sábado, 10 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 81/365

Graças a Deus, mais um dia de vida! Nossa LBH: estamos no livro de Isamuel e terminamos o capítulo 5. Diogo Freitas, novamente, nos brinda com um alerta sobre a oração. O Crente que não ora não conhece a Deus, não sabe nada do mundo espiritual e nada pode fazer de proveitoso para a vida espiritual. Oração também não é um ritual, algo que "temos de fazer", uma obrigação rígida e sem nexo. Se você pensa assim, não conhece a Deus. Assim como eu interajo com você por meio dessas linhas e você pode corresponder tecendo seus comentários, também nós devemos nos relacionar com Deus e sermos correspondidos.

 

Orar, pois, envolve uma caminho de 2 vias: você com Deus e Deus com você! Aproveite o estudo e glórias a Deus por este dia de bênçãos!

 

"Uma pessoa que afirma ser crente e não é apaixonada, com todas as suas emoções e entendimento, por seu momento de oração, necessita rever sua participação na igreja que ora sem cessar, esta pessoa está sendo como um fogão sem chama, impressora sem tinta ou TV sem energia, ocupa inutilmente o espaço.

 

O estudo da Palavra jamais deve ser negligenciado, mas o foco deste texto, é que talvez você sinta vergonha, se de alguma forma todos ficarem sabendo o quão pouco tem se dedicado à oração. Parte de nosso problema consiste de que vemos a oração como um adendo de nosso propósito de vida, e não como parte fundamental do nosso chamado. Para se viver em santidade, é preciso orar! A falta de oração é a ruína de muitos ministérios, pois é como um carro conversível, aberto e exposto a todas as intempéries do céu. E um crente sem oração vive assim, sem teto, aberto e exposto a todas as tempestades do céu, males da terra e do inferno.
              

A prática de oração te coloca oposto ao mundo, que considera apenas o que é visível, e este mundo convida-o à independência de Deus, que é como uma despedida da Cristo-suficiência e Cristo-dependência, ao contrário da oração que nos conecta a Deus por meio de Cristo, expressando toda a nossa dependência de Deus e clamando por sua orientação e bênção em tudo que fazemos. Negligenciar a oração é jogar fora toda a semente do evangelho.

 

Na história da igreja de Cristo, alguns homens nos fazem parecer, bebês na fé, não porque eles eram melhores em alguns aspectos, mas porque eram homens de muita oração. Um grande e famoso pregador, em dias atuais pode encher os bancos de uma igreja, mas a verdadeira face dele é aquilo que ele é, de joelhos em seu lugar de oração, diante de Deus.

 

Não podemos ficar tão ocupados com a obra de Cristo, e a igreja visível, a ponto de não ter mais tempo ou forças para orar pelo invisível. Devemos estar atentos à vida de oração! Um crente jamais poderá cumprir a vocação junto ao trono da graça, em quinze minutos por dia, e ainda manter uma vida íntima com Deus, assim como nenhum dos nossos relacionamentos intensos é conquistado, a base de quinze minutos de conversa por dia. Ter um relacionamento verdadeiro com Deus, talvez não necessite de incontáveis horas de oração, mas não pode ser realizado com base em poucos minutos de petições somente.

 

Este mundo desesperado precisa de crentes de verdade que se dediquem a oração. Não se contente com um cristianismo exterior, isto já temos demais. Não barganhe os momentos de oração, mantenha este hábito como uma prioridade diária. Todas as nossas bibliotecas e escritórios são um amontoado de papéis e poeira sem utilidade, caso não tenhamos uma vida intensa de oração, que nos faz crescer e prevalecer, com o auxilio dessas leituras." (Diogo Freitas)

 

Deixo, em fim para reflexão dos amados, I Ts 5:25. A Deus toda a glória. Amém!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.