segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Faltam 816 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: As Tempestades da Vida – Lc 8:22-26.
Eu havia dito ontem que eu estava no meio de uma tempestade de fortes ventos cujas ondas estavam me assustando, que Jesus estava  dormindo tranqüilo no barco da minha vida e que era preciso despertá-lo, pois não estava agüentando mais.
 
22. E aconteceu que, num daqueles dias, entrou num barco com seus discípulos, e disse-lhes: Passemos para o outro lado do lago. E partiram.
23. E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e enchiam-se de água, estando em perigo.
24. E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, perecemos. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança.
25. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?
26. E navegaram para a terra dos gadarenos, que está defronte da Galiléia.” (Lc 8:22-26).
 
De fato, a tempestade deu uma trégua, mas os céus continuam naquela negridão de assustar. Aproveito então a oportunidade dessa reflexão para meditar em Lucas que narra o evento da tempestade que enfrentaram os discípulos. vejamos que lições poderemos tirar de tudo isso.
 
Antes porém, em primeiro lugar, gostaria de compartilhar com quem está lendo ou vir a ler (será que alguém lê?) que o Senhor tem me pedido para eu confiar nele de todo o meu CAFÉ (Coração, Alma, Forças e Entendimento).
 
  • eu preciso prová-lo para aprová-lo;
  • apertá-lo para extrair o óleo que servirá para a cura de muitos;
  • esmagá-lo para conhecer os seus pensamentos (cabe aqui uma explicação, não é o Senhor que precisa conhecer os nossos pensamentos, mas nós mesmos. Quando somos provados brotam coisas – monstros – que estão em nosso interior que precisam ser expostos para que a cura brote);
  • expô-lo ao mais alto topo como ao mais profundo abismo.
 
Se eu não confiar em Deus e me desesperar e o abandonar, como poderá haver cura que gerará curas? Como poderá haver livramentos que redundarão em conselhos e pregações? Reclamamos e murmuramos quando estamos enfrentando a fornalha, mas nem falamos nada quando estamos na glória.
 
Tanto embaixo como lá em cima, tanto no profundo vale, como no alto da montanha, os perigos são iguais. Ao estarmos no topo, o perigo da queda é real e quanto maior a altura, maior a queda. Eu vejo as pessoas pedindo ajuda e se desesperando porque a prova está difícil e a dor insuportável. No entanto, não vejo as pessoas pedirem socorro por estarem no topo da fama, da glória, do sucesso. Eu creio que deveríamos estarmos mais preocupados com a glória do que com o fogo.
 
Ele não tem somente pedido a mim para confiar nele, mas também, e principalmente, a minha esposa. Meu bem, confie piamente no Senhor e não abandonemos esse barco, pois logo, logo, o Senhor dará ordens e estaremos em bonança. Será que ele não está esperando que usemos a nossa fé?
 
Em segundo lugar, ...ficará para amanhã a continuação desta mensagem. Estarei em SP!
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.