quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Faltam 918/1000 dias! Meu propósito de 1000 dias è Começou: 31/07/2010. Acaba: 26/04/2013.

TEMA: Bem Aventurados Os Que Não Vêem, Mas Crêem 6 – Jo 20: 19-31
 
Continuação...
 
Recapitulando, para formar a idéia principal: Jesus, em seguida (após ter declarado a paz aos presentes naquela sala fechada e trancada, na segunda-feira, oito dias depois de sua primeira aparição), diz, especificamente, a Tomé:
 
“... Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. 28. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu 29. Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.”.
 
Depreende-se de sua bronca a Tomé os seguintes aspectos. Primeiro, é como se ele dissesse a Tomé, confira aqui os sinais que provam que eu sou o mesmo aquele que esteve morto, mas que agora está vivo, ressurreto dos mortos. Segundo, o adverte dizendo para não ser incrédulo, mas crente.
 
Ao falar assim, Jesus estava dizendo para ele que a opção pela incredulidade não deve ser a regra geral quando o assunto for ou estiver relacionado a ele, a Deus. Por que Tomé optou pela incredulidade e não pela fé? E nós, por quem estamos optando quando a temática envolve a pessoa de Jesus Cristo, de nosso Deus e Senhor?
 
Tomé tinha motivos para dar créditos à incredulidade? Esta sua opção não fazia de seus irmãos mentirosos, pois asseveravam a ele que Jesus havia estado entre eles? Tomé estava com ciúmes porque não estava entre os primeiros a quem Jesus apareceu? O fato é que a opção de Tomé não agradou ao Senhor.
 
Ao ver, então com seus próprios olhos, ao ouvir, ao conferir exclamou: Senhor meu e Deus meu! E Jesus lança-lhe em rosto a máxima de que mais bem aventurados são os que não viram e creram, óbvio que em relação aos que o viram e creram. Ao escolher Tomé para passar por esta experiência estava dando a ele, Tomé, a oportunidade de ser mais bem aventurado que os demais que viram e creram.
 
Tomé teve a oportunidade de crer sem ver, mas desprezou. Preferiu a segurança de seus sentidos do que a segurança de sua fé.
 
Eu aprendo disso que:
 
  • Não é preciso ver a Jesus para contemplá-lo com nossos olhos espirituais.
  • Não é preciso ouvi-lo para escutar a sua voz nos dizendo é este o caminho, andai por ele.
  • Não é preciso sentir o toque físico de Jesus para perceber a sua presença em nosso meio.
  • Não é preciso sentir o seu cheiro para percebermos o perfume de sua presença.
  • Não é preciso degustá-lo com nossa língua para comermos de sua carne e bebermos de seu sangue.
 
Eu sempre vivia dizendo a Deus e implorando a ele a sua manifestação. Teve uma vez no Rio de Janeiro quando trabalhava na Auditoria dos Correios quando em viagem de serviço, num final de semana que resolvi buscar a sua face em jejum que o desafiei a aparecer a mim. Orei com tanta convicção que senti que ia acontecer a qualquer momento um encontro físico, real, de primeiro grau.
 
Continuaremos com o assunto ... Amanhã!
 
Acompanhamento de minhas leituras/áudios:
  • Já li: Gn, Rm, I Co. Estou lendo II Co da Bíblia de Estudo de Genebra – segunda edição revisada e ampliada, The Spirit os the Reformation Study Bible, ed. Cultura Cristã, Sociedade Bíblica do Brasil, 2009 - texto bíblico: Almeida Revista e Atualizada.
  • Estou na pág. 325/545, do livro HÁ UM SIGNIFICADO NESTE TEXTO – Interpretação Bíblica: os enfoques contemporÂneos (Is There a Meaning in This Text?), de Kevin Vanhoozer, ed. Vida. A leitura deste livro está sendo obrigatória na matéria de Metodologia Exegética, ministrada no Seminário Presiteriano de Brasília, professor, Rev. Ricardo Almeida.
  • Estou na página 300/438 de Ele nos deu Histórias – Um guia completo para a interpretação de histórias do Antigo Testamento (He Gave Us Stories), de Richard L. Pratt, Jr. Ed. Mundo Cristão.
  • Estou na página 150/274 de Introdução à Hermenêutica Bíblica – Como ouvir a Palavra de Deus apesar dos ruídos de nossa época (An Introduduction to Biblical Hermeneutics)de Walter C. Kaiser, Jr. E Moisés Silva. Ed. Cultura Cristã. 1ª ed. 2002.
Registro das leituras/áudios Terminados:
1.    Terminei as 302 páginas do livro No Crepúsculo do Pensamento – Estudos sobre a pretensa autonomia do pensamento filosófico (In the twilight os western though: studies in the pretended autonomy of philosophical thought), de Herman Dooyeweerd, ed. Hagnos, 2010. [Gostei e recomendo. Autores tão ilustres no campo intelectual e tão fervorosos no espírito, com uma fé tão profunda e tremendamente arraidada, reformada, fortalecem a nossa fé. No entanto, terei de lê-lo novamente para melhor compreender as suas idéias].
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.