quarta-feira, 14 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 85/365

É importante a leitura bíblica todos os dias e a minha já está em I Samuel 17. Nesses capítulos é como se estivéssemos perto de outro Saul não aquele com quem Samuel falou da primeira vez nem aquele que, ousadamente, dividiu uma junta de bois em 12 pedaços e distribuiu-os entre as tribos ameaçando assim fazer com quem não fosse com Saul contra Naás. Este Saul é tímido, desobediente e somente está atrás de reconhecimento e não em servir ao Senhor com todo o seu coração. Os fatos que se seguem vão narrando a história de um derrotado. É triste.
 
No domingo, no Sítio da Bênção, eu e meu irmão travamos um combate terrível em torno da questão de que o homem é ou não totalmente depravado. Graças a Deus nos damos muito bem e embora tenhamos pontos de vistas divergentes, somos muito maduros para reconhecermos que o Senhor é Deus e que nós necessitamos uns dos outros. Meu irmão é uma bênção em minha vida e, creio, a recíproca também é verdadeira.
 
E você, acha que o homem é 100% maligno e que nada de bom pode ser encontrado nele? Pois bem, essa é minha crença, minha convicção. É por isso que eu não tenho livre-arbítrio, isto é, capacidade de agir contrário a minha natureza, maligna. Quando eu for ressuscitado e receber novo corpo, então eu serei 100% bom, benigno e já não pecarei mais, nem que eu queira, pois continuarei sem o livre-arbítrio.
 
Adão foi o único ser nessa terra que teve o livre-arbítrio, mas este morreu com ele, portanto, foi único (veja um artigo meu sobre a exegese de Ec 7:29, onde exponho melhor essa idéia: http://www.scribd.com/doc/14232980/Exegese-de-Ec-729). Dentro desse assunto, Deus também não tem livre-arbítrio, pois não age contrário à sua própria natureza, nem pode; e, se assim o fizesse, haveria nele uma contradição.
 
Todo o bem que faço ou que posso fazer, sendo eu maligno, pecador, não vem de mim, mas da graça de Deus, ou seja, sua graça comum. Os homens, por vezes, têm atitudes nobres não porque são nobres, mas porque Deus tem misericórdia e não permite que sejamos totalmente entregues a nós mesmos. Não há glória no homem, nenhuma glória. Ele não é capaz de fazer o bem por sua natureza. O homem não é um misto de 99% de pecado e 1% de bondade: ele é 100% mal. Cruel esse ensino, não é? Do que te gabas tu, ó homem, se tudo o que tens vem do Senhor? Quem escolheu quem: você escolheu a Deus e decidiu segui-lo ou, pelo contrário, Deus te escolheu e te designou para que vades e deis frutos e o vosso fruto permaneça? (Jo 15:16).
 
Temos a ilusão de que escolhemos as coisas e, em certa parte, podemos mesmo escolher dentre as opções que se nos apresenta, não dentre todas as opções possíveis. Por exemplo, você veio de ônibus ou de carro para o serviço hoje? Não importa. Você não pode escolher o motorista da frente, nem o de trás, nem o do lado. Você não pode escolher a pessoa que ficou próxima a ti durante toda a sua viajem. E no teu serviço, você escolheu a pessoa que está a tua frente, atrás, do lado? Se você se dispuser a pensar bem, verá que tua capacidade de escolha é tão limitada que chamá-la de escolha é um absurdo.
 
Então baseado nisso, podemos dizer que o homem não é responsável pelos seus atos? De modo algum! O homem é 100% responsável por todos os seus atos, palavras e pensamentos e deles dará contas a Deus! Como conciliar então a soberania de Deus com a responsabilidade humana? Sugiro lerem o livro de J. I. Packer, "A Evangelização e a Soberania de Deus - Se Deus controla todas as coisas, por que evangelizar?", da Ed. Cultura Cristã. Antony Hoekema também aborda o tema em sua trilogia: "Criados à Imagem de Deus"; "Salvos pela Graça"; e, "A Bíblia e o Futuro". (quem puder, leia-os!)
 
Sobre a responsabilidade do homem: as Escrituras são repletas de textos e exemplos de que o homem é responsável por seus atos, por suas escolhas, pelo exercício de sua vontade. Nos exemplos bíblicos, vê-se claramente que o homem possui a faculdade de autodeterminar-se, de agir segundo a sua escolha, como lhe apraz. Como relacionar então a soberania de Deus e a responsabilidade de Deus sem contradizer ambas assertivas de que Deus é 100% soberano e o homem é 100% responsável? J. I. Packer conclui que este é mais um dos mistérios do Deus Misterioso. Trata-se de um antinômio sem solução. Uma questão de fé que devemos ter de que Deus é justo, que Deus é soberano (Deus Rei) e que o homem é responsável (Deus é Juiz). Deus seja louvado!” (http://www.jamaisdesista.com.br/2009/04/sobre-soberania-de-deus.html).
 

terça-feira, 13 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 84/365

LBH: até o capítulo 14, de I Samuel. Ontem, estivemos de passeio no Sítio da Bênção de propriedade de meu sogro e de meu cunhado. Um lugar agradável, onde ainda há muito trabalho a ser feito. Estávamos todos reunidos em confraternização e o assunto que rolou não poderia ser outro: o Reino de Deus e a sua Justiça. Admirei-me de ver meus filhos e mais seu amigo se envolverem na conversa de uma forma tão intensa.
 
Nenhum de nós ali vive religiosamente e alienado do mundo como se somente existisse o espiritual e o restante é lixo. Não cremos assim. O reino de Deus para nós é mais abrangente e, dele, não faz parte a mentira, o engano, a falsidade, ..., mas, o restante, tudo pertence a Deus. Isso de dizer que algo é secular para nós não tem muito sentido, pois entendemos que o reino de Deus é todo abrangente e envolve, inclusive, as ciências, a arte, a cultura, a música, a culinária e qualquer outra coisa que pertença a esta vida.
 
Meu filho, por exemplo, está em uma escola estudando, ralando, se esforçando para conquistar uma vaga em algum curso que ele ainda vai escolher na UNB ou em qualquer outra faculdade no Brasil ou no mundo que tenha o curso que ele pretenda fazer. O clima competitivo gera stress e pode trazer muitas frustrações, conforme seja a expectativa e o esforço desprendido para atingimento dos seus objetivos.
 
Para aliviar esta tensão e não colocar sobre os ombros de um jovem de apenas 15 anos uma super responsabilidade, conversamos muito sobre o assunto e tiramos o foco das competições e da linha horizontal da visão da concorrência que assusta e colocamos no alto, onde Deus habita. Meu filho não está competindo com mil ou milhares, mas cumprindo a vontade do Pai em seus estudos e a ele se dedicando muito não para vencer concorrentes, mas para agradar a Deus. É tudo para a glória de Deus!
 
Fazer o melhor não pode ser uma neura, algo que está acima de tudo e de todas as coisas. Fazer o melhor não pode ser o foco, o alvo, o escopo, pois estaremos com isso criando em nós algo indesejável que poderá nos fazer sofrer muito porque estamos focados em ser melhor, óbvio, melhor do que alguém. Essa competição e clima de disputa nos tornam insensíveis e rivais. Não faça o seu melhor pensando no seu próximo, mas em Deus. Faça o seu melhor para Deus. Eu tenho certeza absoluta de que se você fizer o seu melhor para Deus, ele te honrará!
 
Minha oração, neste primeiro dia útil de serviço, nesta semana que se inicia é para que aceitemos a vontade de Deus para as nossas vidas e à essa vontade nos submetamos intensamente e, como Paulo, que nós possamos nos gastar e nos deixarmos gastar pelo amor do evangelho e para a glória de Deus. Vivamos no Reino de Deus de forma plena, intensa e abundante. Confie que Deus está contigo e ele irá te ajudar.
 
Na LBH de hoje, Saul esteve tão perto de conquistar o seu reino e seu nome para sempre (I Sm 13: 12 e 13), mas na última hora, no último momento, tendo já suportado os 7 dias que Samuel tinha falado, bem na hora “H”: o relógio contava regressivamente: 10, 9, 8, ... Saul vai e oferece em holocausto um sacrifício... 1, 0,... Samuel chegou e com ele o fim de seu reino. Veredito: desobediência! Deus quer obediência e não sacrifício! Ficou registrado para nossa edificação! Qual o foco, meu irmão, da tua vida? Tire os olhos da concorrência, da multidão, do exército que vem contra ti por todos os lados e olhe somente para Jesus.
 
Meu filho, tenha paciência! Não faça nada precipitadamente. Espere o tempo certo de Deus e Ele te honrará! A Deus toda a glória! Amém!
 

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 83/365

Terminamos na LBH o capítulo 11 de I Samuel. O início da história de Saul é muito linda. Ela envolve os planos de Deus, o sobrenatural, as circunstâncias sendo previstas e aproveitadas para o cumprimento dos planos de Deus, os homens, os animais que se perderam (Russel Shedd diz que ambos Saul e Davi estão envolvidos com animais, sendo Saul com jumentas – teimosia – e Davi com ovelhas – obediência), o povo, em fim a vida como ela é e como acontece todos os dias.

 

Eu estou vivo! Você está vivo! Nõs estamos vivos. Deus não tem planos de ressuscitar homem algum para usá-los na atual geração. Deus planeja, tenho certeza, pretende usar a todos nós os que hoje estamos vivos. Nós temos o dom da vida dado por Deus e ele vai nos usar. A geração presente está cada vez mais se afundando e os valores estão ficando distorcidos e assim, está acontecendo com a moral, o civismo, a política, o social. Levante, homem, põe-te de pé, e Deus falará contigo.

 

Se lermos o versículo 6, do capítulo 9, de I Samuel, veremos que havia na cidade um homem, diferente dos outros homens, especial, que tinha fama de ver e de anunciar o "... caminho que devemos seguir". Eles estavam falando de Samuel. Samuel aqui poderia representar o povo de Deus que anda com Deus e que se preocupa em fazer a vontade de Deus. O povo está perdido, mas sabe que há na terra esse povo. Nós devemos ser o sal e a luz da terra, conforme falou-nos Jesus.

 

O inicio da vida de Saul é assim espetacular e todas as coisas estão acontecendo de forma maravilhosa e por que Deus assim quer. Veja, por exemplo, que antes mesmo da posse, houve um evento em que a Bíblia relata que Saul ficou irado com Naás, em hebraico "serpente", amonitas (descendentes da filha mais nova de Ló – Gn 19:38)), povo perverso que habitava o leste do Jordão, entre os rios Arnon e Jaboque(*).

 

No vs 6, diz a Bíblia, que o Espírito de Deus se apossou de Saul ao ouvir o relato sobre Naás, ascendeu-se a sua ira e tomando de uma junta de bois, dividiu-os e enviou a cada tribo com um recado de líder: ou vocês vêm comigo ou assim será feito aos que não seguirem conosco. Em seguida, vs 7, o relato bíblico de que caiu temor do Senhor sobre todo o povo e todos seguiram após Saul, uns 670.000 homens, prontos para a guerra.

 

Reparem que Saul, movido pelo Espírito, tomou atitudes, teve iniciativa, agiu e foi a frente com coragem, ousadia e determinação e Deus coopoerou com Saul enviando sobre o povo o seu temor de forma que seguiram Saul. É como sempre nos diz o nosso amado Pastor da Assembléia de Deus do Núcleo Bandeirantes, José Orcélio de almeida Amâncio: "Deus opera quando o homem coopera."

 

Se não fosse Deus cooperar enviando o temor ao povo do que adiantaria a estratégia e iniciativas de Saul? Será que são as estratégias e as táticas que nos fazem campeões? Certamente, que elas nos ajudam e devem ser estudadas, mas a vitória não vem pela força nem pela violência, nem pela estratégia, nem pela lógica, muito menos pelo que se vê ou pela matemática (vocês se lembram de Gideão que com um exército de 300 homens acabou para sempre com um exército de mais de 115.000 homens?) a vitória pertence a Deus. Sempre a Deus!

 

Então se você for esperto, preste atenção em Deus. Eu acho que vou criar uma Academia de Inteligência Espiritual – AIE - voltada exclusivamente para treinar os homens, principalmente os crentes, a estarem 100% atentos e vigilantes em toda a estratégia divina em todas as coisas, por exemplo, nesta academia, os prêmios serão medidos por tesouros que juntamos não nos bancos da terra (dinheiro, dólar, ouro), mas nos celestiais, conforme Mt 6: 19-21. A glória e os louvores decorrentes dos sucessos obtidos seriam sempre da personagem famoa "Anônimo" para o Deus de toda a glória. Que tal? Gostaram da idéia?

 

Deus tenha misericórdias de nós e nos dê uma semana de bênçãos. A Deus toda a glória!

 

Comentários por Russel Shedd de I Sm 11:1

domingo, 11 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 82/365

Minha LBH: até I sm 8. Meu filho, jovem de 19 anos, temente a Deus, que dá frutos, cheio do Espírito Santo, talentoso, que está, inclusive, no 4º semestre de Publicidade e Propaganda, perguntou-me ontem à noite: pai, sobem dúvidas ao seu coração ou o Senhor sempre está certo das coisas? É que estou temeroso quanto ao meu futuro e tenho de tomar tantas decisões, resolver tantas questões, principalmente, porque sou o líder do teatro da Igreja Batista Ebenézer e não está sendo fácil.

 

E você, que está lendo este blog agora? Também lhe sobem dúvidas ao seu coração? Ou você é daqueles que têm 100% de certeza sobre tudo? Como você lida com a dúvida, com o medo, com a incerteza de suas ações e decisões? Você confia, sinceramente, na sua própria sinceridade? O fato de estarmos sendo sinceros, autênticos, verdadeiros, nos dão a garantia de que estamos certos e corretos diante de Deus? Quem é que conhece o seu próprio coração e as motivações que estão te conduzindo nessa ou naquela direção?

 

São tantas perguntas! Como pode quem faz tantas perguntas estar 100% convicto de todas as coisas? Eu não sou desses, até gostaria, mas não sou. Meu coração está repleto de dúvidas, de incertezas e aliado a tudo isso não confio nele, nem em sua mais autêntica demonstração de  sinceridade, de autenticidade e de verdade.

 

É por isso que eu prefiro confiar na Bíblia como minha única regra de fé e prática. Isso é uma questão de fé! Não é de certeza, não é de vista, mas de fé! Unicamente de fé! E, na Bíblia está escrito que a fé é dom de Deus (Ef 2:8), não vem do próprio homem, mas é nos dada por Deus e para o cumprimento de seu propósito. Diz a Bíblia que "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus" (Rm 10:17). Veja no dia 69º de meu propósito algo mais sobre esse assunto:  http://www.jamaisdesista.com.br/2009/09/365-dias-de-proposito-dia-69365.html 

 

Em suma, não andamos pelo que vemos, amado irmão, mas pela fé!

 

A fé também foi escolhida por Deus como o melhor caminho para nós. Se quem escolheu esse caminho para nós foi o Senhor, como hei de questioná-lo ou dizer-lhe que deveria ser de outra forma, por exemplo, por meio de sinais, teofanias, milagres, vozes, visões?

 

Há pouco fui cortar meus cabelos (ondulados: um do lado e outro do outro lado..rs...) e o barbeiro em um dado momento teve que pegar a navalha para fazer ajustes e uma tesoura de bico bem fininho para cortar aqueles cabelinhos indesejáveis que se formam dentro e próximos à orelha. O que me leva a crer que ele, o barbeiro, não está pertubado e que poderá cometer uma loucura comigo, me degolando ou empurrando aquela tesoura em meus ouvidos? Quer queria, quer não, há, implicitamente, entre nós, uma relação de confiança, de fé, de minha parte em sua pessoa e dele em relação a minha de que eu ficarei calmo e o deixarei trabalhar.

 

Deus escolheu a fé. Não optou pela vista e ainda chamou de bem aventurados não os que vêem, mas os que não viram e creram (Jo 20:29).

 

O meu conselho para você: pare de olhar para o lado, para a frente, para trás esperando algo dos homens. Esqueça-os! Olhe para Jesus Cristo e tudo o que você for fazer, tudo o que vier as tuas mãso para fazer, faça-o, como se para o Senhor o fizesse e deixe o restante com Deus. Seu problema é relacionado à liderança de um grupo de teatro. Faça o teu melhor, mas olhando para Jesus, sem esperar do homem nem suas críticas, nem seus elogios. Não sou contra nem um, nem outro, apenas estou dizendo que a questão do foco, deve ser Jesus. Se vierem as críticas, aleluais, Deus está nos ensinando; se vierem os elogios, Deus continua a nos ensinar. E em tudo nosso Deus está sendo glorificado para a glória do Pai. A Deus todo o louvor. Amém!

sábado, 10 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 81/365

Graças a Deus, mais um dia de vida! Nossa LBH: estamos no livro de Isamuel e terminamos o capítulo 5. Diogo Freitas, novamente, nos brinda com um alerta sobre a oração. O Crente que não ora não conhece a Deus, não sabe nada do mundo espiritual e nada pode fazer de proveitoso para a vida espiritual. Oração também não é um ritual, algo que "temos de fazer", uma obrigação rígida e sem nexo. Se você pensa assim, não conhece a Deus. Assim como eu interajo com você por meio dessas linhas e você pode corresponder tecendo seus comentários, também nós devemos nos relacionar com Deus e sermos correspondidos.

 

Orar, pois, envolve uma caminho de 2 vias: você com Deus e Deus com você! Aproveite o estudo e glórias a Deus por este dia de bênçãos!

 

"Uma pessoa que afirma ser crente e não é apaixonada, com todas as suas emoções e entendimento, por seu momento de oração, necessita rever sua participação na igreja que ora sem cessar, esta pessoa está sendo como um fogão sem chama, impressora sem tinta ou TV sem energia, ocupa inutilmente o espaço.

 

O estudo da Palavra jamais deve ser negligenciado, mas o foco deste texto, é que talvez você sinta vergonha, se de alguma forma todos ficarem sabendo o quão pouco tem se dedicado à oração. Parte de nosso problema consiste de que vemos a oração como um adendo de nosso propósito de vida, e não como parte fundamental do nosso chamado. Para se viver em santidade, é preciso orar! A falta de oração é a ruína de muitos ministérios, pois é como um carro conversível, aberto e exposto a todas as intempéries do céu. E um crente sem oração vive assim, sem teto, aberto e exposto a todas as tempestades do céu, males da terra e do inferno.
              

A prática de oração te coloca oposto ao mundo, que considera apenas o que é visível, e este mundo convida-o à independência de Deus, que é como uma despedida da Cristo-suficiência e Cristo-dependência, ao contrário da oração que nos conecta a Deus por meio de Cristo, expressando toda a nossa dependência de Deus e clamando por sua orientação e bênção em tudo que fazemos. Negligenciar a oração é jogar fora toda a semente do evangelho.

 

Na história da igreja de Cristo, alguns homens nos fazem parecer, bebês na fé, não porque eles eram melhores em alguns aspectos, mas porque eram homens de muita oração. Um grande e famoso pregador, em dias atuais pode encher os bancos de uma igreja, mas a verdadeira face dele é aquilo que ele é, de joelhos em seu lugar de oração, diante de Deus.

 

Não podemos ficar tão ocupados com a obra de Cristo, e a igreja visível, a ponto de não ter mais tempo ou forças para orar pelo invisível. Devemos estar atentos à vida de oração! Um crente jamais poderá cumprir a vocação junto ao trono da graça, em quinze minutos por dia, e ainda manter uma vida íntima com Deus, assim como nenhum dos nossos relacionamentos intensos é conquistado, a base de quinze minutos de conversa por dia. Ter um relacionamento verdadeiro com Deus, talvez não necessite de incontáveis horas de oração, mas não pode ser realizado com base em poucos minutos de petições somente.

 

Este mundo desesperado precisa de crentes de verdade que se dediquem a oração. Não se contente com um cristianismo exterior, isto já temos demais. Não barganhe os momentos de oração, mantenha este hábito como uma prioridade diária. Todas as nossas bibliotecas e escritórios são um amontoado de papéis e poeira sem utilidade, caso não tenhamos uma vida intensa de oração, que nos faz crescer e prevalecer, com o auxilio dessas leituras." (Diogo Freitas)

 

Deixo, em fim para reflexão dos amados, I Ts 5:25. A Deus toda a glória. Amém!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 80/365


Minha LBH: até I Sm 2. Hoje é sexta-feira e ontem foi o dia da reunião de nosso Grupo Familiar ARCA DA ALIANÇA (http://grupofamiliararcadaalianca.blogspot.com/ - acessem e deixem o seu comentário) e, portanto, a palavra de hoje de nosso JAMAIS DESISTA, será a que foi pregada ontem, pelo nosso amado irmão Joseilson, da “Primeirona”, sobre Maria, um exemplo a ser seguido. (Lc 1: 26-38).

Seguir as orientações de Deus e não duvidar em seu coração, mas confiar naquilo que ele diz não é fácil para ninguém e se observarmos na história dos grandes homens de Deus relatados na Bíblia, muitos vacilaram diante da primeira aparição do Senhor revelando seu plano e o seu desejo de usá-lo: vejam o caso de Moisés (vacilou tanto que se não fosse Deus preparar Arão nem sei como teria conseguido falar com Faraó para liberar o povo), de Gideão (ficou fazendo testes e mais testes para ver se Deus estava mesmo com ele) .

Com Maria, tudo foi diferente e, pasmem, Maria tinha apenas 15 anos quando recebeu a visita do anjo Gabriel e ainda estava esposada de José, isto é comprometida a José para lhe ser entregue no tempo aprazível conforme o costume da época. A questão do namoro era coisa séria e estar esposada era que José a tinha escolhido para ser sua namorada. Ela era uma adolescente. Ela era uma mulher (situação difícil para as mulheres da época). Ela estava comprometida.

Maria não duvidou em seu coração, mas quis saber como se daria tal coisa de ela ficar grávida uma vez que era virgem e o anjo lhe explicou e sua reação foi de faça-se, pois, a vontade de meu Senhor e Deus. Aleluias! Que exemplo de fé e de uma adolescente. Reparem que quando o anjo apareceu a Zacarias a reação dele foi diferente e duvidosa tanto que foi repreendido e teve, como castigo, a perda da fala até o nascimento de João Batista.

Maria não se desesperou na sua situação em como Deus iria equacionar e resolver as coisas diante da sociedade, diante de seu noivo, diante de seus pais e familiares, apenas confiou em Deus e agradeceu o privilégio de estar sendo usada para ser a mãe do Salvador do mundo! Meu irmão e minha irmã, você que é pequena e insignificante diante dos homens, saiba que Deus está de olho em você e irá exaltá-lo em sua vida, apenas confie, Deus está vendo a sua situação, faça o teu melhor para Deus e espere no seu tempo.

Em sua prédica, mexeu com nossa imaginação, fazendo-nos passar por Maria (as mulheres) e por José (os homens). Imagine, você leitor deste blog abençoado que Deus te escolheu para ser a mãe e o pai de Jesus. Você gostaria de ter um filho assim? Como você o educaria, trataria, cuidaria? Então, como você está lidando com os teus filhos? Está tudo bem?

Exaltou as mulheres que seguiram a Jesus e a sua fidelidade, pois a Bíblia sempre relata elas próximas a Jesus dando-lhe sempre assistência, inclusive em seu momento mais terrível: a crucificação. E os homens? E José, o pai, onde estava?

Desafiou-nos com uma questão para promover a discussão e a reflexão: como deve ser o crente de hoje? Olhe para Maria e Você terá a resposta: fiel até o fim; adoradora; sábia e temente a Deus. A participação de todos enriqueceu muito o momento. Foi muito bom participar e falar um pouco de nossa opinião.

Deu-nos diversas exortações relacionadas ao tema conforme ia se desenvolvendo sua preleção, exemplos: Deus trabalha certo por linhas certas, nós é que somos tortos; venha como estás; independentemente de você receber qualquer coisa, primeiramente dê!; quer melhorias no seu relacionamento conjugal, primeiro, melhore você; desconfie quando tudo vai bem em sua vida, pois nós que somos filhos aprendemos as lições pelas provações e dificuldades; não fale mal dos homens de Deus e se você não for ajudar, cale-se, não atrapalhe.

Fechou o assunto com um testemunho sobre a oração de um irmão que propôs em seu coração orar até Deus lhe falar e ai começou a orar e depois de 24hs seguidas, exausto, reclamou: - eu me gasto e o Senhor nada diz. A resposta divina veio a ele da seguinte forma: desde que você começou, meu filho, estou querendo lhe falar, mas você não me deixou! Orar, irmãos, é também ficar em silêncio, buscando o som da voz do seu Amado Papai que está nos céus. 

Sobre a oração, amanhã, no JAMAIS DESISTA, não percam, mais uma meditação valorosa de nosso amado irmão Diogo Freitas. Se você meu amado irmão é daqueles que se diz seguidor de Jesus e buscador do Reino de Deus e de sua Justiça e não ora ou ora apenas para agradecer, faça um favor a você mesmo: pare de orar! Séria essa advertência, não é? Então não perca a meditação de amanhã. A Deus toda a glória. Amém!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 79/365

Minha LBH: iniciei o livro de Rute e já terminei o capítulo 3. Este meu propósito este me fazendo crescer na fé, na graça, no temor a Deus. Não é fácil sustentá-lo, mas, mais difícil ainda, é viver sem ele. Estou, realmente, gostando muito. Até parece que eu me achei. Sempre gostei de meditar e de escrever e este blog e este propósito, graças a Deus, para mim, se completam. Oxalá seja também bênção de incentivo para todos os leitores deste blog e um incentivo a JAMAIS DESISTIREM da vida cristã.
 
Hoje, resolvi postar uma mensagem exortativa que recebi de meu amigo, seminarista presbiteriano em Recife/PE, sobre O VIVER CRISTÃO.
 
O viver cristão em dias atuais deve ser moldado primordialmente pela piedade. O que nada mais é do que viver de acordo com a vontade de Deus, em atitude de adoração e serviço a Ele. E este viver é o nosso motor de propulsão na vida cristã.
 
A piedade nos direciona à atitudes corretas como crente, pois nos leva a conhecer carinhosamente a Deus, como Ele é, e quem Ele é, e assim nos guia a uma vida de acordo com o que Ele deseja que vivamos. Este estilo apaixonado de vida nos leva a um sentimento sincero de amor a Deus como Pai, de reverência a Deus como Senhor e de temor a Deus em Sua justiça, nos alertando a temer mais a ofensa a Ele do que a própria morte.
 
Desenvolver a piedade é reverenciar a Deus em amor, e esse sentimento gracioso é o fruto do conhecimento de Seus benefícios. Será de grande valor para a sua vida, se com todo zelo e dedicação, buscar todos os dias, a santificação na piedade, que deve ser o começo o meio e o fim do viver cristão.
 
Mas se nada disso é novidade, deve haver algo errado. Deve-se buscar o arrependimento, que é fruto da fé e da oração, não só agora, mas toda a vida cristã deve ser marcada por arrependimento, pois o arrependimento é a essência da vida cristã, que envolve confissão de pecados e crescimento em santidade. Este viver é a resposta vitalícia do crente a Palavra de Deus, em razão, emoção e atitude. O arrependimento te direciona a Deus de coração sincero, e traz um temor puro à Sua Santidade, mortificando o seu “eu” e os pecados e glorificando a justiça em Cristo.
 
Sem piedade não há arrependimento, e sem arrependimento não há temor sincero, e não é possível ter consciência do horror dos pecados e tão pouco mortificá-los, o que é essencial, pois o pecado deixa de reinar na vida do cristão, mas ele não deixa de habitá-lo. Somente com a ajuda do Espírito Santo o crente consegue matar o pecado todos os dias renunciando a si e carregando de fato a cruz, que é a ordem de Cristo. A vida cristã, portanto, é caracterizada por novidade de vida sempre. Se já não há o que mudar, cuidado!” (Diogo Freitas)
 
Obrigado Diogo! Que Deus continue a te abençoar e a te motivar a viver para a glória dele, hoje e sempre. Realmente, sem piedade – motor de propulsão da vida cristã – que se caracteriza pela adoração mais o serviço, sem o arrependimento que envolve em sua plenitude a fé e a oração e sem o temor a Deus decorrente e impulsionador JAMAIS teremos um viver cristão que agrada ao Papai.
 
JAMAIS DESISTA de sua fé em Deus, meu irmão! A Deus toda a glória. Amém.
 

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 78/365

LBH: terminei o livro de Juízes! Um dia desses, eu tive um peguinha com meu chefe, homem intelectual e esclarecido, uma verdadeira enciclopédia ambulante, dizem. Sobre qualquer assunto, esse meu ex-chefe tinha algo a nos contar que para nós era algo novo. Isso me fazia respeita-lo muito, mas era ateu. Que pena! Na família de meu chefe, o seu irmão é pastor de uma igreja evangélica no Paraná.
 
Eu sempre tive uma opinião forte sobre Deus e ele de que Deus era uma peça descartável em todo processo que se viesse a considerar. Isso mexia comigo. Então foi ai que eu lhe falei: - como pode uma fábrica de merda ambulante que produz ao longo de 60 anos umas 6 toneladas de pura merda dizer, arrogantemente, que Deus não existe? Ele saltou para trás, surpreso e me disse: - você se deu ao trabalho de calcular isso? E ai, rimos e meditamos muito no que é o homem, o que é Deus ou a idéia de Deus, o que são as idéias, a verdade, a Bíblia.
 
Nosso diálogo e troca de emails nos permitiu muitas discussões interessantes. Acho que irei falar com ele e pedir sua autorização para publicação das discussões para que os que lerem tirem as suas próprias conclusões.
 
Filho, por que te inquietas e porque tua alma está abatida como se eu não controlasse todas as coisas? O que você sabe da tua própria vida se não aquilo que te foi ensinado e que tu confias que é a verdade? Será sim a verdade, a tua verdade, enquanto tu creres nela, mas no dia em que duvidares já não mais será uma verdade embora possa até ser a verdade.
 
Eu não sou defensor da relatividade da verdade, pois creio em Deus, piamente. Deus não é apenas uma idéia, mas uma pessoa e com ele interagimos quer disso tenhamos ou não consciência. Você pensa que está só, mas isso é impossível. Paulo nos diz sobre Deus em At 17:28 “porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
 
Nele vivemos.
Nele nos movemos.
Nele existimos.
Dele somos.
 
Vivemos, movemos, existimos e somos. Nenhum de nós tem vida própria, independente de Deus. Não dá para separar eu de um lado e Deus de outro, pois se pudéssemos, então também teríamos condições de termos vidas independentes. Este mundo é criação de Deus e tudo o que existe, existe, primeiramente, na mente de Deus e tudo para a glória de Deus. Não adianta você se rebelar contra Deus ou querer apagar-lhe de sua mente e declarar independência, por isso também não creio no ateísmo.
 
O que tens tu, meu irmão, que não tenhas recebido? ”Porque quem te diferença? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias como se não o houveras recebido?” (I Co 4:7). Do que te queixas hoje? Você quer ser reconhecido? Todos os que se esforçam, creio, querem, mas este jamais deve ser nosso foco e sim agradar e glorificar ao Senhor. Embora sejamos cacos (fábrica de merda ambulante...rs...rs...) Deus nos escolheu para levarmos a sua glória e sermos seu templo: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós” (II Co 4:7).
 
Senhor, eu falei como um insensato quando a sós contigo em meu UNO. Perdoe-me! Eu jamais irei prevalecer em juízo contigo, portanto dá-me uma mente submissa e obediente que te tema e te respeite. Que eu jamais venha a duvidar de teu amor e bondade. Ensina-me, meu Senhor, e eu APRENDEREI. Aprenderei a Confiar em ti de todo meu CAFÉ. A Deus toda a glória.
 

terça-feira, 6 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 77/365

LBH: até Jz 18. Andar por fé e não por vista. Olhar somente para Jesus. Não importam as circunstâncias, JAMAIS DESISTIR. Eu não preciso ser reconhecido por ninguém. Lutar e vencer. Eu quero fazer umas perguntas importantes:
 
  • Quem de nós gostaria de errar?
  • Quem de nós gostaria de ficar no meio do caminho e não chegar ao destino pelo qual começou a sua jornada?
  • Quem de nós gostaria de numa discussão acalorada ter a opinião ou palpite ou argumento incoerente?
  • Você gostaria de apanhar uma flecha e errar o alvo?
 
Hoje, em meu UNO vim lutando com o ÚNICO Deus à semelhança de Jacó (eu ainda não me dei por vencido, à semelhança de Jacó). A luta foi ferrenha, ainda não acabou, pois cheguei em meu trabalho. O Senhor está insistindo comigo e eu estou resistindo. Ele está me pedindo:
 
  • Para eu confiar nele, mas não é uma simples “confiançazinha”, mas uma super-confiança que envolve todo (ele é exigente e não aceita menos de 100%, é todo, é tudo) Coração, Alma, Forças e Entendimento. É o que costumo brincar em minhas pregações dizendo que é o CAFÉ de Deus, por causa da coincidência das palavras iniciais, ou seja, trata-se de um acróstico mnemônico interessante. Que tal você hoje tomar este CAFÉ de Deus...rs...rs...
 
  • Para eu não esperar reconhecimento dos homens em tudo o que eu faça. Até a pregação do último domingo (ver meu último post) foi para me dizer isso. Eu não sabia que eu era tão dependente de ser reconhecido naquilo que faço, tanto em meu trabalho, como no meu lar, na igreja, na escola, em meu blog, etc... Se é assim, verdadeiramente, estou errando o meu alvo. Pois ao buscar a minha glória, eu esqueço da glória de Deus. Misericórdias, Senhor. Livrai-me de mim mesmo e dos laços que armo para minha própria alma.
 
  • Para eu ter um olhar mais vertical do que horizontal. O Senhor me diz: filho, filho, ... pare... olhe aqui para mim! Ao fixar os teus olhos na tua esposa, ao focar o teu chefe, ou o teu pastor você perde o verdadeiro foco e se deixa levar pelas picuinhas da vida que terminam por engendrar as pessoas em suas manhas e artimanhas causando embaraço a ti e a eles.
 
  • Para eu andar pela fé e não por vista “Porque andamos por fé e não por vista.” (II Co 5:7) e "Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram!" (Jo 20:29). O Senhor me diz para eu crer primeiro. É aqui que a coisa pega e pega feio. Eu gritava em meu carro EU QUERO SINAL, eu quero ver, apalpar, tocar, seguir uma linha visível ou passos marcados, eu quero ouvir a tua voz ou te ver em sonhos ou em visões ou vislumbrar uma teofania ou ter a visita inesperada de um profeta do Japão que nem fala o português ou qualquer outra coisa sobrenatural. Eu estou, Senhor, cercado de um mar de dúvidas cujas águas estão a me sufocar. Como irei trilhar o caminho pela fé? Eu não confio nem na minha própria sinceridade, pois sei que tenho um coração enganoso e não somente isso, mas tremendamente perverso (Jr 17:9). O Senhor não abriu mão e, creio, não abrirá mesmo.
 
  • Para eu não me entristecer de jeito nenhum, pois que o Senhor está no controle de tudo e tem propósito e inteligência em tudo o que faz ou permita que se faça e não somente isso, mas para eu me alegrar: “alegrai-vos no Senhor, outra vez digo, alegrai-vos” (Fp 4:4). Não quer que eu fique triste e ainda quer que eu me alegre! Senhor, como hei de purificar o meu caminho? Aqui é necessária uma pequena explicação para se evitar problemas na comunicação. A tristeza, entendam, não é errada. Somos seres emocionais e às vezes ficamos tristes. Isso é normal, mas a tristeza compulsiva, digo a atitude mental de tristeza não é normal. Precisa ser tratada.
 
Irmãos, Deus nos ama e sempre quer o nosso bem. Deus é bom e nada faz ou permite para nos machucar, antes para nossa edificação. Se você está atravessando alguma luta, compartilhe conosco, pois Deus tem sempre algo bom e novo para o seu coração e para a sua vida. Mais importante do que não errar, não falhar, é JAMAIS DESISTIR de sua fé em Deus. O erro e a falha estarão conosco todos os dias de nossas vidas e o que nos fará diferentes e triunfantes apesar deles é nossa atitude mental de perdoar e de aceitar o perdão de Deus.
 
Sabe por que você foi perdoado? Para que você perdoe o teu irmão!
 
Jesus, meu Deus e meu Senhor!
Único digno de honras e de glórias.
Te ensine (me ensine) a amar e a perdoar.
Esqueçamos, pois, todo amargor.
A Ele e somente a Ele Santo, Santo, Santo.
Mais e mais louvor
Oh Senhor, meu Senhor, enxuga-nos todo pranto!
 
 
 

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 76/365

LBH: até Jz 15:20. A partir do capítulo 13, trata-se a história da vida de Sansão. Quando o Espírito do Senhor se apoderava de Sansão a sua força física era excomunal. Russel Shedd em seus comentários sobre Jz 15:18, nota homilética nos diz:
 
  1. Não adianta um exército para se conseguir a vitória, basta uma integral submissão ao Senhor.
  2. Não importa a falta dos melhores armamentos; basta uma queixada nas mãos daquele sobre quem dominar totalmente o Espírito do Senhor.
  3. Não adianta a vitória contra o inimigo externo, se não formos sustentados interiormente com rios de água viva (Jo 7:37-39).
 
Ontem, no culto das 19h30, na “Primeirona” tivemos uma palavra de Deus ministrada pelo Rev. Sabino que muito impacto trouxe ao meu coração. Parecia que alguém tivesse ido contar ao Pastor Sabino todos os problemas pelos quais estou passando. Eu realmente fui impactado com a mensagem da noite. Pela manhã, foi ministrada por Al Janssen, outra benção.
 
A mensagem teve por referência o versículo bíblico que se encontra em 2 Tim 2:15 “Procura apresentar-te a Deus aprovado...”. A questão chave é o que temos feito é para a glória de Deus? Se não for, algo está ou vai dar errado. Se tudo aquilo que me vem a mão para eu fazer, seja no meu emprego, em casa, na igreja, na sociedade, eu fizer para Deus, buscando dele a aprovação, eu serei e edificarei vidas; do contrário, estarei buscando as glórias humanas, o reconhecimento, os holofotes, as aparências e o risco de decepções e resultados falsos é enorme.
 
O que vier as tuas mãos para fazê-lo, faça-o como se para o Senhor o estivesse fazendo. Teu chefe, em teu emprego, te entregou uma missão? Cumpra-a como se para Deus a estivesse fazendo. Não busque a performance humana, ela virá naturalmente. Se não vier naturalmente, é porque você não poderia suportá-la e, portanto, ela te causaria danos. Fuja disso.
 
O sucesso em tudo o que fizermos será garantido quando nossa motivação e princípios estiverem, ao mesmo tempo, corretos. Veja o exemplo de Davi na condução da ARCA por seus próprios meios em que Uzá foi morto ao tentar evitar que a ARCA caísse porque a carroça tropeçou em alguma pedra. Se motivo (conduzir a ARCA de volta) estava correto, mas seu princípio (havia uma maneira correta de se transportá-la e não de qualquer jeito) , não.
 
Falou-nos da lei dos 2 altares de Coty e que quando observamos esta lei, tudo vai bem. O primeiro altar é o altar escondido e o segundo o público, testemunhal. “(1 Sam. 16.7) - A bíblia nos orienta que existem dois tipos de altares, um é o escondido (intimo), e outro público (testemunhal).
 
Altar intimo - É o testemunho de Deus a meu respeito.
 
Altar público - É o meu testemunho a respeito de Deus.
 
Há uma importante seqüência entre os dois altares, esta é a lei dos altares, o intimo sempre precede o público, antes de nos apresentarmos aos homens devemos antes nos apresentar diante Deus. A aprovação dos homens não vale muita coisa se não temos aprovação de Deus. A vida intima com Deus sempre precede a vida pública. Todas as vezes que esta lei é transgredida, invertemos esta ordem, e nos tornamos vítima da vida pública. (1 Sam. 15.30). Jesus fala destes dois altares em (Mat. 6.6), fala de uma vida pública e uma vida secreta. Davi antes de ganhar de Golias, que foi o altar público, teve um altar secreto, cuidando das ovelhas quando não tinha ninguém observando, adorava Deus a ponto de se tornar um verdadeiro adorador, não tinha ninguém para impressionar. Ao matar Golias, O altar público de Davi, o rei perguntou quem é este, de quem ele é filho, ninguém sabia mais Deus sabia. Quando entraram na terra prometida construíram um altar no leito do Jordão(intimo), um fora do leito (público). Quando as águas foram liberadas só podia ser visto o altar de fora, todavia quem passou pelo leito do rio a seco sabia que no interior do rio existia um altar escondido.(Josué 4.1/9) (citação. ref.: adaptado de
A Deus toda a glória! Amém!
 

domingo, 4 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 75/365

LBH: terminei o capítulo 12 de Juízes. Chamou-me a atenção em minha leitura Juízes 11:29 e 30. em 11:29 (esses dois números para mim e para minha esposa tem algo especial a dizer. Saiba o que é lendo: http://www.scribd.com/doc/16854904/333): "Então, o Espírito do Senhor veio sobre Jefté; ..." e no 30, a precipitação do voto treslocado de Jefté! Não havia nem a necessidade de fazer qualquer voto nem ainda fazer um voto daqueles, mas Jefté o fez. É muito bom estarmos na presença do Senhor, mas também é muito perigoso, pois temos uma natureza difícil e astuciosa. Você já se arrependeu de algo que disse ou prometeu? Eu quando falo aos outros eu sempre digo: optem pela simplicidade, sempre.

 

"I Have a Dream" (Martin Luther King, Jr.  28 de agosto de 1963 Washington, D.C.) - Eu Tenho Um Sonho! EU TAMBÉM TENHO UM SONHO! Eu até pensei em escrevê-lo em letras graúdas, mas temo estar, de repente, ofendendo aqueles que não acordaram ainda para o evangelho de Jesus Cristo. Meu objetivo não é o de se ufanar pela minha crença por ela ser a verdade. Não há necessidade disso. Meu objetivo maior é transmitir a mensagem de Cristo que é poderosa para converter os corações de todos.

 

Hoje, em nossa EBD, ouvimos uma palavra poderosa, abençoada, ministrada por Al Janssen, companheiro, amigo e irmão em Cristo do Irmão André (http://www.portasabertas.org.br e http://www.secretbelievers.org). Ele nos falou da obra do evangelho sendo ministrada por todo o mundo. Contou-nos testemunhos do agir de Deus que vem usando os irmãos que se colocam à disposição do IDE de Jesus.

 

Al Janssen nos propôs 3 desafios:

 

Primeiro: você tem ouvido a Deus? É impossível confrontar o Islã se não estivermso ouvindo o Senhor.

 

Segundo: você se compromete a orar? Pelos terroristas, como Osama Bin Laden. Pela igreja no mundo mulçumano. Pelos cristãos secretos. Pela propagação do Evangelho entre os mulçumanos.

 

Terceiro: quem irá? Se Deus chamá-lo, você ouvirá sua voz? Você obedecerá como Ananias? Você cumprirá o IDE e será a voz e as mãos de Deus para o próximo, que é mulçumano?

 

Resumindo seu desafio, temos: ouvir (a Deus) – orar (a Deus) – ir (em nome de Deus). Tão simples, não é? Ele ainda nos apontou o motivo de oração: "que todo mulçumano no Brasil se torne um seguidor comprometido com Jesus". A palavra de Al Janssen mexeu comigo, principalmente por causa dos fortes e tremendos testemunhos de sonhos que o Senhor tem dado a líderes e ao povo mulçumano. São sonhos de passagens bíblicas dos evangelhos que os cristãos que estã próximos podem facilmente explicar aplicando o evangelho.

 

Estamos chegando à reta final! Jesus está voltando! Creio que a nação brasileira irá passar por um despertar sobrenatural de Deus, principalmente por causa de grandes eventos da área dos esportes que o Brasil está tendo a honra de participar: sede da copa do mundo de futebol em 2014 e das olimpíadas em 2016. Preparem-se povo de Deus! A glória pertence unicamente a Deus. Amém!

sábado, 3 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 74/365

LBH: terminei o capítulo 9. Essa história de Gideão é tremenda. Como pode um homem com um exército de 300 homens desbaratar um povo, os midianitas, com um exército de 135.000 homens? Dividindo-se um pelo outro, encontraremos 1:450. O exército de que dispunha Gideão já era pequeno e, ainda assim, despediu cerca de 99% para ficar finalmente com somente 300. Ao lermos a sua história, vemos também a sua ousadia, pois perseguiu os reis Zeba e Salmuna até os alcançarem.

 

No meio do caminho da perseguição (eram 300 peseguindo 15.000!) os 300 de Gideão estavam cansados, exaustos, com fome (uns 80 km de perseguições) e ao passarem por duas cidades, Sucote e Penuel, pediram apoio aos seus moradores que não fizeram caso dele, nem de seus homens. Gideão então prometeu que isso não ficaria assim. Dito e feito. Na volta, ainda deram um corretivo no povo de Sucote, conforme sua ameaça e ainda derrubou a torre de Penuel e matou os homens da cidade, tudo conforme o que antes falara, conforme sua ameaça.

 

Quantas foram as baixas no exército de Gideão? Nenhuma! Eu repito, nenhuma baixa em seu exército de 300 homens. Aqueles que foram derrotados jamais voltaram a guerrear nem a levantar a sua cabeça. No original, conforme Russel Shedd, vs 12, a palavra desbaratou dá a entender que o restante do exército midianita fora espalhado, após completa perda de coesão e de coragem. "nunca mais levantaram a cabeça".

 

Não posso deixar de replicar o que Russel Shedd comenta como passos para a vitória de Gideão, em sua nota homilética de Jz 7:15 – adorou – primeiro: com pouca fé e autoridade procura segurança nos sinais divinos e através do orvalho (6:36-40); segundo, com fé em plena atuação obedece ao mandado do Senhor de se desfazer de 99% de seu exército (7:2-8); terceiro, finalmente, com fé transbordante, oferece louvor antevendo a vitória prometida (7:15). Em seguida, conclui: a fé cresce pelo desafio e o exercício.

 

Ao colocar sua fé em ação: a perseguição de um exército de 135.000 homens por apenas 300 homens, ocorre o milagre: é Deus agindo, preparando, trabalhando, entregando em suas mãos as bênçãos da vitória. Que benção esta palavra de Russel Shedd, não é mesmo irmãos? E você também quer ver crescer a sua fé? Quer seguir os passos para vitória?

 

Reparem, essa história não tem lógica alguma. Não faz sentido e não pode ser repetida. Se pudéssemos simular, em todas as vezes, os 300 seriam totalmente massacrados. No plano terrestre e da lógica humana essa história seria classificada como impossível. É isso mesmo, cremos em Deus, no Deus do impossível. Deus é o Deus do impossível. Será que o que você está passando está te atormentando? Os midianistas que estão ao teu redor te oprimem e são tão numerosos que você está confuso, perdido? "Então, o Anjo do Senhor lhe apareceu e lhe disse: O Senhor é contigo, homem valente" (Jz 6:12). A Deus toda a glória! Amém!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 73/365

LBH: terminei Juízes 6. Chamou-me a atenção na minha meditação de hoje o fato de Débora ter sido uma juíza, de treze, em Israel. Isso significa que essa mulher era especial e, mais ainda, que Deus pode usar, conforme seus propósitos, mulheres em altos cargos. Para nós, em nossos tempos modernos, a mulher exercer altos cargos não é novidade, mas, naquela época, realmente isso foi algo especial. A Palavra de Deus nos diz que em Cristo já não há nem homens, nem mulheres, nem escravos, ... (“Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." – Gl 3:28).
 
Também ressalto o fato de que Russel Shedd aproveitou o ensejo para falar dos homens que vacilaram ou hesitaram ao receberem os chamados de Deus: Baraque (Jz 4:8); Moisés ( Ex 4:13); Gideão (Jz 6:15) e Jeremias (Jr 1:16). Este assunto, daria muito o que falar... você tem vacilado em seu chamado, meu irmão? Deixemos para outro momento...
 
Como ontem tivemos nossa reunião abençoada em nosso Grupo Familiar da ARCA DA ALIANÇA (http://grupofamiliararcadaalianca.blogspot.com), a nossa meditação de hoje falará do que foi ministrado ontem pelo nosso amado Pr. Nelsinho: a palavra ministrada foi uma bênção para todos nós e começou relatando o sofrimento por que passava Ana que era muito amada por seu marido, mas que era estéril e na época, por isso, era desprezada e carregava em si o seu opróbrio. Quantos de nós não estamos enfrentando situações semelhantes de opróbrio e desprezo e zombaria por causa, principalmente, de nossa fé? Quantos de nós não estamos enfrentando situações difíceis de “esterilidade” em alguma área de nossa vida sem que vislumbremos a cura?
 
Ana tinha saído da festa em que estava e com coração amargurado foi para o templo. Lá, abriu o seu coração de forma que o sacerdote que ali estava vendo sua balbucia a tratava como bêbada, mas ela não estava nem ai para nada, apenas queria desabafar, contar para Deus o seu problema e pedir-lhe uma saída, pois já não estava dando mais para suportar. E quanto a nós, porque não corremos também como Ana aos pés do Senhor? A ARCA DA ALIANÇA simboliza o templo e como Ana, nos exortou a abrirmos de verdade nossos corações para Deus, pois este tem uma saída, como teve uma saída para Ana.
 
Ana correu para o templo, de semblante triste porque sabia que Deus estaria ali para ouvi-la e para lhe mudar a sua história. Ana olhou para Deus e foi sincera: “Deus ta doendo... não agüento mais isso... todos zombam de mim... ajuda-me”. E quanto a você que hoje veio para a ARCA, disse, desabafa, conte para Deus o seu problema: “Senhor, estou passando uma situação difícil, bem delicada, de decepções, desgostos e tristezas. Não agüento mais ser pisado. Honra-me neste lugar para a tua glória!
 
Assim como a vida de Ana, as nossas vidas não estão em nossas mãos nem na mão de nenhum homem ou autoridade ou bandido. Ninguém nos move de lá para cá como se fôssemos seu brinquedo, sua propriedade. Nossa vida pertence a Deus e somente a ele. Se estamos aqui ou acolá, foi Deus e não o homem que nos moveu. Se assim nos moveu, tem Ele, o Senhor, um propósito, um desígnio e este irá ser cumprido.
 
Vendo o sacerdote que realmente Ana estava sóbria e que orava com seriedade  a despediu com a sua bênção e ela saiu dali aliviada, cheia de certeza de que o Senhor ouviu a sua oração. Como sacerdote do Senhor, eu, Pr. Nelsinho, aqui estou para te dizer que vá em paz, pois Deus tem ouvido o seu clamor e você sairá daqui grávido de sua bênção. Saiba que você sozinho não vence a batalha, mas se Deus estiver ao seu lado você será a maioria. E, se cada um, dos que estão aqui, é maioria com Deus, imaginem toda a ARCA buscando ao Senhor neste momento. Não haverá barreiras que não possamos juntos vencer.
 
Na sua aflição Ana foi objetiva: pediu-lhe um filho. Fez voto de consagrar o menino assim que desmamasse. Deus a ouviu. Usou o sacerdote para lhe abençoar e saiu dali abençoada. Nós também devemos ser objetivos e falarmos claramente ao Senhor onde está pegando, onde o calo está apertando.
 
Ana então voltou para festa alegre. Coabitou com seu marido e o Senhor a visitou e ela gerou um filho: SAMUEL que veio a ser grande profeta em Israel. Ela não tardou em cumprir o seu voto e Deus a abençoou mais ainda. O Senhor a visitou tão grandemente que depois de Samuel ainda teve mais 2 filhos e 3 filhas. Aleluias!
 
Foi “bênçao pura” na linguagem dos irmãos abençoados. Com certeza, saímos dali da ARCA grávidos das bênçãos de Deus. Obrigado, pastor Nelsinho que o Senhor continue a te usar cada vez mais para a sua honra e glória. Amém!
 
A todos, deixo, abaixo, a oração de Ana de agradecimento a Deus (que oração ungida! Daria uma super pregação... quem sabe um dia... glórias a Deus.) que serve para nossas reflexões.
 
1 "Então, orou Ana e disse: O meu coração exulta no SENHOR, o meu poder está exaltado no SENHOR; a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação." 2 "Não há santo como é o SENHOR; porque não há outro fora de ti; e rocha nenhuma há como o nosso Deus." 3 "Não multipliqueis palavras de altíssimas altivezas, nem saiam coisas árduas da vossa boca; porque o SENHOR é o Deus da sabedoria, e por ele são as obras pesadas na balança." 4 O arco dos fortes foi quebrado, e os que tropeçavam foram cingidos de força.5 "Os que antes eram fartos se alugaram por pão, mas agora cessaram os que eram famintos; até a estéril teve sete filhos, e a que tinha muitos filhos enfraqueceu." 6 "O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela."7 "O SENHOR empobrece e enriquece; abaixa e também exalta." 8 "Levanta o pobre do pó e, desde o esterco, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo." 9 "Os pés dos seus santos guardará, porém os ímpios ficarão mudos nas trevas; porque o homem não prevalecerá pela força." 10 "Os que contendem com o SENHOR serão quebrantados; desde os céus, trovejará sobre eles; o SENHOR julgará as extremidades da terra, e dará força ao seu rei, e exaltará o poder do seu ungido."  (I Sm 1:1-10). A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

365 dias de propósito! Dia 72/365


LBH: terminei o capitulo 3 de Juízes. Neste livro, vemos o que Russel Shedd chama de ciclo do pecado: apostasia – opressão – arrependimento e súplica – libertação oferecida por Deus (Jz 1: 16-20). Depois começa tudo de novo, “outra vez”. E em nossa vida, também não é assim? Por conta de nossas astúcias (“Deus fez o homem reto, mas este se meteu em muitas astúcias – EC 7:29”) nos metemos em muitas encrencas e apostatamos do Senhor indo por caminhos que ele não nos preparou para seguirmos.

Enquanto estamos no “bem-bom”, tudo bem, nem nos lembramos do Senhor, mas nossa vida longe dos planos de Deus apenas serve para alimentar a nossa carne e para desencaminharmos nosso irmão do Caminho, mas como Deus é um Deus de amor, permite que venha sobre nós a opressão decorrente e isso nos aflige, pois sentimos que outro está a nos dominar. Tentamos de todas as formas nos libertarmos, mas nossa força é pequena e ficamos apenas desejando.

Por amor, Deus nos leva ao arrependimento. Lembramos dos tempos em que estávamos sob a proteção de Deus, junto com os irmãos e da prosperidade e sonhos que tínhamos. O arrependimento nos conduz à súplica e passamos a orar, a jejuar, a buscar a Deus. Choramos, pedindo a Deus força para sairmos de uma situação desagradável. Do que se queixam os homens? A própria Bíblia pergunta e dá a resposta: “De que se queixa, pois, o homem vivente? queixe-se cada um dos seus pecados.” (Lm 3:39). Do que você, meu amado irmão, está se queixando?

Seguindo orientações de meu professor de Antigo Testamento na Faculdade Evangélica, Professor Ver. Geomário Moreira Carneiro, da 3ª Igreja Presbiteriana de Taguatinga, eu fiz um trabalho interessante que envolveu a exegese do versículo que se encontra em Ec 7:29, citado acima (para ver o trabalho feito, visite: http://www.scribd.com/doc/14232980/Exegese-de-Ec-729). Aprendi muito. Outro versículo que me chama a atenção, sem dúvidas, e que daria um excelente trabalho seria fazer a exegese de Lm 3:39. Que tal, meu querido, o desafio?

Quando tudo parece perdido, lá vem o Senhor com o socorro sempre presente. É a libertação oferecida por Deus. O alívio! Novamente vem a alegria que é fruto do Espírito Santo (Gl 2:22). Essa alegria é especial! (Tenho vontade de pesquisar este termo “alegria”, “gozo”, “regozijo” nos escritos paulinos e depois em toda a Bíblia. Um dia desses fiz uma pequena sondagem desse termo na epístola aos Filipenses e constatei 14 referências de 104 no total. Como o apóstolo Paulo fala de alegria: “alegrai-vos no Senhor, outra vez digo, alegrai-vos” - Fp 4:4).

Embora o ciclo do pecado seja bíblico e Russel Shedd tenha se apercebido muito bem dele e nos apresentado de forma didática, é necessário cuidado, pois “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz será quebrantado de repente sem que haja cura.” (Pv 28:1). NÃO ABUSE DA GRAÇA! A Deus toda a glória!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 71/365

Olha que bênção, o JAMAIS DESISTA está de cara nova. Gostaram? Calma, que ainda não é o que está em minha mente fazer. Por enquanto, irá ficar desse jeito, mas pretendo contratar o melhor WebDesigner do mundo (meu querido e lindo filho Gabriel, é lógico) que vai dar aquele toque de arte (coisa de Deus mesmo, pois o menino foi privilegiado com esse dom) para a glória de Deus e edificação de vidas. Aguardem! Aleluias!
 
Em minha LBH, acabei o livro de Josué e já comecei a ler o de Juízes (li hoje somente a análise por Russel Shedd). Nada como um dia após o outro, não é mesmo? Quem diria hoje já estamos no 71° dia da campanha e já li 211, de 1189 capítulos da bíblia, ou seja, em capítulos, já li 17,75% da Bíblia. Por falar em Bíblia, recomendo: não deixem de ver o vídeo que está no YouTube, do Ministério Portas Abertas sobre “O Livro Perigoso”. Eles prometem, eu creio, que jamais você será o mesmo depois de ver o vídeo. Segue o link enviado pelo meu amigo e seminarista presbiteriano em Recife/PE, Diogo: http://www.youtube.com/watch?v=ZMGPrSfTpfU
 
Chamou-me a atenção na leitura de hoje o verso que se encontra em Js 23:11 e o respectivo comentário de Russel Shedd que faz parte de minha simplória campanha (em meu próximo propósito, espero, lerei a Bíblia de Genebra com seus respectivos comentários): “Portanto, EMPENHAI-VOS em guardar a vossa alma, para AMARDES o Senhor, vosso Deus.” Russel Shedd nos diz, em seu comentário respectivo, como faremos isso:
 
  1. Colocando Deus em primeiro lugar em nossa vida (Ex 20:3; Mt 21:37, 38; 6:33)
  2. Obedecendo à Palavra de Deus (v. 6; Jo 14:21, 23 e 24)
  3. Separando-se da vida carnal – o nosso inimigo (Rm 6: 11-14; 8: 5-9)
 
Além deste blog, eu costumo ter uma espécie de diário, um caderninho de anotações gerais, mas mais principalmente de anotações relacionadas às minhas meditações sobre as coisas de Deus e sabem como eu inicio o registro e grafo a data? Com as iniciais BRDJ, em seguida a data, por exemplo: “BRDJ, 30/09/2009”. BRDJ para mim é a síntese do que está em Mt 6:33 que são as iniciais das seguintes palavras do versículo: Buscando o Reino de Deus e sua Justiça. Eu concordo que devemos colocar Deus em primeiro lugar em nossa vida.
 
Se há um Deus e assim creio, ou ele é o meu Deus, ou eu sou o próprio deus. Quem não coloca Deus em primeiro lugar em sua vida, está em grande laço e no lugar de Deus, que deve ter a primazia, outro ocupará o seu lugar o qual poderá ser outro deus estranho ou o seu próprio eu. Há tantas implicações em assim proceder, isto é, em deixar que Deus esteja em primeiro lugar em nossas vidas. Uma delas, a principal, é que já não somos mais de nós mesmos, nem, portanto, estamos à vontade para atender aos nossos desejos e gostos.
 
Quem coloca Deus em primeiro lugar, obviamente deverá colocar as Escrituras, a Bíblia Sagrada, em um alto pedestal, pois ela é, conforme cremos, a única, inerrante, palavra de Deus deixada por Deus para que seja a nossa única regra de fé e prática. Por ela já viveram e morreram tantos homens, tantas mentes ilustres e capazes (veja o vídeo acima indicado!). Se você não tira um tempo para sua leitura e meditação, sinto muito, você é tudo menos crente. Você que não lê nem medita na Bíblia não está colocando Deus em primeiro lugar em sua vida.
 
É lógico que se você coloca Deus em primeiro lugar em sua vida e lê e medita e, melhor ainda, pratica o que lê, então, com certeza, você está se separando da vida carnal, pois ela nada tem a ver com os dois itens antecessores. Não significa isso, viver em um monastério isolado de tudo em vida contemplativa semelhante aos monges (para falar a verdade não sou nada simpático à clausura, mesmo que com a desculpa de se estar buscando a Deus). Para mim, separar-se da vida carnal é também trabalhar com aqueles dons que Deus nos deu (eu, por exemplo, trabalho nos Correios, sou administrador e meu trabalho me foi concedido por Deus para a sua glória). Eu entendo vida carnal a vida levada sem respeito a Deus nem ao meu próximo e está ligada ao egoísmo, ao orgulho, à mentira, à falsidade, à falta de domínio próprio, ao pecado, e por ai vai...
 
A Deus, e somente a ele, toda a glória! Amém!
 

terça-feira, 29 de setembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 70/365

LBH: Js 22:34. Do que posso eu me gloriar se não em conhecer ao Senhor e saber que ele é misericordioso? Graças a Deus que eu não sou aquele que é bom, que se domina em tudo e é capaz de grandes coisas, pois se fosse corria o risco de me julgar melhor do que o meu irmão e desprezá-lo. Eu fui um viciado em tabaco por mais de 30 anos. Quanto mais eu lutava, mais escravo eu era. Na hora do desejo, da vontade de fumar, eu zombava comigo mesmo dizendo: “Vá escravo! Vá fazer a vontade de teu Senhor que te domina!”.
 
A palavra de Deus diz que aquele que comete pecado é escravo do pecado. Veja: “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado” (Jo 8:34). Se algo te domina, meu irmão, deste algo, tu és escravo e não livre. Isto vale para bebida, sexo, pornografia, masturbação, ira e tantas outras porcarias. Deus não te fez para viver dependente de coisas, mas dele mesmo.
 
Você sabia que não há satisfação no vício ou em qualquer coisa destas que te domina? O que o vício faz com o teu organismo é criar uma sensação de mal estar para em seguida te dar o bem estar e te aliviar, mas repare, não houve saciedade. Você já se deixa levar pensando no próximo, no próximo e assim sucessivamente. Nunca você estará satisfeito e sempre o próximo você desejará. Isto é cíclico. Você está preso em cadeia circular, para sempre. Quando você está satisfazendo-se com a porcaria que te domina, você, seu organismo, já disparou o mecanismo que te irá preparar para o próximo. Por isso que também no vício não existe essa de o último.
 
O rompimento de uma cadeia de vícios ou de hábitos pecaminosos não é fácil, pois nossa consciência já cauterizada aprendeu a negociar com o ele (o pecado, o vício). John Owen (1616 - 1683)* nos diz que se já sentimos atração por algo, já entramos em tentação e o próximo passo será cair em tentação e, em seguida, o pecado gerar a conseqüente morte. São duas as atitudes recomendadas quando nos sentimos atraídos pelo vício: a vigilância e a oração.
 
"E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém!" (Mt 6:13)
"perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve; e não nos conduzas em tentação, mas livra-nos do mal." (Lc 11:4)
"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca." (Mt 6:41)
"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." (Mc 14:38)
E, quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação.” (Lc 22:40)
E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai para que não entreis em tentação.” (Lc 22:46).
 
Eu sei que não é fácil romper isso, mas em nome do Senhor Jesus, pelo menos ore com fé ao Senhor, pois estás em grande laço e a libertação somente poderá vir do Senhor. Por hoje é só. No dia 2/11/2009 fará 4 anos que estou vencendo a luta contra o tabaco. Aleluias! Eu irei falar mais posteriormente, pois a minha vitória talvez seja o motivo para a tua. A Deus toda a glória. Amém!
 
---------NOTA---------
* “John Owen nasceu no ano de 1616 e cresceu numa quieta casa pastoral no condado de Oxford. Entrou na Universidade de Oxford com a idade de doze anos, recebeu o título de Bacharel em Artes em 1632 e o de Mestre em Artes em 1635. Owen foi um dos mais destacados teólogos que a Inglaterra já teve. Meditações sobre a glória de Cristo foi o último de muitos livros que Owen escreveu. Ele faleceu quando o mesmo estava sendo impresso, em 1683. Foi escrito, ele nos diz, "para estimular a sua própria mente quando a fraqueza, cansaço e a aproximação da morte" o estavam chamando deste mundo.” (ref.: http://www.edificai.com.br/)