deus tem demonstrado de diversas maneiras sua fidelidade às suas promessas e o povo, apesar deles mesmos, tem se mostrado disposto a cumprir a sua parte, embora ainda não completamente por que ficou para trás muitas terras e povos para serem expulsos.
Concluiremos agora a divisão proposta pela BEG que divide esta última parte em quatro subpartes: A.) A unidade de Israel – 22:1-34 (já vista). B.) A exigência de fidelidade à aliança – 23:1-16 (já vista no capítulo anterior). C.) A renovação da aliança em Siquém – 24:1-28 (veremos agora neste capítulo). E, concluindo, D.) As mortes e os sepultamentos em Josué, encerrando assim o livro correspondente – 24:29-33.
Vamos então concluir este trabalho com a graça que sempre esteve e sempre estará presente na vida do crente fiel a Deus:
C.) A renovação da aliança em Siquém – 24:1-28
Josué, em seu último momento de liderança, reúne todas as tribos em Siquém e chama os anciãos, os seus cabeças, os seus juízes, os seus oficiais. Todos estavam ali se apresentando diante de Deus e Josué começa sua pregação da palavra de Deus ao povo de Deus.
E ele começa com a expressão muito usada pelos profetas, especialmente do AT: “Assim diz o Senhor Deus de Israel:”. Isso demonstra sua autoridade como de profeta e como líder com autoridade como a de Moisés. Ele relembra a eles o momento da chamada inicial a Abraão, mas recua um pouco mais para falar dos pais de Abraão e Naor.
Não percam de vista a semente messiânica que ali estava, por pura eleição de Deus, com Tera e Abraão. E ele diz que Terá, o pai de Abraão e Naor, habitavam além do rio e serviam a outros deuses. Por isso é que estava Deus determinando a ele que saísse de sua parentela.
Em seguida, como fez Moisés diante de sua partida, igualmente vai resumindo toda a jornada deles até chegarem ali onde estavam onde Josué estava renovando com eles a aliança do Senhor.
Vai lhes falando dos grandes feitos e das maravilhas e livramentos de Deus. De como ele levantou líderes que estivessem à frente do povo e como subjugou àqueles que estavam no caminho deles.
Deus sempre agiu em favor de seu povo e lhes deu vitórias contra os seus inimigos. É curioso de se observar que ali, naquela mesma terra, naquele mesmo lugar foi o lugar onde, pela primeira vez, Deus prometera ao patriarca que daria a terra à sua descendência – Gn 12:6 e 7.
Nos lembra a BEG que os livros de Gênesis – vs. 2b-4, Êxodo – vs. 5-7, Números – vs. 8-10 e Josué – vs. 11-13 - são recapitulados numa recitação do relacionamento de Deus com o seu povo desde os dias de Abraão até a dádiva da Terra Prometida ao patriarca e, agora, recebida pelos seus descendentes. A importância desse momento é demonstrada pelo seu lugar no desenrolar da história da fidelidade de Deus às suas promessas.
Como estávamos demonstrando, Deus sempre agiu a favor dos seus e eles receberam grandes bênçãos pelas quais não teve de trabalhar, nem construir, pois as cidades, guardadas as suas práticas pagãs, tinha estrutura de cidade e benefícios que puderam usufruir os israelitas.
Nem mesmo isso tiveram de fazer, antes tão somente melhorar o que já existia e aperfeiçoar os benefícios ampliando-os.
Depois disso, vem o apelo, o convite, o momento da decisão e da escolha do povo sobre o que fora apresentado. Ele começa lhes dizendo que deveriam, sabiamente, temerem a Deus. Este era o primeiro apelo.
O segundo era servir ao Deus que eles deveriam temer. Não servi-lo de qualquer maneira, mas com integridade e fidelidade. O Terceiro era que eles deveriam se desfazer das coisas antigas, principalmente das práticas abomináveis pagãs que tinham costume aqueles que estavam sendo expulsos da terra.
Fechando seu apelo, ele apela para uma ironia e provoca todo o povo dizendo que era o momento da decisão e da escolha: ou iriam servir aos deuses de seus pais antigos ou deveriam servir ao Senhor.
Josué logo se antecipa e diz a famosa frase que se perpetua pela história: EU E A MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR! – vs. 15.
O povo unânime diz que preferiam servir ao Senhor e assim renovam com Deus sua aliança sendo testemunhas José e uma grande pedra a qual ele afirma ter ouvido tudo o que fora dito.
Essa grande pedra ou rocha simboliza o Cristo, o Messias de Deus e também, quem sabe, um fenômeno físico que ainda não conhecemos de que as pedras tem capacidade de registrarem de algum modo nossos eventos.
Em seguida, Josué dispersa e despede o povo cada um para sua herança.
Js 24:1 Depois
                reuniu Josué todas as tribos de Israel em Siquém;
                e chamou os anciãos de Israel, e os seus cabeças, e os seus juízes,
                               e os seus oficiais;
                                               e eles se apresentaram diante de Deus.
 Js 24:2 Então Josué disse a todo o povo:
Assim diz o SENHOR Deus de Israel:
                Além do rio habitaram antigamente vossos pais,
                               Terá, pai de Abraão e pai de Naor;
                                               e serviram a outros deuses.
                Js 24:3 Eu, porém, tomei a vosso pai Abraão dalém do rio
                               e o fiz andar por toda a terra de Canaã;
                                também multipliquei a sua descendência e dei-lhe a Isaque.
                Js 24:4 E a Isaque dei Jacó e Esaú; e a Esaú dei a montanha de Seir,
                               para a possuir;
                                               porém, Jacó e seus filhos desceram para o Egito.
                Js 24:5 Então enviei Moisés e Arão e feri ao Egito,
                               como o fiz no meio deles; e depois vos tirei de lá.
                Js 24:6 E, tirando eu a vossos pais do Egito, viestes ao mar;
                               e os egípcios perseguiram a vossos pais com carros
                                               e com cavaleiros, até ao Mar Vermelho.
                Js 24:7 E clamaram ao SENHOR, que pôs uma escuridão entre vós
                               e os egípcios, e trouxe o mar sobre eles, e os cobriu,
                                               e os vossos olhos viram o que eu fiz no Egito;
                               depois habitastes no deserto muitos dias.
                Js 24:8 Então eu vos trouxe à terra dos amorreus,
                               que habitavam além do Jordão, os quais pelejaram
                                               contra vós; porém os entreguei nas vossas mãos,
                               e possuístes a sua terra, e os destruí de diante de vós.
                Js 24:9 Levantou-se também Balaque, filho de Zipor, rei dos moabitas
                               e pelejou contra Israel; e mandou chamar a Balaão,
                                               filho de Beor, para que vos amaldiçoasse.
                Js 24:10 Porém eu não quis ouvir a Balaão;
                               pelo que ele vos abençoou grandemente e eu vos livrei
                                               da sua mão.
                Js 24:11 E, passando vós o Jordão, e vindo a Jericó,
                               os habitantes de Jericó pelejaram contra vós,
                                               os amorreus, e os perizeus,e os cananeus, e
                                               os heteus, e os girgaseus, e os heveus, e os jebuseus;
                                                               porém os entreguei nas vossas mãos.
                Js 24:12 E enviei vespões adiante de vós, que os expulsaram
                               de diante de vós, como a ambos os reis dos amorreus;
                                               não com a tua espada nem com o teu arco.
                Js 24:13 E eu vos dei a terra em que não trabalhastes,
                e cidades que não edificastes, e habitais nelas
                e comeis das vinhas e dos olivais que não plantastes.
Js 24:14 Agora, pois,
                temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade;
                e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio
                               e no Egito, e servi ao SENHOR.
Js 24:15 Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR,
                escolhei hoje a quem sirvais;
                               se aos deuses a quem serviram vossos pais,
                                               que estavam além do rio,
                               ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais;
                porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.
Js 24:16 Então respondeu o povo, e disse:
                Nunca nos aconteça que deixemos ao SENHOR
                               para servirmos a outros deuses;
                Js 24:17 Porque o SENHOR é o nosso Deus;
                               ele é o que nos fez subir,
                                               a nós e a nossos pais, da terra do Egito,
                                                               da casa da servidão,
                               e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos,
                               e nos guardou por todo o caminho
                                               que andamos, e entre todos os povos
                                                               pelo meio dos quais passamos.
                Js 24:18 E o SENHOR expulsou de diante de nós a todos esses povos,
                               até ao amorreu, morador da terra; também nós serviremos ao
                                               SENHOR, porquanto é nosso Deus.
Js 24:19 Então Josué disse ao povo:
                Não podereis servir ao SENHOR, porquanto é Deus santo,
                               é Deus zeloso, que não perdoará a vossa transgressão
                                                nem os vossos pecados.
                Js 24:20 Se deixardes ao SENHOR, e servirdes a deuses estranhos,
                               então ele se tornará, e vos fará mal, e vos consumirá,
                                               depois de vos ter feito o bem.
Js 24:21 Então disse o povo a Josué:
                Não, antes ao SENHOR serviremos.
Js 24:22 E Josué disse ao povo:
                Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes ao SENHOR,
                               para o servir.
E disseram:
                Somos testemunhas.
Js 24:23 Deitai, pois, agora, fora aos deuses estranhos que há no meio de vós,
                e inclinai o vosso coração ao SENHOR Deus de Israel.
Js 24:24 E disse o povo a Josué:
                Serviremos ao SENHOR nosso Deus, e obedeceremos à sua voz.
Js 24:25 Assim, naquele dia fez Josué aliança com o povo
                e lhe pôs por estatuto e direito em Siquém.
Js 24:26 E Josué escreveu estas palavras no livro da lei de Deus;
                e tomou uma grande pedra, e a erigiu ali debaixo do carvalho
                               que estava junto ao santuário do SENHOR.
Js 24:27 E disse Josué a todo o povo:
                Eis que esta pedra nos será por testemunho,
                               pois ela ouviu todas as palavras, que o SENHOR
                                               nos tem falado;
                e também será testemunho contra vós,
                               para que não mintais a vosso Deus.
                Js 24:28 Então Josué enviou o povo, cada um para a sua herança.
Js 24:29 E depois destas coisas sucedeu que Josué,
                filho de Num, servo do SENHOR, faleceu,
                               com idade de cento e dez anos.
                Js 24:30 E sepultaram-no no termo da sua herança, em Timnate-Sera,
                               que está no monte de Efraim, para o norte do monte de Gaás.               Js 24:31 Serviu, pois, Israel ao SENHOR todos os dias de Josué,
                               e todos os dias dos anciãos que ainda sobreviveram
                                               muito tempo depois de Josué, e que sabiam todas as
                                                               obras que o SENHOR tinha feito a Israel.
Js 24:32 Também os ossos de José, que os filhos de Israel trouxeram do Egito,
                foram enterrados em Siquém, naquela parte do campo que Jacó
                               comprara aos filhos de Hemor, pai de Siquém, por cem peças
                               de prata, e que se tornara herança dos filhos de José.
Js 24:33 Faleceu também Eleazar,
                filho de Arão, e o sepultaram no outeiro de Finéias, seu filho,
                               que lhe fora dado na montanha de Efraim.
Foi depois de sua última pregação, onde ali em Siquém renovou a aliança com Israel que Josué, filho de Num, aos 110 anos de vida – a mesma idade que teve José, do Egito - veio a falecer, tendo como Paulo “combatido o bom combate, guardado a fé e concluído a carreira” – II Tim 4:7.
Ele foi sepultado em sua própria herança que ele mesmo tinha pleiteado – em Timnate-Sera. Ainda depois de sua morte, o povo permaneceu fiel junto com os anciãos que o sucederam. Depois, Eleazar também morre e assim esse período de fidelidade e prosperidade tem o seu fim.
Foi de fato um tempo de fidelidade a Deus tanto da parte de Josué como da parte dos anciãos e de todo o povo de Israel. Fica aqui evidenciado para nós esses exemplos para igualmente os imitarmos em nossa jornada que ainda não terminou.
Muito Obrigado!

Conclusão

Novamente - repito o que já disse antes em outros livros meus - estou satisfeito com o resultado alcançado se bem que acho que ainda há muito a melhorar.
De fato é muito bom terminarmos algo que começamos! Como é bom termos propósitos e levarmos a sério nossa missão! Como é bom termos fé neste Deus maravilhoso cuja graça é maior do que a nossa vida! Como é bom saber que Deus nos fez promessas incríveis e ele cumprirá todas elas!
O povo de Deus foi conduzido magistralmente por seus líderes que Deus levantou por sua pura graça, bondade, fidelidade e misericórdia. Aqui, no caso, Josué que estava na liderança, conduziu todo o povo às conquistas, distribui a terra entre eles e finalmente, renovou a aliança com Deus, o Senhor.
Josué - Deus é salvação - era da tribo de Efraim. Foi discípulo e sucessor de Moisés na liderança do povo de Israel. Liderou a invasão e a conquista de Canaã.
Após isso, supervisionou a divisão da terra entre as tribos israelitas. Esteve com Moisés no monte, foi um dos doze espias que primeiro observaram a Terra da Promessa e o único, junto com Calebe, a crer ser possível conquistá-la.
A primeira vez que o nome de Josué foi citado na Bíblia foi quando os israelitas já haviam saído do Egito há uns dois meses e se encontravam em um lugar chamado Rafidim.
Sempre que aparece o nome de Josué, ele está associado com alguma coisa que Moisés fazia. Em muitas ocasiões ele é citado como "servidor" de Moisés – Êx 24:13; 33:11. Nm 11:28.
Josué também foi um dos 12 homens que Moisés enviou a espiar a terra que junto com Calebe trouxe um resultado positivo, ao contrário dos demais que desanimaram Israel. Deus os abençoou tremendamente, enquanto os demais caíram em severo juízo.
Por uma geração inteira – 40 anos, um ano por cada dia dos 40 que eles gastaram espiando a terra - os israelitas viveram como nômades do deserto, com o Oásis de Cades-Barneia como seu centro tribal. Eles de movimentavam em torno da extremidade meridional do mar Morto e ocuparam a maior parte do território a leste do rio Jordão.
Provavelmente, ele sucedeu Moisés com seus 85 anos. Ele deve ter levado uns 6 anos na conquista do território da Terra Prometida e o restante de sua vida até os 110, passou dividindo a terra, administrando e governando todas as tribos.
O texto finaliza com a morte de Josué aos 110 anos de vida (igual a quantidade de vida que teve José) e também com a morte do sacerdote Eleazar, encerrando assim essa etapa na vida da nação de Israel.
Não há como não percebermos que do início ao fim é Deus orientando, esclarecendo, falando, instruindo, mostrando o quê, como, de que forma, quando, quanto, por quanto tempo. Percebe-se assim o Deus imanente na história de Israel e que se utiliza de líderes por ele escolhidos para realizarem as suas obras, no caso aqui, para instruir e orientar o povo de Israel.
Há tantas lições interessantes em toda as Escrituras! Cada vez que me dedico ao estudo delas, cada vez mais me convenço que Deus tanto é onipotente, como soberano.
Sem dúvida: A DEUS TODA A GLÓRIA!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.