domingo, 27 de janeiro de 2013

Salmo 10: 1-18 O FIM DOS ÍMPIOS

Aqui Davi está indignado com a prosperidade do ímpio e de sua segurança e arrogância, pois mal nenhum parecem sofrer e ainda zombam de tudo e de todos os que têm em Deus a sua confiança.
Então Davi se lamenta, queixa, apresenta sua oração a Deus o comportamento deles pedindo a Deus que tenha misericórdia e que execute a justiça. Por que te conservas longe? É assim que às vezes nos sentimos quando estamos em aflição. Parece mesmo que o Senhor se ausentou e foi para bem longe, mas é justamente neste momento que ele nos carrega em seus braços fortes.
Vejam o que nos diz as primeiras linhas do Comentário de Calvino sobre este lindo salmo de Davi:
David aqui se queixa, em seu próprio nome, e em nome de todos os piedosos, sobre o fato de que a fraude, a extorsão, a crueldade, a violência e todo tipo de injustiça prevaleceu em todo o mundo. A causa que ele atribui por isso é que homens ímpios e perversos, intoxicados com a prosperidade, desprezaram todo o medo de Deus e pensam que podem fazer o que quiserem com impunidade.
Consequentemente, ele implora sinceramente a Deus que o ajude e que possa remediar suas desesperadas calamidades. No final, ele se consola e também ao resto dos fiéis com a esperança de obter a resposta no devido tempo.
Essa descrição representa, como no espelho, uma imagem viva de um estado de sociedade amplamente corrupto e desorganizado. Quando, portanto, vemos a iniquidade como um dilúvio, a estranheza de tal tentação não pode abalar a fé dos filhos de Deus e fazer com que eles caiam em desespero. Eles devem aprender a olhar para este espelho.
Ele tende a aliviar a tristeza, a considerar que nada nos acontece neste dia que a Igreja de Deus não experimentou nos dias antigos. Sim, sim, somos chamados a participar dos mesmos conflitos com os quais David e os outros santos patriarcas foram exercitados.
Mais adiante, os fiéis são admoestados a recorrer a Deus em um mundo tão confuso; Pois, a menos que estejam convencidos de que pertencem a Deus para socorrê-los, e para remediar tal situação, eles não ganharão nada se se entregarem a murmúrios confusos e a rasgarem o ar com seus gritos e queixas.
Nós temos de ter uma mente igual a de Davi que é um bom exemplo de homem pecador para nós, não por causa de seus erros ao cair nas tentações que caiu e que foram graves, mas na sua luta contra o seu pecado, contra todo mal e injustiça e na sua confiança em Deus.
Sl 10:1 Por que, SENHOR,
te conservas longe?
E te escondes nas horas de tribulação?
Sl 10:2 Com arrogância,
os ímpios perseguem o pobre;
sejam presas
das tramas que urdiram.
Sl 10:3 Pois o perverso
se gloria da cobiça de sua alma,
o avarento
maldiz o SENHOR
e blasfema contra ele.
Sl 10:4 O perverso,
na sua soberba,
não investiga;
que não há Deus
são todas as suas cogitações.
Sl 10:5 São prósperos
os seus caminhos em todo tempo;
muito acima e longe dele
estão os teus juízos;
quanto aos seus adversários,
ele a todos ridiculiza.
Sl 10:6 Pois diz lá no seu íntimo:
Jamais serei abalado;
de geração em geração,
nenhum mal me sobrevirá.
Sl 10:7 A boca,
ele a tem cheia
de maldição, enganos e opressão;
debaixo da língua,
insulto e iniquidade.
Sl 10:8 Põe-se de tocaia nas vilas,
trucida os inocentes nos lugares ocultos;
seus olhos espreitam o desamparado.
Sl 10:9 Está ele de emboscada,
como o leão na sua caverna;
está de emboscada
para enlaçar o pobre:
apanha-o
e, na sua rede,
o enleia.
Sl 10:10 Abaixa-se,
rasteja;
em seu poder,
lhe caem os necessitados.
Sl 10:11 Diz ele, no seu íntimo:
Deus se esqueceu,
virou o rosto
e não verá isto nunca.
Sl 10:12 Levanta-te, SENHOR!
Ó Deus, ergue a mão!
Não te esqueças dos pobres.
Sl 10:13 Por que razão
despreza o ímpio a Deus,
dizendo no seu íntimo
que Deus não se importa?
Sl 10:14 Tu, porém,
o tens visto,
porque atentas aos trabalhos e à dor,
para que os possas tomar em tuas mãos.
A ti se entrega
o desamparado;
tu tens sido
o defensor do órfão.
Sl 10:15 Quebranta
o braço do perverso e do malvado;
esquadrinha-lhes
a maldade,
até nada mais achares.
Sl 10:16 O SENHOR
é rei eterno:
da sua terra
somem-se as nações.
Sl 10:17 Tens ouvido,
SENHOR,
o desejo dos humildes;
tu lhes
fortalecerás o coração
e lhes acudirás,
Sl 10:18 para fazeres justiça
ao órfão
e ao oprimido,
a fim de que o homem,
que é da terra,
já não infunda terror.

Davi, apesar de tudo, era homem de oração que conhecia a Deus e que acreditava nele. Muitos de nós até conhecem a Deus, mas não creem nele; muitos de nós dizem que amam a Deus, mas não se importam com ele. Podemos perceber em seus escritos, principalmente em Salmos, que Davi respirava o Espírito Santo!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

sábado, 26 de janeiro de 2013

Salmo 9: 1-20 - DAVI APELA À JUSTIÇA

Davi inicia este abençoado salmo falando de louvores e que a Deus se derramaria por reconhecer que ele Deus reina e tem domínio sobre todas as coisas. A Deus todo louvor ou a Deus toda a glória, devia ser a regra geral de Davi diante de qualquer situação.
Ele vive aqui um gozo e regozijo por suas vitórias, mas ele tributa a Deus seus resultados. Ainda que em algo venha a fracassar ou perder, Davi jamais perdia a sua fé firme e invencível.
Vejam o que nos diz as primeiras linhas do Comentário de Calvino sobre este lindo salmo de Davi:
Davi, depois de ter contado as primeiras vitórias que ganhou, e depois de ter sido exaltado em tensões elevadas, agradece, feliz, a graça e o poder de Deus que passa a ser tema de suas reflexões. Agora novamente, quando ele vê novos inimigos e perigos se levantando, ele implora a proteção do mesmo Deus por quem antes havia sido entregue, e suplica que seja derrubado o orgulho de seus inimigos.
Para o músico chefe Almuth Laben. Um salmo de David. Esta inscrição é explicada várias vezes. Alguns o traduzem, após a morte de Laben, e são de opinião que ele era um dos principais capitães dos inimigos de Davi. Outros estão inclinados a pensar que era mais um nome fictício, e que Goliath é a pessoa mencionada neste salmo. Segundo outros, era um instrumento musical. Mas para mim parece ser mais correto, ou, pelo menos, (como estou acostumado a falar quando o assunto é obscuro), uma opinião mais provável, que foi o início de uma música bem conhecida, da melodia de que o salmo foi composto. As disputas de intérpretes sobre o que a vitória de David aqui celebra, a meu ver, são desnecessárias e não servem de bom propósito.
Ao ler este salmo e segmentá-lo notei em Davi um forte clamor e apelo à justiça! Para apelar dessa forma, ou ele buscava a justiça ou estava sendo injustiçado ou via muitas injustiças. Ele conhece o seu Deus o qual é justo e se admira porque não faria justiça a própria justiça?
Davi fala de justiça, de governo, de administração, de reino, de trono, de juiz, em fim, fala de Deus e de sua providência. Deus é o seu Pai e também o justo juiz de toda a terra!
Sl 9:1 Louvar-te-ei, SENHOR,
de todo o meu coração;
contarei
todas as tuas maravilhas.
Sl 9:2 Alegrar-me-ei
e exultarei
em ti;
ao teu nome,
ó Altíssimo,
eu cantarei louvores.
Sl 9:3 Pois, ao retrocederem os meus inimigos,
tropeçam
e somem-se da tua presença;
Sl 9:4 porque sustentas o meu direito
e a minha causa;
no trono te assentas
e julgas retamente.
Sl 9:5 Repreendes as nações,
destróis o ímpio
e para todo o sempre
lhes apagas o nome.
Sl 9:6 Quanto aos inimigos,
estão consumados,
suas ruínas são perpétuas,
arrasaste as suas cidades;
até a sua memória pereceu.
Sl 9:7 Mas o SENHOR
permanece no seu trono eternamente,
trono que erigiu para julgar.
Sl 9:8 Ele mesmo
julga o mundo
com justiça;
administra os povos
com retidão.
Sl 9:9 O SENHOR é também
alto refúgio
para o oprimido,
refúgio
nas horas de tribulação.
Sl 9:10 Em ti,
pois,
confiam
os que conhecem o teu nome,
porque tu,
SENHOR,
não desamparas
os que te buscam.
Sl 9:11 Cantai louvores ao SENHOR,
que habita em Sião;
proclamai entre os povos
os seus feitos.
Sl 9:12 Pois aquele
que requer o sangue
lembra-se deles
e não se esquece
do clamor dos aflitos.
Sl 9:13 Compadece-te de mim,
SENHOR;
vê a que sofrimentos
me reduziram os que me odeiam,
tu que me levantas
das portas da morte;
Sl 9:14 para que,
às portas da filha de Sião,
eu proclame todos os teus louvores
e me regozije da tua salvação.
Sl 9:15 Afundam-se as nações
na cova que fizeram,
no laço que esconderam,
prendeu-se-lhes o pé.
Sl 9:16 Faz-se conhecido
o SENHOR,
pelo juízo que executa;
enlaçado está o ímpio
nas obras de suas próprias mãos.
Sl 9:17 Os perversos
serão lançados no inferno,
e todas as nações
que se esquecem de Deus.
Sl 9:18 Pois o necessitado não será
para sempre esquecido,
e a esperança dos aflitos
não se há de frustrar perpetuamente.
Sl 9:19 Levanta-te,
SENHOR;
não prevaleça o mortal.
Sejam as nações
julgadas na tua presença.
Sl 9:20 Infunde-lhes,
SENHOR,
o medo;
saibam as nações
que não passam de mortais.

Triste será o fim dos que se deixam levar pelo engano e pela mentira e que tiram conclusões absurdas deste mundo imaginando que não há um Deus soberano que tudo governa. Haverá, no entanto, um lugar para abrigar todos esses: o inferno!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete 
http://www.jamaisdesista.com.br

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Salmo 8: 1-9 - O SALMO QUE O HOMEM LEU DA LUA


Este é o famoso salmo lida na lua! Imagino a cena do astronauta americano Neil Armstrong, quando o homem pouso pela primeira vez na lua, ao ler este salmo tendo a visão que ele tinha que nenhum de nós pode ter. Que cenário! Que glórias!
É um salmo que exalta a glória divina e a dignidade do Filho do Homem. Deus usa o homem, para falar aos homens a palavra de salvação dos homens, por meio de um Homem, mediador, Jesus Cristo, homem e Deus.
Vejam o que nos diz as primeiras linhas do Comentário de Calvino sobre este lindo salmo de Davi:
Davi, depois de ter contado as primeiras vitórias que ganhou, e depois de ter sido exaltado em tensões elevadas, agradece, feliz, a graça e o poder de Deus que passa a ser tema de suas reflexões. Agora novamente, quando ele vê novos inimigos e perigos se levantando, ele implora a proteção do mesmo Deus por quem antes havia sido entregue, e suplica que seja derrubado o orgulho de seus inimigos.
Para o músico chefe Almuth Laben. Um salmo de David.
Davi se sente encantado com a criação e com o Deus criador e sustentador de toda a vida na terra e nos céus. Ele chega ao clímax de sua adoração quando fala do homem e do que Deus fez e faz por este homem.

Somos como nada se comparado à imensidão das coisas criadas e, principalmente, e muito mais ainda, ao Criador de todas elas; no entanto que glórias, que maravilhas e que honras. Somos como diz Gerard Van Groningen: vice gerentes de Deus!
Sl 8:1 Ó Senhor,
Senhor nosso,
quão admirável é o teu nome em toda a terra,
tu que puseste a tua glória dos céus!    
Sl 8:2 Da boca das crianças
e dos que mamam
tu suscitaste força,
por causa dos teus adversários
para fazeres calar o inimigo e vingador.    
Sl 8:3 Quando contemplo
os teus céus,
obra dos teus dedos,
a lua e as estrelas
que estabeleceste,    
Sl 8:4 que é o homem,
para que te lembres dele?
e o filho do homem,
para que o visites?    
Sl 8:5 Contudo,
pouco abaixo de Deus o fizeste;
de glória
e de honra o coroaste.    
Sl 8:6 Deste-lhe domínio
sobre as obras das tuas mãos;
tudo puseste debaixo de seus pés:    
Sl 8:7 todas as ovelhas e bois,
assim como os animais do campo,    
Sl 8:8 as aves do céu,
e os peixes do mar,
tudo o que passa pelas veredas dos mares.    
Sl 8:9 Ó Senhor,
Senhor nosso,
quão admirável é o teu nome em toda a terra!
Ele encerra seu salmo magnificando o nome excelso e maravilhoso de Deus que tudo fez muito bom. Em breve, tudo o que tem corrompido a natureza e estragado as coisas criadas terá seu fim. No tempo em que se completarem os tempos, então virá o Filho do Homem outra vez para triunfar para sempre em seu reino sempre eterno.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete
http://www.jamaisdesista.com.br

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Salmo 7.1-17 - DAVI DEFENDE O JUSTO CONTRA O INJUSTO

Eu claramente vejo neste lindo salmo uma alma que conhece ao seu Deus e que não se cansa de clamar a ele que o livre de seus inimigos e, em especial, de caluniadores e falsos amigos que amam a injustiça e não tem amor à verdade para seguirem a justiça.
O comentário de Calvino reflete profundamente o que penso deste salmo. A diferença de Davi para os outros homens é que Davi cria piamente em Deus, como seu Pai e a ele honrava com sua vida, embora tenha, por causa de sua natureza depravada cometido pecados terríveis.
Vejam o que nos diz as primeiras linhas do Comentário de Calvino sobre este lindo salmo de Davi:
Davi, carregado de calúnia injusta, convida Deus para ser seu defensor e protetor, e compromete sua inocência com a proteção Divina. Em primeiro lugar, ele protesta que sua consciência não o acusou da perversidade colocada à sua carga. Em segundo lugar, ele mostra o quanto isso diz respeito à glória de Deus para que ele julgue contra os ímpios. Em terceiro lugar, para inspirar sua mente com confiança, ele reflete seriamente sobre a bondade e a justiça de Deus e coloca diante dele as promessas divinas. Por fim, como se ele tivesse obtido o desejo de seu coração, ele ridiculariza a loucura e as inúmeras tentativas de seus inimigos; Ou melhor, dependendo da ajuda de Deus, ele assegura que todos os seus esforços contra ele se voltarão para a própria destruição.
Shiggaion de Davi, que ele cantou a Jeová, sobre as palavras de Cush, Benjamim.
Com respeito à palavra Shiggaion, os intérpretes judeus não estão de acordo. Alguns entendem isso como um instrumento musical. Para outros, parece ser uma melodia para a qual uma música está definida. Outros supõem que tenha sido o início de uma música comum, para a qual David desejou que este salmo fosse cantado. Outros traduzem a palavra hebraica, prazer ou alegria. [96] A segunda opinião parece-me o mais provável, a saber, que era algum tipo de melodia ou música, como se alguém fosse chamado de verso sappico ou falociano. [97] Mas eu não ligo sobre uma questão de tão pequena importância. Novamente, diz-se que o salmo foi composto pelas palavras de Cush.
Não consigo assimilar a interpretação (embora seja comumente recebida), as palavras aqui significam assuntos ou negócios. Escrever uma questão, ou um caso, é permitir uma forma comum de fala entre os judeus; Mas, como Davi, um pouco depois, declara que ele foi falsamente acusado de algum crime, não duvido, mas ele aqui fala da acusação ou da própria calúnia, dos quais, como eu julgo, Cush, alguém da família de Saul, foi o autor ou, pelo menos, o instrumento que a proferiu e a fez circulou.
A opinião de alguns que dizem que Saul é falado aqui sob um nome fictício, não é apoiado por qualquer argumento de peso suficiente. Segundo eles, Davi evitou chamá-lo por seu próprio nome, para poupar a dignidade real. David, admito, teve grande reverência pela santa unção; Mas, como ele expressamente nomeia Saul em outros lugares onde ele o repreende não menos severamente, e o pinta em cores não menos negras do que ele faz neste salmo, por que ele deveria suprimir seu nome aqui e não nessas passagens?
Na minha opinião, portanto, ele aqui expressa por seu nome próprio, e sem figura, um acusador perverso, que tinha excitado o ódio contra ele acusando-o falsamente de algum crime e que tinha sido subornado pelo rei para fazer isso, ou, obtido o favor real, tinha caluniado David por sua própria vontade; Pois Davi, nós sabemos, era muito caluniado, como se ele tivesse sido ingrato e traiçoeiro com o rei, seu sogro. Saul, de fato, pertencia à tribo de Benjamim. No entanto, não pensamos que ele é a pessoa aqui mencionada, mas que era uma das relações de Saul, uma que pertencia à mesma tribo com ele, que falsamente acusou David.
Muito bom este comentário de Calvino. Não é à toa que Davi é chamado de homem segundo o coração de Deus.
Sl 7:1. Senhor,
Deus meu,
confio,
salva-me de todo o que me persegue,
e livra-me;
Sl 7:2. para que ele não me arrebate,
qual leão,
despedaçando-me, sem que haja quem acuda.
Sl 7:3. Senhor,
Deus meu,
se eu fiz isto,
se há perversidade nas minhas mãos,
Sl 7:4. se paguei com o mal àquele que tinha paz comigo,
ou se despojei o meu inimigo sem causa.
Sl 7:5. persiga-me o inimigo
e alcance-me;
calque aos pés a minha vida no chão,
e deite no pó a minha glória.
Sl 7:6. Ergue-te, Senhor, na tua ira;
levanta-te contra o furor dos meus inimigos;
desperta-te, meu Deus,
pois tens ordenado o juízo.
Sl 7:7. Reúna-se ao redor de ti
a assembléia dos povos,
e por cima dela remonta-te ao alto.
Sl 7:8. O Senhor julga os povos;
julga-me,
Senhor,
de acordo com a minha justiça
e conforme a integridade que há em mim.
Sl 7:9. Cesse a maldade dos ímpios,
mas estabeleça-se o justo;
pois tu,
ó justo Deus,
provas o coração
e os rins.
Sl 7:10. O meu escudo está em Deus,
que salva os retos de coração.
Sl 7:11. Deus é um juiz justo,
um Deus que sente indignação todos os dias.
Sl 7:12. Se o homem não se arrepender,
Deus afiará a sua espada;
armado
e teso está o seu arco;
Sl 7:13. já preparou armas mortíferas,
fazendo suas setas inflamadas.
Sl 7:14. Eis que o mau
está com dores de perversidade;
concedeu a malvadez,
e dará à luz a falsidade.
Sl 7:15. Abre uma cova,
aprofundando-a,
e cai na cova que fez.
Sl 7:16. A sua malvadez
recairá sobre a sua cabeça,
e a sua violência
descerá sobre o seu crânio.
Sl 7:17. Eu louvarei ao Senhor
segundo a sua justiça,
e cantarei louvores
ao nome do Senhor,
o Altíssimo.
Os que contendem com ele não se darão bem porque estão seguindo a injustiça e a maldade e isso já tem o preço combinado de antemão. Nem é preciso ser profeta ou gênio para entender o fim dos que rejeitam a Deus.

E tu homem, do que se queixas? Queixe-se cada um de seus próprios pecados, quanto ao mais dê glórias a Deus e o busque de todo o seu coração, como Davi neste salmo, que ele é generoso e rico em perdoar.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Salmo 6: 1-10 - SALMO DE LAMENTOS 1/7 – DAVI RECORRE À MISERICÓRDIA DE DEUS

Neste salmo Davi está sofrendo muito. Tudo indica ser por causa das consequências de seus pecados, independentemente se o que o persegue são inimigos ou doenças e enfermidades. O que impressiona é como Davi se volta para Deus em oração.
Ensina-nos Senhor a orar como Davi orou e aprenderemos!
Vejam o que nos diz as primeiras linhas do Comentário de Calvino sobre este lindo salmo de Davi:
Davi, afligido pelas mãos de Deus, reconhece que ele provocou a ira divina pelos seus pecados e, portanto, para obter alívio, ele pede perdão. Ao mesmo tempo, ele lamenta que, sendo tirado do mundo, ele seria privado de uma oportunidade de louvar a Deus. Então, tendo obtido confiança, ele comemora a graça de Deus e dirige seu discurso para seus inimigos, que triunfaram sobre suas calamidades.
Ao mestre de canto, com instrumentos de oito cordas. Salmo de Davi.
Na BEG, o seu comentário geral, diz: “o salmo é um lamento pessoal. Como acontece em muitos lamentos, no final o salmista expressou a sua confiança no Senhor. A motivação original para o salmo talvez tenha sido uma enfermidade – vs 2, 5 -. Esse salmo é um dos sete salmos penitenciais – junto com 32, 38, 51, 102, 130 e 143.
Ao final do salmo, enquanto lamentava sua dor e se queixava ao Senhor não como cobrando algo do Senhor, mas como aquela cera que se derrete diante do sol, de repente, por um momento, vem a palavra do Senhor ao seu coração e ele entende que já foi ouvido e atendido. Precisamos orar assim.
Sl 6:1. Senhor,
não me repreendas na tua ira,
nem me castigues no teu furor.
Sl 6:2. Tem compaixão de mim,
Senhor,
porque sou fraco;
sara-me,
Senhor,
porque os meus ossos estão perturbados.
Sl 6:3. Também a minha alma está muito perturbada;
mas tu, Senhor,
até quando?...
Sl 6:4. Volta-te,
Senhor,
livra a minha alma;
salva-me
por tua misericórdia.
Sl 6:5. Pois na morte não há lembrança de ti;
no Seol quem te louvará?
Sl 6:6. Estou cansado do meu gemido;
toda noite faço nadar em lágrimas a minha cama,
inundo com elas o meu leito.
Sl 6:7. Os meus olhos estão consumidos pela mágoa,
e enfraquecem por causa de todos os meus inimigos.
Sl 6:8. Apartai-vos de mim
todos os que praticais a iniquidade;
porque o Senhor
já ouviu a voz do meu pranto.
Sl 6:9. O Senhor
já ouviu a minha súplica,
o Senhor
aceita a minha oração.
Sl 6:10. Serão envergonhados
e grandemente perturbados
todos os meus inimigos;
tornarão atrás
e subitamente
serão envergonhados.
Esta mesma frase será dita pelo Senhor no julgamento: “Apartai-vos de mim todos os que praticais a iniquidade”. Aqui, neste salmo, Davi diz isso repentinamente enquanto apresentava suas ansiedades ao Senhor. Ato contínuo, ele entendeu que foi ouvido e, portanto, aceita a sua oração.
Mateus 7:23 Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.
Mateus 25:41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
Lucas 13:27 Mas ele vos dirá: Não sei donde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais iniquidades.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br