sábado, 3 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 74/365

LBH: terminei o capítulo 9. Essa história de Gideão é tremenda. Como pode um homem com um exército de 300 homens desbaratar um povo, os midianitas, com um exército de 135.000 homens? Dividindo-se um pelo outro, encontraremos 1:450. O exército de que dispunha Gideão já era pequeno e, ainda assim, despediu cerca de 99% para ficar finalmente com somente 300. Ao lermos a sua história, vemos também a sua ousadia, pois perseguiu os reis Zeba e Salmuna até os alcançarem.

 

No meio do caminho da perseguição (eram 300 peseguindo 15.000!) os 300 de Gideão estavam cansados, exaustos, com fome (uns 80 km de perseguições) e ao passarem por duas cidades, Sucote e Penuel, pediram apoio aos seus moradores que não fizeram caso dele, nem de seus homens. Gideão então prometeu que isso não ficaria assim. Dito e feito. Na volta, ainda deram um corretivo no povo de Sucote, conforme sua ameaça e ainda derrubou a torre de Penuel e matou os homens da cidade, tudo conforme o que antes falara, conforme sua ameaça.

 

Quantas foram as baixas no exército de Gideão? Nenhuma! Eu repito, nenhuma baixa em seu exército de 300 homens. Aqueles que foram derrotados jamais voltaram a guerrear nem a levantar a sua cabeça. No original, conforme Russel Shedd, vs 12, a palavra desbaratou dá a entender que o restante do exército midianita fora espalhado, após completa perda de coesão e de coragem. "nunca mais levantaram a cabeça".

 

Não posso deixar de replicar o que Russel Shedd comenta como passos para a vitória de Gideão, em sua nota homilética de Jz 7:15 – adorou – primeiro: com pouca fé e autoridade procura segurança nos sinais divinos e através do orvalho (6:36-40); segundo, com fé em plena atuação obedece ao mandado do Senhor de se desfazer de 99% de seu exército (7:2-8); terceiro, finalmente, com fé transbordante, oferece louvor antevendo a vitória prometida (7:15). Em seguida, conclui: a fé cresce pelo desafio e o exercício.

 

Ao colocar sua fé em ação: a perseguição de um exército de 135.000 homens por apenas 300 homens, ocorre o milagre: é Deus agindo, preparando, trabalhando, entregando em suas mãos as bênçãos da vitória. Que benção esta palavra de Russel Shedd, não é mesmo irmãos? E você também quer ver crescer a sua fé? Quer seguir os passos para vitória?

 

Reparem, essa história não tem lógica alguma. Não faz sentido e não pode ser repetida. Se pudéssemos simular, em todas as vezes, os 300 seriam totalmente massacrados. No plano terrestre e da lógica humana essa história seria classificada como impossível. É isso mesmo, cremos em Deus, no Deus do impossível. Deus é o Deus do impossível. Será que o que você está passando está te atormentando? Os midianistas que estão ao teu redor te oprimem e são tão numerosos que você está confuso, perdido? "Então, o Anjo do Senhor lhe apareceu e lhe disse: O Senhor é contigo, homem valente" (Jz 6:12). A Deus toda a glória! Amém!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.