Vamos conhecer o Caminho do Senhor?

Saiba que "O caminho do SENHOR é fortaleza para os íntegros, mas ruína aos que praticam a iniqüidade." (Pv 10:29). Saiba também que aqui no 'JAMAIS DESISTA do Caminho do Senhor' você encontrará, todos os dias uma mensagem baseada na Bíblia que representa o pensamento do autor na sua contínua busca das coisas pertencentes ao reino de Deus e a sua justiça.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Faltam 816 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: As Tempestades da Vida – Lc 8:22-26.
Eu havia dito ontem que eu estava no meio de uma tempestade de fortes ventos cujas ondas estavam me assustando, que Jesus estava  dormindo tranqüilo no barco da minha vida e que era preciso despertá-lo, pois não estava agüentando mais.
 
22. E aconteceu que, num daqueles dias, entrou num barco com seus discípulos, e disse-lhes: Passemos para o outro lado do lago. E partiram.
23. E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e enchiam-se de água, estando em perigo.
24. E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, perecemos. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança.
25. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?
26. E navegaram para a terra dos gadarenos, que está defronte da Galiléia.” (Lc 8:22-26).
 
De fato, a tempestade deu uma trégua, mas os céus continuam naquela negridão de assustar. Aproveito então a oportunidade dessa reflexão para meditar em Lucas que narra o evento da tempestade que enfrentaram os discípulos. vejamos que lições poderemos tirar de tudo isso.
 
Antes porém, em primeiro lugar, gostaria de compartilhar com quem está lendo ou vir a ler (será que alguém lê?) que o Senhor tem me pedido para eu confiar nele de todo o meu CAFÉ (Coração, Alma, Forças e Entendimento).
 
  • eu preciso prová-lo para aprová-lo;
  • apertá-lo para extrair o óleo que servirá para a cura de muitos;
  • esmagá-lo para conhecer os seus pensamentos (cabe aqui uma explicação, não é o Senhor que precisa conhecer os nossos pensamentos, mas nós mesmos. Quando somos provados brotam coisas – monstros – que estão em nosso interior que precisam ser expostos para que a cura brote);
  • expô-lo ao mais alto topo como ao mais profundo abismo.
 
Se eu não confiar em Deus e me desesperar e o abandonar, como poderá haver cura que gerará curas? Como poderá haver livramentos que redundarão em conselhos e pregações? Reclamamos e murmuramos quando estamos enfrentando a fornalha, mas nem falamos nada quando estamos na glória.
 
Tanto embaixo como lá em cima, tanto no profundo vale, como no alto da montanha, os perigos são iguais. Ao estarmos no topo, o perigo da queda é real e quanto maior a altura, maior a queda. Eu vejo as pessoas pedindo ajuda e se desesperando porque a prova está difícil e a dor insuportável. No entanto, não vejo as pessoas pedirem socorro por estarem no topo da fama, da glória, do sucesso. Eu creio que deveríamos estarmos mais preocupados com a glória do que com o fogo.
 
Ele não tem somente pedido a mim para confiar nele, mas também, e principalmente, a minha esposa. Meu bem, confie piamente no Senhor e não abandonemos esse barco, pois logo, logo, o Senhor dará ordens e estaremos em bonança. Será que ele não está esperando que usemos a nossa fé?
 
Em segundo lugar, ...ficará para amanhã a continuação desta mensagem. Estarei em SP!
 
A Deus toda a glória!
 

domingo, 30 de janeiro de 2011

Faltam 817 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 8 – Jo 21:1-15.


Estou no meio de uma tempestade de fortes ventos e as ondas estão me assustando. Jesus dorme tranquilo no barco da minha vida. Preciso despertá-lo, pois não estou aguentando mais.

 

Continuação....

 

12.   Disse-lhes Jesus:

Vinde,

comei.

Nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe:

Quem és tu?

Porque sabiam que era o Senhor.

 

Jesus ali os alimentavam com pão e peixes um que ele providenciou e outro que ele também providenciou pelas mãos de seus discípulos. É o amor de Deus, do Senhor, que se preocupava com seus discípulos mesmo quando iam pescar.

 

Ninguém perguntava quem era ele, pois o reconheceram.

 

 

13.   Veio Jesus,

tomou o pão,

e lhes deu,

e, de igual modo, o peixe.

 

14.   E já era esta

a terceira vez que Jesus se manifestava aos discípulos,

depois de ressuscitado dentre os mortos.

 

Jesus então toma seu pão que ele produzira nas brasas e de igual modo o peixe e com eles fizeram uma saborosa refieção em família.

 

 

 

Esta foi a terceira vez que ele aparecera aos seus discípulos. O que aprendemos dessa terceira aparição de Jesus?

 

  • Que na verdade, se analisarmos bem, os peixes, de fato, são os discípulos que Jesus pescou e agora ele estava a ensinar eles a pescarem grandes peixes.
  • Que talvez isso signifique uma antevisão da festa de pentecoste que ocorreria no 50º dia depois da ressurreição de Cristo onde haveria uma grande pescaria, comandada por Pedro que num só dia ganhou mais de 3000 almas.
  • Que Jesus mesmo se identifica como Alfa (letra que simboliza um peixe na língua grega) - Apocalipse 1:8; 21:6; 22:13.
  • Que mesmo sendo uma pescaria milagrosa, os discípulos precisaram fazer a parte deles: entrar no barco, lançar a rede, puxar a rede, se unirem...
  • Que, enquanto sós, nada apanharam; quando obedeceram a voz do Cristo, encheram a rede.
  • Que o número de peixes representava uma pescaria completa
  • Que o profeta Ezequiel fala em EZ 47:10: "Os pescadores estarão junto dele; desde En-Gedi até En-Eglaim, haverá lugar para estender as redes; o seu peixe será, segundo a sua espécie, como o peixe do Mar Grande, em multidão excessiva."
  • Que nossa rede não irá se romper (lembrar da túnica sem costura de Jo 19:23), isto é, que a unidade da igreja não seria rasgada, ainda que com a inclusão dos gentios.
  • Que quando pescamos, levamos o peixe da vida para a morte, mas enquanto pescamos homens o levamos da morte para a vida (Mc 1:17).
  • Que o Senhor está nos chamando para sermos pescadores de homens: "E Eu farei que vos torneis pescadores de homens". (Mt 4:19).
  • Que o Senhor cuida de nós e está atento ao que fazemos, ainda que seja uma simples pescaria. Ele nos ajuda e ainda nos dá de seu pão e de seu peixe.
A Deus toda a glória!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Faltam 818 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10). Feliz Aniversário, meu Bem!

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 7 – Jo 21:1-15.


Pequena pausa para homenagear alguém muito especial...

 

Amanhã, prosseguiremos com nossa série. Meu amor é a pessoa mais importante de meu ministério pastoral. Se, em primeiro lugar, eu não souber cuidar dos meus, principalmente de minha família, do que me serve ser algo no ministério?

 

Rainha do lar, da minha vida, fonte de minha inspiração. Mulher sábia, prudente, cheia do Espírito Santo e zelosa de seus filhos, de sua casa, de sua vida. Minha mulher é uma mulher admirável!

 

Atribuo a Deus a esposa que tenho, pois está escrito que a esposa prudente vem do Senhor: "A casa e os bens são herança dos pais; porém do SENHOR vem a esposa prudente." (Provérbios 19:14). Sim, a minha esposa veio do Senhor como um grande presente.

 

Bela e de olhar penetrante, fisgou meu coração e não somente meu coração, mas minha mente pois Deus a corou de inteligência e competência.

 

Eu te admiro minha amada esposa! Continue firme a sua jornada nesta vida, sem vacilar, nem olhar para trás, pois o que te prometeu vitórias é fiel e tem te fortalecido e ainda te fortalecerá mais ainda. 

 

Neste dia especial de seu aniversário de xyanos, ou em dias, 15.340 dias, receba meus parabéns e meus votos de feliz aniversário. Que esta data se repita eternamente! E não é que o dom de Deus para nós é a vida eterna?

 

Seja hoje o dia mais feliz de sua vida! Surpreenda-te o Altíssimo te concedendo muito mais além do que nossos simples presentes. A palavra de Deus é clara ao dizer que aqueles que se aproximam de Deus devem, em primeiro lugar, crerem que ele – Deus – existe e, em segundo lugar, que é galardoador – presenteador – dos que o buscam. (Hb 11:6).

 

Juci, teus filhos, nossos tesouros, são o resultado e a expressão do nosso amor mais profundo. O teu carinho e paciência em ler a Bíblia, capítulo por capítulo, com a Bebel é algo celestial e você não irá ficar sem a sua recompensa. Mas não é só a Bebel que recebe a tua atenção, mas também nossos príncipes que te têm em mais alta estima.

 

Um dia, no futuro, você irá colher tudo o que semeou no jardim de suas vidas e eu me orgulho com você, por isso Deus irá abrir muitas portas para você que você ainda nem sonha. Não foi surpresa você ter seu nome como uma das autoras naquele livro acadêmico de psicologia?

 

Confie em Deus. Este é o meu recado simples e pastoral para você. Não perca a sua confiança em Deus que o seu galardão será muito grande. Ao passarmos por tempestades, não se esqueça de que Jesus está dormindo no seu barco. Acorde-o e ele irá repreender os ventos e a fúria dos mares e tudo se fará bonança.

 

Insisto com você, com veemência: CONFIE PIAMENTE EM TEU DEUS. O que ele sempre pediu a mim, ele também te pede a ti:  a tua confiança. Como o Senhor poderá nos levar às alturas e tratar de grandes problemas e na solução de casos difíceis se não confiarmos plenamente nele? Duvide de tudo, mas jamais de teu Senhor. "Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja." (Ef 5:32). Parabéns Juci!

 

A Deus toda a glória!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Encontro de Casais da Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga a bordo do VISION - Cruzeiro Marítimo em dezembro de 2011

Eu não resisti... Estou postando este material porque acho este evento imperdível e uma excelente oportunidade de você curtir o seu cônjuge e ainda receber uma boa palavra de Deus. Eu também coloquei o vídeo no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=5wOrK5tjkIc  (achei o anexo de 16 MB muito grande para ir por email). Também o colocarei em meu scribd, no jamaisdesista e no Grupo Familiar Arca da Aliança, onde você poderá fazer dowload, se quiser. Deus te abençoe. Nos encontraremos lá! Acessem: http://www.jamaisdesista.com.br, http://www.scribd.com/crerparaver, http://grupofamiliararcadaalianca.blogspot.com.
Do Pr. Sabino:
Gostaria muito que você vivesse esse sonho convosco. Neste valor (12 x R$ 180,00, por casal – 3 dias e 3 noites) está incluso (ônibus, ida e volta, taxas portuárias, refeição completa no navio, palestras para casais). A inscrição devera ser realizada entre os dias 07-02 a 27-02-11, em apenas 20 dias. O pagamento será através de boleto. Mande esse vídeo para o maior numero de casais amigo que você conhece. No primeiro domingo do mês de Fevereiro haverá uma equipe fazendo as inscrições na Primerona. se você tiver qualquer duvida me ligue +556184855370. Deus te abençoe. Pr. Sabino e Leila
A Força de Vontade sempre dá um jeito. A Falta de Vontade sempre dá desculpas.” – de sempre um jeito e não desculpas! (D.D.).

Faltam 819 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 6 – Jo 21:1-15.
Um pequeno parêntesis:
SER PASTOR É A ARTE DE ENGOLIR SAPOS E VOMITAR DIAMANTES. SER PASTOR É ESTAR DISPOSTO A INVESTIR A VIDA NA VIDA DOS OUTROS SEM RECEBER O DEVIDO RECONHECIMENTO. SER PASTOR É AMAR SEM ESPERAR A RECOMPENSA, É DAR SEM ESPERAR RECEBER DE VOLTA. SER PASTOR É SABER QUE O NOSSO GALARDÃO NÃO NOS É DADO AQUI, MAS NO CÉU.” (Hernandes Dias Lopes – do livro De Pastor a Pastor, pg. 27. Ed. Hagnos).
 
Continuação...
Será que não haviam peixes no mar de Tiberíades?
 
Em todos os mares há peixe! Poderemos pescarmos em todos os mares, mas não conseguiremos êxito em pescar se não termos a direção do Senhor.
 
Jesus assava um peixe e pães
 
9.      Ao saltarem em terra,
viram ali umas brasas
e, em cima,
peixes;
e havia também pão.
 
10.     Disse-lhes Jesus:
Trazei alguns dos peixes que acabastes de apanhar.
 
Jesus estava esperando eles na praia com um peixe e pão, assados em pedras, na brasa. O cozinheiro era Jesus. Imaginem comer a refeição preparada pelas mãos do Criador? Pão e peixe (aliança de multiplicação e prosperidade).
 
Quando o Senhor os orientou a jogar a rede do lado direito do barco, ele estava dizendo que conhece os mares e que com a sua palavra e seguindo suas orientações, a nossa pesca pode ser muito maravilhosa.
 
Que tal, então, lançarem a rede à direita do barco? Ora, a noite toda pescando e agora mais essa. Quem é este quem fala isso? Ele é o Criador de todas as coisas!
 
Surpresa! Ao lançarem a rede são tantos os peixes que a rede está para arrebentar... eram 153 peixes! Muitos teólogos procuraram saber porque eram 153.
 
11.     Simão Pedro entrou no barco
e arrastou a rede para a terra,
cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes;
e, não obstante serem tantos,
a rede não se rompeu.
 
Dizem que a quantidade de espécies de peixes encontrados ali era de 153 tipos ou espécies de peixes. Isso nos faz refletir que, da mesma forma, todas os tipos e espécies de homens (ateus, crentes, religiosos, espiritualistas, pobres, ricos, etc...) podem ser alcançados numa pesca maravilhosa quando Deus nos ajuda e nos orienta.
 
Para quem gosta de cálculos: se somarmos os 153 peixes que pescaram por orientação do Senhor mais o peixe que estava assando, dava 154 peixes. Como eles eram 7, teremos para cada um dos discípulos ali presentes 22 peixes. No hebraico há 22 letras que representam o alfabeto. Muitos salmos são acrósticos se iniciando com cada uma das letras desse alfabeto.
 
A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Faltam 820 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 5 – Jo 21:1-15.
Ontem, tive o privilégio de pregar a palavra de Deus na Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga – PIPT, carinhosamente conhecida como “Primeirona”. O tema de nossa meditação foi COMO ENTRAR NA PRESENÇA DE DEUS, baseado em Hb 10:19-25.
 
No meu SCRIBD eu a postei como FALE COM DEUS: http://www.scribd.com/doc/35971633/Pregacao-Fale-com-Deus. Já está com 389 reads (leituras) e foi postado em 16/08/2010. Eu somente mudei o tema e acrescentei alguns detalhes que a tornaram mais didática.
 
O resumo da nova versão poderia ser: Entramos na presença de Deus tendo ousadia, atitude e confiança mediante o sangue de Jesus, o seu sacerdócio perfeito, a sua fidelidade, para acharmos misericórdia e graça para socorro em ocasião oportuna. Confira também o texto de Hb 4:16.
 
Amanhã, sexta-feira, teremos reunião do Conselho Ministerial de Intercessão, no Salão de Oração da PIPT. Na oportunidade, teremos palavra, oração, louvor, ministração e reunião para definição de nossas rotinas de trabalhos de intercessão. Querendo e podendo, venha orar conosco. Deus irá falar contigo de uma forma sem igual.
 
Continuação...
4.      Mas, ao clarear da madrugada,
estava Jesus na praia;
todavia, os discípulos não reconheceram que era ele.
 
Jesus estava na praia.
 
Quando já clareava, alguém estava na praia. Os discípulos notaram sua presença, mas não o reconheceram. Quantas não são as vezes que o Senhor está perto de nós e não o reconhecemos? Ele sabia do fracasso daquela empreitada de pescaria.
 
Os discípulos deviam estar cansados de tanto pescarem e nada apanharem. Quem seria aquele homem na praia e o que ele estava fazendo? Parecia com brasas, peixe e pão...
 
 
5.      Perguntou-lhes Jesus:
Filhos, tendes aí alguma coisa de comer?
Responderam-lhe: Não.
 
6.      Então, lhes disse:
Lançai a rede à direita do barco e achareis.
Assim fizeram
e já não podiam puxar a rede, tão grande era a quantidade de peixes.
 
Jesus se aproxima e lhes pede algo para comer.
 
Filhos, tendes ai alguma coisa para comer? A resposta é bem curta, talvez com admiração: Não!
 
Ele então lhes dá uma palavra: lançai a rede à direita do barco e achareis. Ora, como sabia este que estava na praia que no lado direito do barco havia peixes?
 
É o próprio Senhor quem pede algo para comer, mas é também o próprio Senhor que provê o que comer. Era como se ele estivesse dizendo: sem mim nada podeis fazer... não adianta queremos fazer as coisas de nosso modo agora que somos do Senhor. Nem uma simples pescaria dá certo quando fazemos por nós mesmos.
 
Ao lhes pedir algo para comer esperava-se que haveria algo para ser compartilhado, mas não havia.
 
Sete homens saem para pescar a noite toda e nada apanham e ainda de manhã, de madrugada, ainda o sol por aparecer, vem alguém pedindo algo para comer e a resposta não era alegre e o resultado de que os esforços valeram a pena. Não havia nada de comer.
 
7.      Aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro:
É o Senhor!
Simão Pedro, ouvindo que era o Senhor,
cingiu-se com sua veste, porque se havia despido,
e lançou-se ao mar;
8.      mas os outros discípulos vieram no barquinho puxando a rede com os peixes;
porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados.
 
João reconhece o Senhor e avisa Pedro. Este cingi-se e lança-se no mar, porque estava despido. Os outros saem puxando a rede. Todos estão envolvidos na grande pesca e todos reconhecem que ela ocorreu por causa do Senhor. 
 
Na presença do Senhor, nos ensina Pedro, devemos estarmos cingidos e preparados para o trabalho. Vigiemos, pois, para não sermos encontrados despidos e, portanto, despreparados para a hora e o dia que o Senhor escolher.
       
Havia trabalho de equipe e juntos puxavam a rede com os peixes. Os peixes estavam sendo retirados das águas, da vida para a morte. Já os homens são pescados da morte para a vida.
 
A Deus toda a glória!
 

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Faltam 821 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 4 – Jo 21:1-15.
Continuação...
1.      Depois disto,
tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos
junto do mar de Tiberíades;
e foi assim que ele se manifestou:
 
2.      estavam juntos
Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo,
Natanael, que era de Caná da Galiléia,
os filhos de Zebedeu
e mais dois dos seus discípulos.
3.      Disse-lhes Simão Pedro:
Vou pescar.
Disseram-lhe os outros:
Também nós vamos contigo.
 
Saíram, e entraram no barco, e, naquela noite, nada apanharam.
 
7 discípulos estavam pescando no mar de Tiberíades.
 
O Mar da Galileia, também dito Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré (em língua hebraica: ים כנרת, Kinneret) é um extenso lago  de água doce, o maior de Israel, com comprimento máximo de cerca de 19 km e largura máxima de cerca de 13 km. Na moderna língua hebraica é conhecido por Loudspeaker.svg? Yam Kinneret. Desagua nele o rio Jordão, que vem do monte Hérmon e de Cesareia de Filipe, e que depois segue para o Mar Morto.
 
O Mar da Galileia fica a 213 metros abaixo do nível do Mar Mediterrâneo. Nos tempos do Novo Testamento, ficavam nas suas costas a cidade de Tiberíades — fundada por Herodes Antipas ao tempo da infância de Jesus —, Cafarnaum, Betsaida e Genesaré, entre outras.
 
A nordeste do Mar da Galileia ficam os montes Golã.
 
Grande parte do ministério de Jesus Cristo decorreu nas margens do lago de Genesaré. Naqueles tempos, havia uma faixa de povoamentos à volta do lago e muito comércio e transporte por barco. No entanto, sabe-se que a Galileia era uma região mais pobre do que a Judeia, de modo que a população do local atravessava momentos difíceis durante o primeiro século da era comum.
 
Paisagem do Mar da Galileia. O evangelho segundo Marcos (1:14-20) e o evangelho segundo Mateus (4:18-22) descrevem como Jesus recrutou quatro dos seus apóstolos nas margens do lago de Genesaré: o pescador Pedro e seu irmão André, e os irmãos João e Tiago.
 
Um famoso episódio evangélico, o Sermão da Montanha, teve lugar numa colina com vista para o lago e muitos dos milagres de Jesus também aconteceram aqui: caminhada pela água, acalmar uma tempestade, alimentar cinco mil pessoas e muitos outros.
 
Era ali no Mar da Galiléia ou de Tiberíades que eles estavam pescando. O que eles passaram com Jesus ali em torno desse mar devia vir à tona de suas memórias. Na verdade, eles ficavam indo e vindo de um lado para o outro deste lago e muitos sinais e maravilhas presenciaram com o Senhor. Tudo estava ainda muito fresco e era sabido que Jesus estava entre eles, pois já o tinham visto ressuscitado e com ele compartilharam coisas.
 
Nada havia de errado em irem pescar, mas a noite toda de pescaria não rendeu um único peixe para se contar a história.
 
A Deus toda a glória!
 

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Faltam 822 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 3 – Jo 21:1-15.


Continuação...

Em segundo lugar, ele ficou aparecendo aos que escolhera por 40 dias.

 

Durante os 40 dias em que esteve na terra, depois de morto, aliás, depois de ressuscitado, ele comeu, bebeu, conversou, foi tocado, compartilhou, instruiu, falou sobre as coisas do Reino de Deus e a sua Justiça e, finalmente, Ele subiu aos céus. Quem me dera participar dessa escola de Jesus aqui na terra. Jesus é nosso modelo em tudo. Devemos estarmos bem atentos para aprendermos como ele instruiu seus discípulos.

 

Diz-nos o Catecismo Maior de Westminster sobre esses 40 dias aqui na terra:

 

"Pergunta 53. Como Cristo foi exaltado na sua ascensão?

Resposta: Cristo foi exaltado na sua ascensão aparecendo, depois da sua ressurreição, muitas vezes aos seus apóstolos e conversado com eles, falando-lhes

·           das coisas pertencentes ao seu reino,1

·           impondo-lhes o dever de pregar o evangelho a todos os povos2

·           e subindo aos mais altos céus,3 no fim de 40 dias, levando a nossa natureza,4

·           e, como nosso Cabeça triunfante sobre os inimigos, para ali, à destra de Deus, receber dons para os homens,5

·           elevar nossos afetos6

·           e preparar--nos um lugar7

·           onde ele está e estará até a sua segunda vinda, ao final dos tempos.8

Referências bíblicas: xAt 1.2,3; 2Mt 28.19; 3Ef 4.8,10; At 1.9; 4Hb 6.20; 5Ef 4.8; Sl 68.18; 6C1 3.1,2; 7Jo 14.2,3; 8At 3.21."

 

Porque 40 dias? O que temos na Bíblia associado ao número 40?

 

Aleluias! Vocês já repararam que o número 40 está associado na Bíblia com provação, teste e preparação?

 

Há diversas ocorrências do número 40 na Bíblia (ver livro de Christian Chen, Moisés, os Números e Nós, ed. Dos Clássicos):

 

è    Israel peregrinou por 40 anos no deserto.

è    O dilúvio ocorreu durante 40 dias e noites, mesmo tempo do

è    jejum de Moisés (recepção das tábuas dos mandamentos no Monte Sinai),

è    de Elias (para ter um encontro maravilhoso com Deus no Monte Horebe) e

è    Jesus Cristo (no deserto, após receber o Espírito Santo, depois de seu batismo nas águas). Posteriormente, encontraram-se no monte Hermon onde Jesus transfigurou-se e apareceram, além de Jesus transfigurado, Moisés e elias para alguns discípulos Pedro, Tiago e João (Mt 17:1-8).

 

Dizem também que tudo aquilo que resolvemos fazer, metodicamente, sistematicamente, por mais de 40 dias, sem desfalecermos, torná-se, em nós, um hábito.

 

Há mais curiosidades e estudos envolvendo este número, mas para nós aqui, neste momento, já falei o suficiente para entendermos que os 40 dias em que Jesus permaneceu aqui na terra como ressuscitado dentre os mortos serviu para provar, testar e preparar os discípulos para uma longa jornada que iria comprometer toda as suas vidas. Também compromete as nossas vidas hoje e irá comprometer muitas vidas até que Jesus volte, como prometeu.

 

A Deus toda a glória!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Faltam 823 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos 2 – Jo 21:1-15.


Em primeiro lugar notamos que ele não apareceu a todos!

 

Porque Jesus Cristo não apareceu a todos e não publicou e bradou em alta voz a todos que ele havia ressuscitado dos mortos? Ele continuou a ser o mesmo Jesus de antes e tinha a mesma capacidade de realização de milagres, sinais, curas e prodígios e continuava capaz e agora imbatível porque a morte fora vencida.

 

 54. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.

55. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?

56. Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.

57. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.

58. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. (I Co 15:54-58).

 

No entanto, não fez alarde e não proclamou dos telhados nem instruiu seus discípulos a assim fazerem naquele momento correspondente aos 40 dias. Mas será que este evento passou despercebido e ninguém o comentava? Com certeza comentavam e muito o evento da ressurreição de Cristo. Além das testemunhas a quem ele apareceu e puderam ver a Jesus ressurreto dos mortos, houve, com certeza muitas outras co-testemunhas (as que não o viram, mas ouviram alguém falar que ele estava vivo).

Então, não somente não apareceu a todos como também não saiu por ai em alguma mega campanha publicitária de alarde mundial: VENHAM VER O HOMEM QUE VENCEU A MORTE! Mas nem Jesus, nem os discípulos, nem simpatizantes se mobilizaram para isso.

 

Sabem o que entendo disso ou o que me ocorre ao espirito meditando nisso?

 

Que não devemos fazer coisa alguma se de alto não formos instruídos. Não é do nosso método que Deus está interessado, mas sim em nossa obediência.

 

A igreja não deve imitar os métodos do mundo nem usá-los como ferramentas que poderão dar certo. Eu não creio que Deus se interessa por métodos, mas quer homens obedientes que estão dispostos a respeitá-lo, a crer que existe, que ele é o único que é e que está disposto a trabalhar por aqueles que nele esperam. "Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera." (Is 64:4).

 

Eu também não sou contra os métodos, técnicas, táticas, planejamento, organização, direção e controles. Acho que Deus capacita os homens e lhes dá dons para servi-lo mais e mais eficaz e eficientemente. No entanto, o método tem de estar abaixo da obediência. Primeiro, Deus, depois os métodos. Estando debaixo da obediência, os métodos e técnicas serão abençoados. Exemplo de método empregado corretamente: o conselho de Jetro a Moisés na administração do povo de Israel.

 

Todos os irmãos que estudam, trabalham, fazem treinamentos e se aperfeiçoam em técncas e métodos estã servindo o Reino de Deus e a sua Justiça. Que isso fique bem claro.

 

Em segundo lugar, ele ficou aparecendo aos que escolhera por 40 dias.

Amanhã, prosseguiremos.


A Deus toda a glória!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Faltam 824 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Terceira Aparição de Jesus aos Discípulos – Jo 21:1-15.


Eu ministrei essa pregação/ensino na última quarta-feira, na Primeirona, Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga, na Sandu Norte. E resolvi disponibilizá-la aos amados aqui no JamaisDesista. Também a estou diposnibilizando, na íntegra, no meu SCRIBD: www.scribd.com/crerparaver  - o link de acesso é: http://www.scribd.com/doc/47409798/Pregacao-A-Terceira-Aparicao-de-Jesus-aos-Discipulos-%E2%80%93-Jo-21-1-15

 

Na próxima quarta-feira, estarei novamente trazendo uma palavra de Deus que ainda estou buscando diante do Senhor e que provavelmente terá por base o livro de Hebreus, no capítulo 10 dos vs 19 em diante. Ainda estou buscando em oração.

 

Que tal sermos instrumentos de Deus nesta geração para produzirmos no Brasil um grande avivamento? Somente depende de você se deixar incendiar pelo amor de Deus... o fogo começa no altar e se espalhará em todas as direções. Aleluias!

 

Leitura bíblica:

 

            João 21

1.      Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e foi assim que ele se manifestou:

2.      estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu e mais dois dos seus discípulos.

3.      Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Disseram-lhe os outros: Também nós vamos contigo. Saíram, e entraram no barco, e, naquela noite, nada apanharam.

4.      Mas, ao clarear da madrugada, estava Jesus na praia; todavia, os discípulos não reconheceram que era ele.

5.      Perguntou-lhes Jesus: Filhos, tendes aí alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não.

6.      Então, lhes disse: Lançai a rede à direita do barco e achareis. Assim fizeram e já não podiam puxar a rede, tão grande era a quantidade de peixes.

7.      Aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor! Simão Pedro, ouvindo que era o Senhor, cingiu-se com sua veste, porque se havia despido, e lançou-se ao mar;

8.      mas os outros discípulos vieram no barquinho puxando a rede com os peixes; porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados.

9.      Ao saltarem em terra, viram ali umas brasas e, em cima, peixes; e havia também pão.

10.  Disse-lhes Jesus: Trazei alguns dos peixes que acabastes de apanhar.

11.  Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, não obstante serem tantos, a rede não se rompeu.

12.  Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. Nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? Porque sabiam que era o Senhor.

13.  Veio Jesus, tomou o pão, e lhes deu, e, de igual modo, o peixe.

14.  E já era esta a terceira vez que Jesus se manifestava aos discípulos, depois de ressuscitado dentre os mortos.

 

introdução

 

Quantas foram as vezes que Jesus se manifestou aos seus depois de ressuscitado dentre os mortos? Nós iremos encontrar 12 aparições mais uma. (Mt 28; Mc 16; At 1:3-8; I Co 15:5-8).

 

·         Foram 7 em Jerusalém e arredores.

·         4 na Galileia

·         1 no Monte das Oliveiras (pregamos sobre ela na última quarta-feira)

·         1 na Estrada de Damasco a Paulo.

 

As aparições e as referências bíblicas:

·         a Maria Madalena;

·         aos 10 e as mulheres, no domingo, no dia da ressurreição, a tarde;

·         aos 11 e as mulheres, oito dias depois, na segunda-feira;

·         a Cefas;

·         a 500 irmãos de uma só vez;

·         a Tiago; aos apóstolos;

·         a Paulo;

·         a Outras mulheres;

·         aos 2 discípulos no caminho de Emaús;

·         no quadragézimo dia (uma quinta-feira) aos seus discípulos e

·         aos 7 que pescavam no mar de Tibebíades  – esta foi a sua terceira aparição e é nesta aparição que está narrada em Jo 21:1-14 que iremos focar nossa atenção e pedirmos ao Espirito Santo que fale conosco de uma forma maravilhosa.

 

Cronologia de referência

Dia 1 (domingo) è Ressuscitou! Apareceu a MM. Apareceu aos disípulos/mulheres, exceto Tomé.

Dia 8 (segunda-feira) è Apareceu aos disípulos/mulheres, especialmente se dirigiu a Tomé.

Dia 40 (quinta-feira) è subiu aos céus.

Dia 50 (domingo) è A Festa de Pentecoste. A descida do Espírito Santo. [amanhã, continuaremos!]


A Deus toda a glória!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Faltam 825 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Como vencer o pecado 2?

 

Por meio de Jesus Cristo é que vencemos o pecado, aliás, não precisamos vencê-lo, Cristo o venceu por nós. Não o poderíamos vencê-lo e por medo da morte, estávamos nele escravizados, mas ai veio o Senhor Jesus, em forma humana e venceu a morte. A morte já não tem mais domínio sobre nós.

 

Por medo da morte é que os judeus pela primeira vez usaram a frase que se encontra em Isaias 22:13 "comamos e bebamos porque amanhã morreremos". O exército de Senaqueribe estava cercando Jerusalém e a morte seria inevitável. Em virtude disso é que os judeus proclamaram essa frase querendo dizer assim, já que amanhã iremos mesmo morrer, vamos no dia de hoje nos regalarmos em comermos e bebermos, ou seja, aproveitemos todo o tempo que nos resta para termos o máximo de prazer.

 

A filosofia do pecado é a mesma coisa, por isso que Paulo usou essa mesma frase para falar aos judeus e a todos que se Cristo não ressuscitou, o que estamos fazendo aqui? Amanhã haveremos de morrer e já que iremos mesmo morrer, porque não aproveitarmos da vida o máximo que ela puder nos oferecer? I Co 15:32.

 

Por medo da morte, o homem estava aprisionado ao pecado. Quando Cristo vence a morte, o reino do pecado chega ao fim. Já não precisamos de "aproveitar a vida ao máximo porque iremos mesmo morrermos amanhã". Agora a verdade é bem outra, já que iremos viver e vivermos eternamente, sirvamos ao Senhor para que sejamos plenamente edificados em amor.

 

"14. E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; 15. E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão." (Hb 2:14,15).

 

Estas palavras acima foram escritas pelo escritor de Hebreus que para mim, neste caso, em especial parece o apóstolo Paulo. O medo da morte mantinha os homens presos ao pecado, pois não enxergavam um futuro promissor. A morte poria fim a tudo. Ai, então, surge, Jesus que põe fim a própria morte. A morte que punha fim a todas as coisas agora recebe o seu fim.

 

É possível vencer o pecado? Sim! Cristo venceu por nós. Que maravilha. Que bênção! O pecado que era invencível e que nos aprisionava agora está vencido e subjugado. Cristo levou nossos pecados e também as nossas dores, nossas enfermidades. O pecado que nos mantinha prisioneiros também nos adoecia. Estamos hoje livres do pecado.

 

Livres para o quê? Livres para nos entregarmos ainda mais ao pecado? De modo nenhum. Estamos livres para agora sermos não mais de nós mesmos e sujeitos aos nossos caprichos, mas antes para livremente adorarmos a Deus.

 

Eu sou livre. Eu hoje posso recusar comer e beber porque amnhã morrerei porque já não mais morrerei amanhã. Eu não morrerei jamais. O dom gratuíto de Deus para nós é a vida eterna.

 

A Deus toda a glória!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Faltam 826 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Como vencer o pecado?

 

Não faço o que aprovo. O que quero, isso não faço. O que aborreço, isso faço. Se faço o que não quero, consinto, então, que a lei é boa. Logo, já não sou eu que faço isto. Quem faz isto é o pecado que habita em mim. O pecado habita em mim?

 

Sim, na minha carne não habita bem algum. Existe algum bem que habita em mim? Na minha carne, não. Não habita bem algum na minha carne! O querer o bem, o bom, o justo, as coisas de Deus está em mim, no entanto, não consigo realizá-las. Por quê?

 

Por que não faço o bem que quero. Eu não faço o bem que quero! E o mal que não quero? Esse, sim, eu faço. Eu faço o mal que não quero! Eu, tanto não faço o bem que quero, como também, faço o mal que não quero. A culpa é do pecado! A culpa é do pecado que habita em mim!

 

É uma lei! Qual lei? A lei de que quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Quem está comigo quando eu quero fazer o bem? O mal! Impressionante, não é? Existe uma lei que é mais forte do que a gente e que se aplica quando quero fazer o bem. Já quando quero fazer o mal não há lei alguma porque faço o que é da minha própria natureza adâmica decaída.

 

Vemos que há duas leis nesses versículos: a lei do pecado e a lei do meu entendimento. Com a carne sirvo o pecado. Com meu entendimento, à lei de Deus. Ora, apareceu mais uma lei, a lei de Deus. Por isso que não vencemos o pecado nunca, pois ele se faz lei para nós. Quando tento dominar o pecado, caio na lei do pecado e ao invés de dominá-lo, torno-me mais dependente dele, mais escravo.

 

Se, por um tempo, eu o venço ou o subjugo, na verdade, na verdade, não estou vencendo, mas fabricando uma bomba atômica que quando for detonada irá me abater até ao pó. Outro risco, com vitórias aparentes ou temporárias, é o do orgulho. Passo a achar-me forte, poderoso, dominador e começo também a despresar os que não são como eu, forte.

 

Acho, então, que são fracos, sem vergonhas e que merecem castigo, punição, justiça e juízo. Então ao vencer, eu não estou vencendo, mas tendo a ilusão de que estou vencendo. Como então vencer o pecado? Resistindo e subjugando-o? Sinceramente, não creio. Eu não deixarei de pecar, deixando de pecar, pois isto é obra: "eu deixei de pecar" ou "eu estou deixando de pecar".

 

Não devemos ter como objetivo ou "neura" o deixarmos de pecar. Não seja isso o que ocupe a nossa mente. Se estamos enxertados na videira verdadeira, somos ramos dela. Se somos ramos da videira, produziremos frutos, muitos frutos. Não dá para eu produzir qualquer fruto estando fora da videira, mas estando na videira.

 

Se eu tenho fé, a fé não é minha, pois não posso estar, nem ser , nem viver independentemente. Eu não posso ter fé estando fora da videira. A fé é dom de Deus, dom gratuíto de Deus. Eu somente tenho fé operante quando estou na videira enxertado. Tudo vem de Deus. Tudo é para Deus. Tudo é por Deus.

 

"15. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.16. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. 17. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. 18. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. 19. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. 20. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 21. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. 22. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23. Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. 24. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? 25. Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado"

 

A Deus toda a glória!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Faltam 827 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Amor de Pastor 3!

 

Por ninguém! Eu não quero ser reconhecido por ninguém! Que diminua eu para que tua glória cresça mais e mais.

 

"15. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.16. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. 17. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. 18. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. 19. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. 20. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 21. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. 22. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23. Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. 24. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? 25. Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado"

 

O homem sempre procura diante de Deus se justificar e dificilmente aceita o seu favor e graça. Ele sempre quer estar fazendo algo, ainda que seja mínimo ele quer ter o mérito por algo. Dificilmente o homem aceita a graça de Deus por causa de seu orgulho. Aceitar que a salvação é gratuíta, totalmente gratuíta, é como um ato de ofensa ao homem.

 

Reparem na questão da fé e das obras. O que me justifica diante de Deus? As minhas obras? Não! Elas não me justificam diante de Deus, mas as minhas obras justificam a minha fé. Se tenho fé, como provarei que tenho fé se não pelas minhas obras? Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.

 

Não me justifico diante de Deus pelas minhas obras por que se não Deus seria meu devedor. Cada obra me geraria o direito de reclamar de Deus o salário devido. Logo, as minhas obras não são minhas, pois se fosse, eu teria direitos sobre elas. Na oração isso fica bem claro, pois não dou graças por que faço obras.

 

Imaginem eu chegando a Deus e lhe falando: obrigado Senhor pelas obras que fiz e que justificam a minha fé. Não dá, não é? Eu não sou justo por que eu pratico a justiça, mas por que Deus me fa justo em Cristo Jesus. da mesma forma, eu não faço obras porque eu as pratico, mas por que Deus me concede a sua graça.

 

Ninguém será justificado por obras diante de Deus, logo: eu não sou justo, nem bom, nem reto, nem santo. No entanto, em Cristo Jesus, Deus me faz justo, bom, reto, santo. Quanto ao pecado, temos escrito que não sou eu quem faço, mas o pecado que está em mim. Pois o querer o bem está em mim, mas não o executá-lo.

 

Glórias a Deus que por nós tudo faz! É a graça de Deus que me faz ter fé, ter obras. Se é a graça de Deus, não tenho do que me orgulhar, mas temer e tremer diante de Deus. Já não sou eu quem faço o bem, mas a graça de Deus é quem me faz fazer o bem. Não há glórias em mim, não há, portanto, reconhecimento algum pelo qual passo a merecer algo.

 

Uma coisa faço e farei, esquecendo-me das coisas que para trás ficam, prossigo avante para o prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus. Quando eu acho que eu tenho fé e que portanto tenho obras, eu já perdi tanto a fé quanto as obras.  Para eu produzir mais frutos a Deus, eu preciso estar na videira, pois não posso produzir frutos sem estar nela enxertado.

 

Eu  não tenho méritos, por isso que minhas obras são trapos de imundície e sujidade. Elas não tem valor algum para minha santificação, mas quando estou nele ligado, enxertado, as obras que ele me permite fazer por sua graça, servem para glorificá-lo e honrá-lo. Essa obra, sim, não é trapo de imundície, nem sujidade.

 

Meditar nesse assunto é bastante complexo e pode gerar muita confusão de compreensão. Também é difícil falar dele, mas está em mim e ainda falarei muito disso. Meu filho acaba de me perguntar coisas difíceis e eu lhe disse que nos sentimos down porque na realidade estamos buscando justificativas para praticar o que não convêm, pois, sem estas justificativas, não temos como encarar o Espírito Santo.

 

A Deus toda a glória!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Faltam 828 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Amor de Pastor 2!
 
Sem dúvidas, a minha glória, como pastor, é fazer com que conheçam a ti Senhor. Diz-nos o Catecismo Maior de Westminster na pergunta 1: qual o fim supremo e principal do homem? Resposta: o fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus e alegrar-se nele para sempre.
 
Eu entendo que buscar sempre a glória de Deus em tudo e alegrar-se nele é, como se diz, o fim supremo e principal do homem. Reparem que não é somente supremo, mas principal também. Supremo, significa que nada está acima disso. Principal, que é mais importante.
 
Reconhecer o trabalho e a dedicação de alguém é mais importante do que ser reconhecido. Quem reconhece o que os outros fazem tem maior sensibilidade e mostra maior maturidade. Quando reconhecemos o nosso próximo estamos mais próximos de Deus?
 
Reconheço minha necessidade de buscar ao Senhor para que ele me ajude a glorificá-lo em tudo. Aceitar as glórias e não transferi-las a Deus significa que estou buscando o reconhecimento devido e merecido, isto é, Deus está me devendo... mas não é assim.
 
Eu, no entanto, caio num laço terrível quando meu foco de atenção sai da glória de Deus para a glória humana. Pior que muitas vezes alcançamos essa glória e ela vicia, pois massageia o nosso ego e nos torna dependentes de reconhecimentos e novas glórias.
 
Creio que deixando a minha glória e o meu reconhecimento para buscar a glória de Deus e o seu reconhecimento ou o reconhecimento de meu próximo, eu estarei alcançando – não que este seja o objetivo – indiretamente o verdadeiro reconhecimento e glórias devidas.
 
O fato de eu tirar o foco do meu “eu” já me é vitória. Diz a palavra de Deus, em outra parte, que quem quiser se gloriar que se glorie em conhecê-lo e saber que ele faz beneficência, juízo, justiça na terra. “Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.” (Jr 19:24).
 
Não é que a palavra diz entender e conhecer? Eu me glorio nisso: em entendê-lo e conhecê-lo. Em outra parte ainda há uma outra palavra profética de que a terra ainda se encherá do conhecimento do Senhor. “Porque a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR, como as águas cobrem o mar.” (Hb 2:14).
 
Homem de Deus que anuncia a palavra de Deus ao povo de Deus sendo tu instrumento de Deus, não vês que tudo é de Deus e tudo é para Deus?
 
Então, porque a busca pelo reconhecimento, pela glória, pela fama, pelos holofotes, pelas massagens de teu ego, pelos elogios? Não é tudo do Senhor e para a sua glória? O que temos que não temos recebido?
 
Creio que se recebemos, então não veio de nós, mas de Deus, logo que a glória é sempre dele. Isso é saúde para nós e tira de nós a inveja e o desejo de superar o outro para sermos melhores que nosso próximo. Deus não nos chamou para sermos melhores do que ninguém, mas nos chamou para sermos cada dia melhores.
 
Isso mesmo, não tem contradição. Sou e faço o meu melhor quando faço buscando a glória de Deus. Agora, em eu buscando a sua glória, ele, de sua própria vontade, quiser me exaltar, o que tem você com isso?
 
Deus pode todas as coisas e quando ele ou os outros nos exaltam, a nossa exaltação é legítima e a glória sobe para Deus. A sua glória, diz palavra dele, não a darei a ninguém. “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura.” (Is 42:8).
 
O nosso Deus nos coroou com a mente de Cristo onde, plenamente, habitam riquezas de sabedoria, de conhecimento e de amor. A busca da glória de Deus nos enche de glória, não nossa, dele. É tudo mistério, lindo, maravilhoso, profundo. O amor de pastor nos constrange a darmos as glórias a Deus: glórias a Deus!
 
Soli Deo Gloria!