sexta-feira, 18 de março de 2011

Faltam 770 dias para 26/04/13

 

TEMA: UNIDADE 6 – Jo 17:19-23.

 

 "E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas, também por aqueles  que vierem a crer em mim por intermédio da sua palavra ; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó pai em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido  a glória que me tens dado, para que sejam um como nos o somos; eu neles e tu em mim. A fim de que sejam aperfeiçoados na unidade , para que o mundo conheça que tu me enviaste, e o amaste como tu também amaste a mim." (Jo 17. 19-23)

 

Estou nos céus, literalmente entre os céus e a terra, há umas 10.000 milhas de altura. Saindo de Belém (cidade onde Jesus nasceu...rs...) em direção à Brasília, a bordo do voo da TAM. Daqui de cima, vemos o mundo tão pequenino lá em baixo. As cidades, que se parecem grandes, ficam tão pequeninas e inexpressivas. Como nós, habitantes estelares, nos deixamos nos envolver por tantas picuinhas na terra?

 

O mundo que o Senhor nos fez é tão vasto e imenso. Tão gigante e absurdamente imenso que seu tamanho vai além da nossa vã imaginação. Tudo é vasto e imenso no universo criado por Deus, inclusive o microcosmo. O microcosmo é tão pequeno, mas tão pequeno, que chega a ser infinitamente imenso, guardadas, é claro, as devidas proporções.

 

No cosmo, criado pelo Criador, tudo tem o seu lugar preciso. Você já reparou que o homem nunca nada fez, nem fará, para que o Cosmos inteiro funcione regularmente? Ele não precisa corrigir órbita alguma de nenhuma estrela, cometa, constelação, tudo foi criado e tudo funciona perfeitamente. São dois princípios presentes, o da criação, porque Deus criou todas as coisas e o da sustentação, porque Deus sustenta todas as coisas criadas.

 

Será que não nos sustenta a nós, seres humanos? Será que ele nos criou à parte de sua criação e não nos sustenta também? Sim, ele tanto nos criou quanto nos sustenta. Porque então ficamos tão envolvidos conosco mesmos e nos esquecemos de Deus? Porque nos preocupamos com tantas coisas e nos esquecemos de que Deus existe? A criação nos ensina que tudo tem o seu lugar devido e funciona regularmente.

 

Para que haja unidade na igreja, no corpo de Cristo, devemos confiar no governo e na administração de Deus sobre todas as coisas e sobre tudo. Eu creio que seu poder de criar (único! Somente Deus pode criar coisas) e de sustentar todas as coisas estão presentes no cosmos inteiro, incluindo-se ai, tudo o que o contem, inclusive o nosso interior, os nossos governos, as nossas políticas, os nossos pensamentos, imaginações. Deus é Senhor de tudo e de todos, mesmo dos que não o aceitam como Senhor.

 

Ele disse ao Pai que tinha transmitido aos seus discípulos, a glória que Deus Pai tinha transmitido a ele e sabem para quê? Para que sejamos um como ele era com seu Pai. Era o seu desejo a unidade. O capítulo 17 de João é conhecido como o capítulo da oração sacerdotal de Cristo.

 

A Bíblia de Estudo de Genebra nos fala do capítulo 17 como dividido em três partes:

 

1.      Dos VS de 1 a 5, ele nos fala de sua própria glorificação.

2.      Dos VS de 6 a 19, ele ora pelos seus discípulos como aqueles separados das demais pessoas da terra. Ele os considerava especiais por terem sido trazidos pelo Pai (meu comentário: olha que o Pai permitiu entre eles um que era filho do diabo, Judas, o traidor). Jesus pede ao Pai para eles: proteção, dos VS 11 a13 e para mantê-los separados do mundo, dos VS 14 a19.

3.      Dos VS 20 a 26, ele ora, finalmente, por aqueles que viriam a crer nele no futuro (eu e você! – nós, que estamos buscando a unidade), pedindo ao Pai, primeiramente, que sejam unificados e, depois, que um dia (creio que na sua volta), reunidos a ele.

 

Amanhã, irei publicar toda a oração sacerdotal! O mundo está precisando se unir. A igreja está precisando se unir. A união deve ser em torno de Cristo. Deus escolheu a Cristo para nos unir e sem ele não teremos união, por mais que nos esforcemos. É em Cristo que Deus escondeu tudo o que precisamos para essa união. Eu ainda creio que o Senhor nos dará, em nossos dias, um grande avivamento que fará coisas sobrenaturais ocorrerem de forma jamais vista e testemunhada por qualquer humano desde os dias de Adão.

 

Finalizo este post, daqui do céu, com Miquéias 7:15: " eu lhes mostrarei maravilhas como nos dias de tua saída da terra do Egito"

 

Continuamos com o nosso desafio pela unidade. A unidade será o tema de nossa próxima vigília que acontecerá em primeiro de abril de 2011: 01/04/2011, em nossa Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga – PIPT. Não perca! Venha orar conosco pela unidade.

 

A Deus toda a glória!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Faltam 771 dias para 26/04/13

 

TEMA: UNIDADE 5 – Jo 17:19-23.

 

 "E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas, também por aqueles  que vierem a crer em mim por intermédio da sua palavra ; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó pai em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido  a glória que me tens dado, para que sejam um como nos o somos; eu neles e tu em mim. A fim de que sejam aperfeiçoados na unidade , para que o mundo conheça que tu me enviaste, e o amaste como tu também amaste a mim." (Jo 17. 19-23)

 

O Pai, Jesus e nós, somos todos nós, ou devemos ser, todos nós, unos, uma unidade. Jesus e o Pai eram um só dizia Jesus. Também dizia, quem me ve a mim, ve o Pai. Na verdade, a unidade está na Trindade: no Pai, no Filho e no Espírito Santo. Não há disputa entre eles, não há discordância, mas união e amor.

 

A oração de Jesus era para que com ele, com o Pai e, consequentemente, com o Espírito Santo, todos nós fôssemos um, tanto individualmente como em grupo. Falo da igreja. Eu sou igreja de Jesus Cristo, como é a igreja o conjunto de todos os que creem no Senhor. A igreja do Senhor não pode ter objetivos isolados e não de acordo com o que o Filho nos ensina.

 

A encarnação de Jesus possibilitou ao homem conhecer o modelo em tudo. Jesus buscou andar com Deus e obedecê-lo em tudo para que também nós seguíssemos seu exemplo. Jesus é homem e escolheu homens para segui-lo e levar adiante a mensagem de Deus, ou seja, a sua mensagem, de que ele como Deus estava reconciliando consigo mesmo o inteiro cosmo para que ao final todos nós sejamos um com ele.

 

A unidade nossa com o Senhor não é uma unidade que retira a nossa identidade, antes a aperfeiçoa. Eu não deixarei de ser Daniel Deusdete, mas com ele serei um só. Há doutrinas que ensinam que o destino do homem é se misturar com a sua divindade formando com ele uma unidade que desintegra a identidade. Essa doutrina não é bíblica.

 

A unidade tem um objetivo. É somente voltarmos a ler o versículo base da referência. O objetivo que se sobressai é fazer com que o mundo creia que Jesus foi enviado pelo Pai. O Pai amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho único para que todo aquele que nele creia, não pereça mas permaneça para sempre – Jo 3:16.

 

O Pai é o governador do mundo que o rege com sua forte mão e nada lhe escapa ao seu controle soberano e absoluto. O mundo está apavorado com o que aconteceu com o Japão e com o que está para acontecer com a usina nuclear que nos parece com situação apocalíptica totalmente fora de controle. Está fora de controle do homem, mas não de Deus.

 

Jesus Cristo é a saída desse mundo. Ele e somente ele é a Arca de Noé dos dias atuais. Ele e somente ele é a solução dos vazamentos nucleares. Ele é a saída contra os terremotos e contra os maremotos e contra as atuais e temidas tsunâmis... eu até que gostaria de dar uma ordem daqui em o Nome de Jesus e ordenar que, imediatamente, a situação dessa usina nuclear seja controlada e regularizada. Eu oro, eu peço, eu repreendo, mas o fazer ou o não fazer não me compete a mim, mas ao administrador que tem tudo sob o seu controle.

 

O mundo está precisando se unir. A união em torno de Cristo dará aos nossos dias um grande avivamento que fará coisas sobrenaturais ocorrerem de forma jamais vista e testemunhada por qualquer humano desde os dias de Adão.

Ambos estão juntos e o desafio é a unidade. Repito o que disse ontem de que não estamos sendo chamados para separarmos o trigo do joio, mas para vivermos em união, seguindo o exemplo maior que Jesus nos deu de que convivendo com o inimigo, não permitiu que houvesse desunião entre os seus discípulos. na hora certa, os que não são da luz se separarão da luz, mas para seu próprio tormento.

 
A Deus toda a glória!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Faltam 772 dias para 26/04/13

TEMA: UNIDADE 4 – Jo 17:19-23.
 
E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas, também por aqueles  que vierem a crer em mim por intermédio da sua palavra ; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó pai em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido  a glória que me tens dado, para que sejam um como nos o somos; eu neles e tu em mim. A fim de que sejam aperfeiçoados na unidade , para que o mundo conheça que tu me enviaste, e o amaste como tu também amaste a mim.” (Jo 17. 19-23)
 
Começo hoje o dia com a pergunta feita ontem que eu deixei para nossa reflexão: Judas era de Deus e se desviou ou Judas sempre foi do diabo? Como manter a unidade quando estamos vivendo com filhos do diabo que querem satisfazer-lhes os seus próprios desejos?
 
Quando o Senhor fez esta oração, Jesus ainda não tinha sido traído por Judas. Ele conhecia a Judas e, creio, jamais deixou de amá-lo e incentivá-lo. Creio que Jesus não o tratou com desprezo, nem desdém, mas com muito amor. Na hora da traição de Judas, Jesus o chamou de amigo: “E logo, aproximando-se de Jesus, disse: Eu te saúdo, Rabi; e beijou-o. Jesus, porém, lhe disse: Amigo, a que vieste? Então, aproximando-se eles, lançaram mão de Jesus, e o prenderam.” (Mt 26:).
 
Jesus sabia o que Judas estava para fazer e que as Escrituras iriam se cumprir com a traição por suas mãos. Jesus jamais deixou de amá-lo, mas deixou-o livre para agir. Não creio que o incentivou, nem que o usou, mas deixou-o livre. Agiu com amor, mas este ingrato, filho das trevas, rejeitou o seu amor e amou mais os seus próprios interesses.
 
Em nossa caminhada da unidade, poderemos ter entre nós Judas e muitos outros filhos do mundo e não filhos da luz. Mateus e Lucas nos falam dos filhos do mundo e dos filhos da luz em parábolas de Jesus uma sobre o joio e o trigo e outra sobre os filhos do mundo serem mais espertos e sagazes que os filhos da luz.
 
O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno; “ (Mateus 13:38). “E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz. ” (Lucas 16:8).
 
A diferença entre os filhos que se refere Mateus de Lucas é que em Mateus, no grego, os filhos são do mundo e em Lucas, os filhos são desta presente era escatológica, dos tempos do fim, dos últimos dias. Em Mateus os filhos são do reino, isto é, a idéia do reino abrange o inteiro cosmos, o universo, os céus e a terra e em Lucas, os filhos são da luz mesmo. Ambos são termos sinônimos e o significado é que há dois tipos de pessoas em um mesmo ambiente.
 
Ambos estão juntos e o desafio é a unidade. Não estamos sendo chamados para separarmos o trigo do joio, mas para vivermos em união, seguindo o exemplo maior que Jesus nos deu de que convivendo com o inimigo, não permitiu que houvesse desunião entre os seus discípulos. na hora certa, os que não são da luz se separarão da luz, mas para seu próprio tormento.
 
A Deus toda a glória!
 

terça-feira, 15 de março de 2011

Faltam 773 dias para 26/04/13

TEMA: UNIDADE 3 – Jo 17:19-23.
 
Antes de ontem, eu publiquei uma mensagem abençoada do Pb. Gilson Santos sobre a A UNIDADE DA IGREJA a qual também se encontra no seu blog: http://oscincosolas.blogspot.com/2011/03/tema-unidade-jo-1723.html
 
Ontem, eu, novamente, me socorri de meu amigo e postei mais uma de suas valorosas mensagens intitulada: Tema: A casa sobre a Rocha – Mt 7:24-26. A mensagem pode ser lida diretamente em seu blog: http://oscincosolas.blogspot.com/2011/03/tema-casa-sobre-rocha-mt-724-26.html
 
Voltemos à referência bíblica relativa ao tema deste post:
 
E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas, também por aqueles  que vierem a crer em mim por intermédio da sua palavra ; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó pai em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido  a glória que me tens dado, para que sejam um como nos o somos; eu neles e tu em mim. A fim de que sejam aperfeiçoados na unidade , para que o mundo conheça que tu me enviaste, e o amaste como tu também amaste a mim.” (Jo 17. 19-23)
 
Ele o Senhor se santificou a si mesmo para que nós fôssemos santificados. E se ele não se tivesse se santificado, como poderia eu ser santificado? Eu me santifico a mim mesmo, foi o que disse o Senhor. Eu posso me santificar a mim mesmo? Não creio ser capaz de me santificar a mim mesmo. A oração de Jesus foi para que eu fosse santificado na verdade.
 
É ele, o Senhor, a verdade. Não pode haver santificação fora da verdade, fora de Cristo! Achamos que nos santificarmos é nos guardarmos de pecar e vivermos vida irrepreensível, mas será que é isso? Eu posso não pecar de alguma forma? Acostumado a pecar e de natureza pecadora, posso viver sem pecar?
 
O rogo do Senhor não foi somente por aqueles que o Pai lhe tinha dado em resposta às suas orações feitas por uma noite inteirinha de oração: “E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus.” (Lc 6:12), o seu rogo abrangeu também a nós, escolhidos, também, pelo Pai.
 
Foi o Pai quem enviou a Jesus os doze, como é o Pai quem nos envia a Jesus. E Judas, foi o Pai quem o enviou? Não era ele o filho da perdição? De quem era filho Judas? Por criação, certamente, era filho de Deus, mas desviou-se da verdade, aliás, jamais se firmou na verdade. Seu pai portanto era o diabo.
 
Quem tem o pai por diabo, quer vivendo para satisfazer-lhe os desejos, pois é homicida e não se firma na verdade, em Cristo. “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.”( João 8:44).
 
Judas era de Deus e se desviou ou Judas sempre foi do diabo? Como manter a unidade quando estamos vivendo com filhos do diabo que querem satisfazer-lhes os desejos?
 
A Deus toda a glória!
 

domingo, 13 de março de 2011

Faltam 775 dias para 26/04/13


 TEMA: UNIDADE – Jo 17:19-23.

 

A UNIDADE DA IGREJA

 

 Amados, hoje vamos falar de um tema muito importante para o crescimento espiritual do crente e para a edificação da igreja. Para entendermos o que é unidade da igreja temos que em primeiro lugar entendermos a nossa condição como, antes, escravos do pecado, porém agora, liberto pelo sangue precioso do nosso senhor Jesus Cristo, em segundo lugar, o que é a unidade da igreja local, em terceiro lugar porque devemos buscar a unidade da igreja e, finalmente, quais as conseqüências na vida do crente e da igreja pela busca da unidade.

 

Vários textos bíblicos falam a respeito da unidade da igreja, vamos citar alguns deles, ao longo do nosso comentário.

 

"E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas, também por aqueles  que vierem a crer em mim por intermédio da sua palavra ; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó pai em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido  a glória que me tens dado, para que sejam um como nos o somos; eu neles e tu em mim. A fim de que sejam aperfeiçoados na unidade , para que o mundo conheça que tu me enviaste, e o amaste como tu também amaste a mim." (Jo 17. 19-23)

 

1.         EM PRIMEIRO LUGAR, QUAL É A NOSSA CONDIÇÃO ANTES DA SALVAÇÃO? (Ef 2.1-3)

Em efésios 2.1-3, podemos ver claramente qual era a nossa condição antes da salvação.

"Ele vos deu vida, estando vós mortos em vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nos andávamos outrora, segundo a inclinação da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza, filhos da ira, como também os demais"

 

a.         O homem está morto em delitos e pecados. (V1)

b.         O homem anda de acordo com o curso deste mundo. (V2)

c.         O homem anda de acordo com os ditames de satanás. (v2)

d.         O homem anda nas concupiscências da carne e do mundo. (v3)

e.         Por natureza, o homem é filho da ira. (v3)

 

Amados, essa é a condição do homem antes de conhecer e aceitar a Cristo., vamos continuar em efésios.

 

"Mas Deus sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nos mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo- PELA GRAÇA SOIS SALVOS". (Ef 2.4,5)

 

Vemos claramente aqui, que o homem na queda, tornou-se completamente incapaz e sem poder, (morto) quer para desejar a Deus, quer para servi-lo, quer para conhecê-lo, quer para buscá-lo, a menos que Deus o capacite e lhe dê vida em Cristo.

 

Escreve Richard P. Belcher em seu livro " Uma Jornada na Graça". Sendo assim, a inclinação do homem natural é para o mal e não para o bem, essa é a natureza do homem, como Paulo diz: que não há um homem justo, um sequer. Daí por natureza não buscarmos por nós mesmo, a unidade da igreja, pois ela está relacionadacom a santificação, como veremos, adiante.

 

2.         O QUE É A UNIDADE DA IGREJA LOCAL?

 

Não vamos aqui entrar no mérito do significado da palavra "EKKLESIA" (chamado para fora), que muitos relacionam com o chamado missionário da igreja, ou como ASSEMBLEIA, para tratar de assuntos do povo. Gostei muito quando o pastor Marcelo, relacionou com a palavra comunidade , do latim "COMUNITATE", que nos da uma idéia de seres que vivem em um mesmo local, nos trazendo também a noção de estarmos juntos,com a mesma finalidade, com o mesmo fundamento.

 

Para entendermos o significado de unidade da igreja, vamos compará-la com um corpo onde cada membro vive em perfeita harmonia, auxiliando e mantendo uns aos outros, sendo essa comparação  amplamente utilizada pelo apóstolo Paulo em suas cartas:

 

"O certo é que há muitos membros, mas um só corpo". (1Co 12.20)

"Ora vós sois corpo de Cristo, e, individualmente, membro desse corpo". (1Co 12.27)

"Ele é o cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito dentre os mortos, para em todas as coisas ter primazia" (Co 1.18)

 

O apóstolo Paulo, em 1Co.12, fala das diversidades dos dons e das realizações e, no verso 25, ele deixa claro que não pode haver divisão no corpo, mas pelo contrário, cooperem os membros com igual cuidado, em favor uns dos outros, (com perfeita unidade).

 

Não podemos entender unidade na igreja, como simplesmente estarem os membros reunidos em um local, ou até mesmo, passando momentos agradáveis, em pescarias, encontros, passeios. Claro que tudo isso é importante para a vida da igreja e faz parte de um melhor relacionamento entre os irmãos, porem a unidade da igreja se baseia  no grande propósito de servimos a Cristo, obedecê-lo e testemunhá-lo, para que o mundo saiba que ele é  o enviado de Deus seu único filho, e que morreu na cruz em nosso lugar, para nos salvar, para nos dar vida e vida em abundância.

 

3.         POR QUE DEVEMOS BUSCAR A UNIDADE DA IGREJA?

 

a)         Para testemunhar a Jesus Cristo. (Jo 17.21)

b)         Para fortalecimento da igreja. (At 2.47)

c)         Para que o mundo creia. (Jo 17.21)

d)         Para o crescimento espiritual do crente.( 1Co 12.12-31)

e)         Para que a igreja permaneça no seu único fundamento, Jesus Cristo.(1Co 12.27)

 

Uma igreja que busca a unidade é uma igreja que se submete a ação do Espírito Santo, tornando-se uma igreja operante, evangelizando o mundo, anunciando a Jesus Cristo, seus membros são alegres e atuantes, buscando e permitindo o derramar do Espírito, tendo como cabeça o nosso Senhor Jesus Cristo.

 

É necessário também deixarmos bem claro que a unidade será com aqueles que compartilham o mesmo fundamento, não significa passividade diante das trevas e da sagacidade de Satanás. Tiago nos ensina que a sabedoria Divina é primeiramente pura depois pacífica (Tg 3.17-18) e argumenta que é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz.

 

Para que haja unidade  é necessário que haja santificação, para que haja santificação é necessário que haja avivamento, para que haja avivamento é necessário o derramar do Espírito, para que haja o derramar do Espírito é necessário oração, oração,..., oração e mais oração. Louvamos a Deus por nossa igreja ser uma igreja de oração. Fraternalmente, em Cristo. Pb. Gilson dos Santos

 

A Deus toda a glória!

sábado, 12 de março de 2011

Faltam 776 dias para 26/04/13

TEMA: AVIVAMENTO 3 – Jo 17:23.


Tivemos a nossa vigília ontem. A chave do avivamento é a oração! Que nossa igreja seja conhecida como uma igreja que ora. A igreja que ora é uma igreja submissa ao Espírito Santo de Deus que permanece de joelhos invocando o seu Senhor. Grande é o mistério da oração. Frases decoradas, frases chavões, frases convencionais não é oração.

 

Não podemos confundir a oração com esforço intelectual ou mental que ao final irá provocar em nós sentimentos e emoções. Pode até ser que acabe resultando nisso, mas não é o caso nem o foco que a oração deva ter por objetivo a obtenção de sensações emocionais.

 

Eu não sei orar como convém. A igreja não sabe orar como convém. Embora isso seja verdade, penso que a oração é uma conversa com a divindade, um bate-papo. Em meu bate-papo com o Senhor, eu não posso ser mecânico, mas o mais autêntico quanto possível. Talvez o diálogo com  Deus não produza palavras, frases, sentenças, mas um puro silêncio.

 

Pode até ser que em minhas orações as palavras não venham, mas a minha atitude é a de oração, de clamor, de busca. Orar é para mim conversar com o Pai. Eu oro muito mais eficazmente, escrevendo do que falando. Bem, pelo menos eu sinto assim. Orar não pode ser algo pronto ou ritualístico. Não pode ser sacrificial.

 

A minha certeza na ora de orar é que o Pai está me ouvindo. Ele sempre me ouve. Sempre! Quando ele me vê no Santo dos Santos, ele não me vê a mim, mas a Jesus Cristo que viveu e morreu por mim. A minha oração será ouvida e aceita por que Deus sempre ouvia a oração do justo, de seu filho unigênito, de Jesus Cristo.

 

A minha outra certeza, sempre, é a de que o Pai irá me responder. O Pai sempre responde a oração de seus filhos. Jesus orava com tanta certeza de que seu Pai faria o que ele lhe pediria que orou: afasta de mim este cálice. Quando o Pai ia afastando o cálice, ele se voltava ao Pai e lhe dizia: não! Não seja feita a minha vontade, mas a tua.

 

O Pai sempre espera por minha oração. O Espírito Santo nos ensina a orar em nome de Jesus. Eu não posso orar em meu próprio nome, mas no nome de Jesus. O Espírito Santo também me ajuda a orar com gemidos inexprimíveis.

 

Orar é falar com Deus. Orar é também uma aitivdade realizada dentro da Trindade. A oração é Deus falando com Deus a nosso respeito. Já que a oração é Deus falando com Deus a nosso respeito, temos plena certeza de Deus mesmo já providenciou a resposta por nós esperada.

 

A Deus toda a glória!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Faltam 777 dias para 26/04/13

TEMA: AVIVAMENTO 2 – Jo 17:23.
Ontem, foi dia de nossa reunião em nosso Grupo Familiar Arca da aliança!  A mensagem que eu iria pregar foi substituída na hora por outra que me veio à lembrança sobre  Efésios 6: foi uma pregação crstocêntrica.
 
Hoje, teremos nossa segunda vigília de oração, cujo tema será AVIVAMENTO.
 
Você quer avivar a sua vida? O que está te faltando? O que é avivamento? Devemos orar por avivamento? Quais os sinais de uma igreja avivada? Quais as principais características de um avivamento? Existe avivamento sem Jesus? O que queremos avivar: os métodos, o marketing, a propaganda sobre a igreja e sobre Jesus ou a nossa vida?
 
Segue, abaixo, para conhecimento, a programação da vigília (ela também está em meu SCRIBD: http://pt.scribd.com/doc/50481972/Vigilia-11-3-11).
 
A fonte de referência das pregações é de autoria do Pb Gilson Santos. Veja em seu próprio blog: http://oscincosolas.blogspot.com/2011/02/tema-oracao-por-avivamento.html e http://oscincosolas.blogspot.com/2011/02/amados-ainda-falando-sobre-avivamento.html
 
PROGRAMAÇÃO DA VIGÍLIA DA PIPT – 11 de fevereiro de 2011.
 
Tema: AVIVAMENTO
 
De 22:00 às  22:20: Oração - Oração inicial e direcionada ao tema da vigília “AVIVAMENTO”. Pastores, e aqueles designados pelo pastor, que estiverem presentes, juntos com a Equipe de Intercessão, deverão ungir com óleo os irmãos.  
 
22:20   23:00   - Louvor Adoração       Momentos de alegria e de comunhão na presença do Senhor, de descontração. Canções de guerra, de incentivo, de encorajamento. Celebremos com júbilo ao Senhor.  Muita alegria e unção.  
 
23:00   23:20   - Palavra - Pregação voltada à importância da oração no avivamento (sugestão: ver As Marcas da Oração por Avivamento, no blog do Pb. Gilson dos Santos: http://oscincosolas.blogspot.com). O pregador deverá estar atento ao momento de oração em seguida que será um dos mais longos: 40 minutos de oração.    Aldenir
 
23:20   00:00   - Oração - Oração direcionada ao tema específico: AVIVAMENTO.  Como será um período mais longo de oração, intercalar oração individual com oração em grupo de mãos dadas, sem fugir do tema. Orar pelos dons, pelo avivamento em nossas vidas, para o Senhor confirmar as curas/sinais e maravilhas que o Pr. Sabino e outros pastores e pregadores sentirem em seu coração.
Congregar a igreja em grupos, se necessário. Nosso desejo, em oração, é para termos uma igreja avivada, cheia do Espírito, ávida das coisas de Deus e cheia de frutos: almas, curas e melhorias na qualidade da fé dos irmãos. 
 
00:00   01:00   - Pr. Sabino (ou Pr. Demerson, ou Pr. Marcelo)  #pequena pausa de 5 minutos para um café, água, banheiro, ...# Em seguida, o tempo restante estará destinado ao Pastor Sabino, ou para aquele que ele designar, para conduzir a primeira hora do dia de oração, preferencialmente seguindo o tema da vigília (poderá pregar, orar, louvar, etc...).     Pr. Sabino
 
01:00   01:20   - Testemunhos - Oportunidade livre a quem quiser testemunhar algo recebido na vigília ou que queira compartilhar com os irmãos da parte de Deus, de preferência relacionado ao tema da vigília.
01:20   01:40 - Louvor/ Adoração -       Louvor de adoração ao Senhor buscando a presença de Deus em forma de gratidão e de consolo. Ministrar louvores que levem a igreja à adoração ao Senhor.
 
01:20   01:40 – Oração - Congregar a igreja em grupos de oração e orar pelos eventos da Primeirona, enfocando o avivamento no altar, no Presbitério, no Conselho da Igreja, nos Conselhos Ministeriais, nos Pequenos Grupos, no Serviço Diaconal, etc... Orar pelas 4 Estações, Acampamentos, Pescaria dos Homens, pelas Sociedades internas, pelos Conselhos Ministeriais, pelos presbíteros, pelos diáconos, pelos missionários da Primeirona, pela viagem ao Egito/Israel, pelo Encontro de Casais – Cruzeiro no VISION, pela PIPT, em geral...     
 
01:40   02:00   - Palavra - Pregação voltada às características do avivamento (sugestão: ver Os Sinais do Avivamento, no blog do Pb. Gilson dos Santos: http://oscincosolas.blogspot.com).       Sem. Adelson
 
02:00   02:20   -  Oração - Desafiar a igreja à oração para que os sinais sejam cada vez mais evidentes.        
02:20   02:40 - Louvor/ Adoração - Louvor de adoração ao Senhor buscando a presença de Deus em forma de gratidão e de consolo. De incentivo pela batalha de oração vencida.    
 
02:40   03:00 - Oração final    - Oração final e de agradecimento. Envolver toda a igreja. É a oração final.  A oração de que continuaremos em guerra, em guerra de oração. Oração pedindo orientação para a próxima vigília. Oração de quem venceu a batalha de oração programada. Oração de vencedor - muita gratidão! Oração de despedida do povo e de cobertura espiritual.
 
A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 10 de março de 2011

Faltam 778 dias para 26/04/13

TEMA: AVIVAMENTO Jo 17:23.
Hoje é dia de nossa reunião em nosso Grupo Familiar Arca da aliança! A reunião será na casa do Iron/Ledi, isto é, em seu AP. A mensagem que irei pregar foi resumidamente postada ontem.
 
Ontem, eu me confundi e anunciei que tinha reunião. Perdoem-me. Na verdade a reunião será hoje e a mensagem já antecipei ontem: ROGAI AO SENHOR DA SEARA POR TRABALHADORES. Também nossa reflexão é coincidente com o tema da nossa campanha de 21 dias de oração e ao jejum. Estou feliz com a minha igreja que está se voltando cada vez mais à oração e ao jejum.
 
E por falar em oração e jejum, amanhã, teremos nossa segunda vigília de oração, cujo tema será AVIVAMENTO.
 
Você quer avivar a sua vida? O que está te faltando? O que é avivamento? Devemos orar por avivamento? Quais os sinais de uma igreja avivada? Quais as principais características de um avivamento? Existe avivamento sem Jesus? O que queremos avivar: os métodos, o marketing, a propaganda sobre a igreja e sobre Jesus ou a nossa vida?
 
A igreja que queremos avivar é o templo de tijolos ou a habitação de carne, osso e sangue? Como ser altamente eficaz em Cristo produzindo frutos dignos, maduros e saudáveis? Como evitar uma alta esfera de espiritualidade que nos torna santos a ponto de olharmos todos os outros como pecadores? Jesus nos falou de dois adoradores.
 
Um vivia agradecendo, em pé, e ostentando sua alta espiritualidade: graças te dou, ó Pai, por que não sou como este publicano; dou o dízimo de tudo, pratico ofertas, faço orações e jejuns. Já o simples publicano, não tinha nem coragem de erguer a sua cabeça e batendo em seu peito dizia: se misericordioso para comigo, meu Senhor. Conclui Cristo dizendo que este último saiu justificado, enquanto aquele não.
 
Eu entendo avivamento como estar tão próximo ao Senhor que nossos rostos fiquem iluminados pela sua glória e, ao mesmo tempo, tão próximo de meu próximo, que sou capaz de dar a minha vida por ele. Avivamento que despreza o próximo não é avivamento. Quem diz que ama a seu irmão a quem vê, deve amar a Deus a quem não vê.
 
Quem rejeita a seu irmão, será rejeitado por Deus. Paulo perseguindo os irmãos a cavalo foi interrompido pelo Senhor que disse: por que me persegues? O próprio Senhor se coloca no lugar de seus discípulos e com eles é empático. Paulo se assustou: quem és tu Senhor a quem estou perseguindo?
 
Quando formos um só no Senhor e quando formos capazes de abandonar as nossas idiossincrasias por causa do Reino de Deus, poderemos começar a falar de avivamento. Não pode haver avivamento enquanto estivermos vivos. Estranho, não é? Quando eu estou vivo, eu quero que minha vontade seja feita e prevalecida. Quem disputa cargos na igreja, ou posições, ou lugar de destaque contra outros irmãos e o vê como inimigo, não pode permanecer nele o amor de Cristo: ele está a procura dos holofotes e de aplausos.
 
Somos um só corpo no Senhor! A nossa consciência deve estar imbuída da unidade. Ou somos um só no Senhor e com ele formamos um só corpo ou estaremos divididos e não poderemos experimentar a plenitude de um avivamento.
 
“A IGREJA É VOCÊ!” é um slogan que está circulando por todo canto e sua mensagem é poderosa, pois transfere para cada um a responsabilidade de evangelizar e curar as enfermidades, principalmente dos que não conhecem ao Senhor. É o chamado aspecto de identificação missional da igreja. Vou continuar depois...
 
A Deus toda a glória!
 

quarta-feira, 9 de março de 2011

Faltam 779 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A minha cura é Jesus. A minha pregação é Jesus 10.


Hoje é dia de nossa reunião em nosso Grupo Familiar Arca da aliança! A reunião será na casa do Iron/Ledi, isto é, em seu AP. Nossas reuniões têm sido uma bênção na vida dos irmãos que estão dedicando seu tempo e seu trabalho para servirem ao Senhor.

 

A meditação de hoje em nosso Grupo será baseada em Lc 10:1-12 è

 

"1. E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir. 2. E dizia-lhes: Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara. 3. Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos. 4. Não leveis bolsa, nem alforje, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho. 5. E, em qualquer casa onde entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa. 6. E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, voltará para vós. 7. E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa. 8. E, em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei do que vos for oferecido. 9. E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus. 10. Mas em qualquer cidade, em que entrardes e vos não receberem, saindo por suas ruas, dizei: 11. Até o pó, que da vossa cidade se nos pegou, sacudimos sobre vós. Sabei, contudo, isto, que já o reino de Deus é chegado a vós. 12. E digo-vos que mais tolerância haverá naquele dia para Sodoma do que para aquela cidade."

 

No entanto, a ênfase será para o grande momento que a igreja está vivendo das 4 estações. A palavra que está prevalecendo em nosso meio é relativa à cura e à pregação do evangelho do Reino de Deus. Destaca-se do texto da referência, sem entrar em grandes detalhes, que:

 

1. a seara é grande

 

2. Deus é o Senhor da seara (... da seara grande...)

 

3. os trabalhadores são poucos

 

4. é nosso papel (somos os trabalhadores da seara, da seara grande) pedir mais trabalhadores

 

5. Deus enviará mais trabalhadores para a sua seara, a sua seara grande.

 

Os trabalhadores tê a sua missão – vs 9 – curai os enfermos que nela houver e anunciai-lhes: a voz outros está próximo o Reino de Deus.

 

Em minhas leituras hoje, além de Lucas, me deparei com Exôdo e no capítulo 15 com o Senhor que sara:

 

"26. E disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR que te sara."

 

A meditação na litura deste versículo me conduziu a mais dois outros versívulos da Palavra de Deus. Detuteronômio 32:39 e Salmos 103:3.

 

"39. Vede agora que eu, eu o sou, e mais nenhum deus há além de mim; eu mato, e eu faço viver; eu firo, e eu saro, e ninguém há que escape da minha mão."

 

"3. Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades,"

 

Ainda poderíamos ir até o livro de Isaias 53 para confirmarmos que Jesus levou sobre si todas as nossas enfermidades. Ao nos enviar para curar enfermos, não nos enviou sem a capacidade de o fazer, mas deu-nos uma procuração.... venha para nossa reunião para ver o que Deus falará conosco hoje. Grande abraço.

 

A Deus toda a glória!

terça-feira, 8 de março de 2011

Faltam 780 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A minha cura é Jesus. A minha pregação é Jesus 9.


Agora, pela manhã, estarei indo a PIPT ministrar um culto de oração da campanha dos 21 dias relativos às quatro estações e você é meu convidado especial.

 

Ontem, ministrei no culto das 20h. A dinâmica dos cultos é a seguinte: durante os primeiros 21 dias dos meses de março, junho, setembro e dezembro, a igreja se retira em oração e jejum e realiza três cultos diários com foco no tema das 4 estações. Os cultos se dão às 9h, 15h e 20h, todos os dias, exceto domingo que já tem uma programação bem cheia.

 

Os cultos são realizados da seguinte maneira: os primeiros 20 minutos são dedicados à oração. Em seguida, há alguns louvores, principalmente o que está sendo tema da campanha, que no caso é uma canção de Daniel Souza, entitulada Trabalhadores, segue-se uma breve meditação de uns 10 minutos totalmente dirigida ao tema e aquilo que Deus ordenar e terminamos o restante com orações individuais espontâneas e em grupo, neste caso, todos de mãos dadas.

 

A principal ênfase é a evangelização que inclui a pregação de Cristo sobre o Reino de Deus e a cura divina.

 

O tema da referência se encontra em Mt 9:35-38 "35. E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. 36. E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. 37. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. 38. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara."

 

Meditem na letra dessa linda canção tema e comparem-na com o texto bíblico da referência da campanha: http://www.youtube.com/watch?v=htV3JIgOK6g&feature=player_detailpage

 

TRABALHADORES

Daniel Souza

 

Todas as cidades, povoados e aldeias

Percorria jesus

Pregando o evangelho,

Ensinando e curando

Prosseguia jesus

Vendo as multidões

Cheio de compaixão

A seara é grande demais.

Todas as cidades, povoados e aldeias

Percorreremos

Pregando o evangelho, ensinando e curando

Prosseguiremos

Somos igreja, os trabalhadores

Somos teu corpo jesus.

Somos teus pés

Andando em toda parte

Somos tuas mãos

Curando e abençoando

Somos teus olhos

À procura dos aflitos

Somos tua boca

Proclamando o reino de deus.

Enche toda terra

Do conhecimento da tua glória

Através do teu povo

Enche toda terra

Do conhecimento da tua glória

Através da igreja,

Através de nós.

 

A Deus toda a glória!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Faltam 781 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A minha cura é Jesus. A minha pregação é Jesus 8.


Eu já tentei colocar aqui algumas de minhas convicções, mas é difícil, pois nós mesmos vivemos em constantes dúvidas e necessitamos da ajuda das Escrituras e do Espírito Santo para nos levar ao conhecimento puro do evangelho puro de Cristo.

 

Quando eu afirmo que minha cura é Jesus e que a minha pregação é também Jesus, eu estou procurando ser o mais possível, cristocêntrico. Nele, em Jesus, o Pai colocou tudo o que necessitamos nesta vida até o momento em que ele nos leva por meio de nossa morte.

 

Minha esposa falou-me e fez diversas indagações sobre aqueles que não sabem se são homens ou não sabem se são mulheres por causa de suas opções sexuais. Como ajudar tais pessoas? Todos precisamos de Jesus! Todos nós tanto os que se acham certos como os que não se acham ou que acham os outros errados, todos nós carecemos de Cristo.

 

Na hora de minhas pregações, Deus me leva a crer nas seguintes coisas básicas:

 

-         Deus existe, é pessoa e se relaciona conosco;

-         Deus se revela nas Escrituras e nas suas coisas criadas;

-         Deus nos deu a Jesus e, com isso, nos apontou o caminho, a verdade e a vida;

-         o homem está perdido sem Cristo, tanto os que se dizem homens como os que não sabem se são ou não homens ou mulheres, por causa de suas opções sexuais;

-         nada pode satisfazer plenamente o homem sem Deus – o tamanho de seu vazio é do tamanho de Deus e somente Deus pode preenchê-lo;

-         o homem precisa de Cristo;

-         o homem conhece a Deus e sabe que ele também é além de Pai, juíz, e executará justiça e juízo;

-         todo homem, inclusive os que não sabem se são ou não homens ou as mulheres que não sabem se são ou não mulheres, por causa de suas opções sexuais,  pode ser alcançado para Cristo;

-         a cura de cada homem está dentro dele mesmo – não podemos nós curá-los, mas este quando alcançado pela palavra da pregação que pregamos, pode pela fé, vinda de Deus, se voltar para Deus e ser curado, inclusive de suas opções sexuais não condizentes com o que Deus preparou para nós;

-         que serão curados todos os que o Pai conduzir a Cristo e estes jamais se desviarão ou perderão a sua salvação.

 

Eu não preciso, portanto, revelar o pecado da pessoa ou fazer destaque para sua conduta, sabida, errônea, antes, devo apresentar-lhe o Cristo ressurrecto. Sinto que meu papel é este de revelar ou mostrar ao que me ouve, o Cristo da cruz que tem poder para curar, salvar. Depois, será entre ele e o Cristo. A cura brotará desse relacionamento, por isso que para mim a cura está dentro de cada um de nós.

 

Não faz bem o meu estilo sair por ai condenando ninguém ou me achando melhor e mais santo do que meus contemporâneos.

 

A Deus toda a glória!

domingo, 6 de março de 2011

Faltam 782 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A minha cura é Jesus. A minha pregação é Jesus 7.


Passei, acampado no dia de hoje junto com esposa e filha, longe da cidade, junto com amigos, falando das coisas do Reino de Deus. Fomos para o Bregildo, aqui bem pertinho. Comemos muito churrasco e nos divertimos no rio e levamos boas picadas de moriçocas.

 

Hoje vou fazer um parêntesis em minha intenção de meditar no documento histório em lide. Minha esposa recebeu uma cura física e eu quero comentar um pouco sobre isso.

 

Um dia desses, acho que já tem umas três semanas, meu filho G procurou-me e pediu-me para orar por ele e minha esposa tinha acabo de chegar do trabalho. Oramos e G saiu sem nem dar atenção ao pedido de oração de sua mãe que estava ali aproveitando o ensejo. Acho que estava distraido e preocupado com alguma coisa. Minha esposa até comentou, que folgado, nem escuta nem ora por mim. Benzinho, sobrou para ti. Ore por mim.

 

Ela explicou-me e queixou-se de fortes dores no braço por causa da digitação em seu trabalho e sua intenção seria acabar a oração, tomar um banho e ir para o hospital, pois não estava mais aguentando. Eu orei. Orei com fé e ela recebeu a oração com fé.

 

Será que há alguma medidada de fé que se possa diagnosticar, digamos durante a oração eu estou crendo cerca de 40% e quem está recebendo a oração está com 70 %, por exemplo? Particularmente, não creio. A fé é para mim, sempre 100%. Entendo a fé como uma semente. Uma parte da semente não produz uma árvore pela metade ou em partes. Uma semente somente produz algo se, primeiro vier a morrer e se, em segundo lugar, for plantada de forma correta, na hora certa, em condições certas.

 

Tem gente que vai orar por outra e já negativamente desanima a outra dizendo que ela tem de ter fé. Ora, somente o fato de a pessoa estar ali para receber oração já é o indicativo da fé, mas qual fé? Qual o tamanho da fé para que ocorra um milagre, por exemplo? Jesus falou-nos disso: disse que se nossa fé for do tamanho de um grão de mostarda, já seria suficiente para movermos montes.

 

Os que vão à igreja, por exemplo, para mim, são pessoas que têm fé. Qual fé? A fé suficientemente capaz de produzir os frutos que Deus preparou para produzirem. Nunca jogue no rosto dos outros que ele não tem fé, mas incentive a fé dele. A fé é dom de Deus. É Deus quem nos dá fé. Não temos aparelho de medição de fé para sabermos se ela será suficiente ou não para que nossa oração funcione.

 

Voltando ao testemunho de minha esposa, eu orei com fé e ela recebeu com fé. Na hora que orava por ela eu ia apalpando seu braço com as mãos. Ela me relatou que havia um calor sobrenatural em minhas mãos que a fazia indagar o que seria aquilo. Ao terminar de orar com imposição de mãos sobre o seu braço, ela sentiu seu braço adormecer e comentou comigo. Eu ri... (lembro-me de Sara: disse Abraão, você riu, ela respondeu não ri, ele retrucou com veemência, você riu sim).

 

Ela foi tomar banho, cuidou de outras coisas, esqueceu completamente o braço, a dor, o hospítal, jantou, conversamos e fomos dormir. Disse-me ela que dormiu como um anjo e acordou disposta e agitada por conta dos afazeres. Foi trabalhar e no trabalho foi cadastrar processos e mais processos diante do computador.

 

Digitou, digitou, até que por volta das 17hs resolveu dar uma relaxadinha e foi ai que sem lembrou do dia anterior, da oração, da dor e não resistiu: - meu Deus não estou sentindo nada. Imediatamente, entrou em contato com sua amiga do lado e comentou o fato e disse que o seu marido "quase pastor" orara por ela e ela estava curadinha da silva...

 

Glórias a Jesus! oremos com fé, irmãos, que Deus fará os milagres acontecerem. Noutro dia, contarei outros testemunhos de orações e de curas que Deus tem me usado, para sua honra e glória. Estou finalizando a meditação de hoje. Cuidado com o carnaval, querido. Você tem dono sim: Jesus!

 

A Deus toda a glória!

sábado, 5 de março de 2011

Faltam 783 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A minha cura é Jesus. A minha pregação é Jesus 6.


Dando continuidade ao nosso estudo dos documentos históricos, por exemplo, O Cânone de Dort - 1618-1619, hoje publicaremos o restante do capítulo 5, REJEIÇÃO DOS ERROS, sobre a perseverança dos santos. A intenção é a de análise e estudo.

 

A todos um excelente dia. Cuidado queridos com o carnaval. O corpo que está no domínio de vocês, por hora, não vos pertencem, mas àquele que tudo criou e com relação ao seu uso, tereis de dar contas ao Papai do céu que não nos têm por inocentes. Você já sabe disso, logo meu filho, ouvi a palavra do Senhor e a Ele obedecei para que bem vos vá tanto a ti como a tua alma.

 

Mais uma vez, repito que meu compromisso é com a verdade, a verdade de Deus. A verdade que não pode ser negociada nem chantagiada. A verdade que Pilatos rejeitou. Continuo crendo que Deus é 100% soberano e o  homem é 100% responsável, ao mesmo tempo. Será que não poderíamos aplicar o mesmo princípio com relação a algumas crenças?

 

Hoje, darei uma escapadinha para junto com esposa e filha passarmos um dia acampados, longe da cidade, junto com amigos, falando das coisas do Reino de Deus. Iremos para o Bregildo, aqui bem pertinho. Amanhã, estaremos no culto à noite, buscando ao Senhor.

 

Vejamos o que diz o documento que iremos analisar. Ele é um pouco grande, mas vale a pena estudá-lo. Boa leitura:

 

REJEIÇÃO DE ERROS

 

Tendo explicado a doutrina ortodoxa, o Sínodo rejeita os seguintes erros:

 

Erro 1   A perseverança dos verdadeiros crentes não é resultado da eleição ou um dom de Deus obtido pela morte de Cristo. É uma condição da nova aliança, que o homem deve cumprir pela sua livre vontade antes da assim chamada eleição decisiva e justifícação.

Refutação   A Escritura Sagrada testifica que a perseverança provém da eleição e é dada aos eleitos pelo poder da morte, ressurreição e intercessão de Cristo: a eleição o alcançou; e os mais foram endurecidos... (Rm 11.7). Também: Aquele que não poupou a seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo quem morreu, ou antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus, e também interce-de por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? (Rm 8.32, 35).

 

Erro 2   Deus de fato provê os crentes de suficientes forças para perseverar e está pronto para preservar tais forças neles, se estes cumprirem seu dever; mas ainda que todas estas coisas te-nham sido estabelecidas como necessárias para perseverar na fé e que Deus as use para preser-var a fé, ainda assim dependerá da vontade humana perseverar ou não.

Refutação   Esta idéia é abertamente pelagiana*. Enquanto deseja libertar o homem, o faz usur-pador da honra de Deus. Combate o consenso geral da doutrina evangélica que retira do homem todo motivo de orgulho e atribui todo louvor por este benefício somente à graça de Deus.

É também contrário ao apóstolo que declara: ...o qual também vos confirmará até.ao fim, para ser-des irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo (1 Cor 1.8).

 

Erro 3   Crentes verdadeiramente regenerados não só podem perder completa e definitivamente a fé justificadora, a graça e a salvação, mas de fato as perdem freqüentemente e assim se perdem eternamente.

Refutação   Esta opinião invalida a graça, a justificação, a regeneração e contínua preservação por Cristo. Ela écontrária às palavras expressas do apóstolo Paulo: Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira (Rm 5.8,9).

É contrária ao apóstolo João: Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prático do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando porque é nasci-do de Deus (1 Jo 3.9). Também é contrária às palavras de Jesus Cristo: Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, eternamente, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar (Jo 10.28, 29).

 

Erro 4   Verdadeiros crentes regenerados podem cometer o pecado que leva à morte, ou o pecado contra o Espírito Santo. 

Refutação   Após o apóstolo João ter falado no 59 capítulo de

sua primeira carta, versos 16 e 17, sobre aqueles que pecam para a morte e de ter proibido de orar por eles, logo acrescenta no verso 18:

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado, antes, aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não o toca.

 

Erro 5   Sem uma revelação especial não podemos ter nesta vida nenhuma certeza da perseve-rança futura.

Refutação   Por tal doutrina o seguro consolo dos crentes verdadeiros nesta vida é tirado, e as dúvidas dos seguidores do papa são novamente introduzidas na igreja. As Escrituras Sagradas, entretanto, sempre deduzem esta segurança, não a partir de uma revelação especial e extraordiná-ria, mas a partir das marcas dos Mos de Deus e das promessas mui firmes dele. Especialmente o apóstolo Paulo ensina isto:   nem qualquer outra criatura poderá separar nos do amor de Deus que há em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm 8:39). E João escreve: E aquele que guarda os seus man-damentos permanece em Deus, e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós, pelo Espírito que nos deu (1 Jo 3.24).

 

Erro 6   Por sua própria natureza a doutrina da certeza da perseverança e da salvação causa falsa segurança e prejudica a piedade, os bons costumes, orações e outros santos exercícios. Ao con-trário, é louvável duvidar desta certeza.

Refutação   Esta falsa doutrina ignora o efetivo poder da graça de Deus e a atuação do Santo Espírito, que habita em nós. Contradiz o apóstolo João que, em palavras explícitas, ensina o con-trário: Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havemos de vê lo como ele é. E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro (1 Jo 12,3). Ainda mais, ela é refutada pelos exemplos dos santos tanto no Antigo como no Novo Testamento que, não obstante estarem certos de sua perseverança e salvação, continuaram em oração e outros exercícios de piedade.

 

Erro 7   A fé daqueles que crêem apenas por um tempo não é diferente da fé justificadora e salva-dora, a não ser com respeito à sua duração.

Refutação   Em Mateus 13.20 23 e Lucas 8.13 15 Cristo mesmo indica claramente, além da dura-ção, uma tríplice diferença entre os que crêem só por um tempo e os verdadeiros crentes. Ele de-clara que o primeiro recebe a semente em terra rochosa, mas o último em bom solo, ou seja, em bom coração; que o primeiro é sem raiz, mas o último tem firme raiz; que o primeiro não tem fruto, mas o último produz fruto em várias medidas, constante e perseverantemente.

 

Erro 8   Não é absurdo o fato de alguém, tendo perdido sua primeira regeneração, nascer de novo e mesmo freqüentemente nascer de novo.

Refutação   Esta doutrina nega que a semente de Deus, pela qual somos nascidos de novo, seja incorruptível. Isto écontrário ao testemunho do apóstolo Pedro: ... pois fostes regenerados, não de semente corruptível, mas de incorruptível... (lPe 1.23).

 

Erro 9   Cristo em lugar algum orou para que os crentes perseverassem infalivelmente na fé.

Refutação   Isto contradiz ao próprio Cristo, que disse: Eu, porém, roguei por ti (Pedro) para que a tua fé não desfaleça (Lc 22.32). Também contradiz o apóstolo João que declara que Cristo não orava somente pelos apóstolos, mas também por todos aque~ les que viessem a crer por meio da palavra deles: Pai Santo, guar  da os em teu nome, que me deste... Não peço que os tires do mundo; e sim, que os guardes do mal (Jo 17.11,15)."

 

A Deus toda a glória!