sábado, 20 de fevereiro de 2016

II Timóteo 4 1-22 - COMBATI - TERMINEI - GUARDEI!

Como falamos, Paulo escreveu essa sua segunda epístola por volta de 64-68 d.C. para convidar Timóteo a visitá-lo em seus últimos dias e também com o objetivo de animar Timóteo em seu ministério contra os falsos mestres em Éfeso. Estamos no capítulo 4/4.
IV. TERCEIRAS REFLEXÕES E EXORTAÇÕES (3.1-4.5) - continuação.
Como dissemos, Paulo relembrou a Timóteo que, pelo fato de ele permanecer fiel, deveria esperar sofrer nos últimos dias nas mãos de impostores.
Estamos seguindo nossa divisão proposta, conforme a BEG: A. Os últimos dias (3.1-13) – já vimos; e, B. Exortações a Timóteo (3.14-4.5) – concluiremos agora.
B. Exortações a Timóteo (3.14-4.5) - continuação.
Vimos que a partir dos vs. 3.14 ao 4.5, Paulo dá diversas exortações a Timóteo. Paulo voltou-se diretamente para Timóteo, enfatizando a responsabilidade que ele tinha em resistir aos falsos mestres e à descrença deles.
A menção de Paulo de testemunhas – Deus e Jesus - tinha como objetivo impressionar Timóteo quanto à seriedade de sua tarefa. As testemunhas: Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e modos. Para Cristo como juiz, veja o vs. 8 (veja também Mt 25.31-46; Jo 5.22-27; At 10.42). Ele virá fazer isso em sua manifestação, ou seja, na sua segunda vinda (cf. vs. 8; 1Tm 6.13; Tt 2.13). Maranata!
Toda a Escritura (3.16-17) e preeminentemente o evangelho (cf. 2.15) deve ser pregado, quer seja oportuno, quer não. Oportuno ou não, especialmente para quem prega. O texto não nos ensina a descortesia ou insensibilidade. No entanto, temos de ter sabedoria para aproveitar as oportunidades.
Como embaixadores de Cristo em país distante, não podemos perder tempo precioso com as coisas daqui, mas apresentar as coisas de lá, com entusiasmo e grande paixão. Veja os verbos empregados por Paulo nesse vs. 2:
·         Pregue a palavra.
·         Esteja preparado a tempo e fora de tempo.
·         Repreenda.
·         Corrija.
·         Exorte com toda a paciência e doutrina.
Paulo fala isso porque estava ciente de um tempo que seria muito difícil anunciar o evangelho. Paulo esperava que a sua caracterização dos últimos dias continuasse no futuro. Timóteo precisava estar preparado para esses desafios futuros.
Esse tema da sã doutrina percorre as epístolas pastorais (1.13-14; 2.2; 1 Tm 3.9; 4.6; 6.3; Tt 1.9,13; 2.1-2). E por não suportá-la, eles cercar-se-ão de falsos mestres - literalmente, "eles", presumivelmente uma referência a algumas pessoas associadas com a igreja - e juntarão mestres conforme os seus próprios desejos. Algumas pessoas têm uma fascinação insaciável por qualquer coisa que não seja a verdade. Eles chegam a trocá-la por fábulas. Essa é, pois, Uma exortação final à fé, mesmo que outros estivessem talvez se afastando dela.
V. QUARTAS REFLEXÕES E EXORTAÇÕES (4.6-18).
À luz de sua morte iminente, Paulo pediu que Timóteo fosse visitá-lo. Paulo concluiu a epístola com as saudações costumeiras. Paulo escreveu ainda uma outra seção de reflexões que foram seguidas por exortações a Timóteo. Esse material é dividido em: o anúncio da morte iminente de Paulo (vs. 6-8) e diversas exortações (vs. 9-18). Elas formarão nossa divisão proposta, conforme a BEG: A. A morte iminente de Paulo (4.6-8) – veremos agora; e, B. Exortações a Timóteo (4.9-18) – também veremos agora.
A. A morte iminente de Paulo (4.6-8).
A perspectiva da morte de Paulo fornecia a razão para suas exortações finais a Timóteo. Paulo aceitava a inevitabilidade da morte, mesmo meses antes que isso acontecesse. oferecido por libação. Essa metáfora da morte (cf. Fp 2.17) é tirada da linguagem do sistema de sacrifício do Antigo Testamento; vinho era despejado no santuário como uma oferta de gratidão a Deus (Nm 15.5,7,10; 28.7).
Paulo entendia a sua morte iminente como uma oferta a Cristo – vs. 6. Cristo havia feito tanto que Paulo daria a sua própria vida a ele em gratidão. Quando ele reafirma que o seu tempo estava próximo, ele usa uma outra metáfora para a morte (Fp 1.23) que, para Paulo, carregava a esperança e a certeza de um destino além do túmulo (vs.18).
Com essas três metáforas “combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé” – vs.7, Paulo sinalizou o fim do seu ministério. Sua preocupação não era a de que ele havia sido bem-sucedido, em vez disso, que ele havia sido fiel ao seu Senhor.
Assim sendo, uma coroa da justiça o aguardava. Alguns intérpretes têm entendido essa expressão como se referindo à coroa que é concedida a uma pessoa pela vida de fidelidade de quem recebeu a justiça de Cristo por meio da fé (Rm 3.22).
Mais provavelmente, essa é a coroa que consiste da justiça perfeita (vida eterna) que é dada ao crente como o auge do processo de santificação (2.10; Tg 1.12; 1Pe 5.4; Ap 2.10).
Quem garante isso é nosso reto juiz, ou seja, Cristo que em seu papel de juiz nos leva à completude do trabalho que ele começou em nós, seus eleitos, naquele Dia, ou seja, no dia do julgamento; no dia do Senhor (1.12,18), na sua vinda - na segunda vinda de Cristo (vs.1).
B. Exortações a Timóteo (4.9-18).
Dos vs. 9 ao 18, encontraremos diversas exortações a Timóteo. Paulo desejava ver Timóteo uma última vez. Ele deu a Timóteo várias instruções com relação a sua viagem até Roma, informou Timóteo sobre a sua situação no momento e concluiu com uma expressão de profunda confiança em seu Senhor.
Paulo havia feito uma alusão ao seu desejo de ver Timóteo em 1.4 e agora o queria ver apressadamente – vs. 9. E a razão disso era por causa de Demas – vs. 10 – que o abandonou.
Um companheiro de trabalho que havia permanecido com Paulo durante o seu primeiro encarceramento em Roma (CI 4.14; Fm 24). Agora tinha ido para Tessalônica - uma cidade na província romana da Macedônia. Paulo havia fundado uma igreja lá em sua segunda viagem missionária (At 17.1-10).
Crescente - esse não é mencionado em nenhum outro lugar no Novo Testamento. Ele foi provavelmente outro companheiro de trabalho de Paulo - era outro que tinha ido para a Galácia – uma província romana evangelizada por Paulo em sua primeira viagem missionária.
Já Tito era outro companheiro de trabalho de Paulo que tinha se deslocado para a Dalmácia. Um outro nome para a província romana do Ilírico, a província mais ao ocidente alcançada por Paulo em suas três primeiras viagens missionárias (Rm 15.19).
De todos eles, apenas Lucas ficou com ele. Lucas era o "médico amado" que é mencionado em Cl 4.14 e Fm 24. Ele viajou com Paulo ao longo de grande parte da segunda e da terceira viagens missionárias.
Paulo ainda pedia a Timóteo que tomasse com ele Marcos e o trouxesse. Um belo exemplo de perdão em Cristo. O fato de João Marcos ter abandonado Paulo e Barnabé durante a primeira viagem missionária (At 13.13) havia resultado na dissolução da parceria entre Paulo e Barnabé (At 15.37-40).
Mais tarde, Marcos voltou a trabalhar com Paulo (Cl 4.10; Fm 24). Agora, no final de sua vida, Paulo desejava vê-lo.
Quanto a Tíquico, Paulo o enviara para Éfeso. Esse era um companheiro de trabalho de Paulo que é mencionado em At 20.4 (também Ef 6.21; Cl 4.7; Tt 3.12). Tíquico deveria levar essa carta a Timóteo e servir como seu representante.
Paulo fala a Timóteo das coisas que lhe pertenciam no vs. 13: sua capa e seus livros. A capa era uma vestimenta pesada de lã usada para proteção contra a umidade e o frio. Paulo estava antecipando a chegada do inverno (vs.21).
Ele tinha deixado a sua capa em Trôade - uma cidade portuária, que ligava a província romana da Ásia com a da Macedônia, através da qual Paulo havia viajado em suas segunda e terceira viagens missionárias (At 16.8,11; 20.5-6).
Não é claro em que ponto(s) dessa viagem Paulo havia estado em Trôade. Ele havia deixado essa capa na casa de Carpo. Esse não é mencionado em nenhum outro lugar no Novo Testamento. Os seus livros, em especial os seus pergaminhos, eram livros feitos de peles de animais. O conteúdo deles é desconhecido; talvez fossem partes do Antigo Testamento.
Paulo cita negativamente a Alexandre, o latoeiro que lhe tinha causado muitos males. Esse incidente não é mencionado em nenhum outro lugar no Novo Testamento. No entanto, Paulo confiava no Senhor que lhe daria a paga segundo as suas obras. Ou seja, no dia do julgamento final (Mt 16.27; Rm 2.6; Ap 22.12). A orientação a Timóteo é que se prevenisse quanto a ele.
Ninguém tinha aparecido a favor de Paulo em sua primeira audiência. Essa é a primeira audiência – vs. 16 - antes do julgamento final de Paulo, que ele estava então esperando. No entanto, Paulo os perdoava dizendo que isto não lhes fosse posto em conta. Era assim, pois, uma expressão de perdão em face da morte que lembrava a de Cristo (Lc 23.34) e a de Estêvão (At 7.60).
Embora fosse abandonado de todos – vs. 16 - o Senhor o tinha assistido e o revestido de forças. Há muito tempo Paulo havia aprendido que ele poderia sempre depender do poder daquele que o havia chamado (2Co 12.9-10; Fp 4.11-13).
Por seu intermédio, a pregação foi plenamente cumprida. Isso provavelmente se refere à proclamação de Paulo do evangelho na sua primeira audiência. Paulo havia pregado o evangelho num fórum público no centro do Império Romano onde tinha sido libertado da boca dos leões. Uma metáfora para ter sido livrado da morte por pouco. A primeira audiência de Paulo havia resultado numa suspensão temporária.
Embora soubesse que o Senhor o livraria de toda obra maligna, Paulo não acreditava que Cristo impediria a sua morte física (vs. 6), mas ele expressou absoluta confiança naquele que é sempre fiel e que nunca abandonará aqueles que creem nele (2.13). Ele estava certo de que Cristo o levaria a salvo para o seu Reino celestial,
Essa é a maior esperança de todos os que confiam em Cristo. Quando Cristo retornar em glória, ele trará as maravilhas do nosso lar celestial para a nova terra (Ap 21.1-5).
VI. SAUDAÇÕES FINAIS (4.19-22).
Dos vs. 19 ao 21, Paulo dá suas saudações finais. Como era seu costume, Paulo concluiu a carta com saudações, pessoais e com uma bênção.
Priscila e Áquila – vs. 19 – era um casal de amigos de longa data de Paulo, que os havia conhecido na sua primeira visita a Corinto em sua segunda viagem missionária.
Assim como Paulo, eles eram judeus e fazedores de tendas (At 18.2-3). Tendo se mudado de Roma para Corinto, eles posteriormente acompanharam Paulo a Éfeso (At 18.18-19), onde durante muitos anos ofereceram sua casa para que a igreja se reunisse antes de retornarem para Roma (Rm 16.3-4; 1Co 16.19). Nesse momento, eles haviam aparentemente voltado para Éfeso.
Paulo tinha saudado Priscila e Áquila e também a casa de Onesíforo. Essa é uma das evidências mais claras de que Timóteo ainda estava em Éfeso (1.18).
Erasto era provavelmente o mesmo homem que era tesoureiro da cidade de Corinto (mencionado em Rm 16.23). Ele tinha permanecido em Corinto - a capital provincial da província romana da Acaia. Paulo havia visitado Corinto em sua segunda e terceira viagens missionárias.
Quanto a Trófimo, ele tinha deixado ele enfermo em Mileto. Era ele um membro da igreja de Éfeso que havia acompanhado Paulo até Jerusalém no final de sua terceira viagem missionária (At 20.4; 21.29). Mileto era uma cidade costeira exatamente ao sul de Éfeso. Paulo havia visitado Mileto no final de sua terceira viagem missionária (At 20.15,17). Não está claro em que ponto(s) dessa viagem Paulo esteve em Mileto.
Paulo estava preocupado com Timóteo e lhe pediu para vir antes do inverno. O clima do inverno eliminaria a possibilidade de viajar de navio.
Se Timóteo esperasse demais, não chegaria antes da execução de Paulo (vs. 9). De qualquer modo, Paulo precisava de sua capa antes do inverno (vs.13).
Ele então já finalizando sua carta fala de Êubulo, Prudente, Lino e  Claudia. Nenhuma dessas pessoas, que provavelmente eram cristãos romanos, é mencionada em nenhum outro lugar no Novo Testamento, apesar de que mais tarde a tradição católica romana considerou Lino como o sucessor de Pedro como bispo de Roma.
1.       Na presença de Deus e de Cristo Jesus,
que há de julgar os vivos e os mortos
por sua manifestação e por seu Reino,
eu o exorto solenemente:
2.       Pregue a palavra,
esteja preparado a tempo e fora de tempo,
repreenda,
corrija,
 exorte
com toda a paciência e doutrina.
3.       Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina;
pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos,
segundo os seus próprios desejos
juntarão mestres para si mesmos.
4.       Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade,
voltando-se para os mitos.
5.       Você, porém, seja sóbrio em tudo,
suporte os sofrimentos,
faça a obra de um evangelista,
cumpra plenamente o seu ministério.
6.       Eu já estou sendo derramado como uma oferta de bebida.
Está próximo o tempo da minha partida.
7.       Combati o bom combate,
terminei a corrida,
guardei a fé.
8.       Agora me está reservada
a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz,
me dará naquele dia;
e não somente a mim, mas também
a todos os que amam a sua vinda.
9.       Procure vir logo ao meu encontro,
10.    pois Demas, amando este mundo,
abandonou-me e foi para Tessalônica.
Crescente foi para a Galácia,
e Tito, para a Dalmácia.
11.    Só Lucas está comigo.
Traga Marcos com você, porque ele me é útil
para o ministério.
12.    Enviei Tíquico a Éfeso.
13.    Quando você vier,
traga a capa que deixei na casa de Carpo, em Trôade,
e os meus livros, especialmente os pergaminhos.
14.    Alexandre, o ferreiro, causou-me muitos males.
O Senhor lhe dará a retribuição pelo que fez.
15.    Previna-se contra ele,
porque se opôs fortemente às nossas palavras.
16.    Na minha primeira defesa,
ninguém apareceu para me apoiar;
todos me abandonaram.
Que isso não lhes cobrado.
17.    Mas o Senhor permaneceu ao meu lado
e me deu forças, para que por mim
a mensagem fosse plenamente proclamada,
e todos os gentios a ouvissem.
E eu fui libertado da boca do leão.
18.    O Senhor me livrará de toda obra maligna
e me levará a salvo para o seu Reino celestial.
A ele seja a glória para todo o sempre. Amém.
19.    Saudações a Priscila e Áquila, e à casa de Onesíforo.
20.    Erasto permaneceu em Corinto,
mas deixei Trófimo doente em Mileto.
21.    Procure vir antes do inverno. Êubulo, Prudente, Lino, Cláudia
e todos os irmãos enviam-lhe saudações.
22.    O Senhor seja com o seu espírito.
A graça seja com vocês.
Depois de desejar, finalizando sua carta, que o Senhor fosse com o espírito deles, ele os abençoa com a graça sendo com eles. No grego, a palavra "convosco" está no plural. Provavelmente Paulo pretendia que a carta fosse lida para toda a igreja (1Tm 6.21; Tt 3.15).
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 61 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Pr. Daniel Deusdete. 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.