quarta-feira, 29 de agosto de 2018

AS MÃOS DO MEU QUERIDO PAI


Pai, eu encontro você a todo momento e em todos os lugares. Encontro você nas fábricas com as mãos sujas de graxa. Nos campos com as mãos calejadas pela enxada. Encontro você, Pai, nos canteiros de obras com as mãos cinzas a concretar. No trânsito confuso com as mãos seguras a nos guiar. Nas escolas com as mãos brancas de giz a ensinar e nos hospitais com as mãos precisas a operar.
Mas, infelizmente, eu também encontro você, Pai, nos bares da vida com as mãos trêmulas a beber. Encontro você, na discórdia dos lares com as mãos fechadas a bater. No escuro dos quartos com as mãos envergonhadas a chorar, e nas filas de empregos com as mãos ao alto por uma vaga a implorar.
Porém, eu posso sentir emocionado o seu verdadeiro amor quando nos meus momentos de injustiça eu encontro você, Pai, com as mãos erguidas a me defender. Quando nos momentos de perigo eu encontro você com as mãos estendidas a me socorrer. Quando nos momentos de tristeza eu encontro você com as mãos unidas a me sorrir e nos momentos de vitória eu encontro você com as mãos abertas a me aplaudir.
E quando, ao fim do dia, eu encontro você a beira da minha cama com as mãos cansadas a me acariciar, neste instante, elevo minhas mãos pequenas e frágeis ao céu e agradeço a Deus por ter em minha vida as mãos abençoadas do meu querido Pai.
Autor: Francisco de Souza.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.