quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Neemias 9:1-38 - DEPOIS DE OUVIREM A LEI, SE ARREPENDEM E RENOVAM A ALIANÇA COM DEUS.

Estamos vendo o livro de Esdras-Neemias e essa é a Parte IV de nosso mapinha de leitura:
Parte IV – O REGRESSO DOS EXILADOS E A RECONSTRUÇÃO DA COMUNIDADE – 7:4 a 13:31.
B. A reconstrução da comunidade 7:73b a 13:31.
Como já dissemos, o povo de Deus não é formado apenas das construções físicas, com seus templos, suas cidades, seus comércios, seus muros, sua segurança. O povo também precisava ser restaurado, renovado, reformado, principalmente em sua aliança com Deus, de modo a constituir uma comunidade santa.
Esse aspecto do programa de restauração que vai até o final do livro de Neemias foi igualmente dividido, didaticamente, em três partes principais, conforme vimos fazendo seguindo a BEG:
1.      A renovação dos compromissos pactuais (7:73b-10.39) – estamos vendo.
2.      A dedicação do muro (11:1-12:47).
3.      A reforma do povo (13:1-31).
Vejamos então o desenrolar dessa história de Neemias.
1.      A renovação dos compromissos pactuais (7:73b-10:39) - continuação.
Fiel às orientações da lei de Moisés, Neemias dirigiu o povo na renovação da aliança, ou seja dos seus compromissos pactuais através de três passos:
a.       A leitura da lei (7:73b-8:18) – já vimos.
b.      A confissão dos pecados (9:1-37) – veremos agora.
c.       Um juramento (9:38-10:39) – iniciaremos neste capítulo.
b. A confissão dos pecados (9:1-37).
A lei tinha acabado de ser lida e bem explicada para todo o povo de Deus e agora, ciente dela, veio a forte convicção de pecado na vida do povo e sentiram a necessidade de estarem confessando os seus pecados e pedindo a misericórdia de Deus em suas vidas.
O dia era o dia 24 do mês onde todo o povo novamente se juntou, mas agora não mais para ler – como aconteceu no dia 01 – mas para confessarem os seus pecados em respostas à lei – vs 3. A lei requere pelo menos quatro atitudes: ler (conhecer), ouvir (entender), confessar (praticar) e adorar (reconhecer).
Eles reconheciam a eternidade de seu Deus, o nome de sua glória, o criador e o preservador de tudo o que existe – vs 6. O Deus eterno que tinha um nome, criou todas as coisas, as sustenta pelo seu poder e elegeu um povo para ser seu.
Nos vs 7 e 8 vemos que os louvores continuaram com a lembrança da eleição de Abraão e da aliança subsequente envolvendo a promessa divina – Gn 12:17.
A aliança com Abraão – Gn 15 – é a base sobre a qual a graça de Deus continua a ser derramada continuamente ao seu povo infiel – como bem é realçado no final do cântico.
Essas bênçãos somente poderiam ser recebidas se Abraão e os seus descendentes fossem fiéis a Deus – Gn 17:1-2, 14. Uma vez que Abraão foi fiel à aliança  - Gn 15:6 – a promessa de abençoá-lo dando aos seus descendentes a Terra Prometida foi cumprida.
Dos vs 9 ao 15 há lembranças com relação às ações de Deus que os livraram da servidão do Egito pelo braço forte do Senhor – Ex 1 a 19 - que os conduziu à Terra Prometida passando pelo deserto, onde por 40 anos, devido à teimosia do povo e às suas murmurações, foram sustentados de forma espetacular e providencial.
Foi no deserto, no Monte Sinai, que Deus se manifestou a todo povo de Deus e com eles fez nova aliança entregando-lhes a Lei de Deus, que cumprindo, todo homem viverá por eles. Na verdade, na verdade, não se trata de uma nova no sentido de vir do nada, mas daquela que tinha sido feita que agora ganhava novas nuances.
O que não aconteceu com o restante de sua descendência que não fora fiel nas gerações posteriores e assim não receberam as bênçãos prometidas – vs 16-32.
Neemias percebeu que a oportunidade de restauração que estava se formando poderia se concretizar se o povo se arrependesse dos seus pecados e cumprisse as condições da aliança – vs 32-38.
Como estamos falando de alianças, quero aqui nesse espaço (sem entrar muito em detalhes, no momento, sobre o fato de haver uma única aliança que vai ganhando novas revelações e características a medida que o tempo avança), expor, para benefício de nossos estudos, um quadro interessante e pertinente extraído da BEG, com o título AS PRINCIPAIS ALIANÇAS NA BÍBLIA[1].
Aliança
Participantes
Descrição
Ref.
Com Adão.
Estabelecida com Adão como representante da humanidade.
Adão foi criado à imagem e à semelhança de Deus; deveria povoar e sujeitar o mundo; não poderia comer do fruto do conhecimento do bem e do mal, sob o risco de ser castigado com a morte.
Gn 1:28-30; 2,15-17.
Com o Messias
Estabelecida com Cristo como o Redentor da humanidade.
O Messias viria ao mundo para resgatar a humanidade em pecado; Jesus Cristo cumpriu o plano divino e oferece a vida eterna aos eleitos.
Gn 3:15; Is 42:6.
(da graça).
Com Noé
Estabelecida com o "justo" Noé, seus descendentes e todo ser vivente sobre a terra; com toda a vida sujeita à jurisdição humana.
Promessa divina incondicional de não destruir a vida na terra com alguma catástrofe natural; o sinal dessa aliança foi o arco-íris no céu.
Gn 6:18-22; 9:8-17.
(cessão real*).
Com Abraão
Estabelecida com o "justo" Abraão e seus descendentes. A fé que Abraão tinha foi-lhe creditada como justiça.
Reiteração da promessa de dar-lhe a terra.
Gn 15:9-21.
(cessão real*).
Com Abraão
Estabelecida com Abraão.
Promessa feita a Abraão e seus descendentes, condicionada a que reconhecessem o Senhor como o seu Deus (Gn 4:9) e se consagrassem totalmente a ele. A circuncisão foi o sinal dessa aliança.
Gn 17.
(Aliança de vassalagem**).
Com Moisés
Estabelecida por meio de Moisés com o povo de Israel, como descendente de Abraão, Isaque e Jacó, e na qualidade de povo redimido da escravidão no Egito.
Promessa condicionada a que o povo de Israel reconhecesse o Senhor como o seu Deus, protetor e garantidor do seu destino. A condição era a total consagração de Israel como povo do Senhor, que vive sob a sua Lei e serve a seus propósitos na história.
Êx 19 24.
(Aliança de vassalagem**).
Com Fineias
Estabelecida com o sacerdote Fineias.
Promessa divina incondicional pela qual foi dada à família de Fineias o "sacerdócio perpétuo" (promessa implícita de prover eternamente a Israel um sacerdócio fiel).
Nm 25:10-13.
(cessão real*).
Com Davi
Estabelecida com o rei Davi depois de este ter expressado a sua devoção a Deus como rei de Israel e submeter-se como vassalo ungido pelo Senhor.
Promessa divina incondicional de estabelecer e manter a dinastia davídica no trono de Israel, de prover à nação um rei como Davi para sempre e, por meio dessa dinastia, fazer por Israel o mesmo que havia feito por meio de Davi: trazer paz à Terra Prometida.
25m 7:5-16; I Re 4:20-21; 5:3-4; SI 89; 132.
 (Cessão real*).
Nova aliança
Promessa feita ao povo rebelde de Israel, às vésperas de ser expulso da Terra Prometida.
Promessa divina incondicional feita ao povo rebelde Israel, que consistia no perdão de seus pecados e em escrever a lei divina "no coração". É uma aliança de pura graça.
Jr 31:31-34.
(Cessão real*).
Principais tipos de alianças ou tratados no antigo Oriente Médio
* Cessão real (incondicional): Cessão de terra ou de algum outro benefício que era feito a um servo fiel em troca da prestação de um serviço excepcional. A cessão era normalmente perpétua e incondicional, mas os descendentes do servo somente se beneficiariam dela se continuassem a ser leais e servissem como o pai (I Sm 8:14; 22:7; 27:6; Et 8:1).
** Aliança de soberania-vassalagem (condicional): Aliança que estabelecia o relacionamento entre um grande rei e um dos monarcas que lhe estavam sujeitos. O grande rei reclamava direitos e soberania absolutos, exigia total lealdade e serviço (o rei vassalo devia "amar" o seu soberano) e prometia a proteção do reino e da dinastia vassala, com a condição de que esta última se mantivesse fiel e leal. O vassalo proclamava a sua absoluta lealdade ao rei soberano — e condição sua disposição em servi-lo no que este pedisse — e prometia que acolheria unicamente a sua proteção. Os participantes se chamavam mutuamente "senhor" e "servo" ou "pai" e "filho" - OS 9:6,8; Ez 17:13-18; Os 12:1).
Paridade: Uma aliança entre iguais, o que os unia numa amizade mútua ou, pelo menos, numa relação de respeito mútuo em suas respectivas esferas de ação e interesses. Os participantes se chamavam entre si de "irmãos".
As promessas que eram feitas nessas alianças eram acompanhadas de maldições proclamadas de maneira oral e cerimonial. Era pedido aos deuses que servissem de testemunhas das alianças e que efetivassem as maldições prescritas, caso os votos pronunciados fossem violados.
Nos versos 16 e 17a ocorre a primeira confissão de pecados. Nos versos seguintes estão ocorrendo as comparações entre as ações pecaminosas do povo fugindo de Deus e as ações de grande misericórdia de Deus para com seu povo, por causa de sua fidelidade.
Esse cuidado contínuo de Deus que se destaca em meio à rebeldia e murmuração dos filhos de Israel não se deveu à obediência de Israel ou de alguém em especial, mas à compaixão divina proveniente de sua promessa a Abraão.
Dos vs 22 ao 28, o louvor tem prosseguimento com a lembrança de sua graça e paciência durante o período de conquistas de juízes. A retribuição à fidelidade de Deus era com rebelião e para o ciclo de rebeliões, ocorriam opressões, petições e salvação com o levantamento de juízes e libertadores do povo.
Depois também o louvor a Deus prossegue – vs 29 a 31 - com as lembranças das graças do Senhor nos tempos da monarquia.
Como todas as alianças bíblicas – veja quadro acima - , a aliança mosaica exigia lealdade da parte dos homens. Israel não fez a sua parte para merecer a vida na Terra Prometida, fato que evidencia a necessidade universal de um substituto por meio do qual os requisitos justos da lei pudessem ser cumpridos por aqueles que eram incapazes de cumpri-los por si mesmos – Rm 8:3,4.
A lei não foi posta para demonstrar ao homem que ele era incapaz de cumpri-la, mas para revelar a ele que ele era falho e que ao contemplar-se a si mesmo no espelho da alma pudesse sentir a necessidade de um salvador, alguém que se compadecesse dele e o transformasse.
O fato é que todas as alianças de Deus com os homens refletem ou expressam o amor de Deus pelo seu povo. No verso 32, a menção é à aliança com Abraão – Dt 7:7-9. E o pedido que ele faz referente à aflição que estavam sofrendo – vs 32 – é para que Deus fizesse naquele tempo o que ele tinha feito no passado, isto é, depois de ver a aflição de seu povo, prover-lhe o socorro devido.
Ele então cita que essa aflição vinha desde o tempo dos assírios, século 10, passando pelos babilônios, no final do século 7 e depois pelos reis da Pérsia, século 6 a.C.
No verso 33, a exaltação da justiça de Deus ao chamá-lo de justo, ou seja, eles reconheciam que a execução das maldições da aliança ao longo de toda a história de Israel estava de acordo plenamente com o principio da justiça divina pelo qual clamavam “Deus Justo” e eles povo que procedia perversamente.
No verso 34 e 35 uma realidade muito bem captada por quem orava e registrava tudo, provavelmente, Neemias, se há de fato culpados em tudo isso – óbvio que havia – essa culpa se devia principalmente à liderança: nossos reis, nossos príncipes, nossos sacerdotes, nossos pais – vs 34!
Vejam o que, dizia Neemias, os reis, os príncipes, os sacerdotes, os pais fizeram, inda que Deus lhes deu abundância de bens, terra espaçosa e fértil:
·         Não guardaram a lei.
·         Não deram ouvidos aos mandamentos e aos  testemunhos que testificou o Senhor contra eles.
·         Não o serviram.
·         Não se converteram de suas más obras.
No verso 36 eles se declaram servos, inclusive servos da terra que era para eles dominarem, mas que agora serviam aos reis poderosos que Deus tinha levantado contra eles, por isso também estavam experimentando grande angústia.
Ne 9:1 E, no dia vinte e quatro deste mês,
                ajuntaram-se os filhos de Israel com jejum e com sacos,
                               e traziam terra sobre si.
                Ne 9:2 E a descendência de Israel se apartou de todos os estrangeiros,
                               e puseram-se em pé, e fizeram confissão pelos seus pecados
                                               e pelas iniquidades de seus pais.
                Ne 9:3 E, levantando-se no seu lugar, leram no livro
                               da lei do SENHOR seu Deus uma quarta parte do dia;
                                               e na outra quarta parte fizeram confissão,
                                                               e adoraram ao SENHOR seu Deus.
                Ne 9:4 E Jesuá, Bani, Cadmiel, Sebanias, Buni, Serebias,
                               Bani e Quenani se puseram em pé no lugar alto dos levitas,
                                               e clamaram em alta voz ao SENHOR seu Deus.
                Ne 9:5 E os levitas, Jesuá, Cadmiel, Bani, Hasabnéias, Serebias,
                               Hodias, Sebanias e Petaías, disseram:
                Levantai-vos, bendizei ao SENHOR vosso Deus
                               de eternidade em eternidade; e bendigam
                                               o teu glorioso nome, que está exaltado
                                                               sobre toda a bênção e louvor.
                Ne 9:6 Só tu és SENHOR; tu fizeste o céu, o céu dos céus,
                               e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há,
                                               os mares e tudo quanto neles há,
                                                               e tu os guardas com vida a todos;
                                                                              e o exército dos céus te adora.
                Ne 9:7 Tu és o SENHOR, o Deus, que elegeste a Abrão,
                               e o tiraste de Ur dos caldeus, e lhe puseste por nome Abraão.
                Ne 9:8 E achaste o seu coração fiel perante ti, e fizeste com ele
                               a aliança, de que darias à sua descendência
                                               a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos
                                                               perizeus, dos jebuseus e dos girgaseus;
                                               e confirmaste as tuas palavras, porquanto és justo.
                Ne 9:9 E viste a aflição de nossos pais no Egito,
                               e ouviste o seu clamor junto ao Mar Vermelho.
                Ne 9:10 E mostraste sinais e prodígios a Faraó,
                               e a todos os seus servos, e a todo o povo da sua terra,
                                               porque soubeste que soberbamente os trataram;
                                               e assim adquiriste para ti nome, como hoje se vê.
                Ne 9:11 E o mar fendeste perante eles, e passaram pelo meio do mar,
                               em seco; e lançaste os seus perseguidores nas profundezas,
                                               como uma pedra nas águas violentas.
                Ne 9:12 E guiaste-os de dia por uma coluna de nuvem,
                               e de noite por uma coluna de fogo,
                                               para lhes iluminar o caminho por onde haviam de ir.
                Ne 9:13 E sobre o monte Sinai desceste, e dos céus falaste com eles,
                               e deste-lhes juízos retos e leis verdadeiras, estatutos
                                               e mandamentos bons.
                Ne 9:14 E o teu santo sábado lhes fizeste conhecer;
                               e preceitos, estatutos e lei lhes mandaste
                                               pelo ministério de Moisés, teu servo.
                Ne 9:15 E pão dos céus lhes deste na sua fome,
                               e água da penha lhes produziste na sua sede;
                                               e lhes disseste que entrassem para possuírem
                                                              a terra pela qual alçaste a tua mão,
                                                                              que lhes havias de dar.
                Ne 9:16 Porém eles e nossos pais se houveram soberbamente,
                               e endureceram a sua cerviz, e não deram ouvidos
                                               aos teus mandamentos.
                Ne 9:17 E recusaram ouvir-te, e não se lembraram
                               das tuas maravilhas, que lhes fizeste, e endureceram
                                               a sua cerviz e, na sua rebelião,
                                                               levantaram um capitão,
                                                               a fim de voltarem para a sua servidão;
                               porém tu, ó Deus perdoador, clemente e misericordioso,
                                               tardio em irar-te, e grande em beneficência,
                                                               tu não os desamparaste.
                Ne 9:18 Ainda mesmo quando eles fizeram para si
                               um bezerro de fundição, e disseram:
                                               Este é o teu Deus, que te tirou do Egito;
                                                               e cometeram grandes blasfêmias;
                Ne 9:19 Todavia tu, pela multidão das tuas misericórdias,
                               não os deixaste no deserto.
                                               A coluna de nuvem nunca se apartou deles de dia,
                                                               para os guiar pelo caminho,
                                               nem a coluna de fogo de noite, para lhes iluminar;
                                                               e isto pelo caminho por onde haviam de ir.
                Ne 9:20 E deste o teu bom espírito, para os ensinar;
                               e o teu maná não retiraste da sua boca;
                                               e água lhes deste na sua sede.
                Ne 9:21 De tal modo os sustentaste quarenta anos no deserto;
                               nada lhes faltou; as suas roupas não se envelheceram,
                                               e os seus pés não se incharam.
                Ne 9:22 Também lhes deste reinos e povos, e os repartiste em porções;
                               e eles possuíram a terra de Siom, a saber, a terra
                                               do rei de Hesbom, e a terra de Ogue, rei de Basã.
                Ne 9:23 E multiplicaste os seus filhos como as estrelas do céu,
                               e trouxeste-os à terra de que tinhas falado a seus pais
                                               que nela entrariam para a possuírem.
                Ne 9:24 Assim os filhos entraram e possuíram aquela terra;
                               e abateste perante eles os moradores da terra, os cananeus,
                                               e lhos entregaste na mão, como também os reis
                                                               e os povos da terra, para fazerem deles
                                                                              conforme a sua vontade.
                Ne 9:25 E tomaram cidades fortificadas e terra fértil,
                               e possuíram casas cheias de toda a fartura,
                                               cisternas cavadas, vinhas e olivais, e árvores
                                               frutíferas, em abundância; e comeram e se fartaram
                                                               e engordaram e viveram em delícias,
                                                                              pela tua grande bondade.
                Ne 9:26 Porém se obstinaram, e se rebelaram contra ti,
                               e lançaram a tua lei para trás das suas costas,
                                               e mataram os teus profetas,
                                                               que protestavam contra eles,
                                                                              para que voltassem para ti;
                                                               assim fizeram grandes abominações.
                Ne 9:27 Por isso os entregaste na mão dos seus adversários,
                               que os angustiaram; mas no tempo de sua angústia,
                                               clamando a ti, desde os céus tu ouviste;
                                                               e segundo a tua grande misericórdia
                                                               lhes deste libertadores que os libertaram
                                                                              da mão de seus adversários.
                Ne 9:28 Porém, em tendo repouso, tornavam a fazer o mal
                               diante de ti; e tu os deixavas na mão dos seus inimigos,
                                               para que dominassem sobre eles;
                               e convertendo-se eles, e clamando a ti, tu os ouviste
                                               desde os céus, e segundo a tua misericórdia
                                                              os livraste muitas vezes.
                Ne 9:29 E testificaste contra eles, para que voltassem para a tua lei;
                               porém eles se houveram soberbamente, e não deram ouvidos
                                               aos teus mandamentos, mas pecaram contra os teus
                                               juízos, pelos quais o homem que os cumprir viverá;
                                                               viraram o ombro,
                                                               endureceram a sua cerviz,
                                                               e não quiseram ouvir.
                Ne 9:30 Porém estendeste a tua benignidade sobre eles
                               por muitos anos, e testificaste contra eles pelo teu Espírito,
                                               pelo ministério dos teus profetas;
                                               porém eles não deram ouvidos;
                                                               por isso os entregaste nas mãos dos povos
                                                                              das terras.
                Ne 9:31 Mas pela tua grande misericórdia os não destruíste
                               nem desamparaste, porque és um Deus
                                               clemente e misericordioso.
                Ne 9:32 Agora, pois, nosso Deus, o grande, poderoso e terrível Deus,
                               que guardas a aliança e a beneficência, não tenhas em pouca
                                               conta toda a aflição que nos alcançou a nós,
                                               aos nossos reis, aos nossos príncipes, aos nossos
                                               sacerdotes, aos nossos profetas, aos nossos pais
                                                               e a todo o teu povo, desde os dias dos reis
                                                                              da Assíria até ao dia de hoje.
                Ne 9:33 Porém tu és justo em tudo quanto tem vindo sobre nós;
                               porque tu tens agido fielmente,
                                               e nós temos agido impiamente.
                Ne 9:34 E os nossos reis, os nossos príncipes, os nossos sacerdotes,
                               e os nossos pais não guardaram a tua lei,
                                               e não deram ouvidos aos teus mandamentos
                                                               e aos teus testemunhos,
                                                                              que testificaste contra eles.
                Ne 9:35 Porque eles nem no seu reino, nem na muita abundância
                               de bens que lhes deste, nem na terra espaçosa e fértil
                                               que puseste diante deles, te serviram,
                                                               nem se converteram de suas más obras.
                Ne 9:36 Eis que hoje somos servos;
                               e até na terra que deste a nossos pais,
                                               para comerem o seu fruto e o seu bem,
                                                               eis que somos servos nela.
                Ne 9:37 E ela multiplica os seus produtos para os reis,
                               que puseste sobre nós, por causa dos nossos pecados;
                                               e conforme a sua vontade dominam sobre os nossos
                                                               corpos e sobre o nosso gado;
                                                                              e estamos numa grande angústia.
                Ne 9:38 E, todavia fizemos
                               uma firme aliança,
                                               e o escrevemos;
                                               e selaram-no
                                                               os nossos príncipes,
                                                               os nossos levitas
                                                               e os nossos sacerdotes.
A angústia era muito forte e eles sabiam que tudo isso era por conta de seus pecados.
c. Um juramento (9:38-10:39).
O povo não apenas orou pedindo socorro, mas também ratificaram o juramento, o seu compromisso de guardar todas as estipulações da aliança.
Nota-se, no estudo da Palavra de Deus, como bem salienta a BEG, que, desde o início, as renovações pactuais se deram depois de períodos de transgressões da aliança – Ex 34; I Sm 12; II Re 23.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 264 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br




[1] Quadros temáticos da Bíblia de Estudo de Genebra – As principais alianças na Bíblia, p. 27, ref. Gn 9.
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.