sábado, 12 de julho de 2014

Jó 2:1-13 - JÓ E O SEGUNDO DIA DE TRAGÉDIAS NA SUA VIDA


Jó passou com louvor na bateria dos primeiros testes e se manteve reto e íntegro diante do Senhor apesar do que aconteceu com ele que foi extraordinariamente terrível.
Muitas dúvidas ficaram no primeiro capítulo e muitas delas terão seu prosseguimento neste segundo capítulo, principalmente as questões celestiais de filhos de Deus, de Satanás e principalmente do que fazer diante dessas circunstâncias que eu chamei de inadministráveis em nossas vidas.
Palpites e achismos todos temos, mas no que isso edifica? Melhor é confiar em Deus e crer em sua palavra do que tentar ajeitar as coisas segundo os nossos pensamentos.
O escritor nos mostra e revela acontecimentos no céu que levaram ao sofrimento de Jó na terra.
Se não fosse Satanás – cujo nome significa acusador – teríamos, por ventura, alguma mudança na situação da vida de Jó? Satanás não é o promotor público do Senhor, como se suporia, mas aquele que se opõe à vontade de Deus, em consonância com seu papel em Gn 3. Satanás, como no verso 9, do capítulo anterior, continua a questionar os motivos religiosos de Jó.
Jó, na terra, de nada sabia, nem Deus enviou anjos para esclarecer, nem lhe deu conhecimentos superiores para ele se conformar. Com certeza, seu coração tinha muitos “porquês”, uma vez que era reto e íntegro diante de Deus, dos homens e de sua consciência.
Isso é um exemplo para nós em nossas vidas e de como a recebemos e reagimos diante não somente das tragédias, mas das alegrias e conquistas também.
O fato é que estamos sujeitos às circunstâncias inadministráveis da vida, tanto boas quanto desagradáveis e temos de reagir diante delas, dando glórias a Deus, em todo o tempo!
Jó 2:1 dia que era agora outro dia. Aquele primeiro tinha passado e o final era trágico. Num só dia perdeu Jó tudo o que tinha, inclusive seus filhos e filhas. Estava ele sem bens, sem servos, sem trabalho, sem dinheiro, sem os seus filhos, somente tinha ficado com ele sua esposa.
Em um só dia a ruína deste home fora muito grande, um choque. Pense você dormir rico e amanhecer pobre, sem ter onde cair morto.
Foi assim também na vida de Jesus Cristo, pois foi em um só dia que da glória com seus discípulo, enfrentou a traição, o abandono de seus discípulos, a prisão injusta, as calúnias e agressões, acusações falsas, torturas, prisão, cadeias, insultos dos homens, julgamento injusto, condenação, crucificação, mais sofrimentos e morte! Isso tudo em menos de 24 horas, sendo que antes disso ele estava bem e ceava com seus discípulos.
Quantos sonhos não havia na mente daqueles discípulos que o seguiam já há três anos e meio. Assim repentinamente, sem mais nem menos, tudo lhes é tirado, como aqui com Jó. De repente a ruína total.
No caso de Jó ainda tinha algo para acontecer, mas não era de paz nem de alívio, mas de mais sofrimento.
Novamente no céu o cenário que iria afetar a vida do jovem terráqueo Jó na terra.
Estamos agora diante da segunda onda de acusações do acusador contra o reto e íntegro Jó. Ele se apresenta nos céus como da primeira vez.
Primeiramente Deus pergunta a ele donde vinha e ele responde que estava por ai rodeando a terra. Então Deus lembra como Jó fora vitorioso na prova que ele passara e novamente Deus dá testemunho dele dizendo que na terra ninguém havia como ele reto, íntegro e que se desviava do mal em todos os seus caminhos, ainda que tivesse Satanás o incitado contra ele.
Satanás ainda aposta nele mesmo contra Deus e afirma que sua fé é vã e interessada por causa das suas bênçãos na vida dele. Satanás pede para Deus maior arrocho e quer tocar em sua saúde para ver como Jó iria blasfemar de Deus.
Deus lhe dá autorização para tocar em tudo, mas poupar-lhe a vida. Então Jó é acometido de tumores malignos que se espalham desde o alto de sua cabeça até a sola de seus pés e grande é o sofrimento de Jó com mais essa situação que ele não pediu para viver, mas que estava agora convidado a passar por ela.
Uma lição já podemos tirar de tudo isso. Satanás nada pode contra nós que não seja do domínio, do conhecimento e do controle de nosso Deus.
Jó foi ferido cruelmente e sofria muito tendo de recorrer a cacos de telha para se coçar e sua mulher que até então sofria com ele calada se manifesta pedindo a Jó que amaldiçoasse a Deus e morresse, mas Jó permaneceu firme e disse a sua mulher algo tremendo:
- falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?
Que percepção aguçada e que fé avivada demonstrou Jó na soberania de Deus. Serenidade, coragem e sabedoria estavam presentes na vida deles por causa do Espírito Santo que nele habitava e por ele falava.
Jó, definitivamente passou em mais este tão difícil teste agora apimentado pela sua mulher que vacilando se deixou ser usada por Satanás para o afligir ainda mais.
Apesar disso, certamente Jó ainda orou por ela e ela vai permanecer fiel a ele sem o abandonar até o resto de sua vida e ainda lhe dará muitos filhos e alegrias.
Não há como não vermos que a mulher de Jó teve um papel muito importante e interessante na sua história e na sua vitória, mesmo tendo momentos de vacilo como fora aquelas palavras irrefletidas ditas a Jó por causa de seu grande sofrimento.
Ela permanecerá até o fim ao seu lado e com ele experimentará o melhor de Deus que estava por vir, no final da provação de Jó. Em Jó nos podemos misturar o AR (fôlego de vida, símbolo do Espirito Santo, combustível para nosso sangue, elemento indispensável a vida, bênção de Deus) com a PROVA e formar a palavra APROVAR. Eu creio que a prova existe para Deus nos aprovar! Isso se permanecermos fiéis e íntegros como Jó era diante de Deus, dos homens e de sua consciência.
Jó 2:1 E, vindo outro dia,
                em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR,
                               veio também Satanás entre eles,
                                               apresentar-se perante o SENHOR.
                Jó 2:2 Então o SENHOR disse a Satanás:
                               Donde vens?
                E respondeu Satanás ao SENHOR, e disse:
                               De rodear a terra, e passear por ela.
                Jó 2:3 E disse o SENHOR a Satanás:
                               Observaste o meu servo Jó?
                                               Porque ninguém há na terra semelhante a ele,
                                                               homem íntegro e reto,
                                                               temente a Deus e que se desvia do mal,
                                                               e que ainda retém a sua sinceridade,
                                               havendo-me tu incitado contra ele,
                                                              para o consumir sem causa.
                Jó 2:4 Então Satanás respondeu ao SENHOR, e disse:
                               Pele por pele, e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida.
                               Jó 2:5 Porém estende a tua mão, e toca-lhe nos ossos,
                               e na carne, e verás se não blasfema contra ti na tua face!
                Jó 2:6 E disse o SENHOR a Satanás:
                               Eis que ele está na tua mão; porém guarda a sua vida.
                Jó 2:7 Então saiu Satanás da presença do SENHOR,
                               e feriu a Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até ao
                                               alto da cabeça.
                Jó 2:8 E Jó tomou um caco para se raspar com ele;
                               e estava assentado no meio da cinza.
                Jó 2:9 Então sua mulher lhe disse:
                               Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre.
                Jó 2:10 Porém ele lhe disse:
                               Como fala qualquer doida, falas tu;
                               receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal?
                                               Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.
                Jó 2:11 Ouvindo, pois, três amigos de Jó todo este mal que tinha vindo
                               sobre ele, vieram cada um do seu lugar:
                                               Elifaz o temanita, e Bildade o suíta,
                                                               e Zofar o naamatita; e combinaram
                                                               condoer-se dele, para o consolarem.
                Jó 2:12 E, levantando de longe os seus olhos, não o conheceram;
                               e levantaram a sua voz e choraram,
                               e rasgaram cada um o seu manto,
                               e sobre as suas cabeças lançaram pó ao ar.
                Jó 2:13 E assentaram-se com ele na terra, sete dias e sete noites;
                               e nenhum lhe dizia palavra alguma,
                                               porque viam que a dor era muito grande.
Alguns amigos de Jó vendo sua situação se sentam ao seu lado por sete longos dias e ninguém ousa abrir a boca para nada. Assim, também nós diante de coisas difíceis nas vidas de pessoas amadas devemos estar ao seu lado e somente isso já ajuda a aliviar.
Ás vezes o muito falar ou tentar explicar ou querer defender Deus ou acusar o diabo nada ajudará com o que sofre. Melhor é estar ao seu lado e ali ficar demonstrando que a dor dele também é sentida por você.
O verdadeiro amigo se senta ao seu lado na sua maior dor somente para você não ficar ali sozinho sofrendo.
Nesse livro, muito se fala de Satanás, mas quem é este ser que Jesus na oração do Pai Nosso nos manda estarmos atentos contra ele e não somente nessa oração como em muitos momentos nas Escrituras?
Eu li e gostei de uma reflexão encontrada na BEG, nos Artigos Teológicos, na página 652, referente ao texto Bíblico de Jó 1:1, abaixo copiado:
Satanás: É culpa do diabo?
Quando cremos em Deus e na sua Palavra, também somos levados a crer que Satanás é real. Como o restante dos anjos caídos, seu líder, Satanás, aparece claramente apenas no Novo Testamento. Seu nome hebraico significa "adversário" (oponente de Deus e do seu povo) com o sentido de um acusador legal no tribunal celestial, e é nessa condição que o Antigo Testamento o apresenta (1Cr 21.1; Jó 1-2; Zc 3.1-2).
Convém observar, porém, que Satanás não cumpre um papel legítimo no tribunal celestial — ele é um intruso que faz acusações falsas. Em Jó, Satanás entra no tribunal celestial para "apresentar-se" (Jó 2.1, cf. 1.6), e não para servir; em Zc 3.2, o Senhor repreende Satanás por suas acusações falsas; em 1Cr 21.1, Satanás se opõe ao povo escolhido de Deus e incita o seu rei a pecar.
O Novo Testamento usa títulos reveladores para Satanás: diabo (diabolos) significa "alguém que faz acusações falsas" ou "adversário" (isto é, do povo de Deus; Ap 12.9-10); Apoliom (Ap 9.11) significa "destruidor"; tentador (Mt 4.3; 1Ts 3.5) e maligno (1Jo 5.18-19) são designações óbvias; e "príncipe deste mundo" e "deus deste século" mostram Satanás presidindo sobre os estilos de vida pecaminosos da humanidade (Jo 12.31; 14.30; 16.11 — "príncipe deste / do mundo"; 2Co 4.4 — "deus deste século"; cf. Ef 2.2 "príncipe da potestade do ar").
Jesus afirmou que Satanás sempre foi um assassino e que ele é o pai da mentira Satanás foi o primeiro mentiroso e, desde então é o fomentador de toda falsidade e engano no mundo (Jo 8.44). Por fim, ele é identificado como a serpente que enganou Eva no Eden (Ap 12.9; 20.2). É descrito como um ser repleto de malícia, fúria e crueldade inimagináveis dirigidas contra Deus, contra a verdade de Deus e contra aqueles aos quais Deus estendeu o seu amor salvador.
A descrição detalhada da rebelião de Satanás no céu e sua queda conhecida pela maioria dos cristãos de hoje é resultante mais do imaginário literário do que das Escrituras. Paulo indica que Satanás caiu em decorrência do seu orgulho (1 Tm 3.6), mas não desenvolve essa ideia. A "estrela da alva", expressão por vezes traduzida como "Lúcifer" (cf. 2Pe 1.19) em Is 14.12, é identificada explicitamente com "o rei da Babilônia" (Is 14.4, veja a sua nota; cf. a descrição semelhante do rei de Tiro em Ez 28).
Embora seja concebível que Is 14.12 considere Satanás o "príncipe" do império babilônico (veja as notas sobre Dn 10.13,20) ou se refira a uma tradição mais antiga sobre a queda primeva de Satanás, estas são apenas ideias especulativas que não são corroboradas pela Bíblia nem confirmadas por fontes esternas. Em última análise, a Palavra de Deus revela poucos detalhes sobre as origens de Satanás.
Apesar de não sabermos muito sobre Satanás, as Escrituras nos dizem que devemos  ficar atentos para suas estratégias e lembrar que estamos lutando contra ele contra ele (2Co 2.11; Ef. 6.16). Sabemos que Satanás é dissimulado e astuto, podendo transformar-se num anjo de luz e fazer o mal parecer o bem ( 2 Co 11.14).
Sua ferocidade destruidora pode ser vista nos textos que o descrevem como um leão que ruge (1 Pe 5.8) e como um grande dragão (Ap 12.9). Assim como se mostrou inimigo declarado de Cristo (Mt 4.1-11; 16.23; Lc 4.13; Jo 14.30; cf. Lc 22.3,53), continua sendo adversário do cristão, sempre procurando fraquezas, distorcendo virtudes e solapando a fé, a esperança e o caráter (Lc 22.31,32; 2Co 2.11; 11.3-15; Ef 6.16).
Ele deve ser levado a sério, pois a sua malícia e astúcia o tornam um inimigo terrível.
No entanto, os cristãos não precisam ter medo de Satanás. Ainda que, por ora, seja uma criatura superior aos seres humanos, ele não é divino; possui grande conhecimento e poder, mas não é onisciente, onipotente, nem onipresente.
Pode ser vencido — aliás, Cristo já o derrotou definitivamente. Ao iniciar o reino de Deus no seu ministério terreno, Jesus confrontou Satanás diretamente. Não apenas resistiu às tentações de Satanás (Mt 4.1-11; Lc 4.1-13), como também deu aos seus discípulos o poder de expulsar demônios (Lc 9.1; veja o artigo teológico "Demônios", em 1Co 10), e afirmou ter visto "Satanás caindo do céu como um relâmpago" (Lc 10.18).
Com a vida, morte e ressurreição de Jesus Satanás, o "valente", foi amarrado (Mt 12.25-29) e se tornou relativamente impotente (Hb 2.14). Em outros tempos, reinou sobre as nações gentias (Mt 4.8-9), mas não tem mais poder de "[enganar' as nações" (Ap 20.1-3).
Em decorrência disso, à medida que o reino de Deus prossegue na história da igreja, o evangelho avança pelo mundo com grande sucesso.

Os cristãos também podem triunfar sobre Satanás em sua vida pessoal se resistirem a ele com os recursos que Cristo oferece (Ef 6.10-18; Tg 4.7; 1Pe 5.8-10): "maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo" (1Jo 4.4). No entanto, quando Jesus voltar, trará consigo a consumação do reino e, nessa ocasião, Satanás e o seu exército serão lançados para sempre no lago de fogo (Ap 20.10). Sua condenação é certa.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 388 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.