domingo, 15 de novembro de 2015

Atos 14 1-28 - INDO SEMPRE, MAS COM OUSADIA, GRAÇA E PODER.

Como já dissemos, Atos foi escrito para orientar a igreja em sua missão permanente por meio do relato de como o Espírito Santo capacitou os apóstolos para propagar o testemunho de Cristo ao mundo gentio. Estamos no capítulo 14, da parte IV.
Breve síntese do capítulo 14
Enquanto eles iam pregando ousadamente e alcançando resultados incríveis na evangelização, haviam os judeus incrédulos que trabalhavam ao contrário...
O Senhor cooperava com eles na pregação confirmando a palavra pregada da sua graça ao conceder a eles que pelas suas mãos se fizessem sinais e prodígios. Quem era então aquele que trabalhava contra o Senhor?
Por um lado, a pregação ousada e sinais, curas e maravilhas; por outro, um povo invejoso que tentava de todas as formas impedir a pregação. Em virtude da confusão formada, são obrigados a partirem e vão para Listra e Derbe, cidades da Icônia, pregarem o evangelho.
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
IV. O TESTEMUNHO APOSTÓLICO AOS CONFINS DA TERRA (13.1-28.31) – continuação.
Como já dissemos, Paulo, como testemunha apostólica de Cristo, sofreu a mesma perseguição que os apóstolos haviam sofrido antes dele. Em suas três viagens missionárias e em suas prisões, Paulo levou o evangelho aos confins da terra e foi capacitado poderosamente pelo Espírito Santo para dar testemunho da verdade e chamar muitos judeus e gentios à fé.
Essa parte foi dividida em 7 seções: A. A primeira viagem missionária de Paulo (13.1-14.28) – concluiremos agora; B. O concílio de Jerusalém (15.1-35); C. A segunda viagem missionária de Paulo (15.36-18.22); D. A terceira viagem missionária de Paulo (18.23-21.14); E. A detenção, o julgamento e a prisão de Paulo em Jerusalém (21.15-26.32); F A viagem de Paulo a Roma (27.1-28.16); e, G. Os dois anos do ministério de Paulo na sua prisão domiciliar em Roma (28.17-31).
A. A primeira viagem missionária de Paulo (13.1-14.28) - continuação.
Estamos vendo, como falamos, a primeira viagem missionária de Paulo. Paulo e Barnabé alcançam Chipre e a Galácia.
Eles chegam em Icônio e Paulo e Barnabé, como de costume, foram à sinagoga judaica pregarem o evangelho com ousadia, graça e poder.
O resultado disso foi que muitos creram neles, tanto judeus como gentios, mas alguns dos judeus que se tinham recusado a crer – eles poderiam ter escolhido crer! - incitaram os gentios e irritaram-lhes os ânimos contra os irmãos.
Mesmo assim, Paulo e Barnabé passaram bastante tempo ali, falando corajosamente do Senhor, que confirmava a mensagem de sua graça realizando sinais e maravilhas pelas mãos deles.
Com a chegada deles, o povo da cidade ficou dividido: alguns estavam a favor dos judeus, outros a favor dos apóstolos.
Essa é a primeira vez em Atos – vs. 4 - em que o termo “apóstolos” é usado num sentido mais amplo que inclui outros homens (p. ex., Barnabé) além dos apóstolos escolhidos por Jesus (Mt 10.1-4; At 1.24-26; em 2Co 1.1, Paulo se distinguiu dos demais companheiros designando-se a si mesmo como apóstolo).
Uma conspiração estava formada de gentios e judeus para os maltratarem e os apedrejarem. O apedrejamento era um modo de execução judaica que visava punir com a morte os crimes de blasfêmia (7.58-59).
Eles foram avisados e fugiram para Listra e Derbe, cidades da Licaônia. Embora essas duas cidades pertencessem mais precisamente à província romana da Galácia, juntamente com Icônio, também faziam parte do subdistrito chamado Licaônia. Contudo, entre 37-72 d.C., Icônio foi considerada, em termos linguísticos e políticos, como pertencente à Frigia.
Eles pareciam nem ligar para as consequências ou para os acontecimentos, o fato era que estavam sempre pregando as boas novas – vs. 7.
Assim, em Listra encontraram um homem paralítico dos pés e aleijado desde o nascimento. Em 6 d.C., o imperador Augusto fortificou esse antigo assentamento licaônico (Listra) e o transformou numa colônia romana pertencente à província da Galácia, povoando-a com veteranos do exército romano.
Paulo depois de sua prédica, encontrou-se com o paralítico e olhando nos olhos dele, viu que tinha fé para ser curado e deu uma ordem para seu corpo em nome de Jesus. Ele foi muito objetivo e disse: "Levante-se! Fique de pé!” Com isso, o homem deu um salto e começou a andar – vs. 10.
Ao verem tal fato inusitado o povo começou a gritar em sua própria língua licaônica. A língua nativa da maior parte do povo. Eles achavam terem os deuses descido até eles em forma humana.
Uma antiga lenda que circulava em Listra dizia que o deus grego Zeus (chefe dos deuses) e Hermes (o mensageiro de Zeus) andavam pela região disfarçados como seres humanos.
De acordo com a lenda, eles foram para o interior da Frigia para conhecer a hospitalidade do povo; porém, somente um casal os recebeu e, como recompensa, a cabana deles foi transformada num templo com colunas de mármore e teto de ouro; as outras pessoas que haviam se recusado a recebê-los tiveram suas casas destruídas.
E possível que os habitantes de Listra tivessem identificado Barnabé como Zeus (Júpiter, para os romanos) e Paulo como Hermes (Mercúrio, para os romanos). Logo, procurando evitar a ira divina, os habitantes passaram a honrá-los como se fossem deuses.
De imediato, eles recusaram aquela homenagem e rasgaram suas vestes numa demonstração de angústia.
O conteúdo desse sermão de Paulo – vs. 15 ao 17 - é semelhante àquele que ele pregou em Atenas (17.22-31), sendo ambos dirigidos a uma multidão pagã que não entenderia as citações e explicações das Escrituras do Antigo Testamento. Paulo salientou o fato de que o poder criador e o cuidado de Deus também se estendiam às pessoas de Listra.
·         Eles eram homens como eles.
·         Eles eram arautos do Deus verdadeiro.
·         Eles estariam trazendo boas novas desse Deus.
·         A palavra de Deus dizia para eles se afastarem dessas coisas vãs e se voltarem para o Deus vivo.
·         Esse Deus vivo foi quem fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há.
·         Esse Deus vivo, no passado, permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos.
·         Nesse tempo, esse Deus vivo não ficou sem testemunho mostrando a sua bondade:
ü Dando-lhes chuva do céu.
ü Dando-lhes colheitas no tempo certo.
ü Concedendo-lhes sustento com fartura.
ü Enchendo de alegria os seus corações.
Ainda assim, tiveram muita dificuldade em impedir a oferta de sacrifícios para eles.
Alguns judeus que chegaram de Antioquia e de Icônio, percebendo a situação, trataram de reverter o ânimo da multidão, fazendo com que ela passasse a odiá-los a tal ponto de apedrejarem Paulo e darem ele como morto e assim o arrastaram para fora da cidade, pensando estar ele morto.
Veja a cena de forma completa. Paulo e Barnabé iam de cidade em cidade pregando o evangelho e alguns judeus iam no mesmo caminho, mas procurando de todas as formas desfazerem todo trabalho missionário deles.
Ora, se Deus estava levando Paulo e Barnabé a pregarem; o diabo, certamente, estaria fazendo o mesmo, mas ao contrário.
Quando os discípulos chegaram perto de Paulo, este se levantou e ainda voltou para a cidade e somente no dia seguinte partiram para Derbe - outra cidade na fronteira da província de Licaónia (atual Kerti Huyuk, na Turquia) situada no sudeste da Galácia, distante cerca de 105 km a sudeste de Listra. Quão triste e terrível é ver a Turquia hoje totalmente esquecida do evangelho.
Em Derbe, continuaram o trabalho de evangelização e missões onde fizeram muitos discípulos. Depois, voltaram no caminho de ida para Listra, Icônio e Antioquia para fortalecer os discípulos, encorajá-los a permanecerem na fé afirmando a eles que era necessário que passassem por muitas tribulações para entrarem no Reino de Deus.
O trabalho de Paulo e Barnabé era contínuo em cada lugar, em cada igreja, sempre com oração e jejum e deixando presbíteros e oficiais da igreja encomendados ao Senhor, em quem haviam confiado.
Eles continuam suas viagens e passando pela Pisídia, chegaram à Panfília e, tendo pregado a palavra em Perge, desceram para Atália. De Atália, navegaram de volta a Antioquia, onde tinham sido recomendados à graça de Deus para a missão que agora haviam completado.
Havia realmente muito a ser compartilhado com todos e chegando em Antioquia de onde tudo começou reuniram a igreja e relataram tudo o que Deus tinha feito por meio deles e como abrira a porta da fé aos gentios. Diz a palavra de Deus que eles ficaram ali muito tempo com os discípulos.
Havia um gás neles, uma energia constante, uma disposição mental que os transformavam em máquinas eficientes de pregação, cuidado e trabalho produtivo para o reino de Deus. Eles se foram, mas o trabalho de Deus ainda não.
Enquanto Jesus não voltar, o tempo é o mesmo da pregação, do cuidado e do trabalho produtivo para o reino de Deus, não importando os problemas, nem as circunstâncias, muito menos as oposições – também reais e sempre presentes – do diabo para tentar impedir de todas as formas o sucesso de nossa empreitada santa.
Vamos queridos em frente, sem jamais desistir, caminhando com eles, nossos primeiros pais, pois nosso tempo se abrevia velozmente.
At 14:1 Em Icônio,
 Paulo e Barnabé entraram juntos na sinagoga judaica
e falaram de tal modo,
que veio a crer grande multidão,
tanto de judeus como de gregos.
At 14:2 Mas os judeus incrédulos
incitaram
e irritaram
os ânimos dos gentios contra os irmãos.
At 14:3 Entretanto,
demoraram-se ali muito tempo,
falando ousadamente no Senhor,
o qual confirmava a palavra da sua graça,
concedendo que, por mão deles,
se fizessem sinais e prodígios.
At 14:4 Mas dividiu-se o povo da cidade:
uns eram pelos judeus;
outros, pelos apóstolos.
At 14:5 E, como surgisse um tumulto dos gentios e judeus,
associados com as suas autoridades,
para os ultrajar e apedrejar,
At 14:6 sabendo-o eles,
fugiram para Listra e Derbe, cidades da Licaônia e circunvizinhança,
At 14:7 onde anunciaram o evangelho.
At 14:8 Em Listra, costumava estar assentado
certo homem aleijado,
paralítico desde o seu nascimento,
o qual jamais pudera andar.
At 14:9 Esse homem ouviu falar Paulo,
que, fixando nele os olhos
e vendo que possuía fé para ser curado,
At 14:10 disse-lhe em alta voz:
Apruma-te direito sobre os pés!
Ele saltou
e andava.
At 14:11 Quando as multidões viram o que Paulo fizera,
gritaram em língua licaônica, dizendo:
Os deuses, em forma de homens,
baixaram até nós.
At 14:12 A Barnabé chamavam Júpiter,
e a Paulo, Mercúrio,
porque era este o principal portador da palavra.
At 14:13 O sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade,
trazendo para junto das portas touros e grinaldas,
queria sacrificar juntamente com as multidões.
At 14:14 Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo,
rasgando as suas vestes,
saltaram para o meio da multidão, clamando:
At 14:15 Senhores, por que fazeis isto?
Nós também somos homens como vós,
sujeitos aos mesmos sentimentos,
e vos anunciamos
o evangelho
para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo,
que fez o céu,
a terra,
o mar
e tudo o que há neles;
At 14:16 o qual, nas gerações passadas,
permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos;
At 14:17 contudo, não se deixou ficar
sem testemunho de si mesmo,
fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas
e estações frutíferas,
enchendo o vosso coração de fartura
e de alegria.
At 14:18 Dizendo isto, foi ainda com dificuldade
que impediram as multidões de lhes oferecerem sacrifícios.
At 14:19 Sobrevieram, porém, judeus de Antioquia e Icônio
e, instigando as multidões
e apedrejando a Paulo,
arrastaram-no para fora da cidade,
dando-o por morto.
At 14:20 Rodeando-o, porém, os discípulos,
levantou-se
e entrou na cidade.
No dia seguinte, partiu, com Barnabé, para Derbe.
At 14:21 E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade
e feito muitos discípulos,
voltaram para Listra, e Icônio, e Antioquia,
At 14:22 fortalecendo a alma dos discípulos,
exortando-os a permanecer firmes na fé;
e mostrando que, através de muitas tribulações,
nos importa entrar no reino de Deus.
At 14:23 E, promovendo-lhes, em cada igreja,
a eleição de presbíteros,
depois de orar com jejuns,
os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido.
At 14:24 Atravessando a Pisídia,
dirigiram-se a Panfília.
At 14:25 E, tendo anunciado a palavra em Perge,
desceram a Atália
At 14:26 e dali navegaram para Antioquia,
onde tinham sido recomendados à graça de Deus
para a obra que haviam já cumprido.
At 14:27 Ali chegados,
reunida a igreja,
relataram quantas coisas fizera Deus com eles
e como abrira aos gentios a porta da fé.
At 14:28 E permaneceram
não pouco tempo com os discípulos.
A vida dos discípulos era viajar e pregar a palavra e Deus, sempre cooperando com eles e, igualmente, os inimigos, se levantando contra eles.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 158 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).
A Deus toda glória! p/ pr. Daniel Deusdete.

...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.