quinta-feira, 22 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 93/365 (quinta-feira, 22 de outubro de 2009)

LBH: II Sm 10:19. Até o capítulo 10 de II Samuel, Davi somente vai prosperando, vencendo e crescendo. Na homepage de nossa igreja, encontrei uma pequenina mensagem que me agradou e faço questão de publicá-la e sobre ela divagar um pouco mais. Ela foi escrita em 31 de dezembro de 2008, eis o texto:
 
Disseram-me uma vez que o homem não se livra de duas situações durante a vida: a morte e a  contínua necessidade de fazer escolhas.
 
Certamente não foi por acaso que o Salmo número 1 fala de escolha, uma escolha que leva à vida ou à morte. Aquele que escolhe a vida escolhe  todos os dias, amizades que o edifiquem no seu convívio... Aquele que escolhe a vida acha espaço no seu dia-a-dia para ler a Palavra de Deus... Aquele que escolhe a vida adquire um ritmo de vida produtivo porque tudo acontece no seu devido tempo... Ou melhor,  aquele que escolhe estar com Deus todos os dias, só quer estar com pessoas que o edifiquem  e assim se torna uma pessoa constante, confiável.
 
Mas há também aqueles que escolhem o conselho dos ímpios e, então, experimentam a separação de Deus, a conseqüente derrota e são vistos como pessoas inconstantes, desequilibradas e não confiáveis...
 
Iniciamos o ano de 2009. Oportunidade única e renovada que Deus nos dá pra fazer novas escolhas. Bom demais... Que tal  escolher passar todo o próximo ano conhecendo mais e mais a vontade de Deus para a nossa vida? Tantos falam de ter sucesso na vida mas não sabem que a verdadeira prosperidade vem do conhecimento de Deus. Escolha bem. Escolha a vida. Brasília, 31 de dezembro de 2008. Lenise Maria Spadoni Pacheco - Costuma sentar-se na 7ª fileira da 4ª coluna, disposta a conversar sobre as escolhas que fazemos.”
 
No culto de ontem a noite, onde atuei como diákono recepcionando as pessoas, dois fatos me chamaram demasiadamente a atenção. Primeiro, antes da ministração da palavra, tive a oportunidade de recepcionar um casal, com uma filhinha de 1,5 anos, que estavam pedindo ajuda, uma cesta básica. Diziam que iam para Águas Lindas e não tinham também o dinheiro da passagem. Chamei o presbítero que estava ali e este conversou com o casal, concedendo-lhes, ao final, o que pleiteavam. Enquanto isso, eu fiquei tentando conversar com a criança e logo a conquistei ou ela se deixou ser conquistada.
 
A história deles parecia real e a menina, de 1,5 ano, era muito afeiçoada a eles. Inteligente, bonita, de olhos brilhantes e sorriso fantástico. O traje de todos era muito humilde, mas não imundo. No tempo em que brinquei com aquela criança, o tempo para mim parou. Pareciam famintos e cansados e um pouco desanimados. Pegamos os seus nomes, endereço; oramos por eles, abençoamos e os despedimos. Esse casal, certamente, entrará na lista das visitas da igreja, por parte dos diákonos, para acompanhamento.
 
Mas afinal o que me atraiu nessa história? A criança em si com seu sorriso e simpatia angelical, seu apego e carinho recíprocos com pai e mãe, o conhecimento que tinham da palavra (a mãe se dizia desviada; o pai, confuso, segundo ele, por culpa de seu pai) e a condição humilde da família. Vivemos num mundo de tão acirradas disputas e concorrências que estamos esquecendo de amar o nosso próximo. Estamos tão cruéis e insensíveis que qualquer história semelhante faz nascer em nós a desconfiança e a frieza em nossos corações limitando nossa ação de ajudar o nosso próximo.
 
Graças a Deus, escolhemos a atenção, o carinho, a palavra amiga, a ajuda da cesta básica, a ajuda na passagem até Águas Lindas e a posterior visita e acompanhamento do casal. A todo tempo, é verdade, Drª Lenise, estamos fazendo escolhas. São essas escolhas que podem fazer um diferencial na nossa vida que irá impactá-la para sempre, seja para o bem, seja para o mal. Não tenha medo de fazer as tuas escolhas, desde que Deus esteja no seu foco principal e com a tua consciência tenha feito pacto de não-traição.
 
A outra bênção foi a pregação do Pr. Sabino. Baseando-se em Paulo e Silas na prisão, desafiou-nos a fazer a escolha – ação da livre vontade do homem – de cantar, de louvar, de adorar a Deus, não quando tudo está “às mil maravilhas”, mas quando a carne está ferida pelas chicotadas dos outros e, além disso, recebemos a prisão e, por isso, estamos também em cadeias. Qual foi o resultado da escolha de Paulo e Silas? Vou apenas resumir: anjos, terremotos, quebra de cadeias, libertação, salvação, grande gozo e alegria e por ai vai...
 
Quem faz escolhas, leva junto as conseqüências! Cuidado, você, com tuas escolhas e procure ver se vale a pena levar também as conseqüências que ela produz, pois escolhas e conseqüências são inseparáveis. A Deus toda a glória. Amém!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.