sábado, 10 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 354/365 – faltam 11 dias!


TEMA: Como nos comportarmos até a vinda do Senhor – Tg 5:7-11


Antes de entrarmos na nossa meditação, vamos falar um pouquinho de João Calvino, pois hoje comemoramos o seu aniversário de 501 anos, ou seja, 182.990 dias.

 

João Calvino (1509-1564)

 

  • 10/07/1509 – 27/05/1564, quase 55 anos (501 anos ou 182.990 dias
  • Francês, reformador, de origem humilde, aprendeu latim, filosofia e dialética na Universidade de Paris; foi encaminhado por seu pai para estudar teologia, mas estudou e se formou em direito. Até os 24 anos de idade Calvino era católico. Em 1533 converteu-se ao protestantismo, após contato com as idéias de seu contemporâneo Martinho Lutero. Foi perseguido na França e, no ano de 1536 fugiu para Genebra (Suiça).
  • Inteligente, orador, autor, organizador, administrador, muito talentoso.
  • Seu lema: ofereço-te meu coração, Senhor, pronta e sinceramente.
  • Sua visão de si mesmo: "O Senhor teve piedade de mim, sua pobre criatura; (...) Ele me estendeu a Sua misericórdia para anunciar a verdade do Evangelho."
  • Paulo, Agostinho, Calvino, grandes homens de Deus, fazem hoje parte da história, mas nós é que somos a história em construção.

 

Nossa meditação de hoje falará de como nós devemos nos comportarmos até a vinda de Jesus em sua glória e será o Espírito Santo quem nos irá ensinar, por meio de Tiago, o irmão do Senhor.

 

Ele começa a dizer para sermos pacientes até à vinda do Senhor. Russel Shedd nos diz que a palavra no grego relativa à paciência makrothumēsate não tem o mesmo sentido de que a palavra no grego hupomonē que está escrita no livro de Jó, cujo sentido denota paciência sob aflição. É outro tipo de paciência, tal qual uma expectativa.

 

Uma pequenina pausa: eu estava preparando a mensagem de hoje e a minha gatinha Bebel, 6 anos, exortou-me, pois ela estava requerendo atenção e eu fui um pouco grosseiro. Ela, sensível, como toda criança, percebeu e me disse: "Papai você tem de lembrar do domínio próprio sempre que você está nervoso!". Meu Deus, minha filha é uma bênção! Aleluias! Glórias a Jesus!

 

Voltanto à reflexão (Bebel foi tomar banho!...rs...): ele mesmo explica o tipo da paciência: como a do lavrador que aguarda o precisoso fruto da terra. Quem planta, tem a expetcativa da colheita. Ele sabe que a colheita virá, mas não será no dia seguinte, ou numa data que ele quer, mas no tempo em que ela estiver pronta para vir.

 

Nada adianta eu plantar hoje e amanhã eu ir conferir, pois nada encontrarei. Também não adianta eu ir e desenterrar a semente plantada para ver o progresso, pois isso vai acabar matando a semente. Eu plantei e agora devo esperar o fruto, mas como? Há cuidados que devemos tomar.

 

Ele, então, repete: sede pacientes e fortalecei o vosso coração, pois a vinda do Senhor está próxima. Tiago em 108 versículos nos prescreve 54 mandamentos. Eu entendo que as duas frases denotam ordenamento. Seja paciente! Fortalecei o vosso coração! E qual o motivo para assim tomarmos tal atitude? A vinda do Senhor está próxima!

 

No entanto, a todos os que foram dirigidas essas palavras morreram, inclusive o autor delas e não viram o cumprimento da volta de Jesus. O que isso significa para eles e para nós que estamos lendo e meditando na palavra de Deus? Houve algum erro do profeta? A palavra não é inspirada? Não creio que não seja assim. Deus está nos ensinando que nosso viver deve ser de grande expectativa de sua vinda e eu entendo porque.

 

Creio que nosso momento de encontro com o Senhor é sempre hoje, agora, pois não sabemos se estaremos vivos dentro de um minuto. Estando nós vivos, o fato mais certo de nossa vida não é o dia de amanhã, mas o dia de hoje que pode ter o seu final. Nossa vida pertence a Deus e ele nos instrui a vivermos de modo a que devemos estar a espera de Jesus, sendo pacientes e com o coração fortalecido, a qualquer momento.

 

Amanhã, continuaremos...

 

A Deus toda a glória!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 353/365 - faltam 12 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer 6 –Mc 14:32-42
Ofereçamos ao Senhor sacrifícios de gratidão e louvor pelo que ele fez por nós sendo ainda pecadores! Imaginem então o que não faria por nós que fomos salvos por ele? “em conseqüência da oferta final de Jesus pelos nossos pecados, temos apenas a obrigação de oferecer sacrifícios de gratidão e louvor a Deus (I Pe 2:9)...” Russel Shedd.
 
Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome.” (Hb 13:15).
 
Depois dessa guerra de oração entre a sua vontade e a do Pai, ele volta e encontra os seus discípulos dormindo e os exorta:
 
Simão dormes? è não era a hora de dormir, principalmente pelo que estava prestes a se cumprir. Simão mesmo, iria negar a Jesus por três vezes. Há momento certo para dormirmos tranquilamente. Nosso organismo precisa de dormir para funcionar perfeitamente, mas aquela hora não era a hora certa. Há muitos que ainda estão dormindo, apesar de acordados e não enxergam nem ouvem a voz do Espírito Santo.
 
Não podes vigiar uma hora? è Cristo não estava exigindo muito, apenas uma hora. Há momentos que precisamos estar mais atentos às coisas do Reino de Deus e à sua Justiça. O vigilante para nada presta se dorme. O sentinela que posto para vigiar resolve tirar uma soneca está convidando a satanás para entrar em sua fortaleza e vencer.
 
Vigiai e orai, para que não entreis em oração è a palavra de exortação ecoa por todo o tempo em que estivermos aqui nesta vida. Não podemos baixar a nossa guarda e deixarmos nem de vigiar nem de orar. Reparemos que também não se diz, orai e vigiai, mas vigiai e orai. Vigiar está associado com uma atividade na qual a sua execução exige atenção, concentração, observação das coisas ao nosso redor. Quem está de vigília, não pode baixar a sua guarda. Mas porque vigia um vigilante? Para não ser atacado de surpresa, de emboscada e quem age assim é o diabo.
 
O espírito está pronto, mas a carne é fraca è quem irá vencer a guerra: o espírito pronto que ficará firme ou a carne fraca que cederá à tentação? Há uma advertência do Senhor, pois conhece a nossa natureza. Não será nem Deus nem o diabo que nos usará como um boneco de marionete, mas nós é que ou cederemos ao espírito pronto ou acudiremos a persuasão da carne fraca. Em nossa guerra, temos de ter a consciência de que apesar de prontos, entraremos em grande luta por causa da nossa fraca carne. Sabendo disso, não enfrente a oposição de qualquer modo, como se já tivesse vencido a guerra.
 
Depois, voltou a orar, a guerrear, a combater a sua luta de oração com seu Pai e tornou a lhe falar as mesmas coisas. Voltou e encontrou a todos dormindo. Diz a palavra que seus olhos estavam pesados e não sabiam o que lhe responder.
 
Pela terceira vez, voltou a orar, a guerrear, a combater a sua luta de oração com seu Pai e tornou a lhe falar as mesmas coisas. Era de joelhos que orava Jesus, tamanha era a angustia que enfrentava. O evangelista Lucas diz que lhe apareceu um anjo do céu que o confortava. Deus nunca nos abandona nem nos deixa sem socorro ainda que tenha de enviar para nós um anjo do céu.
 
A luta que Jesus travou no Getêsemani foi para aceitar a vontade de seu Pai, pois tinha ele um desejo e sabia que sua oração seria atendida se insistisse. Era a luta entre o que ele queria e o que o Pai queria. O que eu quero e o que Deus quer. Ele, por fim, optou por atender ao que o Pai quer e por isso o Pai o exaltou sobremaneira e o colocou acima de tudo e de todas as coisas tanto nos céus quanto na terra. Seu nome foi exaltado e dignificado.
 
Quando eu entro em trabalho de luta com Deus, luta de oração eu já começo a minha luta sabendo de duas coisas: Primeira: que eu irei perder a luta: jamais ganharei um combate contigo, meu Senhor, portanto ajudá-me a ser convencido pelo teu Espírito Santo. Segunda: que eu estou a chorar de barriga cheia, mesmo quando julgo legítimos e válidos pela minha consciência os meus mais sinceros pedidos de oração.
 
A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 8 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 352/365 - faltam 13 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer 5 –Mc 14:32-42
Um fato que chama a atenção de todos nós é que quando estamos diante de uma profunda agonia, devemos fazer o mesmo que Jesus fez: derramou-se em oração ao seu Pai. Nossas angustias e provações jamais chegarão a ser do mesmo nível e intensidade que suportou Jesus. A nossa dor pode ser muito grande, mas Deus proverá para nós o socorro devido no tempo oportuno para que a possamos suportar.
 
Há irmãos que fazem tudo, menos elevarem a Deus em oração a sua alma angustiada. Não há oração que o Pai não responda.
 
Outra coisa que aprendemos é que quando oramos a Deus nas horas de grande agonia devemos estar dispostos a fazer não a nossa, mas a vontade de Deus. O desejo de Jesus é claro, ele não gostaria de passar por aquilo, mas passaria, se isso fosse de agrado de seu Pai.
 
Nós não sabemos nada e imaginamos que sabemos alguma coisa. Quem de nós pode querer determinar algo a Deus? A sua oração é:
 
Pai, todas as coisas te são possíveis è há porventura algo que não seja possível para Deus realizar? “Haveria coisa alguma difícil ao SENHOR?” (Gn 18:14); “E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.” (Mt 19:26). Quando você ora a Deus, você tem a consciência, o conhecimento de que para Deus todas as coisas são possíveis ou você já ora com uma expectativa de derrota? Porque está registrado pelo Espírito Santo de que Deus pode realizar todas as coisas? Ora, não foi para Deus que Deus está falando, mas para nós! A palavra está registrada para nós!
 
Afasta de mim este cálice è este era o seu desejo, a sua vontade, o que queria Jesus. Se não fosse assim, ele teria dito. Jesus, o filho de Deus, tenho certeza, orava com a convicção de que seria atendido. Ao orar ao seu Pai, a certeza era da resposta positiva. Eu creio que se ele tivesse insistido, seu Pai o teria atendido: “afasta de mim este cálice!” E você, quando ora a Deus, você sabe a quem você está orando e que ele irá responder a sua oração? Há algo errado em querermos as coisas? Não é o próprio Senhor que coloca em nós tanto o querer quanto o realizar?
 
Não seja porém o que eu quero è Jesus, sim, sabia o que queria e o que não queria, mas, nós, nem sabemos o que queremos, por isso que o Espírito Santo permitiu o registro de que ele nos ajuda em nossas fraquezas, pois não sabemos orar como convém e o Espírito Santo nos ajuda com gemidos inexprimíveis. É o próprio Deus, falando com Deus a nosso respeito. Já entramos em oração com Deus sabendo o que vamos pedir e, melhor, que nem sabemos pedir.
 
Mas o que tu queres è aceitar a vontade de Deus era e sempre foi o objetivo do Filho de Deus, isso porque confiava em seu Pai e porque nos deixou o exemplo para seguirmos. O Filho conhecia o Pai e sabia o que ele queria e que o seu querer era a sua melhor escolha. Nós somente teremos a ganhar escolhendo a vontade de Deus. Cumprir a vontade de Deus é um grande desafio! Você que já  conhece a vontade de Deus, você gostaria de cumpri-la? É o Deus da paz quem irá nos aperfeiçoar para cumprimos a sua vontade! Vejam:
 
Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo o bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém!” (Hb 13:20-21).
 
A Deus toda a glória!
 

quarta-feira, 7 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 351/365 - faltam 14 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer 4 –Mc 14:32-42
Continuando... O local era o monte das Oliveiras, ou seja, um local onde a prensa irá esmagar o fruto da oliveira para dela extrair o óleo de oliva. São necessárias de 1.300 a duas mil azeitonas para produzir 250 mililitros de azeite.
 
PRODUÇÃO: O método tradicional de produção de azeite de oliva é esmagar as azeitonas entre duas prensas de pedra com movimentos opostos, até que o fruto fique reduzido a uma pasta.  Esta pasta é espalhada sobre finas peneiras, que são colocadas umas sobre as outras e pressionadas com pesos. Os azeites "prensados a frio" são feitos desta forma.
 
A escolha do local trazia com exatidão o que estava acontecendo com Jesus momentos antes de ser crucificado, quando iria ser sacrificado e esmagado como uma azeitona, a fim de que a humanidade pudesse receber o Espírito Santo em seus corações.
 
Um dia desses eu estava angustiado e com meu coração bem apertado e tinha o desafio diante de mim de ter de pregar naquela noite. Eu orava ao Senhor e continuava angustiado. Senhor, me ajude, pois tenho de pregar e desse jeito, não dará certo. Irmãos, a palavra do Senhor veio ao meu coração muito claramente: Filho, eu te provo não para eu conhecer o teu coração, pois já o conheço; mas para que você tome conhecimento de teu coração e apresente-o diante de mim para que eu possa curá-lo.
 
Eu, então, parei e exclamei: ah, é, né? Então o Senhor está me espremendo? Está doendo Senhor! por favor, pare e não me mostre o tamanho de minha miséria e insignificância para que eu não venha a perecer de vez. A minha cura, então, brotou ali. Expus ao Senhor os pensamentos que me angustiavam, confessei meus pecados, recebi o seu perdão e fui pregar o evangelho naquela noite sem nenhuma angustia.
 
O Senhor nos prova, mas nos aprova! Passar pelo aperto pela prensa de azeite do Senhor pode doer e machucar um pouco, mas dela ele tira azeite precioso que é o símbolo da presença de Deus no Espírito Santo.
 
Jesus estava ali naquele jardim em agonia de morte. Não por causa de seus pecados, pois não tinha nenhum, mas por causa dos meus pecados, por causa dos pecados de todos nós. Aquilo doeu, angustiou, machucou seu coração. Era mesmo insuportável.
 
A dor da angústia era tão forte que de seus poros sairam gotas de sangue, fenômeno este conhecido como hematidrose, registrado por um médico, evangelista, Lucas, no capítulo 22:39-45.
 
Jesus entrou em agonia no Getsemani e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra". O único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas. E o faz com a precisão de um clínico. O suar sangue, ou "hematidrose", é um fenômeno  raríssimo. É produzido em condições excepcionais: para provocá-lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo. O terror, o susto, a angústia terrível de sentir-se carregando todos os pecados dos homens devem ter esmagado Jesus. Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas, o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo até a terra.” (http://www.guia.heu.nom.br/agonia_de_jesus.htm).
 
A Deus toda a glória!
 

terça-feira, 6 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 350/365 - faltam 15 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer 3 –Mc 14:32-42

Eu ia continuar com nosso tema (eu o farei amanhã), mas resolvi fazer esta pausa para postar este recado abaixo:
Salmo 33:
1.     Regozijai-vos no SENHOR, vós justos, pois aos retos convém o louvor.
2.     Louvai ao SENHOR com harpa, cantai a ele com o saltério e um instrumento de dez cordas.
3.     Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo.
4.     Porque a palavra do SENHOR é reta, e todas as suas obras são fiéis.
5.     Ele ama a justiça e o juízo; a terra está cheia da bondade do SENHOR.
6.     Pela palavra do SENHOR foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da sua boca.
7.     Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe os abismos em depósitos.
8.     Tema toda a terra ao SENHOR; temam-no todos os moradores do mundo.
9.     Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu.
10.   O SENHOR desfaz o conselho dos gentios, quebranta os intentos dos povos.
11.   O conselho do SENHOR permanece para sempre; os intentos do seu coração de geração em geração.
12.   Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o SENHOR, e o povo ao qual escolheu para sua herança.
13.   O SENHOR olha desde os céus e está vendo a todos os filhos dos homens.
14.   Do lugar da sua habitação contempla todos os moradores da terra.
15.   Ele é que forma o coração de todos eles, que contempla todas as suas obras.
16.   Não há rei que se salve com a grandeza dum exército, nem o homem valente se livra pela muita força.
17.   O cavalo é falaz para a segurança; não livra ninguém com a sua grande força.
18.   Eis que os olhos do SENHOR estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia;
19.   Para lhes livrar as almas da morte, e para os conservar vivos na fome.
20.   A nossa alma espera no SENHOR; ele é o nosso auxílio e o nosso escudo.
21.   Pois nele se alegra o nosso coração; porquanto temos confiado no seu santo nome.
22.   Seja a tua misericórdia, SENHOR, sobre nós, como em ti esperamos.

Acostume-se a se abençoar e a falar e a proclamar o bem de sua terra, de sua nação, de seu povo, de sua família, de sua igreja, de sua esposa, de seus filhos, de seus amigos, de seus vizinhos, de você mesmo, de tudo e de todos.

Eu não estou falando para você simplesmente jogar os defeitos para debaixo do tapete e ignorá-los, mas a ter uma atitude mais coerente com a de um filho de Deus. Precisamos, sim, analisar, criticar, corrigir e melhorar nossos defeitos e falhas, mas somente expô-los não trará cura a ninguém.

Eu detesto corrigir os outros quando estão errados e em meus sermões, procuro não ficar cobrando atitudes ou condenando qualquer um. Prefiro exaltar e falar de Deus demonstrando com toda minha força e convicção de que ele é real, existe e que requer de nós atitudes. A cura brotará na alma faltosa, essa é a minha certeza, por isso não gosto de cobrar nada de ninguém.

Pare de reclamar e de murmurar sempre e agradeça a Deus o dom da vida e a tua capacidade de produzir. Ajude o teu próximo e te esforce pela paz. Veja o slide “Brasil.pps e reflita nisso que acabei de falar. Eu ainda trarei para meditarmos nele este salmo lindo, em breve.
A Deus toda a glória!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 349/365 - faltam 16 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer 1 –Mc 14:32-42
Ontem, havíamos feito um pequenino exercício mental de recuar no tempo, um pouquinho, para entrar com Jesus ali no Getsêmani, naquele dia especial em que sua alma experimentou tristeza tão profunda até a morte e isso para gerar vida para você e para mim que estamos lendo/ouvindo esta mensagem.
 
[O LOCAL] E foram a um lugar chamado Getsêmani - do aramaico shemanim Gate “prensa de azeite”. Era um pomar, um jardim, no Monte das Oliveiras. Muito possivelmente era um local onde Jesus habitualmente freqüentava quando visitava Jerusalém.
 
(Lucas 21:37 – “Jesus ensinava todos os dias no templo, mas à noite, saindo, ia pousar no monte chamado das Oliveiras.”, Lucas 22:39 – “E, saindo, foi, como de costume, para o monte das Oliveiras; e os discípulos o acompanharam.”)
 
[O MOMENTO] Jesus tinha celebrado a última páscoa com seus discípulos e no momento da ceia (o antegozo da futura festa messiânica, quando a noiva – a igreja verdadeira – se unirá eternamente com o Noivo, Cristo) tinha revelado que um deles o haveria de traí-lo.
 
Antes de ir ao Jardim do Getsêmani, por conta de uma discussão entre eles sobre quem seria o maior no reino dos céus, Jesus tinha lhes dito que o maior no reino dos céus é o que serve. Você quer ser grande no Reino de Deus? Então, seja você o servo de todos!
 
Depois disso, advertiu Pedro que haveria de negá-lo por 3 vezes, o que de fato ocorreu, posteriormente. Se o gigante Pedro caiu, pecou e achou graça diante de Deus, nós também não devemos nos desesperar.
 
Depois, lhes orientou a comprar duas espadas para que se cumprissem as Escrituras de que ele teria sido contado entre os malfeitores. Naquele momento ele lhes fez uma pergunta muito interessante: quando vos mandei sem bolsas, sem alforge e sem sandálias, porventura lhes faltou alguma coisa? Nada, disseram eles. Será que se Jesus, ou o Espírito Santo, hoje, te fizer a mesma pergunta, você poderá responder como os discípulos? Falta-lhe algo? Não creio!
 
Foi depois dessas coisas que ele, como de costume, junto com os discípulos foi para o monte das Oliveiras para orarem e também para que ali se cumprissem as Escrituras, onde o Cristo haveria de ser preso.
 
Na verdade, conforme Marcos, Jesus mandou-os se assentarem enquanto ele iria orar. O momento requeria oração, não somente do Senhor, mas de todos, inclusive dos discípulos. Em Lc 22:40, a exortação de Jesus foi para orarem para não entrarem em tentação. Diz-nos a palavra de Deus que Jesus orava de joelhos.
 
O local era o monte das Oliveiras, ... amanhã, prosseguiremos.
 
A Deus toda a glória!
 
 

domingo, 4 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 348/365 – faltam 17 dias!

TEMA: O que eu quero – O que Deus quer –Mc 14:32-42


Será que há ou pode haver algum conflito entre o que queremos e o que Deus quer? Certamente que sim. Estamos cheios de conflitos, principalmente por causa de nossa natureza pecadora. Entender e acatar a vontade de Deus tornou-se um grande desafio à nossa vida.


Temos certeza, em nossa mente, que se andarmos no caminho que Deus preparou para nós, sem nos desviarmos nem para direita nem para a esquerda, tudo dará certo e prosperaremos, e daremos frutos, e seremos felizes. Parece tão simples, tão fácil. Então, vamos começar a nossa caminhada sendo o nosso destino a terra que o Pai nos preparou.


No início, tudo dá certo, tudo coopera. O caminho está adiante de nós tão claro que até o cego andaria por ele. Estamos no centro da vontade de Deus, andando na estrada que ele nos preparou. O dia está claro, o sol radiante, mas há árvores que fazem sombra tão bendita e uma brisa suave que vai brincando com os nossos cabelos, menos dos carecas (eu sou um deles...snif...).


Na estrada da vida, a vida dá o show, de exuberância, de fragor, de elegância, vemos a multiforme variedade de coisas animadas e não animadas. Um espetáculo para os nossos olhos, ouvidos, paladar, tato e olfato. As cores, os sons e o cheiro da natureza, da vida, geram vida, geram calor, geram energia. A morte é gelada não há movimento, não há graça, mas a vida é movimento, é vibração.


Não há nenhuma partícula no universo inteiro, conhecido e teoricamente imaginado em que não haja vibração das coisas. Tudo está produzindo trabalho, movimento, energia, inclusive o repouso das coisas é sustentado por forças que atuam na natureza mantendo os átomos e as menores partículas conhecidas agitadas.


Recuando no tempo, um pouquinho, vamos entrar com Jesus ali no Getsêmani, naquele dia especial em que sua alma experimentou tristeza tão profunda até a morte e isso para gerar vida para você e para mim que estamos lendo/ouvindo esta mensagem:


"32 E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro. 33 E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e a angustiar-se. 34 E disse-lhes: A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui, e vigiai. 35 E, tendo ido um pouco mais adiante, prostrou-se em terra; e orou para que, se fosse possível, passasse dele aquela hora. 36 E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres. 37 E, chegando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? não podes vigiar uma hora? 38 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. 39 E foi outra vez e orou, dizendo as mesmas palavras. 40 E, voltando, achou-os outra vez dormindo, porque os seus olhos estavam pesados, e não sabiam o que responder-lhe. 41 E voltou terceira vez, e disse-lhes: Dormi agora, e descansai. Basta; é chegada a hora. Eis que o Filho do homem vai ser entregue nas mãos dos pecadores. 42 Levantai-vos, vamos; eis que está perto o que me trai."


Amanhã, Deus irá nos conduzir... vamos a EBD? Eu já estou a caminho!


A Deus toda a glória!

sábado, 3 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 347/365 – faltam 18 dias!


Reflexões sobre a derrota do Brasil para Holanda.

Eu havia palpitado que no jogo Brasil x Holanda, o placar seria vitória do Brasil por 3x1. Ainda bem que comentei que eu não era bom nisso, logo acertei algo, não o placar do jogo, mas que eu não sou bom nisso, em palpite de jogos.  Ah! Que decepção! Nenhum de nós quer perder, mas no jogo de futebol não são os dois que vencem, apenas um.

O ambiente em meu trabalho estava todo enfeitado, ornamentado e as pessoas animadíssimas. Após o jogo, não ficou em seu lugar uma única ornamentação, tudo foi retirado, os balões estourados e, os que podiam, tiravam sua camiseta verde-amarelo e a substituiam por roupas comuns. Fiquei admirado com a nossa capacidade de transferência de 150 milhões de brasileiros para 11 que nos representavam.

Se tivessem vencido, nós os 150 milhões teríamos vencido, mas como perderam, nós, os 150 milhões perdemos a graça. Que capacidade temos de projetar ou transferir sentimentos e emoções para algum representante por nós escolhidos. Eles ficaram tristes, nós também. Eles para continuarem sua caminhada deverão buscar novas forças e motivos, nós também. Isso deveria nos ensinar, quando voltarmos a ganhar, a sermos mais solidários com os que perdem, pois sabemos o que é isso.

O que eu percebo disso tudo?

Primeiro, que não gostamos de perder, nem de errar o alvo, nem de errar o caminho, nem estar entre os atrasados, por isso estamos sempre nos esforçando, lutando e combatendo para estarmos do lado vencedor, campeão. Eu, por exemplo, faço parte de um time campeão que não perderá a guerra contra o pecado de modo algum. Jesus mesmo disse que os que o seguem receberão a vida eterna e ninguém os poderá arrebatar de suas mãos e das mãos do Pai. "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai." (Jo 10:27-29).

Segundo, que no afã de querer vencer e acertar, eu irei, muitas vezes, perder e errar, mas isso não pode me derrotar. É preciso levantar a cabeça, soergue-la e continuar a luta, o combate. Isso eu entendo como o nosso processo atual de santificação. A cada dia, progressivamente, eu estou lutando e combatendo para me tornar mais dígno de minha vocação, isto é, eu estou em contínuo processo de santificação. "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (Fp 3:13-14).

Terceiro, que eu devo, sim, me importar com os que em sua caminhada estão enfrentando a derrota para o pecado e entristecidos por estarem fora dos propósitos de Deus. Devo me solidarizar e ajudar meu irmão, pois o amargo da derrota poderá fazê-lo buscar consolo naquilo que não satisfaz. "Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te." (Is 41:6). "Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns." (I Co 9:22).

É isso ai gente, 2014 está chegando e ai seremos campeões em casa: esse é meu palpite, dessa vez, certo! Enquanto a copa não chega, entregue sua vida nas mãos de Jeus, pois ele tem uma grande obra a realizar na tua vida.


A Deus toda a glória!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 346/365 - faltam 19 dias!

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 6 – FP 1:27-30
Ontem foi bênção na nossa reunião da Arca da Aliança e a temática de ontem foi experiências com os anjos! Você tem a sua história e testemunho sobre o assunto?
Hoje teremos o jogo do Brasil x Holanda. Meu palpite (não sou bom nisso!) é vitória do Brasil por 3x1.
Voltando a nossa temática, quero citar o livro de Tessalonissenses que nos falará algo interessante:
 
3. Pois a nossa exortação não procede de engano, nem de impureza, nem se baseia em dolo; 4. pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração. (...) 10. Vós e Deus sois testemunhas do modo por que piedosa, justa e irrepreensivelmente procedemos em relação a vós outros, que credes. 11. E sabeis, ainda, de que maneira, como pai a seus filhos, a cada um de vós, 12. exortamos, consolamos e admoestamos, para viverdes por modo digno de Deus, que vos chama para o seu reino e glória.” (I Ts 2:3-4; 10-12).
 
Nessa epístola aos Tessalonissenses, Paulo, no capítulo 2, se defendendo, pois alguns o acusavam e atacavam seu caráter uma vez que viviam numa expectativa da volta de Jesus tão iminente que abandonaram suas vidas, escreveu que a sua exortação:
 
  • Não era procedente nem de engano nem de impureza
  • Não era baseada em dolo
  • Não visava agradar aos homens e sim a Deus que prova os nossos corações.
 
Em sua explicação realça que foi Deus quem nos APROVOU! (que bênção ser aprovado por Deus!), sendo a prova de sua aprovação a confiança a nós da mensagem do evangelho: Deus nos CONFIOU  a mensagem do evangelho de Cristo. Em Pedro, iremos ver que essa missão foi ambicionada por anjos, mas Deus APROVOU e nos CONFIOU essa nobre missão.
 
A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar.” (I Pe 1:12).
 
Em virtude disso, nos EXORTOU, CONSOLOU E ADMOESTOU  a vivermos de modo dígno de Deus que nos chama para o seu reino e glória. Isso é a responsabilidade do ministério que não está somente disponível a pastores, presbíteros, diákonos, missionários, mas a cada um de nós que professa que Jesus Cristo é o Senhor.
Lutar pela fé evangélica exige unidade e esta se conquista individualmente ao decidirmos vivermos dignamente diante do Senhor. Se assim estivermos firmes não iremos temer o adversário.
A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 1 de julho de 2010

365 dias de propósito! Dia 345/365 – faltam 20 dias!

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 5 – FP 1:27-30


Vamos começar a contagem regressiva a partir de 20. Meu propósito estará se encerrando no dia 21 de julho, lá de Itacaré, próximo de Ilhéus/BA. Já estou construindo outro propósito e ele estará ligado não mais aos dias, mas a quantidade de capítulos da Bíblia, ou seja, 1189. Ele deverá ser um projeto mais longo que provavelmente durará uns 4 anos e 4 meses. Depois, eu falo mais, pois exporei a metodologia que irei empregar e se alguém quiser seguir junto comigo, uma coisa eu tenho certeza: eu jamais desistirei!

 

Ontem, encerramos falando que Paulo exorta seus amigos na esperança de encontrá-los firmes, em um só espírito, com uma só alma, lutando – JUNTOS – pela fé evangélica. O que se percebe aqui é que Paulo aumejava deles a união, pois afinal de contas um só é o espírito. Não há dois espíritos Santos ou três, mas um único Espírito Santo que é o mesmo de ontem, de hoje e eternamente.

 

Se ele atuava na vida de Paulo e de seus amigos de Filipos, ele também estará, o mesmo Espírito, atuando em nós e nos conduzindo ,como a eles conduzia, a uma só alma/mente, isto é, uma só disposição de pensamentos. Juntos lutando pela fé evangélica.

 

Precisamos de unidade e não de divisões, facções. Há uma guerra sendo travada nos corações e a nós nos foi confiada a palavra da salvação. Quando vivemos de modo dígno do evangelho de Cristo, conquistamos firmeza, convicção, solidez em nossa fé. Quando estamos firmes, fortes e fortalecidos, somos unidos, damos mais ouvidos ao Espírito Santo que nos conduz de triunfo em triunfo. Estando todos nós unidos, numa só alma, não tem como, iremos enfrentar o bom combate da evangelização.

 

As estatísticas de jovens que se perdem para o suicídio, para as drogas, para uma vida promíscua, para o alcoolismo e para escapismos como o tabagismo, a pornografia e hábitos pecaminosos é elevada. Tudo isso vem para destruir o jovem e para arruinar toda a sua vida e destruir toda a sua esperança em Deus. E não somente os jovens, mas muitos adultos também.

 

Em nossas reuniões de cultos e de adoração nós nos fortalecemos e incentivamos a cada um a lutar. Isso é importante, mas se não sairmos mundo afora atrás das pessoas que vão morrendo dia-a-dia por falta de esperança e que vivem desrregradamente, para o que serve essa nossa fé? Por que estamos vivos e ocupamos inutilmente um espaço na terra entre os viventes? Lutar pela fé evangélica exige unidade e esta se conquista individualmente ao decidirmos vivermos dignamente diante do Senhor.

 

Se assim estamos firmes não iremos temer o adversário...amanhã! Não se esqueça de que hoje tem reunião da Arca da Aliança em casa e você é meu convidado!

 

A Deus toda a glória!

quarta-feira, 30 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 344/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 4 – FP 1:27-30
Ontem, estávamos meditando sobre o fato de que seremos mais produtivos quando entendermos que tudo procede de Deus a quem deve ser dada toda a glória do que quando eu resolvo fazer para conquistar ou para me mostrar ou para provar para mim mesmo que posso fazer o bem.
 
Quando eu tenho a convicção de que tudo que é feito tem as mãos invisíveis do Deus invisível, eu sou mais livre para produzir ainda mais. Não são as minhas obras que me recomendam a Deus, mas é por meio das minhas obras que serei conhecido e honrado pelos homens. Quando eu faço o bem, não sou eu quem o faço, mas a graça de Deus que está em mim, pois minha natureza é malígna e somente sei fazer o mal.
 
Quando faço o mal, faço o que eu sei fazer. Eu não tenho o livre-arbítrio de poder escolher o bem estando acostumado a fazer o mal. Eu não consigo ter êxito na escolha de algo que vai contra a minha natureza. Eu sou pecador, logo peco.
 
Ao querer ser justo, eu me torno pecador, mas ao receber a graça de Deus que me justifica, eu me torno instrumento do bem, da justiça de Deus e o seu poder trabalha em mim fazendo com que eu pratique a justiça.
 
Eu não consigo praticar a justiça querendo ser justo, pois isto me tornará escravo do pecado, pois o mal que eu detesto, esse faço, mas o bem que amo, não faço. Ao querer praticar a justiça e ser justo, a lei me pega e eu fico sem saída. Ao se tornar lei para mim a pratica da justiça, eu me torno transgressor da lei.
 
Cristo nos libertou da escravidão da lei, não mais para andarmos em sua servidão. Nossa morte, em Cristo, é a garantia de que estamos mortos para a pratica da justiça. Já não há mais lei, já não há mais pecado, já não há mais transgressão da lei.
 
Como então eu irei praticar a justiça sem que a justiça se torne lei para mim? Ora, todo bem e toda a justiça parte do próprio Deus. A nossa preocupação não deve ser o que fazer, mas o crer. Eu faço! Isso provoca em nós orgulho, superioridade sobre os que não fazem, premiação ou pagamento pelo feito. Eu creio! Isso desperta a nossa fé, nos faz nos aproximarmos mais de Deus, quanto mais próximos de Deus, mais fazemos!
 
Parece complexo e estranho? Você tem desejo forte em seu coração de fazer mais para Deus, pois o que faz é muito pouco? Então, dê mais de si mesmo a Deus e não as obras. Creia que ele  existe e que é teu galardoador. Creia que ele está contigo, te ajudando e te dizendo: “jamais te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hb 13:5). A exortação do apóstolo Paulo é para vivermos de modo dígno do evangelho de Cristo (vs. 27) e a sua oração é que Deus nos faça dignos (vs. 11). Você está entendendo?
 
É deste modo que Paulo exorta na esperança de encontrá-los firmes, em um só espírito, com uma só alma, lutando – JUNTOS – pela fé evangélica. Amanhã, trabalharemos nisso.
 
A Deus toda a glória!
 
 

terça-feira, 29 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 343/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 3 – FP 1:27-30
Ontem, encerramos dizendo que não é de qualquer maneira que nós devemos andar e nos portarmos diante de Deus, mas dignamente.
 
Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.” (2 Ts 1:11-12)
 
No trecho acima das Escrituras, vemos que é Deus quem nos faz dignos e, no trecho abaixo, é nós que devemos viver de modo dígno:
 
“27. Vivei, {Vivei; no original, portai-vos como cidadãos} acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica; 28. e que em nada estais intimidados pelos adversários. Pois o que é para eles prova evidente de perdição é, para vós outros, de salvação, e isto da parte de Deus. 29. Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, 30. pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu.” (Fp 1:27-30).
 
Russel Shedd, em sua Bíblia SHEDD, nos diz, em seus comentários, que Deus é o único que pode nos tornar dignos de sua vocação:
 
  1. Ele, Deus, é a fonte de todo propósito nosso de fazer o bem.
  2. Ele, Deus, fornece o poder para o cumprir (conforme: Cl 1:11, 29; Ef 1:19).
  3. Ele, Deus, faz a obra que nossa fé almeja (conforme 1 Ts 1:3).
  4. Sua glória é o objetivo da vida, da nossa vida (vs 12).
 
É dignamente que devemos viver, nos portarmos, nos comportarmos, como cidadãos. Ao querermos e nos esforçarmos por assim vivermos, estaremos cooperando com Deus na realização de todo bem cuja fonte única é somente dele mesmo. Cooperar com Deus não significa dizer que ele precisa de nosso trabalho ou de nossa cooperação, serviço, esforço.
 
Ao entendermos que todo bem procede dele, ficamos livres para glorificá-lo e exalá-lo e mais soltos para podermos cumprir com mais eficácia os seus desígnios. Quando eu acho que eu faço e aconteço e que sou importante dentro do processo e que sem mim nada pode ser feito, eu escorreguei em algum lugar e não poderei prosperar. Quando eu tenho a convicção de que tudo que é feito tem as mãos invisíveis do Deus invisível, eu sou mais livre para produzir ainda mais.
 
Amanhã, tentarei ser mais preciso nesta questão delicada e importante.
 
A Deus toda a glória!
 

segunda-feira, 28 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 342/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo 2 – FP 1:27-30
Filipenses é uma das cartas mais pessoais do apóstolo Paulo que estava escrevendo para um grupo de amigos em Filipos. Filipenses é também considerada a epístola da alegria. Nela há 16 citações referentes a alegria e seus sinônimos.
 
Qualquer dia destes eu irei fazer um estudo sobre a alegria (incluindo as suas variações e palavras sinônimas, contentamento, regozijo, gozo, felicidade, bem aventurança, folga, rejubilo, júbilo, etc) em toda a bíblia. A alegria deveria ser uma atitude mental que tomamos todos os dias. Somente o fato de estarmos vivos é sinal de que Deus noa ama e nos quer alegres.
 
O mais estranho de tudo é que o apóstolo Paulo escreveu esta epístola da alegria para seus amigos de dentro de uma prisão onde estava em cadeias em, provavelmente, Roma. Isto nos mostra, como afirma Russel Shedd em sua Bíblia Shedd que “As circunstâncias imediatas que circundam um crente não são os fatores que deveriam determinar sua atitude para com a vida”.
 
Paulo na prisão não se considerava o prisioneiro de Roma ou do sistema, mas de Cristo: isto que é entender a soberania de Deus. Paulo escreveu outras epístolas enquanto esteve preso. Eu não estou preso por causa do evangelho, mas estou trabalhando e isso ocupa um bocado de meu tempo diariamente. Será que eu sou empregado do Governo e servo, escravo, da empresa que trabalho, ou, antes, sou empregado de Cristo e servo do Senhor?
 
pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração..” (I Ts 2:4).
 
Deus nos aprovou! A prova disso é que nos confiou o evangelho! “...tivemos ousada confiança em nosso Deus, para vos anunciar o evangelho de Deus, em meio a muita luta” (I Ts 2:2). Agora, então, falamos, com ousadia, em meio a muita luta, não para agradar aos homens, mas a Deus. Somos despenseiros de Deus e o que se pede dos despenseiros? Que se achem fiéis em toda a casa de Deus.
 
Quem está na dispensa, tem a chave da dispensa e será responsável administrativamente pelo cuidado, pela gestão eficaz, pela administração dos dons de Deus. Ele nos confiou o evangelho, não para entrarmos a mensagem da cruz, mas para anunciar a todos os homens o tempo aceitável do Senhor.
 
Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.” 1 Coríntios 4:2
Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.” 1 Coríntios 4:1
Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” 1 Pedro 4:10
 
Vivei de modo digno do evangelho de Cristo! Está nos Filipenses, mas também em outro trecho: “Vós e Deus sois testemunhas de quão santa, e justa, e irrepreensivelmente nos houvemos para convosco, os que crestes. Assim como bem sabeis de que modo vos exortávamos e consolávamos, a cada um de vós, como o pai a seus filhos; Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória.” (I Ts 2:2).
 
Não é de qualquer maneira que nós devemos andar e nos portarmos diante de Deus, mas dignamente. Amanhã, prosseguiremos. Bom jogo a todos!
 
A Deus toda a glória!
 

domingo, 27 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 341/365

TEMA: Vivei de modo digno do evangelho de Cristo – FP 1:27-30


Leitura bíblica do texto do tema:

 

"27. Vivei, {Vivei; no original, portai-vos como cidadãos} acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica;

 

28. e que em nada estais intimidados pelos adversários. Pois o que é para eles prova evidente de perdição é, para vós outros, de salvação, e isto da parte de Deus.

 

29. Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele,

 

30. pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu." (Fp 1:27-30).

 

Agora que somos do Senhor, nosso viver já não pode ser de qualquer jeito. Isso é muito sério. Deus nos salvou e nos deixou vivos para não mais vivermos para nós mesmos fazendo nossas próprias vontades e desejos. Agora já não somos mais escravos de nossos apetites. Não são eles que nos dominam, mas nós é que exercemos sobre eles domínio.

 

Antes eu não estava nem ai. Fumava, bebia, e me envolvia com pessoas, com coisas, manias e hábitos sem me importar se isso trazia ou não conseqüências a quem quer que fosse. Eu queria mesmo é a curtição, a farra, o prazer. Se eu fosse prejudicar alguém eu até procurava evitar, mas se não desse, eu não estava nem ai. Isso é o cúmulo do egoísmo.

 

Você que é pai de família e que bebe descontroladamente e que fuma em casa sem se importar com seus filhos e esposa, deixe de ser egoísta! A tua única preocupação é o teu umbigo! Deixe de ser irresponsável e inconsequente que não é capaz de se dominar e de fazer a coisa certa. E agora? O que você vai fazer com aqueles que Deus te deu e cuja responsabilidade de ensino, sustento está nas suas costas?

 

"Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também." (Ef 2:2-3).

 

Já não somos mais filhos da ira, mas ele nos vivificou, estando nós mortos em ofensas e pecados (Ef 2:1). Desculpem-me o desabafo e a forma grosseira de trazer à tona o assunto. Eu repito em alto e bom som: "Agora que somos do Senhor, nosso viver já não pode ser de qualquer jeito.". Um bom domingo a todos! Amanhã terá jogo do Brasil. Meu palpite: vitória do Brasil por 3x1. Eu, palpiteiro, estou mal: contra portugal eu tinha prognosticado 2x1 para o Brasil e ficou no 0x0...rs.

 

A Deus toda a glória!

sábado, 26 de junho de 2010

365 dias de propósito! Dia 340/365

TEMA: Jamais Duvide da Bondade de Deus 4 – Mt 19:17


Continuando a ver os propósitos do sofrimento entre os cristãos, nós veremos que além de servir para trazer o crente de volta, ou mantê-lo, no caminho correto e servir para desenvolver em nós uma capacidade de compaixão pelos outros, pois quem sofre é capaz de socorrer os que sofrem, encontraremos mais os seguintes propósitos:


a)     Confirmar o Valor da Fé

 

Pe 1.6-7 – "Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que o valor da vossa fé, uma vez confirmado, muito mais precioso do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo...¨

 

·         

·         Não é agradável

·         Vem quando necessário

·         Não é longo

 
Pedro diz que o Sofrimento é comparado à ação do fogo

·          Pedro diz que a Confirmação da fé vem através de sofrimento

·          Pedro diz que o Confirmação da fé vem por uma gama de sofrimentos

 

"Para que haja o fogo e este cumpra o seu papel é necessário termos o calor, o combustível, o comburente (ex: oxigênio) e a reação em cadeia. Se ele é o elemento purificador, entendemos que poderíamos aplicar a ilustração da seguinte maneira: no lugar do calor, a prova ou a provação; no lugar do combustível, algo que nos faça sofrer, por exemplo, uma enfermidade, no lugar do comburente, o eu que tem o fôlego de vida e no lugar da reação em cadeia, o amor de Deus.

 

O fogo tem a função de ser purificador, mas não pode ser intenso demais, nem prolongado, mas dosado na medida certa, pelo amor de Deus. Quando estão todos juntos (calor, combustível, comburente e reação em cadeia) há fogo e este cumpre seu papel. Semelhantemente, quando estão todos juntos (provação, enfermidade, por exemplo, o eu e o amor de Deus) o fogo,  a purificação ocorre. (qualquer dia desses, criarei um gráfico ilustrativo –aguardem!)." (Jamais Desista de 24/06/2010). Confira o texto de I Pedro 1:6-7, acima.

 

b)     Aperfeiçoar o Caráter do Cristão

 

d.1) Rm 5.3-5 – "E não somente isto, mas também nos gloriemos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado."

 

·         Paulo diz que as aflições produzem a perseverança

·         Paulo diz que a Perseverança produz experiência

·         Paulo diz que a Experiência produz esperança.

 

De maneira muito feliz, Phillips parafraseou os versos de Romanos, da seguinte maneira:

 

Rm 5.3-4 – "Isto não significa naturalmente que temos somente uma esperança de alegrias futuras — podemos ser plenos de alegria aqui e agora mesmo em nossas provações e problemas. Entendidas no espírito correto estas coisas nos darão uma constância paciente; isto, por sua vez, desenvolverá um caráter maduro, e um caráter de tal sorte que produz uma esperança constante, uma esperança que nunca nos desapontará."

 

Graficamente, teríamos algo como um quadrado que ao ser fechado pela esperança (cada lado do quadrado representaria algo: a tribulação, um lado, a perseverança, outro lado, a experiência, outro e finalmente a esperança, fechando e completando o quadrado) estaria fechado e pronto para receber não a confusão, mas o amor de Deus derramado em nossos corações. Eu entendo então que somente quando estes quatro se completam é que eu tenho crescimento no amor de Deus!

 

d.2) 2 Co 12.7 – "E, para que eu não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte"

 

O caráter cristão aperfeiçoado não pode, devido a natureza das revelações que recebe, se exaltar. Deus para nos preservar desse grande erro permite tais espinhos na nossa carne. Eles não são agradáveis, por isso que Paulo orou tanto, mas não conseguir êxito. Deus em seu eterno propósito nos diz "a minha graça te basta, meu filho!".

 

c)     Manifestar a Graça Divina

 

Fp 1.29-30 – Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo, e não somente de crerdes nele, pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e ainda agora ouvis que é o meu."

 

d)    Crescer no Conhecimento de Deus

 

Jó 42.5 – "Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem."

 

Portanto, se Deus dá a você, cristão, sofrimentos, é parte de sua obra providencial, para que você conheça cada vez mais e melhor quem ele é!

 

A Deus toda a glória!