terça-feira, 29 de março de 2011

Faltam 759 dias para 26/04/13

TEMA: UNIDADE 17 – Jo 17:19-23.
 
Vivos ou mortos? Ou estamos vivos para Deus e mortos para nós mesmos ou estamos vivos para nós mesmos, mas mortos para Deus.
 
Enquanto meu professor de Teologia de Missões 1 discorria sobre missões e sobre conceitos como aliança, reino de Deus, evangelho, mensagem, filosofias e discussões filosóficas e as associava com a pregação aos indígenas, eu navegava em meu barco das imaginações e ancorava em meio aos povos, nas margens dos mares da Galiléia deste mundo anunciando o evangelho, isto é a Jesus Cristo.
 
O que irei pregar? Dizia a mim mesmo. Não posso pregar novidades, nem mensagens rebuscadas e profundas teologicamente, não posso pregar a mim mesmo, pois nem morri pelo povo a quem estou a pregar, não posso pregar novidades, não posso pregar auto ajuda, não posso pregar a mensagem que eu acho que é importante, não nada disso, pois os índios não irão entender nada.
 
Eu irei pregar a Jesus Cristo! Ele viveu entre nós, segundo as Escrituras, cumpriu sua missão, segundo as Escrituras, morreu por nós, segundo as Escrituras, ressuscitou, segundo as Escrituras, está vivo, segundo as Escrituras, durante 40 dias esteve aqui em corpo ressurreto, segundo as Escrituras, ascendeu aos céus no 40º dia, segundo as Escrituras, 10 dias depois enviou, no Pentecostes, o seu Espírito Santo, conforme prometido, o Consolador, o Deus Espírito Santo, para estar conosco todos os dias até a sua volta.
 
“1. Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. 2. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. 3. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 4. E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. 5. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. 6. Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. 7. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. 8. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. 9. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. 10. Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo. 11. Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim haveis crido.” (1 Coríntios 15:1-11).
 
Mas porque será que ele, o Senhor morreu por nós? Seria para que nós agora tenhamos uma vida independente e livre para fazermos o que quisermos e bem entendermos? Não creio. Já que ele morreu por nós,  a lógica agora é que devemos morrer também por ele.
 
[cântico dos degraus, de Davi] Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre.” (Salmos 133)
 
Vimos ontem algumas características especiais de um óleo preciso. Em síntese:
 
  1. Lubrifica, reduzindo e/ou eliminando atritos;
  2. Serve de proteção
  3. Faz reluzir
  4. Possui agradável fragrância.
 
É deste modo que vejo o óleo sendo derramado sobre a cabeça de Arão e escorrendo por sua barba até a orla de suas vestes. Amanhã, prosseguiremos com o orvalho de Hermom.
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.